Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Melão  Voltar

Melão

 

Melão
Melão

O melão, originário da Ásia, é a fruta do meloeiro, planta rasteira e herbácea, da família da abóbora e da melancia.

O melão é produzido por uma planta da família das Cucurbitáceas, originária da Ásia e aclimatada no Brasil. Pertence à mesma família da melancia.

Tem formato variável (redondo, oval ou alongado), entre 20 e 25 cm de diâmetro, casca lisa, enrugada ou apresentando nervuras em forma de rede, e cor da casca variando do verde ao amarelo.

Sua polpa também varia segundo o tipo, havendo melões amarelados, esverdeados e esbranquiçados.

Em geral, o melão é uma fruta bem aromática, de gosto definido, mas também é possível encontrar melões insípidos, sem gosto particular, oumesmo amargos.

A planta do melão é rasteira, tem folhas grandes, com cinco pontas salientes e suas flôres são brancas, algumas vezes amareladas ou alaranjadas, pequenas e frágeis. Geralmente é servido ao natural.

O melão tem propriedades refrescantes e hidratantes pois a fruta compõe-se de 90% de água, por isso mesmo, é ideal para as épocas de muito calor. Contém vitaminas A, C e E, além de alguns sais minerais como cálcio, fósforo e ferro. É uma fruta ótima para regimes de emagrecimento.

A compra do melão requer alguns cuidados para se ter certeza que a fruta está em boas condições de consumo.

Um melão maduro apresenta as seguintes características: quando comprimido nas extremidades, ceder levemente; suas sementes devem estar soltas (sacuda a fruta e veja se faz ruído); a casca precisa estar bem firme, ter cor forte e não apresentar rachaduras, partes moles ou perfurações de insetos; o perfume da fruta deve estar suave e agradável.

O melão deve ser conservado emlugar fresco e arejado. Assim, ele se mantém em bom estado por uma semana. Se a fruta já estiver madura, convém guardá-la na geladeira.

Caso ela esteja aberta, cubra com plástico ou papel de alumínio para que não absorva os odores de outros alimentos. Para apressar o amadurecimento do melão, envolva a fruta em uma folha de hornal por 1 ou 2 dias.

Na cozinha, o mais comum é servir o melão ao natural como entrada ou como sobremesa. Como entrada, ele é preparado com sal ou com gengibre em pó.

Um prato conhecido e considerado de paladar sofisticado é o melão com fatias de presunto cru. Como sobremesa, pode ser adoçado com açúcar ou com mel.

Melão
Melão

DICAS CULINÁRIAS

Aproveite as sementes do melão. Lave-as em água corrente e coloque num tabuleiro para secar. Leve ao fogo numa frigideira para que tostem ligeiramente.

Depois, polvilhe com sal. Ficam ótimas para acompanhar caipirinha ou uma cerveja bem gelada.

Se o melão estiver muito aguado ou pouco doce, polvilhe com sal. Ele melhora muito.

O melão fica delicioso quando é regado com um poouco de suco de limão.

Utilidades Medicinais

Disenteria: Triturar as sementes em água e um pouco de mel. Coar. Tomar morno e bem diluído, 3 xícaras por dia.
Doenças do
Estômago: Tomar esporadicamente o suco de melão. Substituir refeições por este suco. Triturar as sementes em água e mel; coar e tomar morno e bem diluído, 3 xícaras por dia.
Febre:
Proceder como indicado em disenteria, com a diferença de que o liquido ali indicado deve ser tomado fresco em caso de febre.
Hepática, insuficiência:
Proceder como indicado em estômago.
Inapetência
: Triturar as sementes em água e mel (no liquidificador). Coar e tomar bem diluído, duas horas e meia antes da refeição.
Reumatismo:
Fazer refeições só de melão, esporadicamente. Passar um ou dois dias por semana só com melão, quando se deve manter repouso.

CURIOSIDADES

Nos Estados Unidos foi cultivado o maior melão do mundo. Ele pesava 90,7 kg.

Fonte: www.geocities.com/www.agrobyte.com.br

Melão

Nome popular: Meloeiro

Nome científico: Cucumis melo L

Família botânica: Cucurbitaceae

Origem: Asia e Africa

Características da planta

Planta rasteira de caule anguloso.
Folhas grandes, divididas em 3 a 7 lobos com pilosidade de textura aveludada.
Flores amarelas.

Fruto

Arredondado, grande com polpa carnosas, de coloração esverdeada, amarela ou salmão. Sementes em abundância no centro do fruto.

O melão é uma planta da família da abóbora e da melancia. Tem forma variável, podendo ser redondo, oval ou alongado, mas em geral todos os tipos têm entre 20 e 25 cm de diâmetro. A casca pode ser lisa, enrugada, ou apresentar nervuras em formas de rede.

A cor da casca varia do verde ao amarelo e a da polpa também muda segundo o tipo. Em geral, o melão é uma fruta bem aromática, de gosto definido, mas também é possível encontrar melões insípidos, sem gosto particular, ou mesmo amargos.

A planta do melão é rasteira e bem parecida à da melancia. As flores são brancas, algumas vezes amareladas ou alaranjadas, pequenas e frágeis.

Cultivo

Clima quente e seco, com temperatura ideal entre 25 e 32 °C . Solos com baixa umidade, ricos em matéria orgânica. Se propaga por sementes. A colheita ocorre de 80 a 100 dias após o plantio.

O melão e todas as suas variedades são, juntamente com a melancia, frutas da família das Cucurbitáceas, ou seja, são espécies muito próximas de alguns importantes legumes, tais como: o pepino, a abóbora e o chuchu.

O melão é, provavelmente, originário da região central da Ásia e também da África, de onde teria sido levado para a Europa no início da Era Cristã.

Fruta conhecida e cultivada há muitos séculos, sabe-se que o melão era muito apreciado entre os romanos. Supõe-se que os melões, bem como as melancias, eram também cultivados pelos habitantes do Egito antigo.

Existem diferentes tipos e variedades de melões.

Eles podem variar em tamanho, forma, cor da casca, cor da polpa e sabor, mas têm pelo menos uma característica em comum: sua polpa comestível é caldosa, suave e delicadamente adocicada.

Composto basicamente de água e sendo muito pouco calórico, o melão é fruta muito refrescante, podendo ser indicado para vários tipos de dieta alimentar: para regimes de emagrecimento e para o restabelecimento de doentes em convalescença, por exemplo.

Por muito tempo, no Brasil, o melão se manteve como uma "fruta-iguaria" encontrável apenas em hortas caseiras, devido às suas condições de raridade.

Reputado pelo seu bom sabor, era tão difícil de ser obtido que, quando aparecia e estava doce, era exclusivamente aproveitado in natura e em saborosas saladas de frutas.

Segundo a doceira Lúcia C. Santos, em 1950, constituía, e ainda constitui, "quase um crime transformar um melão em doce" pois assim se perderia "o capitoso de seu cheiro e esquisito sabor".

Ainda hoje, o melão é fruta destinada basicamente ao consumo in natura, estando presente nas culinárias internacionais para ser servido não apenas como sobremesa. As fatias da fruta, encimadas por presuntos e outros defumados, transformaram-se em sofisticadas entradas para refeições de verão e acompanhamento para pratos salgados.

Atualmente o cultivo de melões está disseminado por todas as regiões tropicais e subtropicais do globo e, em suas diferentes variedades, a fruta pode ser cultivada até mesmo em regiões temperadas e sob condições de extremo frio. Sua produção e sua comercialização tornaram-se, na segunda metade deste século, um importante negócio envolvendo grandes capitais.

E o Brasil, acompanhando os tempos, passou de importador a grande produtor e exportador de melões para os mercados europeus e norte-americanos: cerca de 20% da produção nacional é destinada à exportação.

A região Nordeste é, atualmente, um dos grandes celeiros produtores de frutas do pais, destacando-se, no caso dos melões, os Estados do Rio Grande do Norte e do Ceará, com quase dois terços da produção total, e os Estados de Pernambuco e da Bahia, com quase um terço da produção.

Ali, a partir dos anos 80, obse-rvou-se uma grande mudança na paisagem, em espe-cial nas regiões do Vale do Rio A`u (RN) e Vale do Rio São Francisco, nos municípios de Petrolina (PE) e de Juazeiro (BA). Com a instalação de pro-jetos agrícolas de grande porte, dotados de modernos sistemas de irrigação e de profissionais especializados trabalhando no aperfeiçoamento das variedades cultivadas, surgiram verdadeiros oásis gigantes, onde as frutas nascem e crescem sob estrito controle de qualidade. Até as abelhas que polinizam as flores dos melões são tratadas especialmente.

O resultado são frutas doces, sadias e bonitas, que saem de lá prontas para a exportação ou para o abastecimento dos mercados de todo o país.

As muitas variedades de melão existentes no mundo costumam ser agrupa-das, do ponto de vista comercial, em diferentes categorias que levam em con-ta a doçura e o tipo de perfume da polpa. O peso e o tamanho são também determinantes nas diferentes classificações que a fruta alcança no mercado, especialmente quando seu destino é a exportação.

Exigente, o mercado mundial de frutas atualmente, define os parâmetros de qualidade dos produtos que chegam à mesa do consumidor. Por exemplo, além de doce, o melão bom para consumo deve ser suculento e de polpa fir-me, apresentando uma coloração branco- esverdeada, ligeiramente alaran-jada nas bordas.

As sementes, muitas e envolvidas por uma espécie de fibra, devam preencher toda a cavidade central do fruto, estando bem presas a ele. Sua cor externa típica é um amarelo não muito profundo, atingido quando a fruta começa a amadurecer e que deve ser homogêneo, sem manchas, sem riscos e sem queimaduras de sol.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Melão

Melão
Melão

Melhores variedades

Amarelo
Casca-de-carvalho
Valenciano
Jumbo-hale’s best 9 canta-loupe).

Época de plantio: Fevereiro - março, agosto - outubro (de preferência).

Espaçamento: 2,0 x 1,5m (duas plantas por cova).

Sementes necessárias: 800g/hectare.

Adubação

Por cova: 10Kg de esterco; 500g de superfosfato simples e 50g de cloreto de potássio
Em cobertura: 90g de sulfato de amônio em três vezes:
aos 15, 30 e 45 dias, após a germinação, um terço por aplicação
Pulverização foliar:
Molibdato de amônio, 2g/10 litros de água, três vezes, até o florecimento.

Tratos culturais: Cultivos e desbastes.

Irrigação: Por infiltração, quando necessária.

Combate à moléstias e pragas

Afídios e moscas-das-folhas: Malatol 50-E a 0,20% ou Phosdrin a 0,15%
Broca:
Ensacar os frutos
Fungos:
Dithane M-45 a 0,20%, Manzate a 0,20%
Oídio:
Benlate a 0,06% ou Karathane WD a 0,09%.

Época de colheita: A partir de 90 dias após o plantio.

Produção normal: Dois a cinco frutos por cova.

Melhor rotação: Feijão-vagem, quiabo e adubos verdes.

Observações

Calagens são necessárias
As variedades amarelo e valenciano requerem zonas quentes, como a Nordeste do Estado e regiões da Alta Sorocabana.
Ensacar todos os frutos depois de polinizados, para evitar ataque da broca.

MELÃO AMARELO(Cucumis melo)

"O melão de polpa branca suporta o transporte e a comercialização por um período de aproximadamente 10 a 15 dias, mesmo em temperaturas ao redor de 25oC. Possui uma casca espessa e firme, o que lhe confere razoável resistência a compressão e à perda de água.

Os frutos de melão nunca devem ser colhidos com menos de 10% de sólidos solúveis. Para que sejam saborosos, devem ser colhidos com brix de 12% ou mais. Ao contrário do que ocorre em frutos como a banana o teor de sólidos solúveis do melão não aumenta após a colheita.

O melão é um fruto sensível a injúria de resfriamento e deve ser armazenado em temperatura ao redor de 6oC sob umidade relativa superior a 90%. Sob temperaturas inferiores a 5oC o sabor é prejudicado.

Os melões assim como a melancia são frutos muito sujeitos a pancadas e devem ser manuseados com cuidado e transportado em embalagens apropriadas; Estresses de impacto, vibração e amassamento causam a rápida deterioração do fruto".

Uso Nutricional

A polpa do melão constitui de 45 a 80% deste fruto, com cheiro característico e sabor delicioso. Contém ureasa, peptidasa, proteasa e enzimas que ajudam na digestão dos alimentos.

O melão amarelo contém o antioxidante beta caroteno. É considerado um alimento alcalinizante, pois 60% de seus sais são alcalinos.

Pode ser consumido ao natural, com ou sem açucar, as vezes pode-se colocar um pouco de gengibre. Na Europa, é usado como salada, temperado com sal e pimenta. Entra no preparo de cremes, sorvetes e sobremesas.

O melão é melhor consumido como aperitivo antes da comida, ou como lanche, pois é melhor digerido com o estômago vazio, uma fruta especial para os meses do verão por causa da quantidade de água e açúcar de sua polpa, pois tem propriedades hidratantes.

Como é um alimento com poucas calorias - 100grs fornecem 25 calorias - é ideal para pessoas que não querem ganhar peso.

O melão é uma fruta rica em vitamina A (os de polpa amarela), vitamina C e Niacina, vitaminas que têm um papel importante na defesa do organismo e na manutenção de uma boa saúde.

As folhas têm valor nutritivo semelhantes ao de outras da família das cucurbitáceas. Podem ser usadas em refogados e sopas; são um bom alimento para gados e aves.

As sementes contêm um óleo, rico em ácidos graxos poliinsaturados (vide composição química) comestíveis e em muitos países do Oriente, são usados como substitutos da amêndoa e pistache.

Na Nigéria, a tribo Hausa prepara a partir das sementes, tortas fermentadas chamadas "daddawar gulli", que são altamente nutritivas pela presença das vitaminas, globulinas e outras proteínas.

Na Espanha se diz que o "melão pela manhã é ouro, ao meio dia é prata e pela tarde mata", querendo mostrar que o melão sendo um fruto alcalizante, cai melhor no desjejum.

Sendo um fruto com alto teor de potássio, cerca de 430mg/100grs de polpa, é útil para as pessoas que tomam diuréticos ou que estão eliminando potássio através de diarréias ou sudoração excessiva.

A casca do melão tem também alta porcentagem de potássio, portanto, pode ser usado como adubo.

Composição Química

O extrato da planta inibe a atividade dos fungos.

As sementes contêm aminoácidos como:

Lisina
Histidina
Triptofano
Cistina
Contém também globulina cristalina semelhante à isolada de Curcubita máxima

O óleo da semente possui os ácidos graxos mirístico 2%, palmítico 3,2% esteárico 5,4%, oléico 32,7%, linoléico 55,2%, araquídico 0,9%.

Possui ainda fosfato, galactose, asteróides como:

Codisterol
Avenasterol
Clerosterol
Isofurosterol
Estigmasterol
Sitosterol

Os botões florais do melão cultivado contêm um princípio amargo, que causa náusea e vômitos.

O fruto apresenta uma nova saponina cujo núcleo é o estigmasterol.

A raiz contém flavonóides elaterim, melotoxim e melotometene.

A planta toda possui a cucurbitacim B, substância considerada anti-tumoral.

Fonte: www.agrov.com

Melão

Melão
Melão

Originário da África e da Ásia, no Brasil o melão é cultivado no oeste de São Paulo, no sul do Pará, no vale do rio São Francisco e na região Nordeste.

Fruto do meloeiro (Cucumis melo), planta anual, herbácea e rasteira da família das cucurbitáceas, o melão se desenvolve por ramas de cerca de quatro metros que emitem folhas recortadas e flores amarelas.

Em condições favoráveis, o ciclo de vegetação é bem rápido: em apenas cem dias, a partir do plantio, os frutos já podem ser colhidos.

A temperatura ideal é de 25 a 32o C durante o ciclo. Temperaturas mais elevadas podem afetar a frutificação e, abaixo de 18o C, as flores não desabrocham. As regiões semi-áridas são as mais adequadas ao cultivo, já que o calor e a baixa umidade do ar concorrem para tornar a fruta mais doce, consistente e durável.

A planta apresenta numerosas variedades híbridas, enquadradas em dois grandes grupos: as de melão-valenciano (ou espanhol) e as de melão-cantalupe (ou americano).

Nas primeiras, preferidas no Brasil, o fruto é geralmente redondo, de casca bem amarela, com finas rugas longitudinais, pesa cerca de dois quilos e tem a polpa branco-amarelada. Nas variedades de melão-cantalupe, cultivadas nos Estados Unidos, os frutos são menores, de casca mais rugosa e polpa alaranjada.

No Brasil o melão é plantado o ano todo, nas regiões em que a temperatura no inverno se mantém elevada, ou de agosto a novembro, onde o inverno é frio.

Põem-se duas a três sementes por cova; se todas germinarem, algumas mudas serão sacrificadas para que se desenvolva uma por cova. Camas de palha impedem o contato da terra com os frutos, que são girados de vez em quando nos talos, para serem banhados uniformemente pelo sol.

Fonte: biomania.com

Melão

Melão
Melão

O melão é bastante refrescante e por esse motivo indicado para os meses de calor.

Contém quantidades razoáveis de Cálcio, Fósforo e Ferro, que contribuem para a formação dos ossos, dentes e sangue. Tem também vitamina A que protege as vistas, vitamina C, que age contra infecções,e Niacina, que combate problemas de pele.

Maduro, o melão é bom como calmante, diurético e laxante. É também recomendado nos casos de gota, reumatismo, artrite, obesidade, colite, prisão de ventre, afecções renais, nefrite, cistite e corrimento das mulheres.

Na hora de comprar, dê preferência aos de casca firme, cor viva, e sem rachaduras, partes moles ou perfurações de insetos. Para ser consumido, o ideal é que ceda à pressão dos dedos.

O melão em boas condições se conserva em geladeira por 2 a 3 semanas.

Seus períodos de safra vão de dezembro a março e de julho a setembro.

Cem gramas de melão fornecem 25 calorias.

Melão
Melão

O melão

O melão é, provavelmente, originário da região central da Ásia e também da África, de onde teria sido levado para a Europa no início da Era Cristã.

Atualmente o cultivo de melões está disseminado por todas as regiões tropicais e subtropicais e, dependendo da variedade, a fruta pode se cultivada até mesmo em regiões temperadas e sob condições de extremo frio.

O Brasil passou de importador a grande produtor e exportador de melões para os mercados europeus e norte-americanos: cerca de 20% da produção nacional é destinada à exportação.

Os Estados do Rio Grande do Norte e do Ceará, com quase dois terços da produção total e os Estados de Pernambuco e da Bahia, com quase um terço da produção são os grandes produtores de melão do País.

O fruto é arredondado, grande com polpa carnosas, de coloração esverdeada, amarela ou salmão. Sementes em abundância no centro do fruto. Composto basicamente de água e sendo pouco calórico, o melão é fruta muito refrescante, podendo ser indicado para vários tipos de dieta alimentar e para o restabelecimento de doentes em convalescença.

Existem diferentes tipos e variedades de melões. Eles podem variar em tamanho, forma, cor da casca, cor da polpa e sabor, mas sua polpa comestível é caldosa, suave e delicadamente adocicada.

Valor Calórico: 100 gramas de Melão fornecem 29,9 calorias.

Melão cru

TACO - Tabela Brasileira de Composição de Alimentos

Tabela de valor Nutricional

Porção de 100 gramas

  % VD*
Valor energético 29.4kcal = 123kj 1%
Carboidratos 7,5g 3%
Proteínas 0,7g 1%
Fibra alimentar 0,3g 1%
Fibras solúveis 0,0g -
Cálcio 2,9mg 0%
Vitamina C 8,7mg 19%
Piridoxina B6 0,0mg 0%
Manganês 0,1mg 4%
Magnésio 6,0mg 2%
Fósforo 10,1mg 1%
Ferro 0,2mg 1%
Potássio 216,0mg -
Cobre 0,0ug 0%
Zinco 0,1mg 1%
Sódio 11,2mg 0%

* % Valores diários com base em uma dieta de 2.000 Kcal ou 8.400kj. Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades.

Propriedades

Diurética, laxante, emoliente, eupéptica, mineralizante, calmante, tenífuga.

Indicações

Gota, colite, afeções renais - comer ao natural ou em forma de suco 1 copo 2 vezes ao dia. As sementes são usadas para o tratamento da infestação por tênias, mastigando uma porção de sementes, pela manhã, em jejum, utilizando um laxante 1 hora após a ingesta.

Curiosidade

Para verificar se o melão está maduro, pressione o dedo na região do talo.

Dica

O melão é um ótimo diurético e ajuda seu organismo a eliminar toxinas. É também de grande efeito para decoração e pode ser usado como cestinha para salada de frutas.

Para verificar se o melão está maduro, pressione o dedo na região do talo.

Propriedades Nutricionais

Possui grandes quantidades de Beta-caroteno (provitamina A), Vitaminas C e do Complexo B. Além disso, é fonte de Fibras e apresenta Cálcio, Fósforo, Ferro, Potássio, Cobre e Enxofre.

Propriedades Medicinais

Por seu alto teor em Potássio, é indicado para cardíacos que usam medicação diurética e para pessoas que possuem afecções do fígado, como hepatites, cirrose hepática e cálculos. Também é muito recomendado na prevenção e no tratamento de gotas e reumatismo.

Sendo uma fruta bastante refrescante é muito indicada para os meses de calor, pois apresenta propriedades hidratantes. Rico em Vitamina A, C e potássio.

Algumas variedades têm bastante pectina, fibra solúvel que ajuda a controlar o nível de colesterol no sangue.

No Brasil o melão é conhecido desde o séculoXVI, quando foi trazido pelos escravos.

O Brasil nos últimos anos passou de importador para exportador de melão, gráças as condições climáticas da região Nordeste que se tornou grande produtora.

Variedades

Valenciano (amarelo)
Verde (pele de sapo)
Orange
Gália
Net Melon
Honey Dew

Fonte: www.vitaminasecia.hpg.ig.com.br/www.itofrutas.com.br

Melão

Muito próximo do pepino e da melancia, o melão procede das zonas tropicais da Ásia e da África.

A variedade mais conhecida no Brasil tem a casca amarelo-canário, com finas rugas longitudinais e a polpa é espessa, macia e branco-amarelada. Pesa cerca de dois quilos.

Costuma-se consumir os melões em estado natural, com ou sem açúcar e, às vezes, condmentados com gengibre.

Na França, são temperados com sal ou pimenta. Entram também no preparo de compotas e outros tipos de doces.

Deve-se ingeri-los moderadamente pois em excesso podem causar peso no estômago, cólicas e diarréia.

Melão
Melão

Propriedades

O consumo do melão é recomendado contra gota, reumatismo, cirrose hepática, cálculos biliares, insuficiência hepática, prisão de ventre, leocorréia e uretrite. É também reconstituinte do organismo e pode ser usado como suavizante, em alguns tipos de inflamação.

Utilizam-se as sementes e as raízes como vomitórios devido ao seu elevado teor de emetina. Como que resumindo todo o potencial da fruta, os vendedores de melão napolitanos gritavam o refrão "coma, beba e lave a cara com ele".

Melão (Cucumis melo L.) é uma fruta provavelmente nativa do Oriente Médio. Existem inúmeras variedades cultivadas em regiões semi-áridas de todo o mundo, todas apresentando frutos mais ou menos esféricos, com casca espessa e polpa carnosa e suculenta, com muitas sementes achatadas no centro. A cor e a textura da casca, bem como a cor e o sabor de sua polpa, variam de acordo com o cultivar.

A abundância de água em seu interior e o sabor suave tornam o melão uma fruta muito apreciada na forma de refrescos. Suas sementes, tostadas e salgadas, também podem ser consumidas.

Fonte: educar.sc.usp.br

Melão

Melões do Brasil: um mundo de sabor e prazer

Como escolher

Na hora da compra, prefira os frutos com casca firme, cor característica, sem rachaduras, partes moles ou perfurações de insetos. O aroma da fruta deve estar suave e agradável.

Melão Cantaloupe

Frutos redondos com casca bege reticulado e polpa de cor alaranjada.
Escolha frutos que não apresentem evidências do talo. A casca deve apresentar o reticulado bem saliente.

Melão Amarelo (Valenciano)

Frutos arredondados, com casca enrugada, amarelo intenso, polpa suculenta, branca e levemente esverdeada. Quando maduro ao ser comprimido na extremidade, deve ceder levemente. A polpa não deve estar seca e as sementes se desprendem facilmente.

Galia

Frutos redondos, com casca dourado esverdeado, rendilhada de verde. Polpa branco esverdeada, suculenta e doce. Quando maduros, apresentam brilho, casca amarelo e aroma característico.

Pele de Sapo

Frutos alongados e ovais, com casca verde escuro e polpa branco esverdeado.

Orange Flesh

Frutos redondos, com casca lisa, esbranquiçada e polpa alaranjado. Quando maduros apresentam uma polpa suculenta com sabor delicado, sendo que a casca adquire uma sombra laranja pálida.
É importante conhecer algumas características para identificar melhor as variedades e escolher bem os frutos.
Para sua proteção, independentemente do tipo de melão, compre produtos devidamente etiquetados com selos de marca e indicações de origem, que permitam identificar o tipo de produto, sua origem, bem como os exportadores e importadores.
As etiquetas são um meio privilegiado de comunicação das propriedades e origem do produto com o consumidor.
Se comprar frutas pré-embaladas leia com atenção as instruções e a data de validade do produto.

Como Manusear

Manuseie cuidadosamente qualquer tipo de melão, pois como qualquer fruta é sensível a choques.
Antes de consumir, lave a fruta em água corrente com cuidado. Se necessário esfregue levemente a superfície com uma esponja macia, mas nunca use detergentes ou alvejantes.
Não assuma que as frutas pré-embaladas estão adequadas para o consumo imediato. Esteja seguro de que as mesmas foram bem lavadas. Caso contrário lave novamente.

Como guardar e manter em boas condições

De uma maneira geral, frutos não maduros totalmente devem ser mantidos na temperatura ambiente e maduros, no refrigerador.
Os melões de longa vida ainda imaturos como o amarelo, orange flesh, pele de sapo, podem durar até uma semana se armazenados em fruteiras, em lugar fresco arejado, ao abrigo de raios solares e embrulhados em papel adequado. Após este período se não forem consumidos, devem ser mantidos na geladeira entre 7,2 e 10°C, por não mais de 7 dias.
Os frutos maduros, se não forem consumidos no dia devem ser mantidos refrigerados nas condições indicadas acima.
Mantenha os cantaloupes não maduros na temperatura ambiente, embrulhados em folhas de papel, de preferência. Estando maduros, consuma imediatamente ou transfira para o refrigerador.
Os melões cantaloupes maduros se não consumidos imediatamente, devem ser armazenados sob refrigeração de 2 a 4°C, em um envoltório plástico de preferência, pois pode absorver facilmente os odores de outros alimentos próximos. Os frutos devem ser consumidos em menos de uma semana para não perder seu alto valor nutritivo.

Melão
Melão

Como Comprar

Escolha sempre frutos maduros, pois são mais saborosos e doces. Para saber se os melões estão bons, aperte-os do lado oposto ao cabo. Se ceder à pressão dos dedos, está no ponto. Se estiver mole demais, é porque já passou do ponto e se estiver duro, está verde. A casca do melão deve ser firme, ter cor forte e não apresentar rachaduras.

Como Armazenar

Deixe-o amadurecer em temperatura ambiente e depois guarde-o na geladeira. Use-o no prazo de 2 a 3 dias. Depois de tê-lo cortado, coloque uma folha de papel alumínio ou plástico sobre o corte para que não resseque.

Como Preparar

O mais comum é servir o melão ao natural, como entrada ou sobremesa. Como entrada ele pode ser temperado com sal ou gengibre em pó.

Um prato conhecido e considerado de paladar sofisticado é o melão com fatias de presunto crú. Como sobremesa, pode ser adoçado com açúcar e mel.

O melão pode ser usado no preparo de sorvetes ou fazer parte de saladas de frutas.

Fonte: www.brazilianfruit.org.br

Melão

Melão
Melão

Classificação Botânica

O Melão, Cucumis melo, faz parte da Família das Cucurbitaceae e da Tribo das Melothrieae. O gênero Cucumis compreede por volta 38 espécies conhecidas.

Existe um certo número de tipos de melões e sua classificação varia em função dos autores.

Eis aqui uma classificação geralmente aceita, que é a de Naudin e que data de 1859

1. Melões do grupo Chito: São os melões do tamanho de um grande abricó ou de uma laranja. Eles são utilizados em saladas de frutas ou em conservas, confeites e doces. Chamam-se também “melon-pêche” ou “melon-mangue”.
2. Melões do grupo Reticulatus:
São os melões bordados.
3. Melões do grupo Flexuosus:
São os melões-serpentes chamados também pepinos armênios.
4. Melões do grupo Inodorus:
São os melões de inverno que se conservam durante meses.
5. Melões do grupo Cantalupensis:
São os melões de casca rugosa.
6. Melões do grupo Conomon:
Chamam-se também “Melon-thé”, “Melon à confire”, “Tsa gwa”... Eles são cortados em fatias e utilizados para temperar a carne, o peixe, as saladas e as sopas. Os frutos maduros ou imaturos podem ser preparados em doces com açúcar, com miso... No Japão, o “Nara-zuke” constitui um dos doces de melão mais reputados e onerosos.
7. Melões do grupo Dudaim:
São pequenos melões que têm um sabor muito almiscarado e que s vezes são utilizados em conservas. Eles são utilizados antes de tudo por suas qualidades perfumadoras.
8. Melões do grupo Saccharinus:
São os melões açucarados.
9. Melões do grupo Erythraeus:
O fruto, do tamanho de uma laranja e de cor vermelho brilhante, não é comestível.
10. Melões do grupo Agrestis:
São os melões selvagens ou sub-espontâneos que se encontram na Ásia e na África.

Nutrição

Segundo a obra “La pharmacopée marocaine traditionnelle”, “as sementes contêm uma globulina e uma gluteína, todas as duas ricas em alguns aminoácidos; a fitina, um óleo graxo (27%) que contém glicerídios dos ácidos linoléico, oléico, palmítico, esteárico. A polpa contém ácido cítrico, caroteno, uma protease, uma carboxilase pirúvica. Na raiz encontramos uma substância emética, a melonemetina”.

Em Marrakech, as sementes dos melões são piladas numa argamassa com água e um pouco de água de flor de laranja a fim de confeccionar uma bebida refrescante filtrando a mistura com um pedaço de filó. Essa bebida é conhecida também em Fez sob o nome de “zerri’a” que quer dizer “as sementes”.

Conselhos de jardinagem

É aconselhável semear os melões em viveiro, de 6 a 8 semanas antes do período de transplantação. Em certas regiões da França, eles podem ser semeados diretamente no lugar.

Polinização

O melão é uma planta monóica, isto é, que carrega na mesma planta flores machos e flores fêmeas em lugares diferentes.

Ela pode se auto-fecundar: uma flor fêmea pode ser fertilizada por pólen vindo de uma flor macho da mesma planta.

Entretanto, as fecundações cruzadas são predominantes: a flor fêmea é fertilizada por pólen que vem de diferentes plantas da mesma variedade ou de uma outra variedade.

O principal vetor das fertilizações cruzadas são os insetos. Em função das regiões e dos ambientes, a distância de isolamento aconselhada entre duas variedades de melões varia de 400 metros a 1 quilômetro. Alguns produtores de sementes disseminam colméias de abelhas ao redor dos campos de melões para uma polinização otimizada.

As variedades de melões de diferentes grupos (bordados, com casca rugosa, de inverno...) se hibridam naturalmente entre elas.

É importante levar em consideração a espécie: todas as espécies de Cucumis melo vão se hibridar entre elas, seja qual for o grupo ao qual pertençam.

Em compensação, não há hibridação natural possível com Cucumis sativus,Cucumis dipsaceus, Cucumis anguria...

Segundo Suzanne Ashworth, o melão é a espécie de cucurbitácea mais frustrante para os salvadores de sementes. A polinização manual não é das mais fáceis, pois as flores de melão são muito pequenas e porque 80% das flores fêmeas abortam naturalmente. A polinização manual sendo ainda menos eficaz do que a polinização por insetos, não se deve esperar obter mais de 10 ou 15% de sucesso.

A técnica de polinização manual, quando se têm muitas variedades de melões num mesmo jardim, é a mesma que para as abóboras.

Ela consiste em ligar, à noite, as flores machos e fêmeas que vão abrir na manhã seguinte. A ligadura se efetua na extremidade da flor. Utiliza-se simplesmente uma fita adesiva destinada a proteger as bordas das portas nas obras de pintura. É aconselhável ligar pelo menos duas flores machos para cada flor fêmea a polinizar.

De manhã, as flores machos são colhidas, liberadas da ligadura e as pétalas são tiradas. A fita adesiva da flor fêmea é em seguida tirada delicadamente.

Se uma ou outra flor, uma vez liberada da ligadura, não se abre totalmente e naturalmente, é porque ela não está “madura”: não se pode então utilizá-la para o processo de polinização manual.

A polinização é efetuada cobrindo com o pólen das flores macho o estigma da flor fêmea. Deve-se ser muito cuidadoso, pois acontece às vezes que uma abelha pouse no meio do processo de fecundação. Então esse processo deve ser abandonado por causa da intrusão de pólen estrangeiro.

Quando a polinização se efetua corretamente, deve-se fechar cuidadosamente a flor fêmea envolvendo-a delicadamente com uma fita adesiva.

Não se deve esquecer de fixar logo a ligadura hortícola ao redor do pedúnculo da flor polinizada a fim de reconhecer facilmente no final da estação os frutos que terão sido polinizados manualmente. A ligadura deve ser bastante frouxa para permitir ao pedúnculo de crescer sem problemas.

É aconselhável efetuar essa polinização manual o mais cedo possível. De fato, as polinizações manuais efetuadas no final da manhã em estação muito seca têm poucas chances de terem sucesso, pois o pólen terá esquentado e fermentado e não será mais viável.

Não é sempre muito fácil determinar com segurança as flores de melão que estão próximas da abertura. É um processo que exige muita perspicácia e uma grande paciência. Nós aconselhamos aos iniciantes a praticarem essas técnicas de polinização manual, começando pelas abóboras.

Os jardineiros que desejam produzir suas próprias sementes podem, sem problema, cultivar uma variedade de pepino (Cucumis sativus), uma variedade de melão (Cucumis melo) e uma variedade de melancia (Citrullus lanatus) juntas. Essas plantas não podem se hibridar de forma mútua.

Em compensação, pesquisas recentes tendem a provar que pode haver polinizações cruzadas entre o melão e o kino (Cucumis metulliferus).

Nós não podemos certificar que os riscos de hibridação sejam realmente prevalecentes nos jardins.

Para uma produção de sementes que beneficie de uma boa diversidade genética, é recomendável cultivar no mínimo 6 plantas de cada variedade de melão. O ideal é de cultivar uma dúzia ou ainda melhor, uma vintena se o espaço no jardim permitir.

Produção de sementes

Não é necessário fermentar as sementes de melão a fim de facilitar a limpeza. A técnica mais simples que possa ser utilizada é a seguinte.

Os frutos são cortados em dois e se agita vigorosamente, com uma colher, todo o conteúdo da cavidade central: polpa, sementes e suco.

Essa brassagem vai desprender totalmente as sementes da polpa que as envolve. Basta apenas inclinar a metade do fruto e com a colher que faz parcialmente obstrução, só deixar as sementes caírem no recipiente. As sementes são então lavadas com água numa peneira fina e colocadas para secar logo.

Os frutos muito maduros podem dar até 10% de sementes viáveis. Entretanto, eles não são mais consumíveis.

As sementes de melões têm uma duração germinativa média de 5 anos. Mas elas podem conservar uma faculdade germinativa até 10 anos e mais, às vezes mesmo 20 anos.

Encontra-se de 30 a 40 sementes por grama segundo as variedades.

Os antigos jardineiros dos séculos 18 e 19 preferiam semear velhas sementes de melões, isto é, sementes com 4 a 10 anos. Essas sementes eram supostas produzir plantas de menor expansão e com frutos mais perfumados.

Fonte: www.kokopelli-seed-foundation.com

Melão

A abundância de água em seu interior e o sabor suave tornam o melão uma fruta muito apreciada para consumo fresco ou na forma de refrescos

Nome popular da fruta: Melão
Nome científico: Cucumis melo L.
Origem: Ásia ou África

Melão
Melão

Fruto

Existem nove variedades botânicas de melão.

No Brasil cultivam-se híbridos e cultivares comerciais pertencentes a duas variedades: Cucumis melo var. inodorus e Cucumis melo var. cantalupensis.

Cucumis melo var. inodorus (tipo Amarelo): Tem frutos sem aroma (inodoros), de casca lisa ou levemente enrugada, coloração amarela, branca ou levemente verde-escuro. A polpa é geralmente espessa (20 a 30 mm), de coloração que varia de branco a verde-claro. Têm longo período de conservação pós-colheita (30 dias), são resistentes ao transporte e, geralmente, com frutos maiores e mais tardios que os aromáticos. São característicos na região, os híbridos comerciais de casca amarela, existindo vários em cultivo comercial como o Gold Mine, por exemplo. Os de casca verde, também chamados de Pele-de-Sapo, vêm em segundo lugar, quanto ao cultivo, nesse grupo, existindo menor número de híbridos comerciais disponíveis no mercado.
Cucumis melo var. cantalupensis (tipo Cantaloupe):
Têm frutos aromáticos, podendo ter casca recoberta com rendilhamento corticoso, de coloração ligeiramente amarelada a esverdeada. Existem, ainda, outros melões com frutos de casca verde rugosa, apresentando gomos ou costelas bem características, no sentido longitudinal. Em ambos os tipos de frutos a polpa é espessa com cerca de 25 mm. Os frutos rendilhados têm polpa de coloração variando do amarelo ao salmão. Os melões de frutos com costelas têm cor da polpa variando do laranja ao salmão. Os frutos dessa variedade têm baixa resistência ao transporte e reduzida vida pós-colheita.

Planta

O melão é uma espécie com grande variabilidade para o tamanho da planta – mede de 1 até 10 metros – e peso de frutos – desde 10 g até 10 kg.

O meloeiro tem caules rasteiros ou volúveis, que se fixam por meio de gavinhas.

Cultivo

No Brasil os melões mais conhecidos e apreciados pertencem ao grupo inodorus, tipo amarelo, de longa conservação pós-colheita. A cultivar ‘Valenciano’ e suas seleções ‘Amarelo’, ‘Amarelo CAC’ e ‘Eldorado 300’ são as mais cultivadas.

Outras variedades vêm sendo introduzidas na região Nordeste do Brasil, a principal produtora de melão do país.

Trata-se de diversos híbridos dos chamados melões nobres, como ‘Cantaloupe’, ‘Gália’ e ‘Orange Flesh’, cujo destino principal é a exportação. São aromáticos, de polpa salmão, com bom sabor e maior teor de açúcar (o Brix).

O meloeiro se desenvolve melhor em regiões de temperatura mais elevada, entre 25 e 32ºC.

No entanto, temperaturas acima dos 35ºC podem comprometer a frutificação.

O meloeiro é capaz de absorver a umidade do ar e do solo. Quando isso acontece, o teor de açúcar fica diminuído. O clima do Nordeste brasileiro possui baixa umidade do ar e poucas chuvas, proporcionando a produção de frutos mais doces, com teor de açúcar elevado.

As doenças e pragas são preocupantes para produtores, processadores, comerciantes e consumidores, pois reduzem a produção e afetam qualidade do produto.

As principais doenças que atacam esta cultura são o mosaico, antracnose, cancro-das-hastes e sarna. As pragas mais comuns são as lagartas, besourinhos e pulgões. O agricultor deverá ser orientado por um técnico especializado, para que se faça uma prevenção e um combate adequado.

As flores masculinas e femininas localizam-se separadamente na mesma planta, sendo que o início da floração acontece de 18 a 25 dias após o plantio. Surgem, inicialmente, apenas as flores masculinas e, após três a cinco dias, inicia-se o aparecimento simultâneo das flores masculinas e femininas.

A presença de abelhas durante a fase de florescimento é fundamental para aumentar o pegamento dos frutos e a produtividade, assim como reduzir o número de frutos defeituosos. Recomenda-se sejam evitadas pulverizações com inseticidas durante a fase de florescimento, principalmente pela manhã, e instaladas colméias nas proximidades da cultura, quando houver poucas abelhas no local.

A colheita inicia-se entre 60 a 75 dias após a semeadura e é feita quando os frutos estão maduros. O período de colheita se estende por até 4 semanas. A produtividade média é de 12 a 18 toneladas de frutos/hectare/ano, de acordo com a variedade, região e cuidados. Alguns híbridos alcançam produtividade superior a 25 t/ha/ano.

Usos

O melão é consumido no Brasil como fruta fresca ou na forma de refrescos. Tem propriedades refrescantes e hidratantes, pois é composto de 90% de água.

Contém vitaminas A, C e E, além de alguns minerais como cálcio, fósforo e ferro. Suas sementes, tostadas e salgadas, também podem ser consumidas.

Mercado

A Região Nordeste é a principal produtora de melão, contribuindo com mais de 90% da produção nacional. A expansão da cultura na região se deve à atuação de grandes empresas, que destinam boa parte da sua produção para exportação. As condições climáticas favorecem o Nordeste, onde os frutos têm melhor sabor e maior teor de açúcares.

O mercado de melões nobres no país está em desenvolvimento, devido à preferência dos consumidores pelos melões do tipo Amarelo.

Pierre Vilela

Fonte: www.sebrae.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal