Breaking News
Home / Obras Literárias / Que modo tão sutil da natureza (1616)

Que modo tão sutil da natureza (1616)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Que modo tão sutil da natureza,

para fugir ao mundo, e seus enganos,

permite que se esconda em tenros anos,

debaixo de um burel tanta beleza!

Mas esconder se não pode aquela alteza

e gravidade de olhos soberanos,

a cujo resplandor entre os humanos

resistência não sinto, ou fortaleza.

Quem quer livre ficar de dor e pena,

vendo a ou trazendo a na memória,

da mesma razão sua se condena.

Porque quem mereceu ver tanta glória,

cativo há de ficar; que Amor ordena

que de juro tenha ela esta vitória

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.