Breaking News
Home / Obras Literárias / Na metade do Céu subido ardia (1598)

Na metade do Céu subido ardia (1598)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Na metade do Céu subido ardia

o claro, almo Pastor, quando deixavam

o verde pasto as cabras, e buscavam

a frescura suave da água fria.

Co a folha da árvore sombria,

do raio ardente as aves s’emparavam;

o módulo cantar, de que cessavam,

só nas roucas cigarras se sentia;

quando Liso pastor, num campo verde

Natércia, crua Ninfa, só buscava

com mil suspiros tristes que derrama.

Porque te vás de quem por ti se perde,

para quem pouco te ama? (suspirava).

[E] o Eco lhe responde: Pouco te ama

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Veja também

O Soldado e a Trombeta

Fábula de Esopo por Olavo Bilac PUBLICIDADE Um velho soldado Um dia por terra A …

O Credo – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Crê no Dever e na Virtude! É um combate insano e rude …

O Remédio – Olavo Bilac

PUBLICIDADE A Amelinha está doente, Chora, tem febre, delira; Em casa, está toda gente Aflita, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.