Breaking News
Home / Obras Literárias / Julga-me a gente toda por perdido (1616)

Julga-me a gente toda por perdido (1616)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Julga-me a gente toda por perdido,

vendo-me, tão entregue a meu cuidado,

andar sempre dos homens apartado,

e dos tratos humanos esquecido.

Mas eu, que tenho o mundo conhecido,

e quase que sobre ele ando dobrado,

tenho por baixo, rústico, enganado,

quem não é com meu mal engrandecido.

Vão revolvendo a terra, o mar e o vento,

busquem riquezas, honras a outra gente,

vencendo ferro, fogo, frio e calma;

que eu só em humilde estado me contento,

de trazer esculpido eternamente

vosso fermoso gesto dentro n’alma

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.