Breaking News
Home / Obras Literárias / Os gostos, que tantas dores (1598)

Os gostos, que tantas dores (1598)

Redondilhas de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Cantiga a esta cantiga alheia:
Pequenos contentamentos,
i buscar quem contenteis,
que a mim não me conheceis,

VOLTAS

Os gostos, que tantas dores

fizeram já valer menos,

não os aceita pequenas,

quem nunca teve maiores.

Bem parecem vãos favores,

pois tão tarde me quereis

qu’inda me não conheceis.

Ofereceis-me alegria,

tendo-me já cego e mouco:

é baixeza aceitar pouco

quem tanto vos merecia.

Ide-vos por outra via,

pois o bem que me deveis

nunca mo satisfareis.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.