Pontos Turísticos das Filipinas

PUBLICIDADE

Locais Turísticos das Filipinas

As Filipinas está dividido em 13 regiões: Ilocos, Vale de Cagayan, Luzão, a capital, Tagala, Bicol, as três de Visayas, as quatro de Mindanao e a região autônoma da Cordilheira.

As Filipinas são um arquipélago de 7.107 ilhas paradisíacas, situadas no fim do mundo e intocadas pelo turismo de massa.

A costa filipina possui quilômetros de praias de areia branca, banhadas por águas cristalinas, nomeadamente no arquipélago de Bacuit e nas lagoas da ilha de Palawan.

As águas deste destino são muito procuradas pelos mergulhadores.

Faremos um percurso pelos pontos mais importantes. O primeiro que vamos descobrir é o território da capital. Depois a região de Luzão. Seguidamente visitaremos as Ilhas Visayas, para terminar a viagem em Mindanao.

A REGIÃO DA CAPITAL NACIONAL

METRO MANILA

Trata-se de uma grande área metropolitana composta por 4 cidades e 13 munícipios. O que começou sendo um pequeno assentamento tribal, para aproveitar um porto natural, terminou sendo o centro populoso de comércio que é hoje em dia. Manila, além da capital, é a porta do país ao resto do mundo.

A capital da Filipinas está situada na costa oeste da Ilha de Luzão. Nela realiza-se a vida política e econômica do país. A sua arquitetura em geral, ainda conserva retalhos da herança colonial espanhola e podem ver-se interessantes recantos históricos da época. Por outro lado, também há uma zona moderna na cidade chamada Makati.

A Baia de Manila oferece numerosos atrativos turísticos. Intramuros é a cidade murada que está no casco antigo e conserva o seu semblante com os edifícios restaurados, museus históricos, lojas de antigüidades e restaurantes a usanza. Foi o bastião de Espanha na época colônial. O Forte Santiago foi o quartel central das tropas espanholas e a prisão para milhares de filipinos, incluindo ao herói nacional, José Rizal.

A Catedral de Manila e a Igreja de São Agustím são as duas construções religiosas mais antigas da ilha e oferecem coleções de objetos da época.

Outras expressões coloniais encontram-se conservadas no Museu Casa Manila, uma antiga mansão do século XIX restaurada e condicionada para o turismo, com objetos de decoração e mobília do século XVI ao XIX.

Fora de intramuros mais na frente da Baia há uma extensa zona verde, ideal para a expansão e o lazer. É o Parque Rizal, que dispõe de um auditório ao ar livre, inumeráveis fontes, um jardim chinês e outro japonês, algumas zonas de jogos infantis e inclusive uma pista para patinação. No parque está enterrado José Rizal, embaixo de um monumento em sua homenagem.

Toda a arte da cidade encontra-se no grande complexo CCP, Centro Cultural de Filipinas, onde podem-se ver atuações diversas de teatro, ballet e concertos. E também os melhores pôr-do-sol de frente à baia.

Ali está situado o Coconut Palace, construido no estilo típico do país. Nos materiais empregados se usaram elementos nativos, misturados com os do cocoteiro.

Também no mesmo lugar encontra-se o Palácio de Congressos e o recinto de feiras para diversos eventos.

No bairro de Quiapo poderá visitar o Santuário do Nazareno Negro. Neste distrito há compra e venda dos artigos mais diversos. Não perca também, Chinatown, que está fora das muralhas do casco velho e onde encontra-se uma grande variedade de restaurantes e pequenos comércios.

O centro de negócios é Makati, que se distingue pelas suas modernas construções e numerosos centros comerciais com exclusivos clubes esportivos. Vale a pena visitar o Museu de Ayala, que exibe parte da história do país.

Em Quezom City encontram-se enormes plantações de coco e é conhecida pelos seus festivais; foi a capital oficial de Filipinas antes da integração em Metro Manila.

Também em Manila localiza-se a Universidade de Santo Tomás, ao outro lado do rio Pasing.

O Nayong Philipino é um parque de 23 acres, onde se pode encontrar réplicas das atrações monumentais do país, entre elas o Vulcão Mayão de Bicol, os terraços de arroz de Banaue, as Colinas de Chocolate de Bohol e a Cruz de Magalhães de Cabú, além das povoações em miniatura das distintas regiões. E por último, não esqueça visitar o Palácio Malacanhang, residência oficial do presidente das Filipinas.

ARREDORES DE MANILA

Ángeles

Está ao norte da capital, depois de passar são Fernando, famoso pela sua festa de Páscoa. É um bom ponto para explorar o Monte Pinatubo. Um vulcão que entrou em erupção apenas uma década.

O melhor é prover-se de um bom guia.

Monte Pinatubo

Depois de um sono de mais de cinco séculos, o Monte Pinatubo, localizado na ilha de Luzon, a noroeste de Manila, começou a mostrar sinais de despertar em abril de 1991, antes de sofrer uma poderosa erupção dois meses depois. Nuvens de cinzas obscureceram a atmosfera durante vários dias, dificultando a respiração do ar.

A precipitação de cinzas também causou estragos nas plantações localizadas a favor do vento, assim como os fluxos de lava que desceram do cume para a maioria dos vales circundantes.

Corregidor: É uma ilha pequena que encontra-se no canal sul, salientado a Baia de Manila. Nela ainda restam “relíquias” da Segunda Guerra Mundial. Há que chegar a ela de barco.

As Pinhas

Encontra-se nos limites de Metro Manila. A maioria dos visitantes chegam a este município para contemplar seu Órgão de Bambu, que aloja-se em uma igreja de pedra, de quase um século.

É o único órgão do mundo fabricado neste material.

Cavite: É o lugar onde aconteceu a independência do país. Encontrará numerosos monumentos ao respeito de toda a província. Encontra-se em direção sul desde a capital.

Tagaytay: Está ainda mais para o sul. O mais atrativo são as vistas desde as costas da ilha vulcânica que encontra-se em meio do Lago Taal. A ilha e o lago, assim como, o vulcão formaram-se a partir de um velho vulcão.

Laguna: É famosa pelos seus banhos. Encontrará numerosos lugares onde desfrutá-los. Muito perto está Calamba, o lugar de nascimento do herói nacional José Rizal. A sua casa é hoje um museu.

LUZÓN

É a maior ilha do país. O norte de Luzão é rico em vistas panorâmicas, pois conjugam-se as verdes paisagens e as antigas residências coloniais. Ali encontra-se a cidade de Baguio, que distingue-se do resto do território pelos seus pinhos e o seu clima mais frio. Considera-se a capital de verão do país. Nela abundam as instalações esportivas como as do Parque Burnham e o Parque Wright, e a Academia Militar West Point Filipino.

As cordilheiras resguardam os terraços de arroz de Banaue. Alguns a chamam de oitava maravilha do mundo. Há séculos uma tribo milenária da zona talhou os terraços nas ladeiras dos cerros que têm uma extensão de 22.400 quilômetros. Sagada é a mais sobressaliente pois é uma zona cheia de cavernas, lagos e cascatas impressionantes.

Na costa norte estão as praias mais bonitas, as da província da União. Poderá visitar encantadoras povoações pesqueiras. Mais ao sul, em Pangasinam encontram-se as Cem Ilhas, um lugar popular.

Muito perto pode-se visitar as localidades de Lucap e Alaminos.

Seguindo a rota norte está Ilocos, muito tranquilo e rústico. É onde a influência espanhola deixa-se notar mais. Encontrará numerosas igrejas para visitar.

Laoang, a capital do Norte de Ilocos dispõe de aeroporto internacional. No sul de Ilocos está Vigan, uma histórica cidade cheia de igrejas barrocas e casas anscestrais. Por suas ruas ainda encontram-se casas.

A capital culinária de Luzão é Bulacan, na província de Pampanga. É conhecida pelas suas festas e doces caseiros. Rizal é a cidade dos artistas.

No sul está a província de Batangas, um verdadeiro paraíso para os submarinistas. Ali os amantes deste esporte encontrarão desertos e ilhas coralinas que oferecem os seus melhores tesouros para a vista.

Para o oeste estão as plantações de coco de Quezão, uma província que também destaca pelas suas alegres festas. Em Albay, que encontra-se para o sudoeste o que mais atrai aos visitantes é o Vulcão Mayão, que possui uma forma cônica quase perfeita.

Ilha de Palawan

E por último a Ilha de Palawan, no Mar da China. Está situada entre a Ilha de Mindoro e ao norte de Borneo. É conhecida como a última fronteira do país.

A capital, Porto Princesa é o ponto de partida do percurso pela zona. O mais atrativo do lugar é o rio subterrâneo, no Parque Nacional de São Paulo, que pode explorar-se junto com as cavernas de singular colorido.

Os amantes do mergulho gostarão da Reserva Marinha de Tubbataha muito rica em vida marinha e restos arqueológicos.

Os que preferem pisar terra firme poderão desfrutar de um safari africano na Reserva da Ilha de Calauit. Não esqueça visitar as Cavernas do Tabon, berço da civilização de Filipinas.

Para o oeste de Palawam está o Arquipélago de Spratleys, um conjunto de 53 ilhas de coral, ricas em jazidas de petróleo e outros minerais. São conhecidas como Grupo Kalayaan.

A maior ilha do oeste do arquipélago filipino, Palawan é a mais selvagem, mais preservada e menos povoada do arquipélago. Com sua beleza e recursos naturais – montanhas rochosas, florestas exuberantes e fundos marinhos – tornou-se uma das ilhas filipinas mais populares para os turistas. Praias de areia fina, lagoas azul-turquesa, sumptuosa fauna subaquática.

Basta dizer que vale a pena desviar deste destino. Apelidada de “A Última Fronteira” devido à sua configuração geográfica, a escassa população de Palawan e a aparência de um paraíso inexplorado fazem dela o tesouro selvagem por excelência das Filipinas, uma verdadeira reserva ecológica, coberta por uma selva tropical impenetrável e intocada. É apreciada pela beleza das suas paisagens e pelo esplendor do seu fundo marinho.

El Nido e o arquipélago Bacuit

Em Palawan, a aldeia de El Nido é conhecida como ponto de partida do arquipélago Bacuit. Localizado 240 km ao norte de Puerto Princesa, El Nido deve o seu nome aos ninhos de andorinhas (salanganes) encontrados nas escavações das falésias calcárias. El Nido é na verdade o lar de 18 pequenas aldeias agrícolas e piscatórias. Quase não restam praias virgens em El Nido, mas você ainda pode desfrutar do pôr do sol incomparável enquanto saboreia um coquetel em um dos pequenos restaurantes à beira-mar. De El Nido você pode chegar ao paradisíaco arquipélago Bacuit.

Local de incrível beleza natural, este arquipélago possui imponentes falésias calcárias e cársticas. O cenário lembra Krabi, Baía de Phang Nga e Koh Phi Phi na Tailândia…

Uma banca desliza entre quarenta e cinco ilhas e ilhotas cercadas por uma imensidão de água que varia do turquesa ao verde esmeralda e ao azul profundo. Estas ilhas, com as suas falésias por vezes impressionantes, albergam lagoas incríveis, pequenas florestas tropicais, grutas e uma abundância de vida subaquática, deliciando tanto os entusiastas como os amantes do mergulho, que a tornaram um dos 25 melhores destinos para uma lua de mel.

O rio subterrâneo de Puerto Princesa

O único e excepcional rio subterrâneo de Puerto Princesa é Patrimônio Mundial da Unesco desde 1999 e foi designado uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza em 2012.

As cavernas estão entre as mais espetaculares do mundo e podem ser exploradas de canoa. Uma experiência extraordinária garantida! Acompanhados por um guia, os visitantes são levados a bordo de um pequeno barco para um passeio de 45 minutos rio abaixo. Equipado com uma lanterna, o guia rema atrás do barco, brincando com os formatos das estalagmites e estalactites.

Quando chove, as águas ficam turvas, até mesmo lamacentas, o que pode tornar a visita menos agradável. Recomendamos, portanto, escolher um dia seco, se possível.

Explore o rio subterrâneo de Puerto Princesa e admire a beleza natural de Palawan reservando sua viagem de um dia!

Vulcão Mayon

O vulcão Mayon é sem dúvida o vulcão mais majestoso das Filipinas. O nome “Mayon” tem origem na palavra magayon, que significa “bonito”. Situado entre as cidades de Legazpi e Tabaco, o Monte Mayon está entre os vulcões mais ativos do país. É mais conhecido pelo seu cone perfeito, que emerge da vegetação exuberante. É uma reminiscência do famoso Monte Fuji do Japão.

Atingindo uma altitude de 2.453 metros, a sua cratera emite fumo continuamente, enquanto a lava escava ravinas ao longo das suas encostas, dando a este gigante adormecido uma presença imponente, para dizer o mínimo.

Lago Taal e seu vulcão

O vulcão Taal, um dos apenas 10 vulcões ativos no mundo, é caracterizado por sua vasta caldeira medindo 15 km por 20 km, que abriga o Lago Taal, o terceiro maior corpo de água do país.

As erupções históricas do vulcão foram registradas no centro do lago, na ilha do vulcão. É reconhecido como o menor vulcão ativo do mundo. Recentemente, entre 2020 e 2022, o vulcão entrou novamente em erupção, acompanhado por intensa atividade sísmica, levando à evacuação de milhares de pessoas. Se as condições permitirem, o vulcão continua a ser uma grande atração turística.

Uma excursão de um dia leva você por toda a volta. Uma subida de uma hora até o topo da cratera oferece uma vista panorâmica do lago interno e de suas fumarolas. A cratera também pode ser explorada a cavalo.

Ilha Coron

A Ilha Coron destaca-se sem dúvida como uma das ilhas mais magníficas das Filipinas, oferecendo uma paisagem rochosa excepcional de falésias cársticas de até 600 metros de altura. Cerca de 2.000 indígenas Tagbanuas vivem nesta ilha da província de Palawan, onde os turistas só são permitidos em determinadas áreas. O interior da ilha possui lagos esmeraldas que são verdadeiras maravilhas naturais.

Dois desses lagos, Kayangan (considerado o mais puro das Filipinas) e Barracuda, são acessíveis aos viajantes. O mergulho memorável de Kayangan pode ser interrompido por multidões, por isso é melhor chegar lá de manhã cedo. Já o Lago Barracuda recebe mergulhadores em busca de barracudas. Ao longo da costa, praias e enseadas pitorescas convidam ao relaxamento.

A Ilha Coron pode ser descoberta por ilhas, e as instalações hoteleiras são raras nesta ilha protegida.

Coron Bay é apreciada por mergulhadores de todo o mundo pelos naufrágios de navios japoneses afundados pelos americanos em 1944.

Descubra a beleza de Coron reservando esta visita guiada que o levará a nadar nas praias da ilha, admirando os magníficos corais e tropicais pescar e almoçar numa cabana tradicional.

VISAYAS

As Ilhas Visayas encontram-se na parte central das Filipinas e têm um ambiente muito relaxado e paradisíaco. Ali está a província de Cebu, a segunda porta de entrada ao país. Está composta de 167 ilhas, que incluem à capital do mesmo nome.

Cebú é a cidade mais antiga do país e é conhecida como a rainha do Sul; encontra-se a Basílica Menor do Santo Ninho e a Cruz de Magalhães. As suas costas estão reservadas para os complexos turísticos.

A ilha de Mactám é um paraíso para os submarinistas e possui os melhores complexos turísticos. Na zona leste encontra-se as praias de areia banca franqueadas de coqueiros. As ilhas de Badian, Bantayam e Pescador são famosas pelos seus impressionantes corais.

Para o oeste está a Ilha de Negros, onde estão dois pontos importantes: a Cidade de Dumaguete e a Cidade de Bacolod.

A Ilha de Bohol é o lar do menor macaco do mundo, Tarsius, e cobiça às Colinas de Chocolate, chamada assim pela cor da sua pedra.

Na Ilha Iloilo encontra-se um importante centro cultural e duas universidades; aqui destaca o Museu Iloilo que tem uma rica coleção de artefatos visayas que vão desde os fósseis até os artigos religiosos.

Poderá visitar igrejas históricas e a cidade de Bacolod, em Negros Ocidental, a capital açucareira do país.

Também ali está a cidade de Aklan, com duas grandes atrações: o Festival Anti-AAtiham e a Ilha de Boracay, famosa pelas suas praias de areia branca.

As colinas de chocolate

As Chocolate Hills são uma das atrações turísticas mais emblemáticas das Filipinas. São 1.268 morros, com alturas que variam de 60 a 120 metros.

A vegetação destas formações geológicas assume um tom chocolate durante a estação seca, de dezembro a abril, devido à seca que prevalece nessa época. Caso contrário, diz a lenda que estas colinas são as lágrimas derramadas por um gigante.

Ilha Camiguin

A Ilha Camiguin, apelidada de “a ilha dos sete vulcões”, é um paraíso para o mergulho e atividades terrestres. Os locais também lhe chamam “Come Again”, expressão que resume a vontade irresistível de quem aqui fica de voltar. Os habitantes locais são particularmente acolhedores e sorridentes. Para um filipino, mencionar Camiguin evocará inevitavelmente lanzones, uma fruta local semelhante à lichia, a mais doce do arquipélago.

O Festival Lanzones acontece todos os anos na terceira semana de outubro.

Localizada no Mar de Bohol, Camiguin fica a cerca de 54 km a sudoeste das Colinas de Chocolate de Bohol e 90 km ao norte do aeroporto de Cagayan de Oro.

Apesar de pequena, com uma área de apenas 238 km², a ilha merece uma visita de alguns dias, mesmo que possa ser explorada em um dia.

Mindanau ou Mindanao

É a segunda maior ilha do país. Para o sul do arquipélago encontramos à populosa e moderna Davao que é a cidade mais extensa do mundo, pois cobre 244.000 hectares.

Situam-se nesta zona o Museu Davaw, os templos taoísta e budista de Lom Wa e as granjas Greenhills e Derling onde podem-se admirar as famosas orquídeas de Davao.

Muito perto, Zamboangaou “Cidade das Flores” que mistura com singularidade as costumes hispânico e muçulmano. Os principais atrativos são o Forte Pilar, o Rio Hondo, e a vila de tecedores Yakan.

Fonte: www.portalsaofrancisco.com.br/www.rumbo.com.br/www.petitfute.co.uk

Veja também

Pontos Turísticos da Jordânia

PUBLICIDADE Viajar a Jordânia é remontar-se no tempo, e gozar a possibilidade de viver uma aventura numa …

Pontos Turísticos de Israel

PUBLICIDADE Pontos Turísticos de Israel – Atrações Sua lista de desejos de Israel deve incluir todas as …

Pontos Turísticos do Iraque

PUBLICIDADE Recentemente Iraque tem vivido uma história, que conseguiu impactar o mundo, e que tem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.