Breaking News
Home / Obras Literárias / Quando cuido no tempo que, contente (1668)

Quando cuido no tempo que, contente (1668)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Quando cuido no tempo que, contente,

vi as pérolas, neve, rosa e ouro,

como quem vê por sonhos um tesouro,

parece tenho tudo aqui presente.

Mas tanto que se passa este acidente,

e vejo o quão distante de vós mouro,

temo quanto imagino por agouro,

porque d’imaginar também me ausente.

Já foram dias em que por ventura

vos vi, Senhora (se, assi dizendo, posso

co coração seguro estar sem medo);

Agora, em tanto mal não mo assegura

a própria fantasia e nojo vosso:

eu não posso entender este segredo!

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.