Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Alimentos / Mostarda

Mostarda

PUBLICIDADE

É usada em sopas, molhos, saladas e drinques. Também é utilizada em carnes, picles, ovos, sanduíches e vegetais.

De sabor picante e aroma agradável, é usada na preparação de molhos para saladas e maioneses, carnes, aves, Sopas, legumes e pratos com ovos e queijos.

Mostarda é um termo derivado do latim mustum, mosto de vinho.

Apesar da pasta de mostarda ser preparada atualmente com uma mistura de vinagre e vinho, os romanos utilizavam mosto. O gênero Brassica é uma palavra latina que significa repolho.

Partes usadas

Sementes com 1 ou 2 milímetros de diâmetro, que apesar de chamadas mostarda branca, possuem coloração ocre.

Na mostarda preta, sementes escuras com 1 milímetro de diâmetro. A semente seca não possui aroma forte, possuindo gosto picante após ser mastigada. As sementes da mostarda preta assadas, de coloração acinzentada, possuem um aroma rico com notas de castanha.

A mostarda branca é bastante superior à preta no preparo da pasta devido ao fato de seu princípio ativo, o p-hidroxi-benzil-isotiocianato, ser não volátil e estável em ambiente ácido.

Os principais ingredientes da pasta de mostarda são as sementes moídas ou esmagadas, vinagre (para estabilizar o sabor picante) e vinho (cuja seleção é essencial para determinar o sabor da mostarda), podendo ser também utilizados açúcar, mel, ervas secas e especiarias (estragão, por exemplo), para obtenção de novos sabores.

As mostardas produzidas atualmente na Grã-Bretanha, França e Alemanha possuem estilos muito diferentes, de acordo com o processo de fabricação adotado.

Na Grã-Bretanha é empregado o método Colman há cerca de 200 anos, utilizando grãos de mostarda preta moídos com pequenas quantidades de mostarda branca e farinha de trigo, para melhorar a textura.

Esta mistura é vendida seca, para ser misturada com água 10 minutos antes de servir, permitindo que o sabor se desenvolva, sendo bastante picante e puro por não possuir outros ingredientes. Este tipo de mostarda é produzido industrialmente, podendo ser encontrado já misturado. Na França, existem dois tipos tradicionais de mostarda.

A mostarda de Dijon, de cor amarelo claro, é obtida a partir da mistura do interior das sementes de mostarda preta, suco ácido de uvas e sal, combinando com carnes grelhadas ou assadas e sendo utilizada em diversas receitas de molhos franceses.

O tipo Bordeaux, mais suave, é feito a partir de grãos de mostarda cujo revestimento não foi removido, obtendo assim uma cor mais escura, contendo vinagre, açúcar e várias ervas e especiarias.

Existem ainda tipos menos tradicionais de mostarda cujo sabor deriva de ingredientes adicionais como champagne ou pimentas bascas.

De modo análogo, a Alemanha também produz dois tipos principais de mostarda. Düsseldorf, a capital alemã da mostarda, produz uma variedade picante similar à mostarda de Dijon chamada Löwensenf (mostarda de leão) a partir das sementes de mostarda preta.

A variedade bávara é feita com sementes de mostarda branca moídas ligeiramente, mel e várias ervas, sendo recomendada para consumo com as tradicionais salsichas brancas de vitela da região.

Uma variedade imensa de mostardas suaves é feita com os grãos da mostarda branca combinada com estragão. O uso das sementes puras é menor, sendo popular em conservas de vegetais, combinadas com folhas de louro.

O sabor picante da mostarda preta é menos estável que o da mostarda branca, pois seu princípio ativo é volátil e hidrolisável, sendo por isso menos utilizada na produção de pastas de mostarda. Para a obtenção de pastas mais picantes, pode ser utilizada combinada com mostarda branca ou pura, sendo estabilizada por ácidos como o vinagre.

A mostarda preta tem importância como tempero e óleo vegetal no norte da Índia, que devido à sua toxicidade, deve ser muito aquecido (até desprender fumaça) antes de sua utilização com outros alimentos, nunca devendo ser utilizado para temperar saladas.

Na maioria dos países ocidentais, o comércio de óleo de mostarda é proibido e seu uso é ilegal.

Nome Científico: Myristica fragans

Utilizando

É usada em sopas, molhos, saladas e drinques. Também é utilizada em carnes, picles, ovos, sanduíches e vegetais. As sementes podem ser usadas como tempero quando moídas, devendo ser servidas rapidamente para preservar seu caráter picante. As sementes assadas ou fritas possuem sabor diferente e são bastante utilizadas no sul da Índia. Também é utilizada em misturas de temperos e manteigas aromatizadas.

Combinando

Além de proteínas (28%) e gorduras (35%), as sementes de mostarda branca contêm compostos de glicose e p-hidroxi-benzil-isotiocianato (HO-C6h2-CH2-NCS), este último uma substância não volátil e picante, encontrada na raiz forte, wasabi e na mostarda preta.

As sementes de mostarda preta contêm cerca de 1% de alilglicosinolato e 0,7% de isotiocianato, que é um dos ingredientes da mostarda branca, raiz forte e wasabi, responsável pelo sabor picante.

Preparando

Utilizada com carnes cozidas ou grelhadas, na Europa e Estados Unidos, é um ingrediente comum ao preparo de molhos, como o béarnaise.

Prejudica

Os isotiocianatos são altamente tóxicos, podendo ser utilizados como armas químicas, o que é sua função nas plantas. As sementes de mostarda possuem alto teor de gordura (30%), utilizada para cozinhar na Índia, não devendo ser utilizada em excesso devido aos elementos tóxicos.

A mostarda é um tempero obtido das sementes de uma planta da família do repolho.

Seu aroma e sabor fortes se desenvolvem somente após a semente ser triturada e umedecida, permitindo que as enzimas reajam com isotiocianatos para formar a mostarda que conhecemos.

A maioria das mostardas é vendida pré-misturada, e muitas outras variedades são diferenciadas pelas misturas que são feitas com vinagres de vinho branco ou com ervas aromáticas.

A mostarda é uma verdura que tem alto valor nutritivo. É rica nos minerais Cálcio, Fósforo e Ferro e em vitaminas A e do Complexo B, principalmente B1, B2 e B5 (Niacina).

O Cálcio e o Fósforo são minerais importantes para formação dos ossos e dentes, promovem o crescimento e ajudam na coagulação do sangue.

O Ferro faz parte da formação do sangue e do sistema produtor de energia.

As vitaminas do Complexo B tem como funções evitar problemas de pele, auxiliar o crescimento, estimular o apetite e facilitar a digestão.

A vitamina A é importante para a boa visão, pele e mucosa, evitando infecções.

A mostarda contém ainda grande quantidade de fibras (celulose), importantes para o bom funcionamento do aparelho digestivo, uma vez que promovem a regularidade intestinal.

Ela pode ser consumida crua, bem picadinha, em saladas, cozidas, ou em sopa.

A mostarda deve ser conservada em geladeira, embrulhada em papel ou saco plástico, onde pode permanecer de 5 a 7 dias.

Seu período de safra é de julho a novembro e janeiro e fevereiro.

Cem gramas de mostarda fornecem 31 calorias.

Semente de Mostarda

E já na Bíblia muitas são as referências a mostarda “é a menor das sementes, mas quando cresce é a maior das hortaliças; torna-se uma árvore”.

“Pois em verdade vos digo, se um dia tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a esta montanha: ‘passa daqui para acolᒠe ela passará. Nada vos será impossível”. (Mateus, 17:20-21).

A mostarda é amplamente conhecida como um condimento picante, também chamado Mostarda. Seu uso na culinária foi disseminado pelo mundo: uma especiaria como o cravo, a canela, a gengibre, a noz-moscada, a pimenta-do-reino.

Segundo alguns autores estas especiarias tinham como função não apenas temperar os alimentos, mas conservá-los. As especiarias já eram conhecidas na época do Império Romano, originaram-se Oriente, no Norte da África e em algumas regiões mediterrâneas européias.

Neste período as especiarias não apenas adicionavam sabores aos alimentos, mas também conferiam a quem os usava status e poder, o que só era acessível às altas camadas sociais.

Na cozinha medieval as especiarias faziam parte de uma rica estrutura de valores simbólicos, relacionados aos à teoria dos quatro elementos: fogo, terra, água e ar, temperamentos quentes, úmidos, secos ou frios, deviam utilizar ou evitar determinados alimentos.

As essências florais das flores da Mostarda

As flores amarelas da mostarda formam pequenos e delicados buquês e um campo desta planta tende a ser um espetáculo de luz para quem o vê.

Há muito tempo os homens usam a mostarda para aliviar suas tristezas. O Dr. Edward Bach preparou uma essência das pequenas flores da Sinapsis arvensis, que denominou de Mustard cuja virtude é a alegria.

Essência que ajuda a iluminar a alma, purgando os carmas que acumulados criam a escuridão. Ajuda a recuperar a fé para aqueles que sentem-se deprimidos sem causa aparente. Dos Florais de Minas nos vêm a essência Sinapsis, que tem uma sintonia parecida.

Mostarda
Pé de Mostarda

Da semente se faz um pó que pode ser usado assim mesmo, ou então, em pasta com vinagre e temperos. Ideal na maionese e molhos para salada (principalmente de batatas).

Tempera muito bem carnes. A semente pode ser usada para dar gosto em conservas e picles.

Tipos de Mostarda

Mostarda em pó

Mostarda

É uma mistura de farinha de mostarda, feita com sementes de mostarda e farinha de trigo.

Pode-se também adicionar cúrcuma. Muito picante é tradicional na Inglaterra. É usada no preparo de mostarda em pasta e para temperar maionese.

Mostarda com pimenta verde

Mostarda

Elaborada a partir da Dijon, as mostardas temperadas podem ser encontradas com pimenta verde, estragão ou ervas de Provence, entre outras. São indicadas para molhos.

Mostarda granulada

Mostarda

Também conhecida como mostarda à antiga (à l´ancienne) é elaborada com grãos inteiros de mostarda castanha (clara e torrada). É agradavelmente picante e indicada para acompanhamento de carnes frias. Combina também com aves e peixes.

Mostarda com estragão

Mostarda

Elaborada a partir da Dijon, é indicada para carne de porco.

Mostarda preta ou escura

Mostarda

De sabor bem característico, é elaborada com sementes de mostarda, açúcar caramelizado, raiz-forte ralada, vinagre de vinho e especiarias.

Produzida na Alemanha, é indicada para acompanhar salsichas e carnes frias.

Mostarda Dijon

Mostarda

Originária de Dijon, na França, é preparada a partir de sementes de mostardas moídas e misturadas em vinho branco, vinagre e ácido cítrico.

Suave, é indicada para molhos de saladas ou para acompanhar carnes frias.

Sementes de mostarda negra

Mostarda

Originárias da Índia são mais picantes do que as mostarda castanha. Na culinária indiana, costuma-se fritar as sementes para que seu sabor seja mais acentuado. São utilizadas no preparo do curry.

Sementes de mostarda castanha

Mostarda

Mais suaves que as mostarda negra, são usadas na composição de temperos na Europa e nos Estados Unidos. Podem ser usadas em molhos.

No Brasil, são vendidas como mostarda em grãos.

Mostarda
Planta de
Mostarda

NOME CIENTÍFICO: Sinapis alba ou Brassica Nigra

DESCRIÇÃO DA PLANTA

Planta herbácea, com folhas pecioladas (semelhantes às do agrião) e flores amareladas.

É a menor das sementes (1 a 2 milímetros de diâmetro), embora dê origem a grandes ramos, cujas folhas se transformam em uma excelente verdura, que pode ser consumida crua ou cozida.

AROMA E SABOR

A mostarda pode ser picante, adocicada, forte ou agridôce, dependendo dos seus grãos.

A mostarda preta é mais forte e aromática do que a branca, (que na verdade é de coloração ocre), embora a segunda seja bastante superior à primeira.

ORIGEM

Ásia

COMPOSIÇÃO

Selênico
Zinco
Vitamina B3 e D

PROPRIEDADES

Energética
Digestiva
Anti-bacteriana

FUNÇÕES TERAPÊUTICAS

Regula o intestino
Ajuda na coagulação do sangue

HISTÓRIA

Mostarda é um termo derivado do latim mustum, mosto de vinho, (sumo de uvas, antes de terminada a fermentação) .

Os romanos utilizavam o mosto para fazer a pasta da mostarda, embora hoje ela seja preparada com mistura de vinagre e vinho.

PARTES USADAS

Sementes e folhas.

FORMAS EM QUE SE ENCONTRA:

Fresca, desidrata ou em pó.
Seu período de safra vai de julho a novembro, e de janeiro a fevereiro.

COMO CONSERVAR

Folhas frescas – limpe-as e guarde-as na geladeira, no saco plástico fechado, por até 7 dias.
Sementes desidratadas ou em pó – guarde-as em recipiente fechado, em lugar protegido da umidade e da luminosidade.

CURIOSIDADES MÍSTICAS

Nos florais, a essência da mostarda ajuda a iluminar a alma, proporcionando alegria, e é indicada para pessoas deprimidas.

USO GERAL

Muito usada para aromatizar chutneys e conservas, além de tempero para alimentos em geral.

USO INDICADO EM ALIMENTOS

Não exagere na mostarda, a não ser que o prato o exija, pois o seu sabor forte pode se sobrepor ao dos outros ingredientes.
Suas folhas podem ser consumidas cruas em saladas, ou refogadas com outros vegetais.
As sementes são ótimas para aromatizar saladas e pratos à base de peixe ou carne.

Propriedades

Fonte de vitamina B3, fósforo, magnésio, manganês, ferro, cálcio.

O selênio encontrado na semente de mostarda é um mineral essencial para o organismo pois ajuda a neutralizar os efeitos do envelhecimento, estimula o sistema imunológico e intervém no funcionamento da glândula tireóide. Já o zinco estimula a atividade de mais de 100 enzimas, participa na cicatrização de ferimentos e amplia a percepção do paladar e olfato.

Recomendação

As propriedades da mostarda ajudam no bom funcionamento do intestino e auxiliam na coagulação do sangue. Além disso, possui proteínas, entre elas, o triptofano, precursor neurológico, importante para o desenvolvimento e funcionamento do cérebro.

Uso culinário

Pode ser encontrada no mercado fresca, desidratada ou em pó. No entanto, a maioria das mostardas é vendida misturada com outras especiarias ou em preparados com ervas aromáticas.

A mostarda vai bem com carne de porco, peixes e saladas.

Restrições

Em altas concentrações, a mostarda provoca intoxicação com salivação intensa, irritação da boca, diarreia e gastrenterite severa.

Mostarda
Mostarda

Existem vários tipos de mostardas, a negra (B. nigra), a branca (B. hirta) e a de folhas (B. juncea).

A mostarda de folhas é uma hortaliça que é consumida na forma de refogados, e às vezes até mesmo em saladas, quando as folhas estiverem novas.

Não vamos nos deter nesta espécie, e sim vamos dar enfoque as outras duas espécies, as que são utilizadas para o preparo da famosa mostarda, aquele creme geralmente de cor amarelada que colocamos no delicioso cachorro-quente com a saborosíssima salsicha tipo Viena.

Foram os romanos os que primeiro souberam aproveitar as delícias destas sementes.

Eles faziam um pó com as sementes e o colocavam no vinho, e chamavam a esta bebida de mustum ardens, que significava suco ou mosto ardido. Daí a origem do nome mostarda.

Praticamente o mercado consome as duas espécies, tanto a negra quanto a branca, sendo que algumas regiões européias se caracterizam mais pelo uso de uma ou de outra. A mostarda branca chega a atingir até 1,2 m de altura, já a preta pode chegar até a 3 m, o que dificulta ou praticamente impede a colheita mecânica.

Desta forma os próprios agricultores preferem o plantio da branca. As folhas são bem grandes, principalmente as primeiras folhas lançadas, chegando até a parecer com as folhas de brócolis ou de couve. As flores são amarelas grandes, e depois de secas começam a surgir os frutos, do tipo síliquas onde estão depositadas as sementes. As sementes são negras ou brancas, mas este branco é na verdade de uma cor parda, que às vezes fica até muito escura.

A mostarda é encontrada vegetando espontaneamente na Europa Central e Meridional. Para alguns autores sua origem está mais para o leste europeu, incluindo até alguns países asiáticos.

A mostarda é rica em óleos, tanto essenciais quanto fixos. Também possui muscilagem e a mostarda preta apresenta uma substância chamada de sinapina, possuindo a capacidade de atrair um maior fluxo sangüíneo no local onde foi aplicada.

A mostarda branca normalmente é utilizada para prisão de ventre e como purgante.

De manhã comer 1 a 2 colheres de sementes de mostarda inteiras ou levemente trituradas.

Coma e vá observando, pois em casos de intestino muito preso pode às vezes até complicar.

Já a mostarda preta é muito utilizada em cataplasmas para dores musculares, inclusive com resultados excelentes em casos de inflamação do nervo ciático, devido a sinapina.

Misture a mostarda preta em pó com água morna, em torno de 40º C, e aplique no local dolorido. Mas antes aplique um filme de azeite sobre a pele. Deixe a cataplasma por cerca de 10 minutos.

No início deverá doer um pouco, mas depois a dor vai melhorando. Não use água muito quente, e não deixe por muito tempo a mostarda em contato com a pele, pois pode queimá-la.

A mostarda preta é mais picante, ou mais pungente que a branca, portanto cuidado ao usar a preta. Normalmente as duas espécies são utilizadas para preparo de molhos, conservas e saladas.

A mostarda branca recém moída fica muito gostosa na maionese caseira. Cozinhe dois ovos, retire suas gemas e coloque-as em um prato. Adicione uma gema crua (cuidado com a procedência deste ovo, pois pode ter problemas com a bactéria do gênero Salmonella).

Amasse bem, e quando estiver formada uma emulsão vá adicionando azeite e misturando bem. De vez em quando adicione umas gotas de limão ou vinagre. O vinagre deixa a maionese mais mole, enquanto o óleo deixa mais consistente. Vá adicionando os dois até chegar na quantidade que você desejar.

Nunca bata no liqüidificador, e sim na mão. Coloque sal, pimenta do reino, orégano e mostarda em pó.

Cuidado com a quantidade de mostarda, pois se exagerar poderá ficar com um gosto amargo.

Não use mostarda em pó muito velha, por ser rica em óleo ela rança rapidamente.

Em saladas de um modo geral pode-se adicionar a mostarda tanto em pó quanto em grãos, fica muito saboroso.

E é destes grãos que se preparam os molhos de mostarda.

Existe uma variação muito grande na forma de se preparar estes molhos, e cada região se especializou em uma determinada característica.

Existe a mostarda do tipo Dijon que é feita com a mostarda preta, vinho branco e especiarias; a mostarda de Bordeaux, que é mais escura, tendendo ao marrom. Mas de uma forma geral cozinha-se as sementes em vinagre ou vinho, amassa-se e tempera –se a massa com condimentos. Pode-se deixar aquela película que envolve a semente ou retirá-la, dando origem a um molho mais fino.

Benefícios

Pobre em calorias
Rica em vitaminas A, B2 e C
Boa fonte de cálcio e ferro

Inconveniente

Seu sabor forte pode se sobrepor ao sabor de outros alimentos, quando misturados.
A mostarda é uma verdura conhecida pelo seu sabor amargo. Suas folhas são parecidas com as folhas dos brócolos, tanto no tamanho como na forma.
Uma forma fácil de reconhecer a mostarda é pela presença de suas flores amarelas. Elas são pequenas e nascem da haste principal da planta.
Cozida ou crua, a mostarda é um excelente acompanhamento para as refeições nas quais são servidos pratos mais pesados.
No entanto não é recomendável misturar a mostarda com outras verduras ou pratos de sabor delicado, porque seu sabor muito forte acaba se sobrepondo ao sabor dos outros alimentos.
A mostarda é uma verdura rica em proteínas, vitaminas A, B2 e C e contém boa quantidade de cálcio e ferro.Por não ter muitas calorias é recomendada para pessoas que desejam manter ou reduzir o peso.
Para melhor aproveitar os seus nutrientes, a mostarda deve ser consumida crua.
Nas feiras livres e supermercados é fácil encontrar mostarda em maços. Quando está em boas condições para o consumo, ela tem um aspecto fresco e tenro e suas folhas não estão amareladas nem murchas.
Uma porção de 50 g de mostarda fornece em média 15 calorias.

Mostarda
Grãos de Mostarda

Nomes científicos: Brassica alba, B. juncea, B. nigra

Apresentação

Sementes e folhas frescas, desidratadas ou em pó.

Os principais ingredientes da pasta de mostarda são as sementes moídas ou esmagadas, vinagre (para estabilizar o sabor picante) e vinho (cuja seleção é essencial para determinar o sabor da mostarda), podendo ser também utilizados açúcar, mel, ervas secas e especiarias (estragão, por exemplo), para obtenção de novos sabores.

A mostarda branca (Brassica alba ou Brassica hirta) é uma semente dura de cor bege ou palha.

Sua casca é removida antes da venda. Com seu sabor suave e boas qualidades conservantes, esta é a mais comumente usada em lanchonetes.

Já a mostarda preta (Brassica nigra) é uma semente dura, que varia na cor de marrom escuro a negro. Tem sabor mais penetrante que a branca.

E a mostarda marrom (Brassica juncea) tem coloração de castanho claro ao castanho escuro. É mais forte do que a branca, mas menos forte do que a preta.

Usos

A mostarda pode ser picante, adocicada, forte ou agridoce, dependendo dos seus grãos.

A mostarda preta é mais forte e aromática do que a branca, que na verdade é de coloração ocre.

Sementes de mostarda são usadas no preparo de picles de pepino, legumes, carne grelhada, salada de couve, batata e repolho cozido em água.

A mostarda seca dá um sabor especial a pratos com ovos e queijo, coberturas para saladas, aperitivos, carnes, aves e molhos de legumes.

A mostarda branca é usada no preparo das mostardas americanas e inglesas, mas nunca nas francesas mostardas de dijon. No Brasil utiliza-se a amarela.

As sementes da mostarda branca são utilizadas como especiarias em conservas e para cozinhar carnes e frutos do mar. No sul da Índia, as sementes são fritas em ghee até estourarem, produzindo um sabor suave de nozes que é útil como guarnição ou para o preparo de outros pratos. A semente marrom é também triturada com outras especiarias para preparação de curry.

Mostarda em pó age como um emulsionante na preparação da maionese e saladas. É muito usada para aromatizar chutneys e conservas, além de servir como tempero para alimentos em geral. Suas folhas podem ser consumidas cruas em saladas, ou refogadas com outros vegetais. As sementes são ótimas para aromatizar saladas e pratos à base de peixe ou carne.

Curiosidade

A primeira menção de uso da mostarda na literatura médica aparece nos escritos de Hipócrates, que a utilizava como remédio para tratar os músculos em geral.

A mostarda preta tem importância como tempero e óleo vegetal no norte da Índia. Devido à sua toxicidade, o óleo deve ser muito aquecido (até desprender fumaça) antes de sua utilização com outros alimentos, nunca devendo ser utilizado para temperar saladas.

Na maioria dos países ocidentais, o comércio de óleo de mostarda é proibido e seu uso é ilegal.

Nomes em outras línguas:

Inglês: Yellow Mustard
Francês: moutarde blanche
Italiano: senape biancha

Seu nome vem do latim mustum ardens, que significa “sumo ardido”.

A mostarda negra é originária do Sul da Europa e das regiões temperadas da Ásia. A castanha geralmente vem da Índia; já a branca há muito tempo é aclimatada nos países temperados. Muito usada na Índia, tanto em grãos como em óleo, serve tanto como remédio quanto como condimento.

Em sânscrito. aparece como sarshapah, enquanto a mostarda alva é denominada suetasarisha; em hindi, a negra é denominada kalorai e a branca. sufedrai.

Já a mostarda marrom é denominada rajica e rai, sucessivamente. Esta nomenclatura é essencial para interpretar as receitas. No primeiro século antes de Cristo, em Roma, Plínio, o Antigo, recenseou 40 remédios preparados com grãos de mostarda. Sabe-se também que lá grãos de mostarda moídos eram misturados ao sumo de uva não fermentado.

Na Idade Média, a mostarda era praticamente a única especiaria acessível ao bolso das classes menos favorecidas. Apesar de ter permanecido em uso sua popularidade sofreu certo declínio mais tarde, com a baixa dos preços das especiarias mais exóticas. Vagens de grãos podem ser lisas ou cobertas de penugem. segundo a variedade.

Os grãos de mostarda branca são maiores e menos picantes do que os de mostarda oriental negros ou castanhos, sendo que os grãos negros são os mais picantes de todos. No Japão, usa-se a Brassica juncea, de grãos marrom-amarelados.

Nas mostardas à moda antiga, geralmente granuladas, usam-se grãos inteiros ou picados; nas lisas, são moídos. O óleo essencial é muito cáustico.

As flores da árvore da mostarda são amarelas e pequenas.

A espécie branca atinge 80 cm e é afeita a solos leves e arenosos. Mais alta, a mostarda negra pede um solo mais rico. Já a castanha é menor e suas flores são mais pálidas.

Colhidas quando maduras, antes que estourem, as vagens são guardadas para secar antes da debulha. Os grãos brancos são utilizados nas salmouras. Os castanhos são muito usados no sul da Índia, onde são esquentados no óleo quente para fazer sair o perfume.

A mostarda tem propriedades diuréticas e estimulantes e é usada mesmo na medicina tradicional, na forma de emplastros para curar a artrite e o reumatismo.

Dentre as mostardas ocidentais, a inglesa apresenta-se em pó para ser dissolvido na água; a de Dijon, cujo nome é controlado desde 1937, é clara e lisa, feita com grãos, água, vinho branco, sal e especiarias.

Os norte-americanos usam a mostarda branca e a produzem amarela, ligeiramente açucarada. Na Alemanha, é encontrada adocicada e freqüentemente perfumada com ervas e especiarias. Na França, ainda é célebre a mostarda de Bordeaux, mais escura do que a de Dijon, ligeiramente doce e que freqüentemente leva estragão. Também na França, a de Champsac é um tipo de mostarda aromática, castanho-negra, perfumada com grãos de Funcho; a de Beaujolais é uma mistura composta de grãos grosseiramente esmagados e vinho Beaujolais; na região da Champagne, é lisa e pálida, perfurmada com champanhe.

Muitas outras formas de mostarda aparecem nos últimos tempos, entre elas a mostarda de Dijon perfumada com cassis e outras com grãos moídos grosseiramente, mel, açúcar, vinagre e especiarias.

Além da mostarda negra, existe a mostarda castanha e a mostarda branca.

Mostarda
Semente Preta ou Marrom

Mostarda
Semente Branca ou Amarela

Fonte: www.fleischmann.com.br/www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br/br.geocities.com/www.sonarcom.com.br/www.sensibilidadeesabor.com.br/www.prepgc20.cnptia.embrapa.br/www.jperegrino.com.br/www.ufms.br/ gourmet.ig.com.br/www.culinariaindiana.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Painço

Painço

PUBLICIDADE Nos últimos anos, houve uma revolução alimentar saudável. Especialmente, com o aumento da consciência de …

Carotenoides

PUBLICIDADE Definição Distinguidos por seus pigmentos laranja, amarelo e vermelho, os carotenoides são encontrados em muitas …

Tiramina

Tiramina

PUBLICIDADE Definição A tiramina, um aminoácido encontrado no corpo e nos alimentos que contêm proteínas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

QUESTION 1 You are managing a SharePoint farm in an Active Directory Domain Services (AD DS) domain. You need to configure a service account to use domain credentials. What should you do first? A. Configure the service account to use a domain user account. B. Register the domain credentials in the Farm Administrators group. C. Configure the service account to use a local user account. D. Register the domain credentials as a SharePoint managed account. Correct Answer: D Explanation QUESTION 2 A company named Contoso, Ltd. has a SharePoint farm. The farm has one Search service application configured. The Search service application contains five crawl databases, all of which contain content. Contoso plans to crawl knowledge base content from its partner company Litware, Inc. The knowledge base content must be stored in a dedicated crawl database. You need to configure crawling. What should you do? A. Add a crawl database that contains the Litware knowledge base to the existing Search service application. B. Provision a new Search service application. Configure the service application to crawl the Litware knowledge base content. C. Set the MaxCrawlDatabase parameter to 6. D. Create a dedicated Microsoft SQL Server instance for the Litware crawl database. Correct Answer: B Explanation Explanation/Reference: The maximum number of crawl databases is 5 per Search service application so we need another Search service application. This maximum limit is increased to 15 with an Office 2013 update but the question doesn't mention that this update is installed so we have to assume the question was written before the update was released. QUESTION 3 A company uses SharePoint 2013 Server as its intranet portal. The Marketing department publishes many news articles, press releases, and corporate communications to the intranet home page. You need to ensure that the Marketing department pages do not impact intranet performance. Which two actions should you perform? (Each correct answer presents part of the solution. Choose two.) A. In Central Administration, set up a User Policy for the Super User and Super Reader accounts. B. Configure IIS to use the Super User and Super Reader accounts for caching. C. Use the Farm Configuration Wizard to configure the Super User and Super Reader accounts. D. Use Windows PowerShell to add the Super User and Super Reader accounts. Correct Answer: AD Explanation Explanation/Reference: A: The way to correct this problem is to first create two normal user accounts in AD. These are not service accounts. You could call them domain\superuser and domain\superreader, but of course that's up to you. The domain\superuser account needs to have a User Policy set for that gives it Full Control to the entire web application. D: If you are using any type of claims based authentication you will need to use Windows PowerShell. And Windows PowerShell is the hipper more modern and sustainable option anyway. If you are using classic mode authentication run the following cmdlets on one of your SharePoint servers: $w = Get-SPWebApplication "http:///" $w.Properties["portalsuperuseraccount"] = "domain\superuser" $w.Properties["portalsuperreaderaccount"] = "domain\superreader" $w.Update() If you are using claims based authentication run these cmdlets on one of your SharePoint servers: $w = Get-SPWebApplication "http:///" $w.Properties["portalsuperuseraccount"] = "i:0#.w|domain\superuser" $w.Properties["portalsuperreaderaccount"] = "i:0#.w|domain\superreader" $w.Update() Note: * If you have a SharePoint Publishing site and you check the event viewer every once in a while you might see the https://www.pass4itsure.com/70-331.html following warning in there: Object Cache: The super user account utilized by the cache is not configured. This can increase the number of cache misses, which causes the page requests to consume unneccesary system resources. To configure the account use the following command 'stsadm -o setproperty -propertynameportalsuperuseraccount -propertyvalue account -urlwebappurl'. The account should be any account that has Full Control access to the SharePoint databases but is not an application pool account. Additional Data: Current default super user account: SHAREPOINT\system This means that the cache accounts for your web application aren't properly set and that there will be a lot of cache misses. If a cache miss occurs the page the user requested will have to be build up from scratch again. Files and information will be retrieved from the database and the file system and the page will be rendered. This means an extra hit on your SharePoint and database servers and a slower page load for your end user. Reference: Resolving "The super user account utilized by the cache is not configured." QUESTION 4 You are managing a SharePoint farm. Diagnostic logs are rapidly consuming disk space. You need to minimize the amount of log data written to the disk. Which two actions should you perform? (Each correct answer presents part of the solution. Choose two.) A. Set the log event level to Information. B. Set the log event level to Verbose. C. Set the log trace level to Medium. D. Set the log trace level to Verbose. E. Set the log event level to Warning. F. Set the log trace level to Monitorable. Correct Answer: EF Explanation Explanation/Reference: E: Event Levels Warning, Level ID 50 Information, Level ID: 80 Verbose, Level ID: 100 F: Trace levels: Monitorable: 15 Medium: 50 Verbose: 100 Note: When using the Unified Logging System (ULS) APIs to define events or trace logs, one of the values you must supply is the ULS level. Levels are settings that indicate the severity of an event or trace and are also used for throttling, to prevent repetitive information from flooding the log files. Reference: Trace and Event Log Severity Levels QUESTION 5 A company's SharePoint environment contains three web applications. The root site collections of the web applications host the company intranet site, My Sites, and a Document Center. SharePoint is configured to restrict the default file types, which prevents users from uploading Microsoft Outlook Personal Folder (.pst) files. The company plans to require employees to maintain copies of their .pst files in their My Site libraries. You need to ensure that employees can upload .pst files to My Site libraries. In which location should you remove .pst files https://www.pass4itsure.com/70-342.html from the blocked file types? A. The File Types area of the Search service application section of Central Administration B. The General Security page in the site settings for the site collection C. The Blocked File Types page in the site settings for the site collection D. The General Security section of the Security page of Central Administration Correct Answer: D Explanation