Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Carambola  Voltar

Carambola

Carambola

A carambola, fruto da caramboleira, é uma árvore ornamental de pequeno porte, de flôres brancas e purpúreas, largamente usada como planta de arborização de jardins e quintais. Originária da Índia, e muito conhecida na China, foi introduzida no Brasil em 1817. Plantada em quase todo o território nacional, começa a produzir frutos em torno de 4 anos de existência, dando em média 200 frutos, podendo durar de 50 a 70 anos.

De sabor agridoce, cor variando do verde ao amarelo, dependendo do grau de maturação, rica em sais minerais (cálcio, fósforo e ferro) e contendo vitaminas A , C e do complexo B, a carambola é considerada uma fruta

febrífuga (que serve para combater a febre), antiescorbútica (que serve para curar a doença escorbuto - carência de vitamina C, e que se caracteriza pela tendência a hemorragias) e, devido a grande quantidade de ácido oxálico, estimulador do apetite, sendo ainda usada pela medicina popular no tratamento de afecções renais. Seu suco, além de possuir um delicioso sabor, é usado para tirar manchas de ferro, de tintas e ainda limpar metais. Sua casca, por possuir alto teor de tanino, cujo poder adstringente pode prender o intestino, é utilizada como antidesintérico.

Embora considerada uma fruta de quintal, pois seu cultivo não é feito em escala, sendo produzida apenas em sítios, quintais, granjas e pomares de fazendas, a carambola está sempre presente na mesa do pernambucano.

Carambola

Embora considerada uma fruta de quintal, pois seu cultivo não é feito em escala, sendo produzida apenas em sítios, quintais, granjas e pomares de fazendas, a carambola está sempre presente na mesa do pernambucano.

Pode ser consumida ao natural ou no preparo de geléias, caldas, sucos e compotas. Cortada em fatias e deixada no fogo brando com açúcar, fica quase da mesma consistência e sabor do doce de ameixa-preta. Na Índia e na China são bastante consumidas como sobremesa, assim como as flôres e os frutos verdes, que são utilizados nas saladas.

CURIOSIDADES

A carambola tem uma forma curiosa, de gomos achatados, que, quando cortados no sentido transversal, têm o aspecto de uma estrela.

Fonte: www.geocities.com

Carambola

Carambola

Aspectos Gerais

A caramboleira - Averrhoa carambola L., Dicotyledoneae, Oxalidaceae - é planta originária da Ásia Tropical (oeste da Malásia), encontrada na região tropical de ambos hemisférios; foi introduzida no Brasil pelo agronomo francês Paul Germain (Pernambuco, 1817) e é cultivada em todo país menos em regiões frias ou sujeitas à geadas.

É árvore pequena, de ordinário com 3 a 5m. de altura, mas pode alcançar 8 a 9m., tem copa piramidal (jovem) e arredondada (adulta), folhas alternas com 2 a 5 folíolos, flores pequenas purpurinas ou amareladas dispostas em racimos.

O fruto é uma baga oblongo-oval, de colorido amarelo-claro, verde ou vermelho com 7 a 12cm. de comprimento, cinco gomos salientes; a polpa é abundante, sucosa e agridoce; cada lóculo pode conter 2-3 sementes pequenas, chatas, oblongas, marrons e pouco viáveis.

Existem tipos de caramboleira que produzem frutos ácidos e outros que produzem frutos doces.

Tipos há cujos frutos maduros tem cor verde, outros tem frutos maduros amarelo-claro e tipos com frutos maduros cor vermelha.

Usos da Caramboleira

A árvore é decorativa, ornamental; as folhas integram a farmacopeia indiana e as flores, ao natural, são aproveitadas em saladas.

O fruto

A carambola - comestível quando maduro, é consumido fresco ou sob forma de compotas, geléias, vinhos, passa, doces; o suco da polpa é refrigerante saudável e tem uso medicinal no tratamento de febres, escoburto e desinteria.

O sumo do fruto - rico em acído oxálico - serve para tirar manchas de tintas, de ferrugem, e para limpar metais. Ainda o fruto é fonte de vitaminas A e C.

É comum em pomares e chácaras.

Composição por 100g. de polpa

29 calorias

30mg. de cálcio

11mg. de fósforo

2,9mg. de ferro

30mmg. Vit. A

0,04mg. Vit B1

0,02mg

35mg. de Vit. C.

Necessidades da Planta

A caramboleira é fruteira de zona tropical, clima quente e úmido, não suporta frio e geadas. Requer temperatura média anual de 25ºC e chuvas acima de 1.000mm. anuais bem distribuídos, boa luminosidade (pelo menos 2.000 horas/luz/ano) e umidade relativa do ar em torno de 80%.

Embora medre em solos desde arenosos a argilosos a planta prefere solos areno-argilosos profundos, bem drenados, em terrenos planos a ligeiramente ondulados, não sujeitos a encharcamento e pH entre 6,0 e 6,5.

Propagação/Formação de Mudas

A propagação da caramboleira dá-se por sementes ou por enxertia ou alporquia.

Via sementes

As sementes devem ser sadias, vigorosas, de frutos isentos de doenças/pragas e provenientes de plantas precoces, produtivas e sadias.

O semeio é feito em canteiro (feito de barro e esterco curtido) onde as sementes são lançadas em sulcos paralelos espacejados de 10cm. ou em sacos de polietileno, com dimensões 18cm. x 30cm. e cheios com mistura 1:2:1 (barro:esterco:areia lavada) onde adiciona-se 2,5Kg. de superfosfato simples e 1Kg. de cloreto de potássio por m3 de mistura. Lança-se 3 a 5 sementes (1-2cm. de profundidade) por saco.

Quando mudinhas tiverem 5cm. de altura desbasta-se para uma, a mais vigorosa; 7 a 11 meses pós semeio, muda com 25cm. de altura estará apta ao plantio em local definitivo.

Via enxertia: os porta-enxertos (obtidos de sementes) devem ter o caule com 1cm. de diâmetro (0,6cm. a 1,3cm.), estarem em sacolas sob ripado; o método garfagem lateral embutida exige garfos retirados de ramos maduros também com 1cm. de diâmetro.

Plantio

Espaçamento para plantio varia de 4m. x 4m. a 6m. x 6m.; o plantio, em formato quadrangular, possue densidade de 625 a 277 plantas por hectare.

Covas devem ter dimensões mínimas de 40cm. x 40cm. x 40cm.; na sua abertura separar a terra dos primeiros 15cm. de altura; devem ser abertas 30 dias antes do plantio.

A adubação de fundação é feita colocando-se 300 gramas de calcário dolomítico e 20l. de esterco de curral bem curtido no fundo da cova (na sua abertura) cobrindo-se com um pouco de terra.

Um pouco antes do plantio misturar 300g. de superfosfato simples e 100g. de cloreto de potássio à terra separada e lançar na cova.

Efetuar o plantio no início da estação chuvosa e em horas frescas do dia; retirar o saco, plantar e irrigar a cova com 15 litros de água.

Tratos Culturais

Em caso de falta de chuvas irrigar a cova, semanalmente, com 20 litros de água por 4 a 6 semanas.

Evitar concorrencia de ervas daninhas com capinas e roçagens. Manter "coroamento" em torno da muda.

Podar ramos em número excessivo (dentro da copa), ramos secos e doentes, ao longo da vida da planta.

Adubação em cobertura: por planta/por vez/incorporada ao solo.

1º ano: 55g. de ureia e 35g. de cloreto de potássio no pegamento e final da estação chuvosa.

2º ano: 65g. de ureia, 220g. de superfosfato simples e 50g. de cloreto de potássio no início e final das chuvas.

3º ano (diante): 120g. de ureia, 300g. de superfosfato simples e 70g. de cloreto de potássio no início e fim da estação chuvosa.

OBS: no início da estação chuvosa pode-se aplicar 15l. de esterco (2º ano) e 20l. de esterco (3ºano) por cova, sob copa.

Manter mosca-das-frutas sob controle com pulverizações em cobertura total com fentiom 50 (Lebaycid - 100ml./100l. de água) ou com iscas tóxicas com insetícidas à base de malatiom (Malatol) ou triclorfom (Dipterex).

Colheita/Rendimento

Plantas oriundas de sementes iniciam frutificação a partir do 3º ano e enxertadas 2º ano. No 5º ou 6º ano a frutificação entra em escala comercial e permanece por 20 anos.

A caramboleira por produzir/pé/ano de 1.000 a 2.000 frutos (45 a 120kg. de frutos).

Fonte: www.seagri.ba.gov.br

 

voltar 1234567avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal