Breaking News
Home / Obras Literárias / Fiou-se o coração, de muito isento (1598)

Fiou-se o coração, de muito isento (1598)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Fiou se o coração, de muito isento,

de si cuidando mal, que tomaria

tão ilícito amor tal ousadia,

tal modo nunca visto de tormento.

Mas os olhos pintaram tão a tento

outros que visto tem na fantasia,

que a razão, temerosa do que via,

fugiu, deixando o campo ao pensamento.

Ó Hipólito casto, que, de jeito,

de Fedra, tua madrasta, foste amado,

que não sabia ter nenhum respeito:

em mim vingou o amor teu casto peito;

mas está desse agravo tão vingado,

que se arrepende já do que tem feito

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.