Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Alecrim  Voltar

Alecrim

 

Alecrim

 

Alecrim, rosmarino, erva da recordação.

 Sua origem remonta às praias do Mediterrâneo, o nome rosmarinus vem do latino que significa "o orvalho que vem do mar", devido ao cheiro das flores vegetando à beira mar . Carlos Magno obrigava os camponeses a cultivá-lo. Foi companheiro dos portugueses nas Entradas e Bandeiras. Antigamente queimava-se caules de alecrim para purificar o ar do quarto de doentes em hospitais.

Lendas e Mitos

Conta-se que numa viagem Nossa Senhora sentou-se à sombra de um alecrim para dar de mamar ao menino Jesus: por isso acredita-se que a planta nunca atinja altura superior à de Jesus adulto.Outro conto diz que a Bela Adormecida foi acordada pelo príncipe com um ramo de alecrim.Os gregos usavam coroas de alecrim em festas, como símbolo da imortalidade.A crendice popular usa o alecrim para afastar olho gordo, erva da juventude eterna, do amor, amizade e alegria de viver. Erva colocada debaixo do travesseiro afasta maus sonhos. Tocar com alecrim na pessoa amada faz ter seu amor para sempre.

Na cosmética o alecrim é adstringente, anticaspa, anti-séptico, cicatrizante, anti-inflamatório, vasoprotetor, suavizante, cito-estimulante. Ótimo fortificante para os cabelos e na pele restabelece o ph natural (é ligeiramente adstringente).

Fonte: www.peterpaiva.com.br

Alecrim

NOME CIENTÍFICO: Rosmarinus officinalis

FAMÍLIA: Labiatae
NOME POPULAR: Alecrim rosmarinho, alecrim da horta, alecrim do jardim
PARTE UTILIZADA: folha e sumidade florida

PRINCÍPIO ATIVO

Nas folhas há um óleo volátil a partir do qual foram isolados vários compostos (hidrocarbonetos monoterpênicos, cânfora, borneol e cineol). Há também pigmentos flavonóides diosmina, diosmetina e gencuanina além de numeroso composto volátil e aromático.

INDICAÇÃO

Estimulante geral, hipertensor, estomáquico, anti-séptico pulmonar e béquico, carminativo, colagogo, colerético, emenagogo, anti-reumático, diurético. Externamente atua como estimulante do couro cabeludo.

CONTRA-INDICAÇÃO

A essência de alecrim pode ser irritante para pele.
Não é indicado em altas doses por via oral, pois é abortivo.
A ingestão em doses elevada provoca irritações gastrintestinais e nefrite.
Não usar em bebês e crianças pequenos, pois há risco de parada respiratória reflexa.

PRECAUÇÃO: Se usado à noite pode haver alteração no sono.
INTERAÇÃO:
Pode ser usado com aveia, cola e verbena nas depressões, com sálvia, gelsemium e valeriana
nas dores de cabeça.
FORMA GALÊNICA / POSOLOGIA:
Uso interno: Infuso – 20g de planta por 2 litros de água, 2 a 3 xícaras ao dia

Uso interno: Infuso – 20g de planta por 2 litros de água, 2 a 3 xícaras ao dia
Folhas secas – 2 a 4g 3 vezes ao dia
Extrato fluido em álcool – 45%: 2 a 4ml 3 vezes ao dia
Pó: de 1 a 3g (para problemas digestivos 2 caps de 500mg/dia; para problemas de úlceras e hemorróidas de 3 a 6 caps de 500mg/dia)

Uso externo: Infuso a 5%
Fitocosmético: Xampus – até 5% de extrato glicólico

Loções capilares – até 3% de extrato glicólico
Banhos estimulantes: até 10% de óleo essencial

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

FETROW, C.W.; AVILA, J.R.; Manual de Medicina Alternativa para o profissional. Guanabara Koogan, 2000.
SCHULZ, HÄNSEL, TYLER. Fitoterapia Racional – Um guia de fitoterapia para as ciências da saúde; 4ºedição, Editora Manole, 2002.
TESKE, M.; TRENTINI, A M.M. Herbarium – Compêndio de Fitoterapia, 3ºedição revisada, Curitiba.

Fonte: www.opcaofenix.com.br

Alecrim 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal