Breaking News
Home / Obras Literárias / Ferido sem ter cura parecia (1598)

Ferido sem ter cura parecia (1598)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

O Ferido sem ter cura perecia

o forte e duro Télefo temido,

por aquele que n’água foi metido,

a quem ferro nenhum cortar podia.

Ao Apolíneo Oráculo pedia

conselho para ser restituído;

respondeu que tornasse a ser ferido

por quem o já ferira, e sararia.

Assi, Senhora, quer minha ventura

que, ferido de ver vos, claramente

com vos tornar a ver Amor me cura.

Mas é tão doce vossa fermosura,

que fico como hidrópico doente,

que co beber lhe cresce mor secura

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.