Breaking News
Home / Alimentos / Batata-Doce

Batata-Doce

PUBLICIDADE

Nome científico: Ipomoea batatas

Família: Convolvuláceas

Nome comum: batata-doce

Origem: regiões quentes da América do Sul

Batata-Doce
Batata-Doce

Descrição e característica da planta

Legume da família da ipoméia.

Suas raízes, grandes e carnosas, servem de alimento.

As batatas-doces são, com frequência, confundidas com os inhames, mas estes pertencem a outra família e crescem principalmente nos trópicos.

As batatas-doces podem ser amarelas ou brancas. No Brasil, cultivam-se principalmente as variedades: viçosa, campinas, santo amaro, capela, santa-sofia e pindorama. A batata-doce tem um alto teor energético e contém vitaminas A e C.

Batatas-doces são importantes fontes de energia e de vitaminas A e C.

Ela é cultivada a partir de raízes colocadas no solo úmido, quente e arenoso das estufas ou sementeiras elétricas, quatro semanas antes da época do plantio. Os caules que brotam das raízes produzem novas plantas, chamadas mudas, que afloram na superfície do solo.

As mudas são removidas e plantadas, guardando uma distância de 30 cm entre uma e outra, em carreiras separadas por um espaço que varia de 90 cm a 1,20 m.

As carreiras são plantadas em montículos para favorecer a drenagem.

A planta

A planta é herbácea, caule rasteiro, longo, ramificado, flexível e cilíndrico.

As folhas podem ser inteiras ou recortadas, em função de variedades, e formadas ao longo dos ramos.

A sua raiz principal pode atingir até 90 centímetros de profundidade, enquanto que outras raízes secundárias são mais superficiais e absorvem ativamente os nutrientes do solo.

Algumas dessas raízes secundárias passam a armazenar nutrientes da planta, aumentam de diâmetro e transformam-se em raízes tuberosas, comumente denominadas de batatas.

A planta é perene, mas cultivada como anual, porque a colheita de batatas é feita 100 a 115 dias após o plantio de ramas, para variedades precoces, e 140 a 170 dias, para variedades de ciclo longo.

As flores são hermafroditas, isto é, têm os dois sexos na mesma flor e podem produzir sementes.

As sementes de batata-doce não têm importância para produção comercial, mas de grande importância aos pesquisadores para a obtenção de novas variedades.

Existem variedades com polpa branca, amarela, rosada, roxa e alaranjada.

A polpa de cor alaranjada está relacionada diretamente ao teor de beta-caroteno, precursor da vitamina A.

A batata-doce se desenvolve e produz bem em condições de clima quente e não tolera geada e regiões de clima frio.

A propagação de plantas é feita através de ramas, principalmente as mais novas, por apresentarem maior vigor, melhor estado sanitário e maior produção de batata.

As mudas podem ser obtidas a partir de brotos de batatas ou de ramas da lavoura comercial.

Recomenda-se o plantio de mudas de boa qualidade, livres de doenças e pragas.

As variedades mais comuns e recomendadas são:

Para mesa – Brazlândia Branca, Brazlândia Rosada, Brazlândia Roxa, IAPAR 69, IAC 66-118 (Monalisa), IAC 2-71, SRT 299 (Rio de Janeiro II)
Para indústria –
SRT 278 (Centenária)
Para forragem –
SRT 252 (rama grossa).

Produção e produtividade

A produtividade varia de 20 a 40 toneladas por hectare, e está relacionada a variedades, fertilidade do solo, clima e sanidade de plantas. A região de maior produção no Brasil é a Sudeste.

Utilidade

A batata-doce pode ser utilizada no preparo de pratos salgados, doces e aperitivos, fécula, farinha e também na alimentação animal, como componente para rações de bovinos e suínos, na forma natural picada, ensilada ou na forma de farinha seca.

Benefícios

Possui alta taxa de vitamina A e do complexo B
Contém cálcio, ferro e fósforo
Excelente fonte de beta-caroteno

Inconvenientes

Contém muitas calorias

Embora seja uma convolvulácea e não pertença à família das solanáceas como a batata-inglesa, a batata-doce é considerada popularmente como um tipo de batata. Ela é uma excelente fonte de beta caroteno, o que ajuda a evitar certos tipos de câncer.

A batata doce é a raiz de uma planta rasteira, nativa do continente americano, que cresce sem exigir cuidados especiais para o cultivo. Embora seja menos consumida que a batata, ela é muito apreciada no norte e nordeste do Brasil. Geralmente cozida ou assada, ela acompanha o café. Pode também ser consumida em forma de vitamina, batida com leite.

No Brasil, há quatro tipos de batata doce, que são classificados de acordo com a cor da polpa: batata-branca, também conhecida como angola ou terra-nova, que tem a polpa bem seca e não muito doce; batata-amarela, parecida com a anterior, mas de sabor mais doce; batata-roxa, com casca e poupa dessa cor, é a mais apreciada por seu sabor e aroma agradáveis, sendo ótima para o preparo de doces; e, batata-doce-avermelhada, conhecida no nordeste como coração-magoado, tem casca parda e polpa amarela com veios roxos ou avermelhados.

A batata doce contém muitas calorias e é rica em carboidratos,. Possui alta taxa de vitamina A (sobre tudo a amarela e a roxa), do complexo B e alguns sais minerais, como cálcio, ferro e fósforo. Também suas folhas são bem nutritivas e podem ser preparadas como qualquer outra verdura de folha.

A batata doce de boa qualidade tem superfície limpa e firme, sem cortes ou sinais de picadas de insetos, nem manchas que indiquem apodrecimento (por menores que sejam, essas manchas mostram que a polpa da batata já está estragada, com gosto ruim). Para saber quanto comprar, calcule 1/2 kg de batata doce para 4 pessoas.

A batata doce deve ser guardada em lugar fresco, seco e arejado, longe da luz direta do sol e protegida dos insetos. Nunca as coloque umas sobre as outras, pois as de baixo ficam abafadas e acabam germinando, ou seja, começam a brotar. Também não deve ser guardada na geladeira (antes de cozida), porque perde completamente o sabor.

O que é 

A batata-doce é rica em carboidratos, fornecendo em cada cem gramas, 116 calorias. Contém ainda grande quantidade de vitamina A, além de vitaminas do Complexo B e sais minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro.

A vitamina A é indispensável à vista, conserva a saúde da pele, auxilia o crescimento e evita infecções. As vitaminas do Complexo B (B1 e B5) evitam problemas de pele e ajudam na regularização do sistema nervoso e do aparelho digestivo. Os minerais, por sua vez, contribuem para a formação dos ossos, dentes e sangue.

Para ter certeza da boa qualidade da batata doce na hora de comprar, verifique se a superfície está limpa e firme, sem cortes ou sinais de picadas de insetos. E para conservá-la por até 15 a 20 dias em boas condições, deixe-a em lugar seco e arejado, longe da luz e de insetos.

Na hora de prepará-la, cozinhe em água fervente em panela tampada e com casca. Assim você estará evitando que seus nutrientes se percam no cozimento. Mas lembre que também as folhas da batata doce possuem alto valor nutritivo. Elas podem ser preparadas como qualquer outra verdura de folha, com excelentes resultados.

Seu período de safra vai de janeiro a julho.

A batata-doce

A batata-doce é um alimento de alto valor energético, ou seja, rico em carboidratos. Também fornece quantidades razoáveis de vitamina A, C e algumas do complexo B. A batata-doce é uma raiz da família Convolvulácea, originária da América Tropical. As raízes e ramas também são utilizadas na alimentação animal.

Na indústria, a batata-doce é matéria prima para fabricação de álcool, amido, pães e doces.

Origem

A batata-doce, (Ipomoea batatas L. (Lam.)) é originária das Américas Central e do Sul, sendo encontrada desde a Península de Yucatam, no México, até a Colômbia. Relatos de seu uso remontam de mais de dez mil anos, com base em análise de batatas secas encontradas em cavernas localizadas no vale de Chilca Canyon, no Peru e em evidências contidas em escritos arqueológicos encontrados na região ocupada pelos Maias, na América Central.

É uma espécie dicotiledônea pertencente à família botânica Convolvulacae, que agrupa aproximadamente 50 gêneros e mais de 1000 espécies, sendo que dentre elas, somente a batata-doce tem cultivo de expressão econômica. A espécie Ipomoea aquatica também é cultivada como alimento, principalmente na Malásia e na China, sendo as folhas e brotos consumidos como hortaliça.

A planta possui caule herbáceo de hábito prostrado, com ramificações de tamanho, cor e pilosidade variáveis; folhas largas, com formato, cor e recortes variáveis; pecíolo longo; flores hermafroditas mas de fecundação cruzada, devido à sua autoincompatibilidade; frutos do tipo cápsula deiscente com duas, três ou quatro sementes com 6mm de diâmetro e cor castanho-clara. Da fertilização da flor à deiscência do fruto transcorrem seis semanas (Edmond & Ammerman, 1971)

King e Bamford (1937) contaram os cromossomos de 13 espécies de Ipomoea, verificando que 11 delas tinham 30 cromossomos (n=15), uma tinha 60 e somente I. batatas tinha 90 cromossomos. Sendo hexaplóide e autoincompatível, as sementes botânicas constituem uma fonte imensa de combinações genéticas e são utilizadas nos programas de melhoramento para obtenção de novas variedades (Folquer, 1978).

A batata-doce possui dois tipos de raiz: a de reserva ou tuberosa, que constitui a principal parte de interesse comercial, e a raiz absorvente, responsável pela absorção de água e extração de nutrientes do solo. As raízes tuberosas se formam desde o início do desenvolvimento da planta, sendo facilmente identificadas pela maior espessura, pela pouca presença de raízes secundárias e por se originarem dos nós. As raízes absorventes se formam a partir do meristema cambial, tanto nos nós, quanto nos entrenós. São abundantes e altamente ramificadas, o que favorece a absorção de nutrientes

As raízes tuberosas, também denominadas de batatas, são identificadas anatomicamente por apresentarem cinco ou seis feixes de vasos, sendo por isso denominadas de hexárquicas, enquanto que as raízes absorventes apresentam cinco feixes ou pentárquicas. As batatas são revestidas por uma pele fina, formada por poucas camadas de células; uma camada de aproximadamente 2 mm denominada de casca e a parte central denominada de polpa ou carne. A pele se destaca facilmente da casca, mas a divisão entre a casca e a polpa nem sempre é nítida e facilmente separável, dependendo da variedade, do estádio vegetativo da planta e do tempo de armazenamento.

As raízes podem apresentar o formato redondo, oblongo, fusiforme ou alongado. Podem conter veias e dobras e possuir pele lisa ou rugosa. Além das características genéticas o formato e a presença de dobras são afetados pela estrutura do solo e pela presença de torrões, pedras e camadas compactadas do solo, justificando-se a preferência por solos arenosos.

Tanto a pele quanto a casca e a polpa podem apresentar coloração variável de roxo, salmão, amarelo, creme ou branco. A escolha depende muito da tradição do local de comercialização, pois há locais que preferem batatas de pele roxa e polpa creme e outros que preferem pele e polpa claras.

A coloração arroxeada é formada pela deposição do pigmento antocianina, que pode se concentrar na pele, na casca ou ainda constituir manchas na polpa. O tecido colorido se torna cinza escuro durante o cozimento, e parte do corante se dissolve na água, causando o escurecimento de outros tecidos expostos. As variedades de polpa roxa e salmão são geralmente utilizadas como ingredientes para mistura com as de polpa de cor clara, na produção de doces e balas.

As raízes tuberosas possuem a capacidade de desenvolver gemas vegetativas que se formam a partir do tecido meristemático localizado na região vascular, quando a raiz é destacada da planta ou quando a parte aérea é removida ou dessecada. Ou seja, a formação das gemas é estimulada quando são eliminados os pontos de crescimento da parte aérea, deixando de atuar o efeito de dominância apical. Com isso, enquanto está em crescimento, as raízes tuberosas não apresentam gemas ou quaisquer outras estruturas diferenciadas na polpa.

A camada de tecido vegetal existente entre o tecido meristemático vascular e a pele é mais estreita nas extremidades da raiz e mais espessa na região central. Por isso, as primeiras gemas e o maior número delas surgem nas extremidades. Como se trata da formação de uma nova estrutura com meristema apical, as gemas que surgem primeiro passam a inibir a formação de novas gemas. O corte da raiz pode aumentar a taxa de produção de brotações, mas não é recomendado por favorecer o apodrecimento, em razão da maior exposição dos tecidos ao ataque de patógenos.

O caule, mais conhecido como rama, pode ser segmentado e utilizado como rama-semente para formação de lavoura. As ramas-semente têm capacidade de emitir raízes em tempo relativamente curto, que pode variar de três a cinco dias, dependendo da temperatura e da idade do tecido. O enraizamento é mais rápido em condições de temperatura elevada e em ramas recentemente formadas, pois as partes mais velhas apresentam um tecido mais rígido, por terem paredes celulares lignificadas e menor número de células meristemáticas, demandando maior tempo para que ocorra o processo de totipotência, que é o fenômeno da reversão de células ordinárias em meristemáticas, que dão origem às gemas vegetativas.

COMO COMPRAR

Dependendo da cultivar, a batata-doce pode ter a pele branca, creme, amarela, rosada, avermelhada ou roxa. A polpa pode ser branca, creme, amarela, rosada, roxa ou branca com manchas roxas. Uma mesma variedade pode ter a pele e a polpa de cores diferentes. Raízes de polpa creme, amarela ou roxa são mais ricas em vitamina A do que as raízes de polpa branca. Ao comprar batata-doce, deve-se evitar raízes com início de brotação, pois duram menos e perdem o valor nutritivo. Os danos por inseto ou broca podem ser superficiais. Neste caso, a qualidade do produto não é alterada e a parte atacada é eliminada no descascamento. Quando os danos são internos, a broca causa sabor amargo característico, cheiro alterado e polpa escura.

COMO CONSERVAR

As raízes podem ser conservadas por um longo, período de tempo em condição natural, desde que o local seja seco, fresco e bem ventilado. Neste caso, não é aconselhável colocar as raízes em saco de plástico pois a brotação será acelerada e a durabilidade reduzida. Sob temperatura baixa, as raízes ficam escurecidas, com cheiro e sabor alterados, e permanecem duras após o cozimento. Por isso, a batata-doce só deve ser mantida em geladeira por curtos períodos de tempo, sempre na parte mais baixa e em sacos de plástico para evitar ressecamento.

COMO CONSUMIR

As raízes podem ser consumidas diretamente cozidas, assadas ou fritas, ou na forma de doces, pães e bolos. As folhas ou brotos podem ser consumidos refogados, empanados ou em sopas. Seu sabor lembra o espinafre. A batata-doce pode ser cozida também com casca. Neste caso, deve-se lavar as raízes antes, em água corrente. Caso se pretenda descascar as batatas antes do cozimento, deve-se realizar este procedimento debaixo da água, pois as raízes têm uma liga que gruda nas mãos. Além disso, depois de cortadas, escurecem rapidamente.

A batata-doce pode ser congelada. Para isso, deve-se cozinhar as raízes até que fiquem macias, descascá-las e amassá-las formando um purê. Pode-se acrescentar 1 colher (chá) de margarina para cada 1/2 kg de purê. Deve-se acondicionar o purê em vasilha de plástico rígido e levar ao congelador, onde pode ser conservado por até 6 meses.

Batata doce cozida

TACO – Tabela Brasileira de Composição de Alimentos

Tabela de valor Nutricional

Porção de 100 gramas:

% VD*
Valor energético 76.8kcal = 322kj 4%
Carboidratos 18,4g 6%
Proteínas 0,6g 1%
Fibra alimentar 2,2g 9%
Fibras solúveis 0,1g
Cálcio 17,2mg 2%
Vitamina C 23,8mg 53%
Piridoxina B6 0,1mg 8%
Fósforo 15,4mg 2%
Manganês 0,1mg 4%
Magnésio 11,2mg 4%
Lipídios 0,1g
Ferro 0,2mg 1%
Potássio 148,4mg
Cobre 0,1ug 0%
Zinco 0,1mg 1%
Niacina 2,6mg 14%
Tiamina B1 0,1mg 7%
Sódio 2,7mg 0%

* % Valores diários com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8.400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades.

DICAS

A batata-doce aceita como tempero: canela, cravo-da-índia, noz-moscada, mel, melado e açúcar mascavo.
Para assar batatas-doces em forno doméstico, coloque-as sem descascar em forno com temperatura alta por 1 hora, ou até que estejam macias ao enfiar um garfo ou faca.

 

Batata-Doce

Características da planta

Planta herbácea, de caule rastejante, que alcança de 2 a 3 m de comprimento. A “rama” é de coloração verde ou arroxeada, com folhas em forma de coração e com pecíolos longos.

Apresenta uma raiz principal, não tuberosa, com raízes laterais, que passam a acumular substâncias, transformando-se em órgãos de reserva – as raízes tuberosas que constituem a batata-doce.

Características da flor

Apresenta flores hermafroditas, campanuladas, de colorações branca, rosa, vermelha e roxa, reunidas em inflorescência tipo cimosa. Podem ser pedunculadas e às vezes solitárias.

Melhores variedades: Rama-grossa; IAC – iraí.

Época de plantio: Setembro – dezembro (plantar as ramas com terra úmida, após a chuva).

Espaçamento: 90 x 40cm.

Sementes ou mudas necessárias:

Ramas: 30.000/hectare.
Raízes em viveiro: 100kg/ha.

Combate à erosão: Faixas de nível.

Adubação: Aproveitar o efeito residual da adubação da cultura anterior.

Tratos culturais: Capinas manuais e amontoas com sulcadores.

Combate à moléstias e pragas: Dispensável, desde que as ramas de plantio sejam oriundas de viveiros sadios.

Época de colheita: Março – setembro.

Produção normal:

Raízes: 20 a 30t/ha;
Ramas:
10 a 30t/ha.

Melhor rotação: Milho, mandioca, cana, adubos verdes, pasto ou capineiras. Alqueive.

Observações

Plantar, em camalhaões, ramas com cerca de 30cm, com folhas na ponta, usando plantador-bengala.

Variedades de ciclo longo, seis a nove meses, com ramas vigorosas e abundantes, são melhores para forragem. A rotação o de cultura é indispensável para evitar queda acentuada na produção.

Batata-Doce

A batata-doce (Ipomoea batatas (L.) Lam.) é uma planta rústica, de ampla adaptação, fácil cultivo, alta tolerância à seca e de baixo custo de produção.

É detentora de caule tenro, que se desenvolve rastejante no solo, impedindo a erosão e o crescimento de plantas daninhas. Suas raízes são tuberosas e variam de forma, tamanho e coloração, conforme a cultivar e o meio ambiente em que são produzidas.

Por ser uma planta natural de regiões quentes, essa cultura requer temperaturas elevadas durante todo o ciclo vegetativo. É uma lavoura muito popular e apreciada em todo o país, estando colocada em quarto lugar entre as hortaliças mais consumidas pela população brasileira. No Nordeste é a principal hortaliça cultivada. É boa fonte de energia, minerais e vitaminas C e do complexo B. Algumas cultivares são ricas em vitamina A, podendo ser consumida assada, cozida ou frita.

É uma lavoura de grande importância social, contribuindo decisivamente para o suprimento alimentar das populações mais pobres. No quadro mundial, os maiores produtores são a China, Indonésia, Índia e o Japão. A China destaca-se como maior produtor atingindo 150 milhões de toneladas. No Continente Latino-Americano, o Brasil surge como o principal produtor, contribuindo com 3 milhões de toneladas anuais. No Brasil os estados de maior produção são Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia e Paraná, tendo o rendimento nacional atingido 10 t/ha. A Paraíba vem se destacando como um dos principais produtores da Região Nordeste.

A grande difusão e diversidade de formas de batata na América, muito superior ás encontradas na Oceania pelos primeiros exploradores, indicam que a domesticação dessa planta ocorreu antes, no continente americano. Quanto à origem genética, Martin determinou as afinidades como Ipomoea batatas de uma série de Ipomoeas silvestres, a maioria das quais de origem Americana. Desta forma, a verdadeira origem da batata-doce permanece até hoje indefinida apesar de que muitas evidências indicam o Sul do México e o Nordeste da América do Sul como seu berço natural.

No aspecto botânico, a batata-doce pertence à família das convolvuláceas, ao gênero Ipomoea e à espécie Ipomoea batatas L., planta de constituição herbácea, rastejante verde ou arroxeada; chega a alcançar de 3 a 5 m de comprimento. As folhas podem ser cordiformes, lanceoladas e recortadas com pecíolos bastante desenvolvidos. As flores são hermafroditas de coloração lilás ou arroxeadas, porém auto-estéreis o que favorece a fecundação artificial e, portanto, a obtenção de sementes de interesse dos melhoristas. A maior parte das raízes se desenvolvem nos primeiros 10 cm de profundidade do solo, havendo, entretanto, uma raiz pivotante que atinge profundidade de até 1,30 m. Algumas raízes secundárias passam a acumular hidratos de carbono, transformando-se em órgão de reserva, as quais constituem a parte comercial da planta.

Clima e Solo

A batata-doce pode ser cultivada em qualquer parte do país, mas prefere os climas em que as temperaturas são mais elevadas, pois além de não tolerar geadas, seu desenvolvimento vegetativo e produtividade são prejudicados em temperaturas menores que 10 ºC. Por isso, em regiões sujeitas a geadas, não deve ser plantada em época que a fase de crescimento coincida com o período frio. Um regime de 500 a 750 mm de chuvas, bem distribuídas durante o ciclo da cultura, é suficiente para o pleno crescimento e desenvolvimento das plantas.

Essa hortaliça produz bem em qualquer tipo de solo, poré, consideram-se ideais os solos mais leves, bem estruturados, com fertilidade de média a alta, bem drenados e boa aeração. A produção é muito prejudicada em solos encharcados ou muito úmidos, pois aeração deficiente retarda a formação da batata.

Solos compactados e/ou mal preparados causam alterações no formato e uniformidade dos batatais, diminuindo o seu valor comercial. A planta cresce e produz bem em solos com pH 4,5 a 7,7, porém os valores ótimos estão na faixa de 5,6 a 6,5. Portanto, o melhor solo para o desenvolvimento da batata-doce é aquele que apresenta boa drenagem, textura arenosa ou areno argilosa, sendo levemente ácido ou neutro.

Principais Variedades

A recomendação de cultivares de batata-doce está relacionada com local, época de plantio, finalidade da produção e referência de mercado. A maior parte das batatas-doces comercializadas na grande cidade, apresenta casca (periderme) branca, rosa ou roxa e polpa branca ou creme, embora também sejam comercializadas batatas com casca amarela ou roxa e polpa amarela, salmão ou roxa (como beterrabas), todas nos mais diferentes mercados e regiões.

As variedades mais cultivadas no Brasil apresentam-se da seguinte forma:

1) Leucorhiza – Variedades que apresentam tubérculos brancos;
2) Porphyrorhiza –
Variedades que apresentam tubérculos vermelhos e
3) Xantorhiza –
Variedades que apresentam tubérculos amarelos.

Pesquisas desenvolvidas na Estação Experimental de Mangabeira, da Emepaem João Pessoa-PB, com cinco variedades de batata-doce (Brazlândia Roxa, Brazlândia Rosada, Brazlândia Branca, Princesa e Couquinho) apresentaram resultados bastante promissores para as condições da Mesorregião da Mata Paraibana.

Brazlândia Roxa

A película externa é roxa, polpa creme, que após o cozimento torna-se creme-amarelada. Tem um formato alongado muito uniforme. É uma cultivar tardia, muito produtiva, podendo ser colhida após os 150 dias.

Brazlândia Rosada

A película externa é rosa, polpa de cor creme e após o cozimento torna-se amarelada. Formato das raízes é alongado. Apresenta um ciclo médio, podendo ser colhida até os 150 dias.

Brazlândia Branca

A película externa é branca, polpa creme claro, que após o cozimento torna-se amarela-clara. Formato das raízes é alongado. É uma cultivar de ciclo médio, muito produtiva, podendo ser colhida até os 150 dias.

Princesa

A película externa é creme, polpa também creme, com formato alongado e uniforme. É uma cultivar tardia, apresenta uma boa produtividade, devendo ser colhida a partir dos 150 dias.

Coquinho

A película externa é amarela pálida, polpa branca e doce, que após o cozimento torna-se brnaco-acinzentada. Tem um formato alongado ou arredondado, apresentando um ciclo precoce, podendendo ser colhida a partir dos 120 dias.

Propagação:

A propagação é feita por meio de ramas ou mudas.

Ramas – São pedaços de hastes (estacas) com oito a dez folhas (cada folha corresponde a um entrenó). Podem ser obtidos pelo plantio de batatas em viveiro ou pelo plantio de ramas velhas.
Mudas – São brotos com 25 cm de comprimento, obtidos pelo plantio de batatas em viveiros. As ramas podem ser cortadas 120 dias após o enviveiramento das batatas. Cada batata produz, em média, 20 ramas. As mudas são recomendadas quando se deseja antecipar o plantio e não se dispõe de ramas.

Instalação e Condução do Cultivo

Escolha da área e preparo do solo

A batata produz relativamente bem em vários tipos de solo, entretanto, as melhores produções são obtidas em solos leves. Os solos de boa estrutura favorecem a oxigenação e a penetração das raízes. Solos úmidos são desaconselháveis para a cultura.

O preparo do solo consta de aração e gradagem. A aração deve ser feita a 30 cm de profundidade com gradagem realizada posteriormente.

Época e sistema de plantio

A melhor época para o plantio da batata-doce é na metade do período chuvoso, nos meses de novembro, dezembro e janeiro, nos estados do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. No Nordeste, deve-se plantar no início da estação chuvosa. Entretanto, sob condições de irrigação, pode-se plantar durante todo o ano, desde que não ocorram temperaturas menores que 10 ºC por períodos longos.

O sistema de plantio pode ser feito em sulcos ou camalhões.

Em camalhões – As ramas são plantadas em leiras de topo arredondado e com altura de 30 cm. Os camalhões contribuem para o arejamento e drenagem, além de ajudar no controle da erosão e facilitar substancialmente a colheita.
Em sulcos –
Este sistema deve ser usado em solos arenosos ou muito secos, é mais simples e torna-se menos oneroso.

Plantio

Recomenda-se cortar as ramas um dia antes do plantio para que as mesmas fiquem murchas, mais flexíveis e percam um pouco de água. Usar preferencialmente as pontas das ramas mais vigorosas, tendo-se o cuidado de não quebrá-las durante o enterrío.

Durante o plantio, as ramas são colocadas sobre as leiras transversalmente e, com o auxílio de uma bengala, são enterradas pela base ou pelo meio, devendo-se enterrar três ou quatro entrenós. Quando se enterra um ou dois entrenós, a tendência é produzir batatas graúdas, e quando se enterram muitos entrenós a tendência é produzir muitas batatas pequenas.

Espaçamento

O espaçamento é função da cultivar (hábito de crescimento, área foliar, ciclo, profundidade dosistema radicular, sua extensão e ramificação) da finalidade da produção, do tipo e fertilidade natural solo, da adubação que se pretende fazer e do local e época do plantio. Os espaçamentos mais utilizados variam de 80 a 100 cm entre leiras e de 25 a 40 cm entre plantas.

Quando a finalidade da produção for o mercado (mesa), as batatas devem ser de tamanho médio. Assim, cultivares que tenham tendência de produzir batatas graúdas, de elevado peso médio (maior que 800 gramas), devem ser plantadas em espaçamentos menores dentro da leira. Em solos muito férteis ou quando se utiliza adubação mais pesada, deve-se utilizar espaçamentos menores. Em solos mais fracos, adotar espaçamentos maiores. Em solos argilosos (tipo podzólicos) ou compactados, recomendam-se maiores distâncias entre leiras.

Controle de plantas daninhas

A cultura da batata-doce é pouco exigente em tratos culturais, entretanto, deve ser mantida no limpo até 60 dias após o plantio, quando as ramas cobrem totalmente o solo e impedem o crescimento das plantas daninhas.

Pragas e doenças

Vaquinha ou bicho-alfinete – As lavras furam as raízes diminuindo seu valor comercial. Os adultos comem as folhas deixando-as rendilhadas.
Broca-da-raiz –
As lavras cavam galerias alterando o aspecto, o sabor e o odor das raízes, tornando-as imprestáveis para o consumo animal ou humano.
Broca-do-coleto –
Os adultos são mariposas pardo-escuras que depositam os ovos na planta, próximo às raízes. As lavras penetram nas ramas cavando galerias.

Quando o ataque é severo pode-se reconhecê-lo facilmente, pois as ramas murcham e secam, partindo-se e destacando-se facilmente.

Como pragas de importância secundária as mais importantes são: bicho-bolo, a lagarta-rosca, a larva-arame e ácaros, as quais causam danos eventuais.

As medidas de manejo e controle de pragas visam especialmente os insetos de solo e a broca do coleto, pragas mais importantes da cultura, mas são eficientes também para outras espécies de insetos de menor importância econômica.

Quanto às medidas gerais de controle recomendam-se:

a) Usar variedades resistentes a insetos de solo;
b)
Fazer rotação de cultura por dois ou três anos;
c)
Usar ramas sadias e de bom vigor;
d)
Fazer amontoa o que reduz as pragas de solo;
e)
Colheita precoce antes dos 130 dias;
f)
Evitar armazenamento por período superior a 30 dias.

Poucas são as informações existentes sobre doenças que atacam a batata-doce no Brasil. Entretanto, as doenças citadas como ocorrentes podem ser classificadas da seguinte forma:

a) Doenças causadas por vírus, bactérias e fungos: Antracnose, cercosporiose, podridão-mole, podridão-negra, mosaico, ferrugem-das-folhas e sarna.
b) Doenças fisiológicas:
Rachaduras e formação das raízes.

Os problemas fisiológicos verificados no cultivo da batata-doce como rachaduras e formação das raízes podem ser atribuídos à temperatura baixa na fase de crescimento e à aplicação de fertilizantes em excesso.

Calagem: A calagem é feita com base na análise do solo, usando-se preferencialmente calcário dolomítico 30 dias antes do plantio.

Adubação

A adubação deve ser feita com base nos níveis de fertilidade so solo, utilizando (N – P2O5 – K2O – Sulfato de Zinco), em kg/ha, Baixo: 100 – 200 – 200 – 10; Médio: 60 – 150 – 150 – 5 e Alto: 30 – 100 – 100 – 0

Em solos de baixa fertilidade, recomenda-se adicionar 10 kg de bórax. É também aconselhável colocar 20 t/ha de esterco de curral bem curtido e, nesse caso, reduzir a adubação nitrogenada à metade da dosagem recomendada. Em solos com alto teor de matéria orgânica não utilizar adubação nitrogenada, pois o excesso desses nutrientes provoca grande desenvolvimento das ramas e reduzida produção de batata-doce. O nitrogênio deve ser aplicado 1/3 a 1/2 no plantio e o restante após 30-45 dias, em cobertura. O fósforo, o potássio e o sulfato de zinco devem ser aplicados totalmente no plantio.

Irrigação

As irrigações podem ser feitas obedecendo-se ao seguinte esquema: até aos 20 dias após o plantio – duas vezes por semana; dos 20 aos 40 dias após o plantio – uma vez por semana e a partir dos 40 dias até a colheita – a intervalos de duas semanas.

Colheita

Quanto mais tempo a batata-doce permanecer no solo maior a possibilidade de ocorrer ataque de pragas e doenças. Por volta do 4º mês a planta estaciona o seu crescimento vegetativo e começa a amarelar (110 a 120 dias). Portanto, pode-se iniciar a colheita. Para saber se as raízes estão maduras, faz-se um corte na batata recém-colhida; se a raiz cicatriza e seca rapidamente, é sinal que está madura; caso o látex continue saindo, é sinal que ainda está “verde”.

Pós-colheita

Processo de Cura

Após a colheita, deixar as batatas secarem ao sol durante 50 minutos, realizando-se a lavagem em seguida se a comercialização for imediata. Caso a comercialização não seja imediata, armazenar as batatas em lugar arejado sem lavá-las. Após a classificação e embalagem, efetuar a cura das batatas em ambiente de alta temperatura (28 a 30 ºC) e alta umidade relativa (85%), com boa aeração, durante aproximadamente 7 dias.

Classificação e Embalagem

A classificação da batata-doce deve ser feita segundo o tamanho e as condições gerais do tubérculo. No Brasil, não existe uma norma oficial para classificação, mas as normas extras oficiais utilizadas nos principais mercados consumidores são muito exigentes. As batatas devem ser bem conformadas e uniformes, lisas e com película da cor específica de cada variedade e isentas de pragas e doenças.

A classificação da batata-doce utilizada nos principais mercados consumidores do Brasil é a seguinte:

Tipo Extra A: 300 a 400 g;
Tipo Extra:
200 a 300 g;
Tipo Especial:
150 a 200 g e
Diversos:
80 a 150 g.

Após a classificação, as batatas devem ser embaladas, preferencialmente em caixas de 25 kg e nunca em sacos que ferem os tubérculos pelo atrito. As raízes devem ser arrumadas na caixa evitando-se grandes espaços vazios.

Comercialização

A batata-doce normalmente é comercializada nas feiras livres e supermercados. No Nordeste, os preços mais altos geralmente ocorrem de março a agosto. Deve-se ter o cuidado de evitar raízes que apresentem rachaduras, deformações, danos mecânicos e esverdeamento, defeitos considerados prejudiciais no momento da comercialização.

Composição Química

A composição química das raízes da batata-doce revela que esta hortaliça é rica em carboidratos (amido principalmente), com teores de 13,4 a 29,2%, açúcares redutores de 4,8 a 7,8%, fornecendo em cada 100 gramas, 110 a 125 calorias. Contem ainda boa quantidade de vitamina A, além de vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina e ácido nicotínico) e água (59,1 a 77,7%). Apresenta baixos teores de proteínas (2,0 a 2,9%) e de gorduras (0,3 a 0,8%).

Como fonte de minerais, a batata-doce fornece, em cada 100 g, os seguintes teores: cálcio (30 mg), fósforo (49 mg), potássio (273 mg), magnésio (24 mg), enxofre (26 mg) e sódio (13 mg).

Constituintes Unidade Teores nas raízes
Umidade % 59,1-77,7
Amido % 13,4-29,2
Equivalente a açúcares redutores % 4,8-7,8
Proteínas % 2,0-2,9
Cinzas % 0,6-1,7
Fibra bruta % 1,3-3,8
Gordura % 0,3-0,8
Energia cal/100 g 110 a 125
Tiamina mg/100 g 0,10
Riboflavina mg/100 g 0,06
Ácido nicotínico mg/100 g 0,90
Ácido ascórbico mg/100 g 25 a 40
í-Caroteno mg/100 g 1 a 12
Magnésio mg/100 g 24
Potássio mg/100 g 273
Sódio mg/100 g 13
Fósforo mg/100 g 49
Enxofre mg/100 g 26
Ferro mg/100 g 0,8
Cálcio mg/100 g 30

Fonte: www.clickeducacao.com.br /www.herbario.com.br/www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br/www.agrov.com/www.emepa.org.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Antocianinas

PUBLICIDADE Definição As antocianinas são fitoquímicos solúveis em água com uma cor vermelha a azul …

Glúten

Glúten

PUBLICIDADE Definição Glúten é o nome dado às proteínas encontradas em certos grãos de cereais: principalmente …

Painço

Painço

PUBLICIDADE Nos últimos anos, houve uma revolução alimentar saudável. Especialmente, com o aumento da consciência de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *