Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cabeludinha  Voltar

Cabeludinha

 

Cabeludinha
Cabeludinha

Cabeludinha
Cabeludinha

Nome científico: Myrciaria glazioviana (sinonímia: Eugenia cabelludo variedade glazioviana, Plinia glomerata, Paramyrciaria glazioviana)

Família: Mirtáceas

Nome comum: Cabeludinha

Origem

Brasil (nativa dos estados do Rio de Janeiro, sul de Minas Gerais e de São Paulo)

Descrição e característica da planta

Arbusto perene de 2 a 4 metros de altura, nas partes novas nota-se a presença de pêlos brancos (penugem), forma uma copa bonita e compacta.

As folhas são verdes, coriáceas, alongadas com 6 a 11 centímetros de comprimento, formadas dois a dois e opostas nos ramos, a nervura principal é saliente na face inferior e as margens do limbo recurvadas para baixo.

O pecíolo (haste liga o limbo foliar ao caule) é curto.

As flores são brancas, pequenas, hermafroditas (têm os dois sexos na mesma flor), autoférteis, formadas em grande quantidade, em gluméluras e axilares (região da inserção da folha no ramo).

O florescimento ocorre no período de maio a junho.

Os frutos maduros são globosos, casca grossa, cor amarela-canário, a polpa é translúcida, suculenta, doce e levemente ácida (adstringente). Em cada fruto contem 1 a 2 sementes grandes.

As condições favoráveis ao bom desenvolvimento e frutificação são: clima ameno a quente, solos férteis ricos em matéria orgânica e boa disponibilidade de água durante o ano. A propagação é feita por sementes e pode ser feita por enxertia.

Existem materiais mais produtivos que outros, bem como no tamanho e no sabor dos frutos.

Produção e produtividade

O início da frutificação ocorre 2 a 4 anos após o plantio no local definitivo. Não existe informação sobre a produtividade, pois a planta é pouca conhecida pelo grande público e não muito difundida no meio rural.

Utilidade

O fruto é comestível ao natural, apresenta um sabor agradável, levemente ácido e muito rico principalmente em vitamina C. Pode ser usado no preparo de sucos e geléias.

A planta, pela sua bela arquitetura, pode ser usada nos trabalhos de paisagismo de praças, jardins e na recuperação da vegetação de áreas degradadas.

Fonte: globoruraltv.globo.com

Cabeludinha

CABELUDINHA - (Myrciaria glazioviana)

Outros nomes comuns: Cabeluda.

Fruta pequena, do tamanho de uma cereja, com casca amarela quando madura, levemente aveludada, contendo 1 ou 2 sementes grandes. A polpa é sumarenta, adocicada, levemente ácida, como um delicioso licor sem alcóol e com alto teor de vitamina C.

Características Gerais

Árvore com cerca de 8 m de altura.

Ramos eretos, glabros, escuros e flexíveis.

Partes jovens da planta recobertas por pêlos brancos.

Folhas opostas, na cor verde-escura, pecíolos curtos, elípticas e agudas nas duas extremidades com glândulas translúcidas na folha, num único ou poucos planos de inserção, de 4 a 7 cm de comprimento, nervura da face inferior saliente.

Flores brancas, pequenas e numerosas.

Fruto baga, de forma quase globosa, coroado por uma cicatriz de restos da flor, casca grossa, na cor amarelo-canário, pubescente, possui uma ou duas sementes grandes, polpa suculenta e sementes com sabor adstringente.

O que é

Arbusto perene de 2 a 4 m de altura com copa frondosa e compacta. Suas folhas são verdes, coriáceas, alongadas com 6 a 11 cm de comprimento, formadas dois a dois e opostas nos ramos, a nervura principal é saliente na face inferior e as margens do limbo recurvadas para baixo. O pecíolo é curto e as flores são brancas, pequenas, hermafroditas, autoférteis, formadas em grande quantidade, em gluméluras e axilares. Os frutos maduros são globosos, casca grossa, cor amarela-canário, a polpa é translúcida, suculenta, doce e levemente ácida (adstringente). Em cada fruto contem 1 a 2 sementes grandes.

OBSERVAÇÕES ECOLÓGICAS E OCORRÊNCIA

Espécie nativa do Brasil, árvore originária do estado do Rio de Janeiro, São Paulo e parte do sul de Minas Gerais. Em Santa Catarina ocorre apenas em cultivo.

USOS MAIS FREQUENTES

Seus frutos tem sabor agradável, levemente ácido, ricos em vitamina e normalmente são consumidos ao natural.

Também é utilizada como planta ornamental, graças as suas densas ramificações, elegante copa e folagem verde-escura.

Cabeludinha
Cabeludinha

Cabeludinha
Cabeludinha

Cabeludinha
Cabeludinha

Cabeludinha
Cabeludinha

Fonte: www.paty.posto7.com.br

Cabeludinha

Cabeludinha
Cabeludinha

NOMENCLATURA E SIGNIFICADO: GUAPIRIJUBA vem do Tupi, e significa “Fruta amarela de casca amarga e felpuda”.

Também é chamada de Cabeludinha, Café cabeludo, Fruta cabeluda, Jabuticaba amarela, Peludinha e Vassourinha da praia.

Origem

Nativa das serras litorâneas e restingas presentes nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e parte do estado de Minas Gerais. Brasil.

Características

Arvoreta ramificada de 2 a 4 m de altura, com caule dividido em vários galhos desde a base, do qual surgem ramos que são declinados e bifurcados. O tronco atinge pequenas dimensões, medindo de 5 cm a no máximo 10 cm de diâmetro e é coberto por uma casca fissurada (com rugas) no sentido longitudinal, com coloração marrom enegrecida. As folhas são simples, opostas, inseridas num mesmo plano sob pecíolo (haste ou suporte) curto, denso e bruneo-viloso (coberto de pelos longos e escuros), medindo de 3 a 5 mm de comprimento. A lamina foliar é elíptica (alongada), cartácea (com textura de cartolina), com base obtusa (arredondada) ou truncada (reta, cortada) e ápice longamente agudo ou pontudo, medindo de 6 a 12 cm de comprimento por 2 a 3,6 cm de largura. As flores surgem nas axilas das folhas ou nos ramos desnudados (sem folhas) sob a copa, são sésseis (desprovidas de cabinho) e pauciglomeradas (aglomeradas no caule) em numero de 3 a 15 flores. Contém cálice (invólucro externo) é formado por alabastros (um vaso de elevação) de 4 a 6 mm de altura e 4 lobos esverdeados triangulares de 2 a 3 mm de comprimento, dispostos em cruz e que fazem a vez das sépalas. A corola (invólucro interno) é formado por 5 pétalas cremes, arredondadas, côncavas de 4 a 5 mm de comprimento, as quais caem 2 dias depois a antese da flor. O fruto é uma baga globosa de 1,4 a 1,7 cm de altura por 2 a 2,3 cm de largura, que é levemente achatada nos pólos, albo pubescente (com pelos esbranquiçados) quando verde e tomentosas (coberta de lanugem) quando madura. Nessa época, a casca (tem espessura de 1,3 mm) adquire coloração amarela intensa, e recobre uma polpa translúcida e sucosa de agradável sabor, as quais envolvem 1 ou 2 ou raramente 3 sementes de coloração creme.

Dicas para cultivo

Planta de crescimento rápido que aprecia qualquer tipo de solos com boa fertilidade natural e rápida drenagem. Aprecia clima tropical úmido a subtropical úmido nos morros ou climas temperados sempre chuvoso; com temperatura media de 8,2 a 25,5 graus, com variações grandes que podem chegar a máxima de 38 graus no verão e mínimas de até – 4 graus com cerca de 3 a 7 geadas que a planta resiste muito bem. Quanto às chuvas o índice pluviômetro anual varia de 1.200 a 2.700 mm anuais. Pode ser cultivada desde o nível do mar até 1.350 m de altitude; tanto na beira de rios em locais sombreados onde podem ocorrer inundações, onde a planta resiste até 20 dias submersa ou em locais pedregosos e secos. O pH ideal da terra deve estar entre 5,0 a 6,5, e boas safras ocorrem quando a umidade do ar está em torno de 70% e é constante.

Mudas

As sementes são redondas, recalcitrantes (perdem o poder germinativo se forem secadas) e devem ser plantadas em no máximo 20 dias depois de colhidas.

Pode-se plantar em sementeira com substrato composto de: 1 parte de areia, 2 partes de terra vermelha e 1 parte de esterco bem curtido. A germinação ocorre em 25 a 47 dias e o crescimento das mudas é rápido tanto na sombra como em pleno sol. O transplante da sementeira é feito quando as plântulas atingem 10 cm de altura, ocasião em que devem ficar em local sombreado por cerca de 1 mês, sendo irrigadas generosamente. A planta inicia a frutificação com 3 a 4 anos ou até com 2 anos quando cultivada em vasos com 30 cm de largura e 40 cm de altura contendo o mesmo substrato indicado acima.

Plantando

Recomendo que seja plantada a pleno sol num espaçamento 5 x 5 ou na sombra, onde produz maiores e mais saborosos frutos, com espaçamento de 4 x 4 m em covas abertas com no mínimo 2 meses antes do plantio, estas devem ter 50 cm nas 3 dimensões e convém misturar 30% de areia saibro + 7 pás de matéria orgânica aos 30 cm de terra da superfície da cova; misturando junto + 500 g de calcário e 1 kg de cinzas de madeira. A melhor época de plantio é outubro a novembro, convém irrigar 10 l de água após o plantio e a cada 15 dias se não chover.

Cultivando

A planta cresce rápido e não necessita de cuidados especiais, apenas deve-se cobrir a superfície com capim cortado e eliminar qualquer erva daninha que possa sufocar a planta. Deve-se fazer podas no fim do inverno para fazer a formação da planta eliminando ramos e brotos da base e todo o excesso de ramos que nascerem voltados para o interior da copa. Adubar com 4 kg de composto orgânico feito de esterco de galinha curtido e 30 gramas de NPK 10-10-10.

Distribuir os nutrientes à 5 cm superficialmente a 20 cm do caule no inicio do mês de outubro.

Usos

Frutifica nos meses de outubro a dezembro. Os frutos são deliciosos para serem consumidos in-natura e podem aproveitados para fazer sucos, doces e sorvetes.

A árvore é ornamental, as flores são melíferas e é uma espécie ideal para arborização urbana de ruas, praças e parques.

Fonte: www.colecionandofrutas.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal