Breaking News
Home / Alimentos / Centeio

Centeio

PUBLICIDADE

O centeio alimenta os humanos desde há milhares de anos, mas foram os romanos que iniciaram o seu cultivo.

Há indícios de que se desenvolveu a partir de um grão selvagem do Nordeste da Europa.

Justificando a sua origem, é um cereal resistente que sobrevive em climas duros e terras desfavoráveis.

Apesar de atualmente ser um cereal pouco usado, constitui só 2% da produção mundial dos cereais, chegou a ser alimento base, em forma de pão, por longos períodos da Idade Média em certas regiões da Europa, principalmente central e oriental mas também em Portugal.

Centeio
Centeio

Este cereal, é tradicional no norte do nosso país, em mistura com o milho, sendo também antigo o uso do pão de trigo e centeio. Esta é, aliás, provavelmente a melhor das misturas para pão, tanto gastronômica como dieteticamente.

Ainda hoje o pão negro feito com este cereal, de mistura ou só de centeio, rico de sabor e de força é o preferido em zonas como a Escandinávia e a Rússia.

Os primeiros colonizadores holandeses levaram-no para o continente americano e os franceses lançaram aí as primeiras plantações deste cereal no século XVII na Nova Escócia.

A meio do século XIX milhares de acres eram dedicados a esta cultura na América do Norte. O whisky de centeio, de sabor mais “rude” que o de cevada, continua a ser extremamente popular nos E. U.. Outras bebidas à base de centeio são o gin, originário da Holanda e a cerveja russa.

O centeio é menos nutritivo do que os outros cereais mas é o cereal mais rico no aminoácido essencial lisina.

Não contém glúten.

Além de depurativo do sangue, oferece a grande qualidade de facilitar a circulação sanguínea, o que útil na prevenção e no tratamento das doenças cardiovasculares e da arteriosclerose.

É particularmente bom no tempo frio.

A farinha de centeio integral preparada de forma cuidadosa por processos artesanais permite conservar todas as propriedades do grão.

O centeio integral tem vantagens a nível de sabor, textura digestibilidade, nutrientes e outras a nível metabólico.

Pode ser usada na confecção de cremes e papas, para engrossar sopas, e em padaria e doçaria.

Usos

O centeio é um cereal originário da Ásia, onde era antigamente a base da alimentação de vários povos.

É parecido com o trigo, tanto na forma quanto na composição e no sabor.

Seu uso mais conhecido é na fabricação de bebidas alcoólicas, como o uísque. Na cozinha, é utilizado no preparo do pão de centeio, muito apreciado por ser leve e macio.

Centeio
Centeio

O centeio é um cereal muito nutritivo, contendo grande quantidade de vitaminas do complexo B e sais minerais, principalmente ferro, manganês, zinco e cobre.

A farinha de centeio é obtida pela trituração dos grãos com casca, daí sua cor escura, e por isso, não perde seus elementos nutritivos.

Como o centeio não contém certas proteínas que, misturadas com líquidos dão o glúten (elemento que possibilita a liga para a massa), é necessário acrescentar um pouco de farinha de trigo ao preparar o pão de centeio.

Cereal

Cereal que se assemelha ao trigo e à cevada.

É usado na fabricação de pães e certas bebidas.

A planta possui espigas delgadas, com barbas longas e espessas.

As sementes escuras crescem aos pares.

Os grãos caem das espigas quando se bate a palha, como acontece com o trigo.

As flores do centeio, ao contrário das do trigo, aveia e cevada, abrem-se para a polinização.

Durante a florescência, elas deixam cair o pólen como numa chuva dourada. A polinização se dá em aberto, tornando difícil manter espécies puras.

Produção

A cultura do centeio é importante nos climas frios do norte da Europa, Ásia e América do Norte. No hemisfério Sul, seu cultivo é relativamente pequeno.

A maior região produtora de centeio corresponde à da antiga União Soviética. Outros grandes produtores são Alemanha, Polônia, Turquia e Estados Unidos. No Brasil, é cultivado em pouca quantidade nos estados do sul do país.

Usos

Na maioria dos países, o centeio é usado sobretudo como alimento para o homem.

Seu valor nutritivo é quase igual ao do trigo.

Nos EUA, no entanto, a palha de centeio (o centeio cortado e seco), bem como as partículas médias que constituem um subproduto da farinha de centeio, é usada na alimentação do gado.

O pão mais compacto e escuro é feito de centeio, porque esse contém menos glúten (substância nitrogenada existente nas farinhas de cereais) que o trigo.

Os fabricantes de bebidas utilizam o malte do centeio para fazer uísque e genebra.

A palha do centeio é longa, macia e fácil de dobrar. É usada para embalagens, fabricação de papel, chapéus, esteiras e enchimento de colchões.

O centeio é também empregado na indústria de construção. Planta-se o centeio no solo bruto, ao longo do leito de novas estradas. As plantas crescem no solo estéril e evitam a erosão.

Nome

O Secale cereale, nome científico do centeio – como o cereal é conhecido por brasileiros e portugueses –, pode ser encontrado em diversas partes do mundo. Se você estiver em países de língua inglesa, por exemplo, com certeza vai encontrar um ou outro pacote de pão com a palavra rye, como é chamado.

Já na França,seigle é o nome do que os espanhóis conhecem por centeno e os italianos por segale.

Mas na Alemanha, país onde acredita-se que suas primeiras sementes apareceram, o centeio é chamado de roggen.

Origem

Segundo George Mateljan, autor do livro The World’s Healthiest Foods (Os alimentos mais saudáveis do mundo – sem tradução em português), a domesticação do centeio se deu há pouco tempo, comparando com outros cereais.

O pesquisador afirma que seus grãos não foram cultivados até por volta de 400 A.C, quando uma espécie selvagem começou a crescer entre campos de trigo alemães.Mateljan afirma ainda que, apesar de todas suas qualidades, em muitos países seus grãos eram considerados comida para os pobres. Apesar disso, o cereal nunca perdeu a majestade em países do Leste Europeu e na Ásia. Atualmente, Rússia, Polônia, Alemanha e Ucrânia são os maiores produtores devido à adaptabilidade da semente ao clima frio e à terra pouco fértil. Já no Brasil, o centeio chegou junto com a imigração alemã e polonesa há 200 anos.

De acordo com a Embrapa Trigo, é no Rio Grande do Sul onde estão concentradas as maiores áreas de cultivo do cereal que tem diversas utilidades, como ajudar na retenção da água no solo e controlar ervas daninhas, além, é claro, de servir como alimento nutritivo.

Propriedades Nutricionais

Coordenador do Departamento de Medicina e Nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), o Dr. Eric Slywitch dá as dicas para o consumo do cereal. “O centeio é um dos alimentos mais eficientes para o controle da prisão de ventre.

Como ele é um cereal, deve ser consumido dentro da faixa estabelecida para esse grupo alimentar, ou seja, de 5 a 11 porções por dia, sendo cada porção constituída por ½ xícara do cereal cozido.” O médico nutrólogo explica que sua preparação é bem simples e tanto seu gosto quanto sua textura agradam aos mais diversos paladares.

“Ele deve ser deixado de molho na água por 12 horas antes do cozimento, que deve ser feito com água em panela aberta por 40 minutos. Pela casca que o envolve, ele não fica empapado e dificilmente ‘passa do ponto’. Pode ser refogado com hortaliças, mas se quiser prepará-lo doce, adicione frutas secas no cozimento.”

Eric explica ainda que, pelo elevado teor de fibras, o cereal ajuda no tratamento de obesidade e deve ser bem mastigado e consumido com moderação para que não cause nenhum desconforto intestinal. Para quem gosta de saber sobre a quantidade de nutrientes dos alimentos, o nutrólogo dá os números desse poderoso cereal.

Centeio
Centeio

Propriedades Medicinais

Alguns estudos apontam a fibra do centeio como uma de suas melhores qualidades.Tanto o American Journal of Clinical Nutrition quanto o American Journal of Gastroenterology classificam o cereal como um alimento funcional e que só traz benefícios à saúde.

De acordo com a primeira publicação, pães de centeio são melhores do que os de trigo para os diabéticos devido à sua atuação junto à insulina. Já o segundo jornal afirma que o consumo de fibras, como as encontradas no centeio, diminuiu os riscos de mulheres desenvolverem cálculos biliares – doença que acomete a vesícula biliar.

Outros estudos indicam que o consumo de cereais integrais, pelo menos seis vezes na semana, é uma excelente opção para mulheres na pós-menopausa e que sofrem de doenças cardíacas, pressão e colesterol altos. Por tudo isso, os médicos em geral recomendam seu consumo.

Curiosidades

Apesar de todas essas propriedades, o centeio tem seu lado “negro”.Um fungo que aparece dentro de suas sementes conhecido como ‘esporão do centeio’ é a base para a produção de LSD – droga alucinógena popularizada na década de 1960.De acordo com uma tese da Faculdade de Farmácia, da Universidade de Porto, em Portugal, a “doença” do centeio apareceu pela primeira vez em 600 A.C e foi a causa de uma enfermidade conhecida como ergotismo, que infectou milhares de pessoas na Europa do século 18.E mesmo no século 20, em 1951, alguns habitantes da cidade francesa de Pont-Saint-Espirit apresentaram sintomas como alucinações, euforia e gangrenas.Tudo porque um padeiro local usou centeio contaminado em suas receitas.

Mas as “utilidades”desse poderoso cereal não param por aí. Ele também pode ser destilado junto com a cevada, que fermentada dá origem ao famoso uísque.

Samira Menezes

Centeio – Secale cereale

O centeio produz bem em solos levemente ácidos.

Também é um cultivar de climas temperados e resiste mais que o trigo a pragas e doenças.

É um dos principais cereais da indústria da panificação, perdendo em importância apenas para o trigo.

Em alguns países, principalmente da Europa Oriental e Escandinávia, é a principal matéria prima na panificação.

Melhor variedade: Centeio – branco.

Época de plantio: Março – abril.

Espaçamento: 20cm entre linhas, com 1,5 de sementes/metro de sulco .

Sementes necessários: 80kg/ha.

Combate à erosão: Terraços e patamares.

Adubação: Conforme a análise da terra.

Tratos culturais: Dispensáveis.

Combate à moléstias e pragas: Ferrugem

Variedades resistentes: Caruncho

Expurgo das sementes.

Época de colheita: Agosto – setembro.

Produção normal: 80 a 1,5t/ha de grãos.

Melhor rotação: Adubos verdes e culturas de ciclo curto. Alqueive.

Observações: Preparar bem o solo. Escolher terras frescas

Fonte: www.providanatural.com/www.cozinhanet.com.br/www.klickeducacao.com.br/www.tffalimentos.com.br/www.setor1.com.br/www.agrov.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Antocianinas

PUBLICIDADE Definição As antocianinas são fitoquímicos solúveis em água com uma cor vermelha a azul …

Glúten

Glúten

PUBLICIDADE Definição Glúten é o nome dado às proteínas encontradas em certos grãos de cereais: principalmente …

Painço

Painço

PUBLICIDADE Nos últimos anos, houve uma revolução alimentar saudável. Especialmente, com o aumento da consciência de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.