Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / História da Geórgia

História da Geórgia

História da Georgia entre 1921-1945

PUBLICIDADE

No século 19, a Geórgia foi um reino independente.

Sua população possuia também muçulmanos, embora a maioria pertencesse à Igreja Ortodoxa georgiana. Sendo um pequeno país, a Geórgia se envolveu nas guerras turcas e a fim de parar os turcos, o Tzar russo ocupou e anexou a Geórgia, abolindo a Igreja, a cultura e recolocando sua igreja ortodoxa, costumes e a cultura russa. Mesmo o nome Geórgia foi abolido e sua linguagem substituida pela linguagem russa.

Depois da ocupação da Geórgia por Lenin, os comunistas russos lá se instalaram e tornaram o país como russo sendo. As terras foram socializadas, indústrias, ferrovias, frotas, bancos, etc, passaram para as mãos do governo.

Maciças perseguições e exílios se tornaram a ordem do dia. Antigos oficiais, intelectuais e representantes da nobreza eram o alvo preferido. O Ateísmo se tornou a religião. Comunistas destruiram igrejas, exterminaram religiosos e entre 1922/1923 1.500 igrejas foram destruidas na Geórgia.

Havia uma resistência anti-comunista, mas os russos impuseram ao Governo fácilmente manipulável, que se localizasse e reprimisse a resistência e assim os comunistas prenderam os líderes da rebelião.

A República Soviética Socialista da Geórgia, assim chamada naquele tempo, foi considerada, no princípio, como um estado independente, mas seu território foi ocupado pelo exército russo e os comunistas georgianos agiam somente sob as ordens de Moscou. A implantação do estado soviético da Geórgia foi planejada em Moscou, o que facilitaria seus passos para uma política e um sistema econômico soviético.

A RSS da Geórgia foi, de fato, um estado federal. No final de 1921, à luz do Acordo de Aliança, a República Socialista Soviética de Abkhazia ( uma República Autônoma desde 1931) entrou nessa estrutura e foram criadas as Repúblicas Independentes de Adjar em 1921 e a Repúblicas Independentes da Ossétia do Sul em 1922, no território da Geórgia.

A RSS da Geórgia, com o Azerbaijão e a Armênia, por proposta de Lenin em 1922, se tornaram parte da Federação Transcaucasiana que foi aboilda em 1936 e o Estado da Geórgia entrou novamente na estrutura da União Soviética.

Na segunda metade dos anos 20, um rápido processo de industrialização e coletivização começaram no Estado Soviético que foram dirigidos para a consolidação do regime existente. Várias fábricas, estações hidroelétricas e minas foram reconstruidas na Geórgia. Carvão e manganês foram largamente explorados.

Chá e cítricos foram plantados para o consumo do imenso mercado soviético. As indústrias construídas em passo acelerado eram de baixa qualidade. Madeiras foram cortadas e produtos foram colhidos. Monoculturas foram criadas em todas as regiões, se perdendo assim a variada agricultura georgiana.

O dogma comunista pregava a industrialização e a coletivisação como a principal condição para o socialismo. Nos anos 20 e 30 a quantidade de escolas secundárias e superiores cresceu na Geórgia. A Ciência e a Arte se desenvolveram.

Em 1940 foi estabelecida a Academia de Ciências da RSS da Geórgia, mas naquele tempo as pessoas representantes do meio intelectual, da literatura e das artes eram escassas. A ideologia ditatorial comunista tinha que ser obedecida e com o objetivo de aterrorizar e enfraquecer a população, o Governo de Stalin organizou grandes repressões na segunda metade dos anos 30, que foi realmente maciça em 1937/1938.

A Geórgia foi uma daquelas regiões da URSS onde a máquina repressiva foi particularmente ativa. Durante aqueles anos, milhares de pessoas inocentes foram mortas na Geórgia como também foram enviadas para os ” Gulags”, onde a maioria morreu.

Entre essas pessoas estavam os melhores representantes dos intelectuais, incluindo notáveis representantes da cultura georgiana, como o escritor M. Javakhishvili, os poetas T. Tabidze e P. Iashvili, o diretor de teatro S. Akhmeteli, o cientista-filólogo Gr. Tsereteli, o maestro E. Mikeladze, etc. Aldeias também foram envolvidas nessa maciça repressão, onde milhares de camponeses morreram por causa da coletivização, que terminou naquele período.

A população da Geórgia em 1940 era de 3.6 milhões de pessoas, das quais 700.000 foram destacadas para o Exército Russo, de onde apenas 400.000 retornaram.

A guerra dividiu a Geórgia: muitas pessoas lutaram pelos ideais alemães acreditando que a Alemanha restauraria a independência da Geórgia e a grande maioria restante lutou nos exércitos russos. Esposas ocuparam os lugares de seus maridos nas fábricas, onde armas e uniformes eram produzidos. As fazendas coletivas implementaram grandes projetos agrícolas.

A Geórgia também abrigou milhares de pessoas que foram evacuadas de territórios ocupados pelos nazistas. Os soldados soviéticos se recuperavam em seus famosos resorts e instituições médicas. Dessa forma, a população da Geórgia teve um papel importante na grande vitória do povo soviético contra o facismo.

História da Georgia depois da II Guerra Mundial

Depois da Segunda Guerra Mundial, a economia da Geórgia prosperou. Novos empreendimentos, estações hidroelétricas, minas, canais de irrigação, etc, foram construidos. O Governo manteve a sociedade sob pressão ideológica. Novas repressões, que aparentemente haviam terminado após a morte de stalin em 1953, reapareceu.

O novo governo soviético, sob as ordens de N. Khrushchov, mudou sua posição a respeito do ditador Stalin. Ambos, Josef Stalin e Beria eram georgianos.

A juventude georgiana não gostou da condenação de Stalin, um georgiano que eles idolatravam e assim fizeram um protesto em Tblisi de 3 a 9 de Março de 1956. O exército soviético simplesmente voltou suas armas contra os jovens matando 100 e ferindo 300 e desde então uma grande parte da população da Geórgia perdeu a crença na ideologia comunista.

Nos anos 60, não muito aconteceu a não ser o ” Faça de Contas ” de novas realizações. A corrupção floresceu e ninguém mais acreditava na propaganda oficial.

Um movimento dissidente começou na metade dos anos sessenta e entre os dissidentes georgianos, a pessoa mais devotada e espiritualmente forte era Merab Kostava (1938-1989). Ele foi preso várias vezes pelo comitê de segurança permanecendo em longínquos campos da Rússia.

Nos anos 80, se tornou claro que o regime soviético não tinha futuro. Em 1985, o líder do país, Gorbachov tentou vencer a crise com reformas radicais. A ” Reestruturação” ( Perestroika) começou. Arquitetos da Perestroika não sabiam que o sistema soviético, construido com sangue e armas, não tinha ” imunidade” no mundo democrático livre e, como resultado, o processo da decomposição começou rápidamente.

A “Reestruturação” na Geórgia começou, enfatizando uma aspiração nacional. Os líderes do movimento de reestruturação nacional, que teve seu apogeu em 1988, eram antigos prisioneiros e dissidentes georgianos. Logo, o lema da Geórgia ficou evidente.

Em 9 de Abril de 1989, em Tblisi, pessoas que se reuniam em um encontro noturno foram atacadas. 20 delas foram mortas pelo Exército, em sua maioria mulheres. A tragédia desse dia aconteceu no mesmo lugar do derramamento de sangue acontecido em 9 de Março de 1956, porém em 1989, a situação geral na URSS estava muito diferente.

O sangrento 9 de Abril enfureceu não apenas toda a Geórgia como também a progressista sociedade da Rússia, que firmemente se rebelou contra aquele incidente. O Governo foi forçado a voltar atrás.

Depois de 9 de Abril, a liderança do Partido Comunista da Geórgia perdeu sua influência na República. O movimento nacional se tornou o principal poder para a vida política da Geórgia. Em 28 de Outubro de 1990 aconteceram as primeiras eleições pluri-partidárias na Geórgia desde 1921 e assim terminou pacificamente o governo soviético na Geórgia.

Z. Gamsakhurdia se tornou o presidente do país, mas por causa de sua inflexível ambição política, as relações entre o Governo e a Oposição azedaram. O exército do país se rebelou e um triste conflito surgiu, resultando na fuga de Gamsakhurdia em Janeiro de 1992, não sem antes de ter sido proclamada a Independência em 9 de Abril de 1991.

Depois do retôrno para a Geórgia, em Março de 1992, do antigo Ministro Soviético de Relações Exteriores,o notável político Edward Shevardnadze, as coisas melhoraram. Seu retôrno encheu grande parte da população georgiana de esperança de que a prolongada desordem teria fim e que o país encontrasse finalmente seu caminho para a estabilização. Shevardnadze realmente logo negociou para cessar o conflito georgiano-ossetiano e passou o processo para dimensões políticas regulamentadas.

O retôrno de Shevardnadze se tornou um sinal para o mundo para o reconhecimento jurídico do Estado independente. Já em 23 de Março de 1992 a Independência da Geórgia era reconhecida pelos países da União Européia e em 31 de Julho do mesmo ano ela foi reconhecida pela ONU, como seu 179° membro. Assim, a Geórgia entrou novamente na lista dos Estados Independentes se tornando uma realidade o sonho da Independência.

Fonte: homepages.ihug.co.nz

História da Geórgia

Hernando de Soto, o explorador espanhol, viajou pela primeira vez partes da Geórgia em 1540. Britânico afirma mais tarde entrou em conflito com os da Espanha. Após a obtenção de uma carta régia, o general James Oglethorpe estabeleceu o primeiro assentamento permanente na Geórgia em 1733 como um refúgio para os devedores de inglês. Em 1742, Oglethorpe derrotado invasores espanhóis na Batalha de Bloody Marsh.

A Confederação fortaleza, Georgia foi palco de uma ação militar extensiva durante a Guerra Civil . União Geral William T. Sherman queimou Atlanta e destruiu um caminho de 60 quilômetros de largura da costa, onde capturou Savannah em 1864.

O maior estado no sudeste, a Geórgia é típico do sul mudando com um desenvolvimento cada vez maior industrial. Atlanta, a maior cidade do estado, é o centro de comunicações e de transporte para as regiões Sudeste e distribuidor chefe da área de mercadorias.

Geórgia lidera o país na produção de papel e cartão, produtos têxteis tufados, e frango processado. Outros importantes produtos manufaturados são equipamentos de transporte, produtos alimentares, vestuário e produtos químicos.

Importantes produtos agrícolas são o milho, algodão, tabaco, soja, ovos e pêssegos. Geórgia produz o dobro amendoim como muitos como o próximo estado líder. De seus estandes vastas de pinho vêm mais da metade de resinas do mundo e aguarrás e 74,4 por cento da oferta dos EUA. A Geórgia é uma empresa líder na produção de mármore, caulim, barita, e bauxita.

Principais atrações turísticas da Geórgia incluem: o Okefenokee National Wildlife Refuge , Andersonville Prison Park e National Cemetery, Chickamauga e Chattanooga National Military Park, a Little White House em Warm Springs, onde Pres. Franklin D. Roosevelt morreu em 1945, Sea Island , o Memorial enorme confederado em Stone Mountain , Kennesaw Mountain Park National Battlefield, e Cumberland Island National Seashore.

Fonte: www.infoplease.com

História da Geórgia

Lugares rupestres do Paleolítico Médio ao longo da costa do Mar Negro da Geórgia provar a presença de um povo indígena em algum momento entre 100.000 – 50.000 aC Uma grande quantidade de evidências arqueológicas atesta a uma cultura do Neolítico florescente na Geórgia, no Olaria quinto e quarto milênios aC e metalurgia do Idade do Bronze foi renome. Este período é marcado por uma cultura altamente desenvolvida.

No final do segundo e início do milênio 1 aC, dois grandes sindicatos tribais surgiram: a do Diakhi (Taokhi, Tao) eo Qolha (Cólquida). A riqueza eo poder da Cólquida foram refletidas no antigo mito grego dos Argonautas. Sua união se desintegrou no BC meados do século 8 aC. No século oitava-setima, os Karts, Mengrels, Tanques e Svans veio à tona entre as tribos da Geórgia, e como resultado de sua consolidação, uma confederação de dois Estados tomou forma nos séculos sexto-quarta. No oeste, o Reino da Cólquida foi formada (agora conhecida como o Reino de Egrisi). Este reino cunhadas moedas de prata seus próprios como “Colchians brancas moedas”.

A economia avançada e favoráveis condições geográficas e naturais da Cólquida atraiu os gregos, pois eles colonizaram a costa do Mar Negro, a criação de seus assentamentos: Phasis (nas proximidades da atual Poti), Gyenos (Ochamchire), Dioscuras (Sukhumi), Anakopia (Akhali Atoni) e Pityus (Bichvinta). O mesmo período histórico foi a tempo de consolidação intensiva das tribos que habitam Kartlian largerly leste e sul da Geórgia.

Tribos Meskhian veio à tona, gradualmente se movendo para o norte-leste e formando seus assentamentos no coração de Kartli. Mtskheta foi uma tais assentamentos, derivando seu nome do etnônimo “Meskhians”. O reino de Kartli está ligado ao nome do rei Parnavaz (o fundador da dinastia Parnavazi), que expulsou os invasores da Geórgia e começou a reinar sobre um país liberado.

Durante seu reinado Armazistsiche, a cidadela da capital, e um ídolo representando o deus Armazi, foram erguidas. De acordo com Kartlis Tskhovreba (History of Georgia), Parnavaz Eu criei o georgiano. Os reinos de Kartli e da Cólquida travaram guerras incessantes contra conquistadores estrangeiros que se esforçaram para subjugá-los, especialmente no século 1 aC Aqui, os romanos deve ser mencionado em primeiro lugar.

Em 66 aC, depois de ter derrotado o reino de Pontus, os romanos, liderados por Pompeu, iniciou suas operações militares contra a Arménia, Albânia e Kartli.

Depois de subjugar Arménia, Pompeu marchou para Kartli e Albânia, em 65 aC Rei Artag de Kartli foi forçado a se render. A partir daqui, Pompeu cruzou para oeste da Geórgia e chegou à cidade de Phasis. Na primeira metade do século 2 dC, o reino de Kartli cresceu forte, especialmente sob Parsman II (130-150s AD).

O imperador romano Adriano (117-138) procurou melhorar as relações com Kartli, mas Parsman recusou a comprometer. Sob o sucessor de Adriano, o Imperador Antonino Pio (138-161), as relações entre o Império Romano e Kartli melhorado. Rei Parsman II, acompanhado por uma comitiva grande, chegou a Roma para uma recepção real, e os georgianos foram concedidos o direito de oferecer o sacrifício em Capitólio.

De acordo com Dio Cassius, uma estátua do rei Parsman foi erguido em Roma. O Imperador reconheceu Kartli em suas fronteiras agora amplamente estendidos. Kartli tinha suficientemente se destacado do domínio romano para ser considerado um aliado e não um estado sujeito que tinha de pagar impostos.

Enquanto os romanos e os partos (a grande dinastia iraniana de BC-AD 226 por volta de 240) lutou com o outro, os georgianos permaneceu firme aliada de Roma por quase três séculos de luta. Na AD 298, os sassânidas (uma nova dinastia iraniana) assinou a Paz de Nisibis com Roma.

Esta paz reconheceu a jurisdição romana sobre Kartli mas reconheceu Mirian III (284-361 AD) como o Rei do Leste Geórgia. Com Mirian III começou uma nova era, pois ele foi o primeiro a adotar o cristianismo na Geórgia.

O cristianismo começou a se espalhar na Geórgia do século 1, e estabeleceu-se como uma religião de Estado de Kartli no 330s e quase ao mesmo tempo em West Geórgia. Isso significava uma orientação em direção a Roma e Bizâncio que iria provar um fator decisivo na evolução da consciência e da cultura nacionais.

Pelos meados 400s, 30 bispos estavam em Kartli. O líder de uma luta anti-iraniano, o rei de Kartli Vakhtang Gorgasali reforçada a igreja Kartlian tornando autocephalic, tendo garantido a permissão de Constantinopla para elevar o status do bispo de Mtskheta ao de Catholicos. O cristianismo destruiu a velha literatura georgiana e começou a criar uma literatura própria, em sua maioria traduções.

Escrita georgiano foi visto pela primeira vez no século 5. Os primeiros exemplos incluem inscrições no mosteiro georgiano da Santa Cruz, na Palestina, no deserto Belém (Bir-ELL-Katt), bem como aqueles na igreja de Sioni Bolnisi, sul de Tbilisi. A fonte do script georgiano é um problema controverso. Alguns estudiosos acreditam que ele apareceu muito antes da época cristã, enquanto outros dizem respeito a sua aparência para o estabelecimento da religião cristã.

Eles não negam a possível existência de uma escrita certa original na era pré-cristã. Os mais antigos livros traduzidos em seguida, foram os Evangelhos e no Velho Testamento. A Paixão de São Shushanik foi escrito no século 5. Outro trabalho como por um autor anônimo, O Martírio de Evstate Mtskheteli é do século 6.

As igrejas do tipo basílica de Bolnisi e Urbnisi, datado do século 5, ea única cruciforme com cúpula da igreja Jvari do final de sexta e início do século 7 perto de Mtskheta são os mais significativos monumentos da arquitetura.

Em meados do século 5, Vakhtang Gorgasali I tornou-se rei de Kartli, liderando a luta contra os persas. Ele é conhecido também como fundador de Tbilisi e ele preparou o caminho para a transferência da capital da Geórgia a partir de Mtskheta para Tbilisi. Gorgasali recapturados as terras georgianas ao sul-oeste, assim como o leste (Hereti).

O sucesso inicial alcançado na luta contra a Pérsia veio a zero pela resistência dos Eristavs, a mais alta nobreza feudal e sua aliança com os iranianos. A luta contra os inimigos terminou em derrota Rei Vakhtang e sua morte no campo de batalha, em 502. Em 523, depois de ter subjugado Kartli, os persas se mudou para o Reino de Egrisi (também conhecido como Lazica) no oeste da Geórgia.

Lazica ainda era dependente de Bizâncio, mas esta dependência se enfraquecia e os reis da Lazica ganhou mais independência. Os governantes de Lazica tentou usar a hostilidade entre Bizâncio e do Irã para sua própria vantagem, mas a guerra terminou com um tratado de paz 50 anos de comprimento (562 dC), e West Georgia finalmente encontrou-se subjugado por Bizâncio.

Em 572, o Kartlians levantou nos braços e expulsou os persas. Um governo do estado do município ou saerismtavro foi instituído em Kartli. Este estado feudal primeiro, na verdade, serviu como base para a criação da monarquia unida futuro da Geórgia. Nos séculos sétima-oitava, importantes mudanças sociopolíticas ocorreu na Geórgia. Os principados (samtavros) de Kakheti, Hereti e Tao-Klarjeti, assim como o Reino georgiana da Abkházia, tomou forma neste período.

Uma nova força, os árabes, apareceu na cena internacional no 730s e 740s. Eles derrotaram os persas e chegou ao Cáucaso também. Em 645 eles capturaram Tbilisi e instalou um emir árabe lá, mas eles não poderiam conquistar West Georgia.

Sua presença era apenas esporádica, e seu poder não se espalhou para as províncias periféricas montanhosas da Geórgia, mas abraçou apenas a área central de Kartli. Ao mesmo tempo, graças à atividade de comércio árabe, Tbilisi floresceu. Na verdade, tornou-se um centro internacional no cruzamento de várias rotas comerciais importantes.

Logo, porém, uma luta de libertação anti-árabe começou tudo de Geórgia. No final do século 8, o arconte de Abuzgia – o Eristavi da Abkhazia (Abuzgia era a designação do território ao norte do rio Kodori povoada por tribos abcaz-Adyghe, os ancestrais dos abkhazes atuais, bem como as tribos georgiano Megrel e Svan; do georgiano termo “Abkhazeti” tinha um significado semelhante, enquanto o etnônimo “Abkházia” começou a partir deste momento, a ser aplicado a toda a população de West Georgia) – Leon subiu em rebelião contra Bizâncio e declarou-se “rei dos abkhazes”. Ele também libertou Lazica (Egrisi) e fundou um reino Egrisi ea Abcásia independente com o Kutaisi capital, no centro de West Georgia.

Embora esta unidade política tinha o nome oficial do Reino da Abkházia, a maioria overhelming de sua população, sua orientação política e sua cultura eram essencialmente georgiano. Mais tarde, no século 9 ao Reino Abkhazian também foi cortada de seu último vínculo com Bizâncio, deixando a jurisdição do Patriarca de Constantinopla.

Logo a Igreja ocidental da Geórgia ficou sob os Catholicos de Mtskheta. Assim, a unidade ecclessiastic do Oriente e do Ocidente da Geórgia foi efetuada, e criou o estabelecimento final da língua georgiana no Reino Abkhazian na igreja de serviços, administração pública e vida cultural.

Outro estado independente feudal, o Principado Tao-Klarjeti apareceu no sudoeste da Geórgia no início do século 9, fundada pelo Erismtavari de Kartli, Ashot Bagrationi. Se levantando contra os árabes, Ashot retirou-se para sua província hereditária de Klarjeti, libertaram as províncias vizinhas de Tao, Kola, Artvani, Shavsheti, e outros de os árabes, e firmemente se estabeleceu lá com a ajuda do imperador bizantino, recebendo do último o título de “Kuropalate”.

Os eventos mais importantes no Tao-Klarjeti estão conectados com o nome de David III, que governou na segunda parte do século 10. Ele libertou mais províncias georgianas dos árabes. David III prestado assistência eficaz ao bizantino imperadores Basílio e Constantino em sufocar a rebelião dos grandes Sclerus feudais Bardas em 979, recebendo em reconhecimento ao seu serviço um número de províncias até o Lago Van. Usando o seu poder e autoridade e apoiado pelo Eristavi Kartlian Ioanne Marushidze, David III começou a unificação das terras georgianas.

David III ergueu o filho adotivo Bagrat Bagrationi ao trono de Kartli (975) e da Abkházia (978). Após a morte de David III, Bagrat acrescentou Tao-Klarjeti para Kartli, herdou o título de Rei dos Kartvels, e em 1110 acrescentou Kakheti e Hereti ao seu Reino, completando a unificação dos territórios georgianos em um Estado, com a exeption de o Emirado Tbilisi.

O primeiro rei da Geórgia unificada tinha o título de “Rei dos abkhazes, Kartvels, dela e Kakhs”. Kutaisi foi a capital do reino. Sob seu sucessor, Bagrat IV (1027-1072), Geórgia encontrou-se a ser uma das grandes potências no Cáucaso.

Mas a relativa estabilidade estabelecida na região chegou ao fim com a chegada dos turcos seljúcidas, que capturou mais de Pérsia, e dirigiu para o oeste no 1060s. Eles capturaram Arménia, invadiram a província georgiana da Javakheti, destruindo a cidade de Akhalkalaki, e devastou Kartli em 1068.

Os chamados “Grandes conquistas turcas” da Geórgia começou em 1080. Sendo nômades, os seljúcidas transformou as terras que capturou em pastagens, privando assim a economia feudal de sua base e colocando em risco a própria existência da Geórgia. Apenas uma pequena parte de West Georgia escapado as constantes invasões e devastions. Rei Giorgi II (1072 – 1089) teve que pagar tributo anual ao sultão.

O povo georgiano sofreu perdas severas, mas conseguiu preservar sua organização estatal. Incapaz de lidar de forma eficaz com o constante ataque dos turcos, o trono passou para 16-year-old Giorgi II, filho de David, conhecido como David o Construtor (1089-1125), possivelmente o maior monarca na história da Geórgia.

Pessoalmente levando suas forças leais, ele atacou os seljúcidas e, encaminhamento deles, permitiu que os camponeses que haviam fugido para as montanhas para voltar à sua terra. Ele gradualmente expulsou os turcos de Kartli. Guerra de Davi contra os turcos, felizmente, correspondeu-se com a chegada dos cruzados na Ásia Menor e da Síria, consideravelmente enfraquecendo os turcos e distraindo sua atenção do Cáucaso.

Depois de conquistar várias vitórias em 1099, ele deixou de pagar tributos. No entanto, a libertação final de todas as terras georgianas exigido um exército eficiente e ainda mais poder centralizado. O primeiro item da agenda foi a reforma da Igreja.

Em 1033 pela decisão do todo-georgiano Concílio da Igreja, realizada em duas dioceses vizinhas de Ruisi e Urbnisi, as autoridades da Igreja impróprios foram depostos e os partidários da política do rei foram eleitos.

David IV realmente subordinados a Igreja ao Estado. Foi um duro golpe para a nobreza desleal e desde o seu governo com um poderoso apoio ideológico. Ao mesmo tempo, David IV criou um exército regular por elaborar os aznaurs (a nobreza) e os camponeses.

No início do século 12, as tropas regulares cresceu para 40.000 forte. Em 1004 ele dirigiu os turcos de Kartli e Kakheti. Em 1005, ele derrotou um grande exército turco na batalha Ertsukhi. Durante 1110-1118, ele libertou as cidades de Samshvilde, Rustavi, Gishi, Kubala, e Lore. Tbilisi, a capital, ainda estava ocupada pelos invasores e parte do exército georgiano ainda dependia de grandes senhores feudais, que nem sempre eram leais ao rei.

Ao mesmo tempo, as guerras incessantes manteve a parte mais produtiva da população longe de casa e da agricultura. Para resolver este problema David IV acrescentado a seu exército 40.000 mercenários Kipchak das estepes ao norte caucasianos, a quem ele se estabeleceram na Geórgia com suas famílias.

Sentindo-se desconfortável com a perspectiva de perder o Cáucaso, o sultão Mahmud Seljuk enviado para a Geórgia, à frente das forças da coalizão turcos, um de seus melhores generais: Radjin Al-Din Ilguzi, famoso por suas batalhas contra os cruzados. Em 12 de agosto, 1121, próximo Didgori, o rei Davi IV obteve uma vitória decisiva sobre o numeroso exército do inimigo. Após esta vitória, ele tomou Tbilisi em 1122 e mudou a capital de Kutaisi para Tbilisi.

Tratamento humano da população muçulmana, bem como os representantes de outras religiões e culturas na capital, estabeleceu um padrão para a tolerância em seu reino multiétnica. Foi um marco não só para o seu reinado esclarecido, mas para toda a história da Geórgia e da cultura.

Em 1123, o rei Davi IV libertou a cidade de Dmanisi, o último reduto dos invasores na Geórgia. Em 1124, David o Construtor, a pedido dos cidadãos da cidade armênia de Ani, Ani também liberada, expandindo as fronteiras do sul do Reino da Geórgia até a bacia Araks. Rei Davi IV, morreu em 24 de janeiro 1125.

Durante os reinados de seus sucessores, as fronteiras do Reino da Geórgia expandiu ainda mais amplo de Nicopsia (a cidade entre Sokhi moderno e Tuapse) para Derbent (no mar Cáspio) e da Ossétia (Cáucaso do Norte) para o Monte. Ararat, na Armênia. Durante o reinado da rainha Tamar (1184-1213), o grande grandaughter do Rei Davi IV, o Reino da Geórgia atingiu o ápice de seu poder político.

O título oficial da rainha Tamar reflete seu poder: Tamar Bagrationi, pela vontade do nosso Senhor, Rainha dos abkhazes, Kartvels, Rans, Kakhs e os armênios, Shirvan Shah-e-Shah em Shah-e governador de todo o Oriente e Ocidente . A Cultura georgiana cristão original floresceu neste estado multinacional.

Esta foi a era de grandes projetos de construção, tais como Gelati e Vardzia eo florescimento de uma tradição literária reverenciado até hoje. Era a rainha Tamar que Shota Rustaveli dedicado seu grande poema épico, “O Cavaleiro na Pele do Tigre”, um poema exemplifing todas as virtudes de cavalaria e de honra que foram comemorados em todo o Reino expandido da Geórgia durante seu reinado.

Rainha Tamar esquerda para seu herdeiro, Giorgi IV Lasa (1212-1223), um reino cercado por tributo remunerados estados que encheram os cofres reais para transbordar. Rei Giorgi estava planejando juntar os cruzados à Palestina quando os mongóis invadiram a Geórgia. Os mongóis eram imparável e até 90.000 Rei Giorgi cavaleiros não eram páreo para eles. Giorgi Lasa foi morto em batalha contra os mongóis em 1223.

Era o começo do fim da Idade de Ouro. A mais de um século dominação mongol longo da Geórgia causou tanto a fragmentação do reino e seu declínio gradual pela pesada carga de impostos cobrados em cima dele. Somente no século 14 houve qualquer alívio de domínio mongol. Giorgi V (1314-1346), chamado de brilhante, parou de pagar o tributo e expulsou os mongóis fora.

Ele uniu Georgia, mais uma vez, centralizado o poder real, reavivou a economia, e estabeleceu estreita laços comerciais internacionais, principalmente com Bizâncio, mas também com os de Veneza e Gênova.

O primeiro dos oito Tamerlane invasões da Geórgia ocorreu em 1386, que, após o horror da Peste Negra (dizimando Geórgia, em 1366), destruiu qualquer esperança de uma segunda Idade de Ouro que Giorgi V poderia ter iniciado. Em 1453 os turcos otomanos capturaram Constantinopla. Isso, e uma mudança de rotas de comércio da Europa para o Extremo Oriente, seriamente enfraquecida Geórgia política e economicamente.

No final do século 15, o aumento dos Safarids no Irã, ainda ameaçado a Geórgia, que agora se encontrava preso mais uma vez entre dois impérios em expansão. Como conseqüência de constantes invasões, o declínio econômico e conflitos feudal, Geórgia começou a se desintegrar, e até o final do século 15 três reinos independentes de Kakheti, Kartli, e Imereti, eo Principado de Samtskhe surgiu no seu território.

A Paz de Amasia, em 1555, entre os turcos otomanos e os persas Safarid, dividido Geórgia em esferas de influência, dando a oeste para o leste da Turquia e ao Irã. Invasões turcas e iranianas se tornou quase permanente. O reino de Kartli, situado no centro do Cáucaso, foi de importância estratégica especial. Por essa razão, tornou-se o principal alvo da agressão estrangeira.

Devemos fazer uma menção especial de dois reis de Kartli: King Luarsab I (1527-1556) e seu filho D. Simon I (1556-1600). Nem o enorme superioridade numérica do inimigo, nem suas traições pela nobreza e até mesmo por seus próprios irmãos, nem as perdas de seus soldados e à devastação do país, poderia forçar esses heróis a se submeter aos invasores.

Provações terríveis se abateu sobre o reino de Kakheti, como seu rei começou secretamente, mas de procurar ativamente laços com o Estado russo. De 1614-1617, Kakheti foi invadida várias vezes por tropas iranianas sob Shah Abass I. Cerca de 100.000 Kakhetians foram mortos e cerca de 200.000 foram reassentados no Irã.

Logo Kartli partilhado o destino de Kakheti. Mas em 1625 uma insurreição, liderada pelo eminente georgiano Giorgi Saakadze geral, eclodiu em Kartli e Kakheti. Na Batalha de Martqopi o grande exército iraniano foi encaminhado. Mais tarde no mesmo ano, os georgianos sofreram uma derrota na batalha de Marabda.

Esta resistência altruísta frustrou os planos do Xá para aniquilar o povo georgiano, eliminar sua soberania e configurar canatos iranianos em território georgiano. O Irã foi obrigado a fazer concessões. De 1632-1744 xás do Irã definir Bagrationis islamizados no trono de Kartli. Em 1659, o Kakhetians levantou-se contra os invasores e derrotou suas guarnições em Kakheti.

O Xá teve que abandonar seu plano de exterminar o reino. Uma paz inquieta resolvido no leste da Geórgia no início do século 18. Devido ao Rei Vakhtang VI (1703-1724) e sua sábia política, o país estava de volta à estrada para o progresso econômico, político e cultural. Mas suas tentativas de cooperar com a Rússia falhou, e retribuição seguido de uma só vez.

Kartli foi devastado mais uma vez. Em 1723, as tropas turcas invadiram Kartli. Vakhtang partiu para Russsia para obter ajuda militar, mas não recebê-lo, e morreu no caminho de volta. Só no século 18 eram governantes Rei Teimuraz II e seu filho Erekle II capaz de rebuld Geórgia em seu próprio, e não o Irã, a imagem.

A superação de inúmeros obstáculos criados no Cáucaso do Norte, e por cãs muçulmanos em East Caucasia, pai e filho governou 1744-1762 mais Kartli e Kakheti. Após a morte de Teimuraz II em 1762, Erekle II declarou-se rei de Kartli e Kakheti. A unificação da East Georgia favoreceu o fortalecimento e progresso.

Todo esse tempo a luta contra os turcos nunca parou em West Georgia: Achara, a Abkházia, Odishi, Guria e Imereti repetidamente se levantaram contra os conquistadores. A partir de 1752 o energético e prudente rei Salomão I reinou no Reino Imereti. Tendo reforçado o poder real e derrotou os turcos em uma série de batalhas, ele proibiu o tráfico de escravos e elevou o padrão de vida de seus súditos. As tentativas de Irakli II e Salomão I para usar as forças russas durante a guerra russo-turca de 1768-1774, a fim de libertar-se completamente do controle turco e iraniano falhou, em grande parte devido às ações traiçoeiras do general russo Totleben.

Todavia, após a Paz Kacak-Kainadji entre a Rússia ea Turquia, a situação jurídica internacional dos reinos georgianos melhorou em certa medida. Convencido de que seu isolado reino cristão não se podia manter indefinidamente contra seus inimigos variados muçulmanos, Irakli II decidiu tentar uma aliança com Catarina, a Grande, da Rússia.

Em 24 de julho de 1783, a Rússia ea Geórgia assinaram o Tratado de Georgievsk, que fez Kartli-Kakheti um protetorado da Rússia. Rússia não cumpriu com as condições do tratado que quando Catherine retirou suas tropas da Geórgia, no início da guerra russo-turca segundo em 1787. Irakli rei foi forçado a enfrentar uma força muito superior liderada por Mohamed Shah Agha Khan, que exigiu a denúncia do Tratado Georgievsk, quando os persas invadiram Kartli-Kakheti em 1795.

Nos campos de batalha em Krtsanisi, 5000 georgianos foram derrotados por 35.000 iranianos. Tbilisi foi destruída ea população cruelmente massacrados. A situação tornou-se crítica após a morte do Rei Irakli em 1798. Seu filho e herdeiro Giorgi XII (1798-1800) se mostrou incapaz de governar o país. Vários grupos feudais e políticos apoiados Rei Giorgi XII s irmãos e filhos em suas pretensões ao trono, lançou uma gangorra guerra.

O país foi constantemente devastada pelos ataques dos Dagestanis. Aparecendo à frente era a ameaça de uma nova invasão iraniana. Giorgi XII desesperadamente chamado em São Petersburgo para se pelos seus compromissos do tratado Georgievsk. Mas os termos do tratado de não satisfez a goverment russo.

Em janeiro de 1801, Paul assinei um manifesto que Oriental anexada Geórgia à Rússia, em violação do tratado de 1783. O príncipe herdeiro foi levado para São Petersburgo. Em 12 de setembro de 1801, a abolição do Reino Kartli-Kakhetian foi confirmada pelo Manifesto do Imperador Alexandre I.

Em 1810 o Rei de Imereti foi forçado pelos russos para fugir para a Turquia, e Imereti ficou sob o domínio russo. Embora Mengrelia, Guria, Abkhazia e Svaneti inicialmente preservado certa autonomia, o goverment russo mais tarde aboliu esses principados e seus territórios foram incluídos no sistema de províncias russas.

A anexação da Geórgia pela Império Russo pôs fim à existência independente dos reinos e principados e Geórgia Geórgia perdeu a criação do Estado de velhice. Sob o domínio russo da igreja da Geórgia perdeu sua autocephaly e foi transformado em um exarcado do Sínodo russo. Este evento é responsável por inúmeras revoltas que ocorreram na primeira metade do século 19, em várias partes da Geórgia.

Por outro lado, apesar de a política colonial da Rússia, Geórgia encontrou-se protegido contra invasões constantes. Condições tornou-se favorável para o crescimento da população eo progresso econômico. Fileiras da nobreza foram redefinidos. Novos sistemas de tributação foram instituídos. Educação e cultura russa foram introduzidos.

A segunda metade do século 19 mostra a abolição da servidão na Geórgia (1864) e uma política de russificação cada vez maior que tocou todos os aspectos da sociedade georgiana.

Como reação, um grupo de georgianos, incluindo os poetas Alexander Chavchavadze (1786-1846) e Orbeliani Grigol (1800-1883), conspiraram para se libertar. A conspiração de 1832 terminou em sua prisão. Eles levaram uma escola romântica da literatura, preocupando-se em grande parte com a perda de georgianos antiga glória. Ilia Chavchavadze (1837-1907) e Akaki Tsereteli (1840-1915), conhecido como os “Homens da década de 60,” voltou de universidades russas com um novo espírito de ativismo social e idealismo democrático reflete em seus escritos.

Ilia Chavchavadze tornou-se o líder reconhecido e pai espiritual da nação. Dificilmente se pode chamar qualquer projeto ou evento na vida social e cultural da Geórgia deste período, que não foi nem iniciada e conduzida por ele ou em que ele não participou. Na década de 1890 um grupo de intelectuais da Geórgia voltou para sua terra natal, depois de ter assimilado a nova doutrina do marxismo enquanto estudava no exterior. Georgianos participou ativamente dos acontecimentos revolucionários de 1905-1907.

Em 25 de outubro (7 de novembro) de 1917, o partido bolchevique deram um golpe na Rússia e estabeleceu o poder soviético. Os principais partidos políticos da Transcaucásia recusou-se a reconhecer o novo poder e em 17 de novembro, estabelecer um governo local – o Comissariado da Transcaucásia. Logo a Federação da Transcaucásia foi estabelecida, mas foi de curta duração.

Em 26 de maio de 1918, o Conselho Nacional da Geórgia declarou sua independência da Geórgia s. Soberania da Geórgia, perdeu 117 anos atrás, foi restaurada. A principal força política na época era o Social Democrata (menchevique) do partido, que tinha uma maioria no governo. Após o primeiro ano de obstáculos econômicos e políticos, a situação na Geórgia tornou-se mais e mais estabilizada, uprisinges cessaram, e os conflitos internacionais eram mais ou menos remendada.

Os bolcheviques não provocar a população a se rebelar. Soviética a Rússia ea Geórgia assinaram um tratado em 7 de maio de 1920, segundo a qual a Rússia reconheceu a independência e soberania da República Democrática da Geórgia. Grátis Geórgia ficou mais forte e mais forte, e parecia que as esperanças de pessoas georgianas estavam em último a ser realizado, mas os bolcheviques já estavam nas fronteiras.

Após a sovietização chamada do Azerbaijão e da Arménia, em fevereiro de 1921, os exércitos bolcheviques invadiram a Geórgia. As forças eram desiguais e em 25 de fevereiro de 1921, unidades do Exército Vermelho entrou Tbilisi. Em Moscou, Lenin recebeu os parabéns de seus comissários – “Os golpes bandeira vermelha mais de Tbilisi.”

Sob a hegemonia comunista, a nação sitiada, mais uma vez se tornou o reino do poder estrangeiro. Em 1924, depois de uma revolta liderada por tentativa mencheviques georgianos, mais de 5.000 patriotas foram executados. Apesar do fato de que Stalin e seu chefe de polícia secreta, Beria, foram ambos georgianos, o povo georgiano foi dado nenhum adiamento sob seu regime opressivo.

Geórgia tinha que passar pela provação de industrialização e coletivização, sofrendo severamente durante as depressões de 1930. Trezentos mil soldados georgianos caiu na Segunda Guerra Mundial. Mas secretamente, de forma latente, nunca a luta pela independência parou. Esta luta assumiu a forma de um movimento de libertação nacional generalizada e trouxe a vitória para os amantes da liberdade, as forças patrióticas.

Em 1990, eleições multipartidárias foram realizadas e, no dia 9 de Abril, o Parlamento declarou a independência da Geórgia. Na onda de sentimentos anti-comunistas, o dissidente bem sabe da era Breshnev, Zviad Gamsakhurdia, foi eleito presidente. Mas ele era incapaz de governar o país naquele momento crucial.

Embora anteriormente uma vítima do totalitarismo, como presidente, ele tentou construir um regime, chauvanist totalitário. Sua política internacional imprevisível quase completamente isolado Geórgia. Ele não mostrou nenhuma vontade ou capacidade de manter um diálogo com a oposição crescente.

Chauvanism, em vez de patriotismo e da tolerância tradicional de outras nacionalidades; totalitarismo, em vez do tão esperado democracia, a corrupção e incompetência da maioria de seus ministros, em vez de trabalho criativo para construir um novo Estado independente todos combinados para causar um crescimento avassalador de oposição em todos os estratos da sociedade georgiana.

No inverno de 1991-1992, uma rebelião militar pela oposição forçou Gamsakhurdia a deixar a Geórgia. Incapaz de lidar com muitos internacionais, econômicos e outros problemas internos do rebelde Conselho Militar formaram um Conselho de Estado convidando Eduard Shevardnadze, o ex-secretário do Partido Comunista da Geórgia e ex-chanceler soviético ministro, conhecido por sua perspicácia política, coragem pessoal e internacionais publicidade, para a Geórgia.

Em julho de 1992, a Geórgia tornou-se o membro 179 da Organização das Nações Unidas. Eduard Shevardnadze obteve a maioria overhelming dos votos nas eleições que se seguiram, em outubro de 1992, e foi confirmado como presidente do Parlamento da República da Geórgia. Em 24 de agosto de 1995, uma nova Constituição foi aprovada. Em 5 de novembro de 1995, foram realizadas eleições presidenciais na Geórgia. Em 26 de novembro, Eduard Shevardnadze foi instalado como Presidente da Geórgia.

Fonte: ggdavid.tripod.com

História da Geórgia

Capital: Atlanta
População: 9.687.653 (2010)
Tamanho: 59.425 milhas quadradas
Lema: Sabedoria, Justiça e Moderação
Árvore: Live Oak
Flor: Cherokee Rose

O maior dos estados dos EUA a leste do Rio Mississippi e mais jovem dos 13 ex-colônias inglesas, Geórgia foi fundada em 1732, momento em que seus limites foram ainda maiores, incluindo grande parte dos atuais estados do Alabama e Mississippi.

Por meados do século 19, a Geórgia teve o maior número de plantações de todo o estado no Sul, e em muitos aspectos sintetizou cultura de plantação e dependência econômica em relação a escravidão.

Em 1864, a União general William Tecumseh Sherman invadiram a Geórgia, capturado Atlanta e começou sua março infame para o Mar, o corte de uma faixa de 200 milhas de largura de fogo e destruição atingindo todo o caminho de Savannah.

A paisagem da Geórgia varia muito, uma vez que varre das Montanhas Apalaches, no norte para os pântanos da costa atlântica no sudeste do pântano de Okefenokee, ao sul. Geórgia é o país número um produtor de amendoim, nozes e pêssegos, e cebolas Vidalia, conhecidos como os mais doces cebola do mundo, só pode sido cultivada nos campos ao redor Vidalia e Glennville. Outro deleite doce do estado do pêssego é a Coca-Cola, que foi inventada em Atlanta, em 1886.

Fatos interessantes

Embora inicialmente concebida por James Oglethorpe como um refúgio para os presos endividados Londres, Geórgia foi finalmente criada em 1732 para proteger a Carolina do Sul e de outras colônias do sul da invasão espanhola através Flórida.

A 13 ª e última das colônias britânicas, a Geórgia foi o único a ser regida remotamente por um Conselho de Curadores em Londres durante os primeiros 20 anos.

Foi também a única colônia de proibir a escravidão desde o seu início, juntamente com advogados e católicos romanos.

Em setembro de 1906, um motim da raça começou em Atlanta, depois de relatos de jornais de homens negros agredir mulheres brancas. Embora os ataques nunca foram confirmadas, milhares de homens brancos irritados reunidos centro da cidade, matando dezenas de negros e causando grandes danos a muitos proprietários negros empresas. O motim fez os dois títulos nacionais e internacionais e influenciou a passagem subsequente estadual de proibição em 1908.

Georgia foi o primeiro de 10 estados a votar contra a ratificação da Emenda 19 , dando às mulheres o direito de votar. Mesmo depois que se tornou lei federal em 26 de agosto de 1920, as mulheres da Geórgia foram impedidos de votar até 1922. O legislador estadual não oficialmente ratificar a emenda até 1970.

Em 1957, Martin Luther King , Jr. e outros direitos civis defende formaram a Conferência de Liderança Cristã do Sul (SCLC), em Atlanta. Dedicando-se para a realização pacífica da igualdade de direitos para Africano americanos, o grupo foi um contribuinte significativo para o movimento dos direitos civis e continua a ser ativo em questões de justiça social.

Você Sabia?

Geórgia tem o nome de George II, que era o rei da Grã-Bretanha quando os europeus se estabeleceram lá em 1733.

Fonte: www.history.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+