Breaking News
Home / Obras Literárias / Na metade do Céu subido ardia (1598)

Na metade do Céu subido ardia (1598)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Na metade do Céu subido ardia

o claro, almo Pastor, quando deixavam

o verde pasto as cabras, e buscavam

a frescura suave da água fria.

Co a folha da árvore sombria,

do raio ardente as aves s’emparavam;

o módulo cantar, de que cessavam,

só nas roucas cigarras se sentia;

quando Liso pastor, num campo verde

Natércia, crua Ninfa, só buscava

com mil suspiros tristes que derrama.

Porque te vás de quem por ti se perde,

para quem pouco te ama? (suspirava).

[E] o Eco lhe responde: Pouco te ama

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.