Breaking News
Home / Alimentos / Sabugueiro

Sabugueiro

PUBLICIDADE

O sabugueiro (Sambucus nigra), pertence à família das Caprifoliáceas.

Encontra-se quase sempre na forma de arbusto ou árvore pequena, de três a seis metros de altura.

O tronco possui uma casca parda e acinzentada, quebradiça, nodosa, de odor desagradável. As ramas, redondas, aos pares, uma em frente da outra, estão cheias de uma polpa espessa e branca.

Os frutos são bagas de cor negra, violeta, redondas; contêm suco negro violeta ou vermelho, duas ou três sementes ovais e pardas.

Os cimos cortam-se à tesoura e colocam-se em cestos, estendendo-se depois numa só camada, no chão de um desvão ventilado e sombrio para secarem. Isto não se deve fazer muito devagar, se se quiser evitar o descolorido, sempre indesejável. Depois de bem secas, as flores apresentam um tom de marfim e desprendem um forte aroma. Separam-se então dos talos. Deve-se guardar as flores em recipientes isolados do ar, porque absorvem com facilidade a umidade e apodrecem.

Cortam-se todos os cimos com as bagas maduras, à tesoura, e separam-se as bagas em casa com um garfo. Se não se consumirem frescas, deixá-las secar, durante alguns dias, numa única camada expondo-as depois ao calor artificial (mas não a um forno muito quente).

As bagas secas guardam-se em saquinhos dependurados ao ar ou em latas fechadas.

Colhem-se as folhinhas dos talos, evitando toda a pressão. Estendem-se numa única camada para secar, num lugar bem ventilado. Guardam-se em saquinhos.

Deve-se colher só o que for necessário para o consumo.

Composição

Nas folhas, encontra-se na proporção de até 0, 1 % o glicósido samburigina-amigdalina (e emulsina), o qual dá lugar a glicose, óleo de amêndoas amargas (benzaldeído) e ácido cianídrico (HCN). As flores têm, além disso, pequenas quantidades de amigdalina, saponinas, um óleo essencial e éter. Na casca encontra-se uma resina de efeito drástico e nas bagas pretas tirosinas com abundância de vitaminas A, D e C. São mais ricas em vitaminas B do que qualquer outra variedade.

As bagas contêm, além disso, ácidos málico tartárico, valeriânico, tânico, óleo essencial, simburigrina-amigdalina, solina, resinas, hidratos de carbono, glicose e um pouco de albumina.

Usos Terapêuticos

Como planta curativa, já de há muito se sabe que o sabugueiro fomenta a formação-de urina, suor e leite, o que se deve à presença do óleo essencial. Também se recomenda para resfriamentos, rouquidão, tosse, espirros, catarros do peito e bronquial, dores dos molares,nevralgias, dores de ouvidos e de cabeça e inflamação da laringe e da garganta.

Um cozimento de folhas, raízes e cascas frescas e verdes que se encontram debaixo da casca exterior, atua energicamente na expulsão de água e melhora extraordinariamente a secreção de sucos gástricos, embora provoque facilmente, se se tomar em grandes doses, vômitos, pelo que temos de estar precavidos. Só se deve consumir uma xícara diária (com uma colher das de sopa cheia de infusão) no caso de catarro gástrico crônico, doenças de urina e hidropisia.

Pelas suas características depurativas de sangue, hematopoética, diurética e sudorífera, as bagas tornam-se valiosas e o seu xarope é próprio para fazer uma cura de limpeza do sangue. Também limpará todos os restantes órgãos. Por causa do elevado conteúdo de vitamina B, não há que ficar surpreendido com o êxito dos seus sucos nas inflamações do sistema nervoso.

As bagas secas são um remédio excelente contra a diarreia: mastigar dez bagas, três vezes por dia.

O efeito sudorífero das flores de sabugueiro fica reforçado se lhe juntarmos uma metade de flor de tília e se acrescentarmos à infusão duas colherinhas de suco de limão. Quando se deseja uma positiva transpiração, como em casos de gripe, pneumonias incipientes, bronquite, reumatismo articular febril, etc., tomar a infusão várias vezes por dia.

Usos Alimentares

Como alimento, o sabugueiro é muito apropriado para sobremesas e compotas e pode conservar-se como suco, geléia e seco.

Nome Cientifico: Sambucus nigra

Nome Popular: Sabugueiro, sabugueirinho, elder tree (Inglês)

Principais Substâncias: Vitamina P, sambunigrina, Canferol, Quercetina, ácido linoleico.

A Planta

Planta herbácea européia de 3 a 4 metros de elevação.

Tronco de casca pardacento-acinzentada, verrugosa.

Folhas opostas, compostas, imparipenadas, de 5 a 7 folíolos curtamente peciolados, oval-lanceolados, acuminados, serreados. Inflorescência em umbelas.

As flores hermafroditas, branco-amareladas estão agrupadas em cimeiras terminais.

Os frutos são drupas negras e brilhantes.

Origem

É nativa da Europa (S.ebulus L), oeste da Ásia e norte da África e disseminou-se facilmente pelo mundo todo

Partes usadas

Flores, folhas e parte interna do caule lenhoso, sempre secos anteriormente; a planta fresca pode ser tóxica.

Lendas e Mitos

Dizia-se que de sua madeira foi feita a Cruz do Calvário, e por esse motivo, acreditava-se que dava azar cortar um tronco de sabugueiro.

Características

É uma planta medicinal e ornamental, muito usada em quebra-ventos e cercas-vivas. Apresenta-se como um arbusto de brilhantes folhas ovais, que produz delicadas flores brancas muito perfumadas, e frutos escuros e redondos.

Grande arbusto cultivado em diversas regiões do Brasil, de folhas ovais e muito aromática. Flores pequenas, brancas ou amareladas, fruto globoso de cor rósea-escura, com três caroços.

O chá das flores secas do sabugueiro é utilizado contra resfriados, gripes, anginas e nas enfermidades eruptivas, como sarampo, rubéola, varíola e escarlatina, por provocarem rapidamente a transpiração. O chá das cascas, raízes e folhas é indicado para combater a retenção de urina (efeito diurético) e o reumatismo. Além disso, o chá da frutinha purifica o sangue e limpa os rins.

As propriedades do sabugueiro são admiradas desde os tempos de Hipócrates (século 5 a.C.), considerado o maior médico da antiguidade.

Características e Cultivo

Nome de vários arbustos de origem eurásica, de 2 a 6 metros, ramos lenhosos com casca pardacenta e verrucosa., reto e rijo, com flores emparipenadas, que podem ser um pouco avermelhadas ou brancas em corimbos planos, com cheiro de amêndoas amargas.

Os bagos são comestíveis, de cor negra quando maduros. Folhas verde escuras, com 5 a 7 folíolos ovais, pontiagudos e de margens serrilhadas.Própria de clima temperado. Terras férteis, um pouco argilosas, úmidas sem encharcar, vai bem em beiras de córregos. Podar no inverno.Propaga melhor de outubro a novembro.

Propriedades

Medicinal Princípios ativos: Tanino, alcalóides ( sambucina), flavonoides, glicosídios e sais minerais (potássio).Diurético, combate gripes, tosses e bronquite.Recomendada para reumatismo, artrite, gota e dor da ciática. Bom laxante intestinal. Muito usado pela população no Brasil para combater catapora, sarampo e escarlatina. Medula deste arbusto é aproveitada na técnica microscópica e em experiências de física eletrostática.

Infuso: 10 gramas de erva jogando por cima 100 ml de água fervida. Deixar descansar tampado 10 minutos. Tomar 3 vezes ao dia.
Banho de imersão (uso externo):
Dobrar a quantidade de erva do procedimento anterior, e misturar na água de banho.

Em casos de otite e otalgias, e também sinusites, recomendada a inalação de vapores da infusão de sabugueiro.

Cosmética

A infusão de sabugueiro é usada para clarear e amaciar a pele, em cremes contra rugas, loções tônicas e loções para os olhos.

Receita creme de proteção para trabalhos pesados:

4 colheres de sopa de vaselina e dois punhados de flores frescas de sabugueiro. Derreter a vaselina em fogo brando e juntar-lhe as flores de sabugeiro.

Deixar macerar durante 45 minutos, derretendo a vaselina sempre que esta se solidificar.. Aquecer e coar com uma peneira passando para um frasco com tampa de rosca. Deixar esfriar e fechar.

Utilização

Uso caseiro: Já se empregou sua madeira na confecção de instrumentos musicais.É muito usado no Brasil contra sarampo e catapora em banhos e infusos, mas não há referências experimentais ou científicas que confirmem ou excluam esse fato. Muito utilizada para arranjos de flores secas para formar buquês.
Uso culinário:
Com os frutos se faz uma bebida alcoólica e certos fabricantes usam flores para dar gosto de moscatel ao vinho comum. Bagas combinam também com preparação de maçãs, guisados, pastéis, tortas e xaropes.Aromatizador de compotas de frutas, saladas, pudins gelatinosos.
Uso mágico:
Acreditava-se que mantinha as bruxas a distância.

Efeitos colaterais

O sabugueiro só deve ser usado seco, pois a erva fresca pode ser tóxica.

SabugueiroSabugueiro

SabugueiroSabugueiro

Descrição

Da família das Caprifoliáceas, arbusto ou árvore vivaz que chega a alcançar de 1 a 1,5 metros de altura, verrugosa e com medula branca esponjosa. Cada folha apresenta de 5 a 7 folíolos, oposta, ímpares, terminando com um maior e mais comprido que os laterias. São pecioladas, em forma de lança, com a base arredondada, o ápice pontiagudo, de bordas desigualmente dentadas. Apresenta nervuras bem salientes na parte inferior.

Quando esmagadas possuem um odor intenso e desagradável. Floresce em buques,, formando por pequenas flores, que partem de diferentes alturas do caule e atingem o mesmo nível na parte superior, de cor branca ou rosada, de sabor mucilaginosos e fracamente amargo e com odor semelhante ao de amêndoa amargas.

O fruto é uma baga de cor escura, matizada de púrpura, com polpa vermelho-escuro , envolvendo de 3 a 5 sementes.

O plantio é feito por estacas de galhos ou por sementes, em solo fértil e clima temperado quente.

A entrecasca deve ser coletada antes que a planta retorne ao novo estado vegetativo e as flores são colhidas quando de seu florescimento, na estação fria, de preferência, no dia comemorativo de São João ou na véspera, à noite, desse dia. Também pode ser colhida entre os dias comemorativos de São João e de São Pedro. O fruto é retirado quando do seu amadurecimento.

Origem

Europa, Ásia e África no Norte.

Modo de conservar

As entrecascas ou cascas medianas do caule e as flores sem os pendúcolos são secas à sombra, em local ventilado e sem umidade. Armazenar em separado, em sacos de papel ou de pano ao abrigo da luz solar.

Plantio

Multiplicação: Por sementes ou estaquia da raiz ou galho
Cultivo:
Não exige clima e sim solos secos, profundos e fofos. Plantio deve ser em covas adubadas com húmus. Planta-se de preferência na primavera
Colheita:
Cascas, raízes, flores, folhas e frutos.

Propriedades

Sudoríficas, diuréticas, depurativas, antiinflamatórias, tonificante e laxante.

Indicações

Utilizado em resfriados e gripes para provocar sudação abundante e uma ação depurativa e descongestionante. É muito utilizada em casos de sarampo, rubéola e escarlatina. Combate também afecções da garganta e conjuntivites.

Princípios Ativos: Glicosídeos, flavonoides e ácidos orgânicos.

Modo de usar: 10 gramas ou 3 xícaras de café de flores secas por litro de água. Tomar 1 xícara de chá 3 a 4 veze ao dia. Compressa -a plicar a mesma infusão sobre a pele irritada várias vezes ao dia, para queimaduras.

Toxicologia: Não comer grandes quantidades de bagas (frutos) de sabugueiro, pois podem provocar náuseas e intolerância digestiva.

Partes Utilizadas

Frutos, flores e entrecasca do tronco e ramos.

Diurético; reumatismo; artrite e gora; nefrite; cálculos renais: coloque 1 colher de chá de entrecascas picadas em 1 xícara de chá de água em fervura. Deixe ferver por 5 minutos. Desligue o fogo, abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara d, de 3 a 4 vezes o dia, sendo a última dose antes das 17:00 horas.

Dermatoses, erisipela, erupções cutâneas, pruridos, eczemas e reações alérgicas: coloque 2 colheres de sopa de flores picadas em 1 litro de água em fervura.

Deixe ferver por 5 minutos, coe e espere amornar. Aplique na parte afetada, com uma gaze ou pano, em forma de compressas.

Febres; analgésicos para as dores em geral; estimulante da sudorese; sarampo; catapora; varicela: em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de sobremesa de flores picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe e espere amornar. Tome 1 xícara de chá, de 1 a 2 vezes ao dia, ainda morno, ficando em repouso.

Queimaduras que não provocam bolhas e que provocam bolhas: em um pilão, coloque 1 colher de chá de entrecascas picadas e adicione 1 xícara de café de óleo de cozinha. A Masse bem e leve ao fogo, em banho maria, por 3 horas ou deixe em local bem ensolarado. Coe em uma peneira. Aplique nos locais afetados, com um chumaço de algodão ou gaze, de 2 a 3 vezes ao dia.

Nome popular: Sabugueiro.

Coloração: branca.

SabugueiroSabugueiro

Esta essência é para o medo. Medo do descontrole sobre as atividades do corpo físico, como no caso de tremores, tiques nervosos, enurese noturna, pesadelo, gagueira e roer unhas.

Útil nos casos de estados obsessivos, na agressividade verbal e física, na agitação corporal e sempre que houver desorganização nas atividades do corpo físico.

A essência Sambucus ajuda a pessoa a recuperar o controle sobre as atividades do corpo e a enfrentar o medo de falhar e perder o controle.

Fonte: www.geocities.com/www.professorberti.hpg.ig.com.br/www.plantasquecuram.com.br/www.rsmo.hpg.ig.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Antocianinas

PUBLICIDADE Definição As antocianinas são fitoquímicos solúveis em água com uma cor vermelha a azul …

Glúten

Glúten

PUBLICIDADE Definição Glúten é o nome dado às proteínas encontradas em certos grãos de cereais: principalmente …

Painço

Painço

PUBLICIDADE Nos últimos anos, houve uma revolução alimentar saudável. Especialmente, com o aumento da consciência de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *