Breaking News
Home / Obras Literárias / Seguia aquele fogo, que o guiava (1616)

Seguia aquele fogo, que o guiava (1616)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Seguia aquele fogo, que o guiava,

Leandro, contra o mar e contra o vento;

as forças lhe faltavam já e o alento,

Amor lhas refazia e renovava.

Despois que viu que a alma lhe faltava,

não esmorece; mas, no pensamento,

(que a língua já não pode) seu intento

ao mar que lho cumprisse, encomendava.

Ó mar (dezia o moço só consigo),

já te não peço a vida; só queria

que a de Hero me salves; não me veja…

Este meu corpo morto, lá o desvia

daquela torre. Sê me nisto amigo,

pois no meu maior bem me houveste enveja!

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.