Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Guaraná - Página 7  Voltar

Guaraná

O Guaraná é um arbusto originário da região amazônica.

Há muitas centenas de anos, foi domesticado e cultivado pelos índios, os primeiros habitantes da Amazônia.

A espécie nunca foi encontrada no estado silvestre. Acreditam os botânicos que mesmos aquelas plantas achadas em floresta densa, foram originários de um cultivo indígena no passado.

O guaraná tem sido muito propagado pela sua notável ação fisiológica. É considerado tônico nutritivo, adstringente e cardiotônico.

O guaraná comercial é produzido apenas das sementes, sendo as outras partes do fruto descartáveis.

O guaraná normalmente é comercializado em 4 diferentes formas:

GUARANÁ EM RAMA

É o grão torrado, normalmente vendido para cooperativas e industrias.

GUARANÁ EM BASTÃO

Após torrado, o grão é triturado, pilado e misturado com a água, formando uma

pasta e moldada em forma de bastão

GUARANÁ EM PÓ

O grão torrado, ao ser moído, fornece o guaraná em pó.

GUARANÁ EM XAROPE

Em forma de xarope e essências para refrigerantes e refrescos.

PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS, SEGUNDO A CULTURA POPULAR

Cansaço mental

Afrodisíaco, mantém as pessoas mais ativas sexualmente

Circulação sanguínea

arteriosclerose e isquemia

moderador de apetite

Tonico revigorante e rejuvenescedor

Fonte: www.graointegral.com.br

Guaraná

Guaraná
Paullinia cupana

Paullinia cupana H.B.K.
Paullinia Cupana, Kunth. (H. B. and K.)
Famoso guaraná cerebral, ou guaraná da amazônia.
Nome: guaraná, naranazeiro, guaranauva, guaranaina, uaraná.
Popular: guaraná da amazônia, guaraná cerebral.
Outra variedade: Cupana Sorbilis ou Paullinia Sorbilis L.
Família: sapindáceas.

O nome botânico do Guaraná, Paullinia cupana H.B.K. variedade sorbilis (Mart.) Ducke, originou-se da homenagem a C. F. Paullini, um botânico alemão que viveu no século dezoito (1712).

Cultivo: arbusto de clima tropical, quente e úmido. Planta-se a semente em viveiro e, após surgir a muda, transplanta-se para o campo. É um arbusto que mede até 12 metros de altura que enrosca-se nas árvores próximas sem prejudicá-las.

Composição: cafeína, amido, um óleo fixo, ácido cafeotânico ou guaranatânico e matérias aromáticas, resinosas e pépticas. Tanino, saponina, resina, substância gordurosa, glicose.

Na semente não há teobromina, somente na flor, nas folhas e cascas do caule da planta (Notas de Fitoterapia. Farmacêutico Raul Coimbra - 1941).

Indicações

O guaraná é uma bebida refrigerante, reconstituinte, estimulante, aumenta a resistência nos esforços mentais e musculares, diminui a fadiga motora e psíquica. Por meio da cafeína que possui, o guaraná produz maior rapidez e clareza do pensamento, retarda a fadiga, tonifica o coração, leve afrodisíaco. Provê maior vitalidade do organismo, regula o ritmo cardíaco, tônico potente.

Energético, estimulante, adstringente (que contraem os tecidos), tônica e estimulante do apetite, diurético (facilita a urinar mais), anti-diarreico (contra diarréia) e antidesintérico (Disenteria - evacuações freqüentes com fezes, diarréia, com catarro e por vezes com sangue, que se verificam em doenças do tubo digestivo, provocado por bacilos).

Paullinia cupana

Tônico (excita a atividade orgânica), refrescante, estomáquico (bom para o estômago) e estimulante com prodigioso efeito nas astenias (debilidade geral do corpo; fraqueza), atonias, anorexia (ausência de apetite) e distúrbios gastrintestinais (dispepsias, prisão de ventre, diarréia e flatulência).

Ativa as funções cerebrais e como preventivo e no combate a arteriosclerose (degeneração e endurecimento das artérias, produzindo distúrbios circulatórios e alterações nos órgãos, com enfraquecimento das artérias cerebrais e decadência psíquica), as nevralgias (sintoma caracterizado por dor viva no trajeto de um nervo e suas ramificações, sem alteração aparente da parte dolorida), detém as hemorragias (derramamento de sangue para fora dos vasos que o devem conter) e atua como calmante para o coração.

Devido suas propriedades adstringentes, usa-se o guaraná nas diarréias, disenterias e hemorragias. Também contra a dispepsia (dificuldade em digerir). Aplicação como tônico e calmante para o coração.

Pela sua cafeína, o guaraná é um estimulante, tendendo a facilitar o esforço mental e muscular, diminuindo a fadiga motora e psíquica, dando a sensação de conforto e bem-estar.

As substâncias do guaraná (cafeína) agem por intermédio do sistema nervoso, diminuindo a sensação de fome, e, reforçando a excitação tônica, que regula a combustão das substâncias nutritivas, provocam a utilização das reservas que favorecem o trabalho muscular. Assim não deve ser indicado quando as reservas estiverem exaustas.

Em doses moderadas a cafeína (0,3 gr) produz maior rapidez e clareza do pensamento, desaparecimento da fadiga, maior capacidade de esforço intelectual, mais eficaz apreciação das impressões sensoriais e mais perfeita associação de idéias. Ainda pela cafeína, o guaraná tem efeito diurético e tonicardíaco e ação antinevrálgica utilizada no tratamento de mialgias, cafaléias (? - ou cefaléias) e é particularmente eficaz na enxaqueca.

O guaraná é ainda usado como tônico e adstringente, pelo seu tanino, nas disenterias e diarréias. (Notas de Fitoterapia. Farmacêutico Raul Coimbra - 1941).

Indicado: para depressão nervosa, esgotamento, enxaqueca, perturbações gastrintestinais, como gases, fermentações anormais e diarréia, além de favorecer a atividade intelectual. Usado também como protetor solar.

Contra-indicação: Pessoas com úlcera péptica ativa e hipertensão.

Efeitos colaterais: irritações gástricas, diarréia, hipertensão e ulcera em pessoas predispostas. As metil-xantinas, grupo principal do Guaraná, pela estimulação direta do músculo cardíaco, pode causar taquicardia, pode ainda causar distúrbios sensoriais como zumbidos. Certas palpitações cardíacas também foram observadas. 

A semente do guaraná sem a casca protetora. Efeitos diferenciais entre a semente e a casca, não encontrei relatos. A foto ilustra um saquinho com 100gr.Comprar em mercado público é mais barato.

Pode-se mastigar (não aconselho pois a semente é extremamente dura - só para quem gosta de ficar remoendo; fiz isso uma vez na sala de aula, passei uma manhã remoendo semente) as sementes ou misturar com outras bebidas o pó da semente de guaraná. Alguns relatos indicam sonolência - prossiga mais alguns dias ou procure um médico para analisar as reações.

Duas doses (cuidado com dose excessiva) são suficientes num dia em intervalos do tipo início da manhã e início da tarde (se tomar à noite com certeza não vai dormir) a terceira dose para quem pretende estudar pode causar efeito contrário (sono). Quem nunca tomou comece com uma vez ao dia e meia colher de cafezinho pela manhã.

Opinião: pessoalmente faço uso do guaraná a anos (desde 1995) e a única reação foi sentida nos primeiros dias em que parei de tomar; onde o organismo sentiu a falta da energia do guaraná e deu uma certa dor de cabeça, mas que passa em um ou dois dias, fora isso nada mais.

A questão do vício varia da força de vontade de cada um em parar quando achar que deva, eu não paro porque a força, o vigor e a saúde provindos do guaraná compensam qualquer provável malefício; ou, a não ser que um médico receite a suspensão por algum motivo grave. Se não tiver efeitos contra a sonolência pelo menos tem sobre outras doenças além de ser um alimento com enormes benefícios para a saúde.

O vício: seu vício deveria ser comparado ao do chimarrão, ou do café, ou da água talvez. Acredito que o organismo vai avisar quando chegar a hora de parar; assim como o excesso de feijão gera desconforto o do guaraná tem outros efeitos. Não sei se é vício ou então o fato de deixar de usar o guaraná e perder toda aquela força que ele dava, mais vontade, maior aproveitamento do tempo, do trabalho é que evite o abandodo do guaraná. Até que se prove que é um alimento que vicia mais para o mal do que para o bem vou continuar a ser seu fã.

Excessos: também o fato de usar em excesso (uma colher de sopa, 3 colheres de café, etc), causam problemas como irritação nos olhos, pressão nos olhos, nervosismo, falta de sono, impaciência e agitação, ou mesmo sonolência, dor de cabeça, etc. (Jacques Serafini). Me disse ele: "Eu não consegui dormir esta noite!"; porque havia tomado o guaraná pela primeira vez e no horário impróprio.

O Uso: Se for contra indicado favor oriente-se com um médico. Se nunca tomou e não há contra-indicação sugiro meia colherinha de café (não uma colher de sopa como alguns costumam tomar; superdose nem para o maior dos esforços - você pode não aguentar a pressão nos olhos ou a imensa dor de cabeça que pode ser desencadeada).

Horário de uso: de manhã cedo 15 minutos após o café ou antes do café 10 minutos o efeito para mim é melhor, a preguiça do "acordar cedo" vai embora.

Guaraná

Use um misturador (pode ser um vidro de conserva de pepino que lacre a tampa porque a mistura fica mais espumosa quando bem batido), misture somente com mel ou açúcar mascavo (a gosto). Após um período de uso, verificar a não ocorrência de efeitos indesejáveis, e pode aumentar a dose depois de uma semana para até uma colherinha. Indicado até duas colherinhas por dia manhã e meio da tarde. Nunca tome três doses pois o efeito é nervosismo excessivo, falta de sono ou provocar sonolência (efeito contrário).

Se vai tomar o guaraná com intuito de estudar favor cuidar do sono diário (mínimo 6 horas para o organismo se recurar e repor a memória - menos de 6, pode ocorrer falta de memória, fraqueza, esgotamento, falta de atenção e dedução, agravamento de doenças entre elas o stresse e você nem nota isso tudo; o médico é quem vai lhe dizer) - guaraná não faz milagre; e cuide da alimentação, com corpo fraco o guaraná não tem de onde tirar a energia. "Não é o guaraná que dá; ele pega de você mesmo".

Por causa da cafeína, o guaraná possui propriedades que ativam a circulação, provocando a dilatação em algumas artérias e contrações em outras, motivo pelo qual é excelente no tratamento de enxaquecas e também evitando as câimbras, mal de quem tem problema de circulação. Talvez por essa qualidade seja mencionado como o medicamento que evita a arteriosclerose dando assim uma vitalidade maior ao cérebro, tornando a velhice mais saudável e proporcionando ao idoso a possibilidade de ser auto-suficiente.

Indicado: para fraqueza geral do organismo, esgotamento, depressão nervosa, prevenindo e curando perturbações gastro-intestinais, como dispepsias, flatulências, fermentações anormais, diarréias, gazes, prisão de ventre.

Estimulante das funções cerebrais, favorecendo a atividade intelectual e restaurador do vigor no organismo. Tem ação benéfica sobre o estômago e intestino, e livra o organismo das toxinas e das fermentações.

Se tomado após as refeições a sonolência desaparece devido seu efeito sobre o aparelho digestivo. É considerado excelente tônico vitalizante. Alguns dizem que se deva tomar o guaraná antes das refeições; testei após e constatei realmente que a sonolência desaparece e, o efeito é maior se tomado após as refeições; o que não acontece quando ingerido antes das refeições.

O guaraná tem sido muito propagado pela sua notável ação fisiológica. É considerado tônico nutritivo, adstringente e cardiotônico. Em 1973 a Dra Aslan (http://www.aslan.de/), famosa geriátra de Bruxelas, declarou em visita que fez ao Brasil que tínhamos o melhor elemento geriátrico rejuvenescedor - o guaraná, uma valiosa contribuição da Floresta Amazônica ao bem estar da humanidade.

Pessoas que tem problemas de obesidade, encontram no guaraná, um especial apoio, certos de que consumirão um produto 100% natural. Atualmente toma-se guaraná para eliminar as gorduras do rosto, espinhas e para evitar prisão de ventre e fermentação intestinal, fraqueza geral, esgotamento, astenia, depressão nervosa, fastio e para estimular as funções cerebrais.

É um produto indispensável a todas as pessoas e aos desportistas e ginastas, pois é renovador das energias físicas e mentais. Se você está desanimado nada melhor que o guaraná para animar e despertar, aumentando sua vontade interior.

Estimula: Centro respiratório, centro do nervo vago, fibra cardíaca, efeito músculo-trópico (vasodilatação). Ótimo para circulação sangüínea (coração), combate à arteriosclerose e a isquemia, em diarréia de crianças (guaraná com gotas de limão), para enxaquecas e dores de cabeça em geral, redução da ressaca da ingestão de bebidas alcoólicas, para doenças de senhoras (útero, ovário, trompas), regula o funcionamento destes órgãos e reduz as cólicas menstruais, moderador de apetite sem atrapalhar as principais refeições do dia, podendo ser utilizados nos regimes para emagrecimento, auxiliar no tratamento de hemorróidas, recompõe as células da pele facial, é diurético, tônico revigorante e rejuvenescedor.

Teofilina e a Teobromina

A Teobromina é uma substância que tem efeito vasodilatadora, usada também para a fabricação de anestésicos, e a Teofilina é broncodilatorada e auxiliar da digestão. Estimulam a produção de proteínas, retarda o envelhecimento, mantendo as artérias limpas de colesterol, permitindo a irrigação sanguínea em todo o corpo, principalmente no cérebro, inibindo também a produção da enzimamonoaminoxidase, que causa depressão e antecipa a senilidade.

A cafeína no guaraná não produz efeitos colaterais como cafeína sintética. Quanto à eficiência do efeito daquelas substancias nos músculos lisos, há o relaxamento dos brônquios, auxiliando no tratamento da asma, enquanto que nos rins apresentam ação diurética. No sistema nervoso a cafeína do guaraná age no tratamento das dores de cabeça e em caso de envenenamento por sedativos que atuam no nervo central

Em conjunto, as bases de composição química do guaraná atuam sobre o sistema nervoso central, o sistema cardiovascular, os músculos lisos e os rins. Sobre o coração, por exemplo, age estimulando a força de contração e aumentando os batimentos cardíacos.

Scavone, Panizza e Cristodoulov, pesquisadores do Instituto de Botânica da USP, comprovaram que o Guaraná em pó, substitui com vantagens, o Ginseng, utilizado como estimulante psicomotor e afrodisíaco, importado a custos elevados, da Coréia e EUA.

O Guaraná age no sistema nervoso central, prevenindo a fadiga e metabolizando o ácido láctico dos músculos cansados.

Segundo Dr. Othon Machado (1946), médico, o Guaraná é: antitérmico, antineurálgico, antidiarréico, estimulante, analgésico e antigripal.

Composição: Cafeína 3,16 % (6,2% a mais do que o café); água 5,9% ; amido 46 %; ácido tânico 11,15 %; fibra vegetal 2,91 %; cálcio 104 mg; ferro 7,1 mg; fósforo 152 mg; potássio 618 mg; tiamina 0,66 mg; vitamina A 395 U.I. (Unidades Internacionais); proteína 12,40%; titânio; teofilina e teobromina; tenino.

Fonte: www.plantaservas.hpg.ig.com.br

voltar 123456789avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal