Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cara Minha Inimiga, Em Cuja Mão, 1595  Voltar

Cara minha inimiga, em cuja mão (1595)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

Cara minha inimiga, em cuja mão

pôs meus contentamentos a ventura,

faltou te a ti na terra sepultura,

porque me falte a mim consolação.

Eternamente as águas lograrão

a tua peregrina fermosura;

mas, enquanto me a mim a vida dura,

sempre viva em minh'alma te acharão.

E se meus rudos versos podem tanto

que possam prometer te longa história

daquele amor tão puro e verdadeiro,

celebrada serás sempre em meu canto;

porque enquanto no mundo houver memória,

será minha escritura teu letreiro.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal