Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Orégano  Voltar

Orégano

 

Orégano ou Orégão Origanum vulgare

Alemão: DOSTA,
Espanhol:
OREGANO,
Francês:
ORIGAN,
Inglês:
ORIGAN,
Italiano:
ORIGANO.

Erva de intenso aroma e gosto levemente amargo originária do Mediterrâneo, o orégano é indispensável na cozinha italiana, o sobrenome da pizza, dos molhos de tomate e de todos os pratos da mamma. Foi a pizza que, em suas viagens pelo o mundo, popularizou seu uso no planeta. Fora da Itália ele é bastante utilizado na cozinha mediterrânea, na França e na Grécia.

O orégano é uma variedade brava e mais aromática da manjerona. Existem muitos tipos. Os bons são bastante fortes e chegam a anestesiar a língua.

Na culinária norte-americana, a preferência é pelo "orégano mexicano", que, embora mais forte, não é uma variedade da planta, e sim outra planta com gosto semelhante.

Orégano
Orégano

Use e abuse do orégano com a maioria dos pratos italianos ou gregos. Utilize-o para temperar saladas, queijos frescos, anchova, caça, ensopados, feijão e legumes em conserva.

Possui várias formas de utilização, mas é como condimento que é mais procurado, principalmente em "pizzas", carnes, etc. Utilizado também em produtos processados. O orégano combina com diversas ervas. Faça com ele uma variação do bouquet garni fresco (ramo de cheiros), substituindo o tomilho. Use 3 ramos de salsa, 1 de orégano e 1 folha de louro.

Experimente também acrescentar orégano à tradicional mistura francesa fines herbes (ervas finas), feita com estragão, cerefólio, salsa e cebolinha.

No México é muito usado com diversos tipos de chile, páprica, alho seco, cebola e cominho.

Utilizado também no Jardim Botânico do Rio de Janeiro como erva aromática do Jardim Sensorial para os cegos.

Esta erva seca contém alguns constituintes, incluindo óleos voláteis (acima de 3%), como o carvacrol, timol, e borneol, mais flavonóides, ácidos rosmarinicos, triterpenóides (e.g. ursolico e ácido oleanólico), esteróis, e vitamina A e vitamina C.

O Timol e carvacrol contidos no orégano são responsáveis por efeitos antimicrobianos e antifúngicos. Um teste em laboratório demonstrou que estes óleos do orégano, e carvacrol em particular inibem o desenvolvimento de Candida albicans funcionando mais efetivamente se aplicado juntamente com um agente antifúngico chamado caprylate cálcio magnésio. Estudos clínicos ainda não confirmaram estes efeitos em humanos.

Óleo essencial

Por ser típica da Turquia, onde é chamada de "kekik", fomos encontrar neste país os principais produtores de seu óleo essencial. Em experiências práticas o orégano tem-se mostrado extremamente eficaz no tratamento de infecções de todos os tipos e processos inflamatórios que incluiríam furúnculos, feridas inflamadas, pneumonia, acne, sinusite, amidalite, artrite, tuberculose, etc, problemas estes, muitas vezes anteriormente tratados com antibióticos alopáticos e não resolvidos. Hoje, o grande problema destes antibióticos está no fato das bactérias estarem criando resistência a eles.

Remédios que há dez anos atrás faziam efeito hoje já não servem para tratar as mesmas doenças. Inclusive até mesmo o AZT já não está dando mais o mesmo resultado para o tratamento da AIDS.

Mas com óleos essenciais retirados da planta acontece um processo interessante e que vêm sendo estudado: as bactérias e microorganismos em geral não criam resistência ao longo do tempo.

A explicação para isso estaria talvez no fato do óleo essencial ser proveniente de uma complexa engenharia biológica presente na planta que produz um produto totalmente exclusivo seu, feito especificamente para resistir ao meio ambiente. Outra explicação estaria no fato de óleos essenciais naturais possuírem uma frequência energética muito alta, o que por observações in vitro comprovou-se ter uma ação inibitória do crescimento de bactérias.

Outras pesquisas sobre o uso do óleo essencial dos oréganos já vieram a comprovar que suas propriedades vão ainda mais longe: Em 14 pacientes que receberam administração oral de 600mg de óleo de orégano por dia após 6 semanas tiveram um completo desaparecimento de parasitas intestinais como Entamoeba hartmanni, Endolimax nana e Blastocystis hominis. Também se constatou, a uma diluição de 2%, completa eliminação em culturas de Candida albicans (Cândida), Enterococcus fecalis, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, entre muitos outros. Outro importante fator a ser falado aqui é sobre a importância em saber-se se o óleo de orégano que você tem em mãos possui princípio ativo para aquilo que é indicado.

Existem drásticas diferenças entre os tipos de óleo de oréganos e a mesma planta poderá produzir óleos essenciais com teores bem diferenciados de compostos como o Origanum vulgare ssp. vulgare que possui óleo essencial com 0.7% até 80% de carvacrol. Em substituição ao carvacrol poderão surgir outros compostos como timol, linalol, etc.

Orégano comum (Origanum vulgare ssp. vulgare) , também conhecido como orégano selvagem é o mais comum de todos comumente empregado em pizzas. Para aquilo que o orégano é normalmente indicado, este deve possuir uma porcentagem de no mínimo 65% de carvacrol, para que sua ação antimicrobial, anti-inflamatória e anticarcinogência esteja presente.

Alguns óleos desta espécie, como o proveniente da Espanha e com baixo teor de carvacrol (0.5-0.7%), possuem timol substituindo este componente, fazendo com que o óleo de orégano se assemelhe em muito, não só em cheiro mas também em indicações, ao óleo de tomilho. A planta seca possui em torno de 5% de óleo essencial.

Aplicações terapêuticas

Em infusão, se utiliza tradicionalmente para aliviar dores, por sua ação antiespasmódica. Por essa mesma ação, é útil como estomacal e digestivo, sobre tudo quando os problemas se devem a espasmos do aparelho digestivo. Por isso, é conveniente seu uso na cozinha. Alivia os sintomas de resfriado e de asma. É uma planta sem contra-indicações e sem efeitos colaterais.

Estimulante das funções gástricas e biliares, funciona como sedativo, diurético e expectorante. Folhas frescas amassadas podem ser usadas em compressas para aliviar inflamações. Também é carminativo, emenagogo e diaforético. Bom para dores reumáticas, parasiticida, tem ação estimulante sobre o sistema nervoso.

Chá morno pode ser usado em bochechos para aliviar dor de dente, inflamação de gengivas e mucosas. Infusão é recomendada para as dores de cabeça nervosas e a irritabilidade.

Para asma: decocção 30 g de sumidades floridas em 1 litro de h20 por 10 minutos. Amornar e adoçar com mel.
Má digestão:
infusão 1/2 litro de água fervente e 10 g de sumidades floridas.
Aromaterapia:
Poderoso anti-oxidante,o óleo essencial misturado à água do banho, é extremamente relaxante.

Aplicações culinárias

Bom para estimular o apetite.

Macerado para o apetite: 50 g de orégano em 1 litro de vinho branco seco. Macere por 08 dias. Coe e tome dois cálices por dia.

É famoso o emprego do orégano na cozinha italiana. É um condimento ideal para pratos elaborados com molho de tomate, como patês e as pizzas, ou para espalhar em saladas.

Combina bem com tomate, ovos e queijo. Um típico exemplo é uma salada de tomate, regada com azeite de oliva virgem, sal e uma pitada de orégano. Molhos de tomate, pizza, saladas de tomate, para aromatizar churrascos, jogar caules de orégano na brasa. Esfregar nas carnes para assar.

Patê com ricota: Picar finamente um punhado de folhas de orégano previamente lavadas, misturar com ricota, azeite, sal e pimenta do reino a gosto.

Aplicações mágicas

Como outras plantas aromáticas da família das labiadas, por exemplo, o romero (Rosmarinus officinalis) ou o tomilho (Thymus vulgaris) se utiliza para purificar lugares ou como proteção de casas e pessoas.

Cosmética

Bom tônico capilar; bom para eliminar caspa e males do couro cabeludo.

Loção para caspa: Ferva 30 g de orégano em 1 litro de água por 10 minutos. Coe e enxague os cabelos limpos.

FORMAS DE EXPLORAÇÃO

Normalmente o Orégano não é explorado como uma cultura única nas propriedades. É cultivado juntamente com outros condimentos e outras culturas como hortaliças, salsinha, cebolinha, manjericão, manjerona, hortelã, etc. Utiliza-se portanto plantio diversificado. Pode-se utilizar o orégano em consórcio com outras plantas de interesse principal, por se tratar de uma planta aromática, ajudando no controle de insetos.

Não se utiliza rodízio de culturas junto ao orégano. Este tem um período de dormência, mas como se trata de uma planta perene, volta a germinar. A cada dois anos as plantas são reformadas com poda rigorosa e adubação com esterco bem curtido. Uma plantação é produtiva durante 5 anos, quando é replantada.

SEMENTES

O orégano é propagado por sementes, porém também é facilmente multiplicado por meio de mudas enraizadas das touceiras.

No estado de São Paulo recorre-se também à formação de sementeira, para posterior transplante. A semente é produzida só por plantas adultas, de 2 anos, e conserva seu poder germinativo por 2 ou 3 anos. Na semeadura, no início da estação quente, empregam-se 2 gramas por cada 100 m2 de terreno; as mudas para plantar 1 ha precisariam de 145 m2 de sementeira. Nesta, as principais operações são a remoção parcial de folhas e o corte de caules e ramos secundários para favorecer o desenvolvimento das mudas. Pequenas irrigações são suficientes para apressar a germinação, que se dá em cerca de 8 dias. O transplante é feito com cerca de 1 ano de idade, possivelmente na primavera seguinte à semeação.

Orégano
Orégano

HISTÓRIA

Os gregos deram o nome desta erva, oros ganos, alegria das montanhas, pois os oréganos cobriam suas colinas e perfumavam o verão. A medicina grega usava o orégano como chá para convulsões e antídoto para venenos narcotizantes.

Considerado pelos antigos romanos como símbolo da paz e da felicidade, é originário do Mediterrâneo Oriental e Ásia, em colinas com boa insolação.

Nos casamentos da Grécia antiga, os noivos se coroavam com orégano e plantavam nos cemitérios para assegurar uma vida feliz no outro mundo.

Apicius, o famoso cozinheiro romano, considerava o orégano essencial no preparo de molhos. Os romanos difundiram o uso do orégano através de seu império. (Rosengarten, 1981).

Muito confundida com a manjerona, possui cheiro e sabor característico mais acentuado.

Planta da família das labiadas, semelhante à manjerona e ao manjericão. Tempero típico da cozinha italiana, o orégano, em folhas secas e trituradas, é comum em todos os pratos de tomate. É importado do México, Chile e Peru. Nativo da região do Mediterrâneo (um outro tipo é comum no México), o orégano tem sido usado desde o início da antiga Roma.

Orégano
Orégano

O orégano são as folhas secas de uma planta perene, de sabor forte e aromático, com um toque amargo, às vezes chamado de manjerona selvagem; de sabor parecido com o da manjerona doce, porém mais forte. Foi trazido para o Brasil por imigrantes europeus, e a crescente popularidade da pizza estimulou seu uso.

Denominado "a quinta essência da pizza", é também o aroma preferido na Grécia, onde é conhecido como rigani, que significa "alegria das montanhas", que é onde as variedades selvagens desta erva se desenvolvem.

Usos

O orégano vai bem com tomates e é um tempero natural para qualquer prato com tomate. Use para temperar molhos, suco de tomate, pizzas, molho para churrasco e sopa de legumes. É excelente em ovos, em pratos com queijo ou cebolas, em saladas de frutos do mar, recheios para carnes ou aves, molho para peixe, em porco, carneiro, galinha e peixe.

Utilize no feijão branco, nas azeitonas pretas e nos queijos para aperitivo com azeite e pimenta calabresa.

Fonte: www.fernandovillasboas.com.br

Orégano

Origanum vulgare, conhecido popularmente por Orégano (Brasil) ou Orégão (Portugal), é uma erva parecida com a marjolane francesa, e muito utilizada na cozinha do Mediterrâneo.

A palavra Orégano tem origem grega e significa “alegria da montanha”. Para os gregos, a erva tinha o poder mágico de trazer felicidade.

São utilizadas suas folhas, frescas ou secas, pelo sabor e aroma que dão aos pratos. Considera-se que as folhas secas tem melhor sabor.

Originária das regiões da Ásia e Europa mediterrânea, a planta apresenta muitas espécies, sendo todas muito aromáticas. Erva perene, cuja altura pode variar de 25 a 80 cm, pertence à família das Labiadas. O Orégano é uma planta herbácea, com raízes na forma de caules subterrâneos (rizomas).

Bastante ramificado, produz folhas pequenas, ovais e pecioladas, medindo de 1 a 5 cm. As flores são pequenas e apresentam cores como o púrpura, rosa, branco ou uma mistura delas, surgindo do início do verão até meados do outono. Há regiões no Brasil, entretanto, onde a planta vive vários anos sem nunca produzir flores.

Várias espécies do gênero Origanum são nativas do Mediterrâneo, todas usadas como tempero. A influência do clima, tempo e fertilidade do solo na composição dos óleos essenciais que dão seu aroma característico é maior que a diferença entre as varias espécies. Uma planta muito parecida é a marjolane ou manjerona, que tem um sabor um pouco diferente por causa de compostos fenólicos presentes em seus óleos aromáticos. Alem do O. vulgare, existem a O. syriacum (o hissopo bíblico), O. laevigatum (orégano vermelho ou ornamental) e O. sativum (conhecido como orégano brasileiro).

Orégano tem alta atividade anti-oxidante pela presença de ácido fenólico e flavonóides. Adicionalmente tem propriedades anti-microbianas contra Listeria monocytogenes e outros patógenos presentes nos alimentos, o que faz com que seja bom para ajudar a preservar alimentos.

É considerado um tônico para o aparelho digestivo, pois seu forte e inconfundível aroma, o sabor amarguinho e picante resultam do seu óleo essencial, composto por cervacol, cimeno, linalol e tanino que garantem as propriedades digestivas. A erva também é usada em infusão para tratar problemas como tosse, bronquite e cólicas intestinais. Estas propriedades eram bem conhecidas pelo antigo povo romano, que difundiu o uso do Orégano por todo o seu império. Tanto isso é verdade, que hoje ele é um dos temperos mais adicionados em pratos típicos da cozinha italiana, como molhos de tomate, berinjela à parmegiana, massas e pães e, é claro, as pizzas.

Junto com o manjericão dá o caráter da culinária italiana. Em Portugal é indispensável na confecção de caracóis, e é usado também em caldeiradas e em saladas de tomate e queijo fresco ou requeijão. Aparece também, ainda que em menor medida, nas cozinhas espanhola, francesa, mexicana e grega.

Há quem se pergunte: como uma erva aromática pode facilitar a digestão dos alimentos se a usamos em tão pouca quantidade, apenas como tempero?

Primeiro, apesar da pequena quantidade, as ervas atuam realçando o sabor dos alimentos e ativando a ação das glândulas salivares, que iniciam o processo digestivo. Além disso, cada tipo de erva apresenta em sua composição princípios ativos presentes principalmente no óleo essencial, de forma que são capazes de agir no organismo mesmo quando a planta é usada apenas como um tempero.

Mas, se a argumentação ainda não for convincente, é possível responder à esta pergunta seguindo as reações do nosso organismo quando exalamos o aroma de um prato preparado com ervas aromáticas:

O aroma ativa as células nervosas das narinas que, imediatamente, transmitem o estímulo ao nosso cérebro com uma mensagem de que “o alimento está a caminho”. O cérebro, por sua vez, passa a mensagem para as glândulas salivares, avisando-as que devem elevar a produção de saliva. O resultado é que aumenta a presença de uma enzima que ajuda a digerir os carboidratos, como batatas e massas em geral (pães, macarrão, pizzas, etc.). Outra mensagem é enviada ao estômago, para que aumente a quantidade de ácido clorídrico - principal elemento do suco gástrico. Enquanto isso, no intestino é estimulada a secreção de uma substância hormonal que ativa o pâncreas e o fígado, colocando-os em alerta para o início do processo digestivo.

Os gregos costumavam fazer um vinho aromático e digestivo com ramos de Orégano. Esta receita pode ser adaptada para o preparo de um delicioso vinagre, ideal para temperar saladas, carnes e outros alimentos:

Limpe e lave bem um ou dois ramos de Orégano fresco. Enxugue com um pano e deixe secar completamente, até sumir toda a umidade. Esterilize um vidro ou garrafa e, depois de bem seco, coloque os ramos frescos de Orégano. Encha com duas xícaras (cerca de 480 ml) de vinagre de vinho branco ou de maçã.

Atenção: o vinagre deve cobrir a erva completamente.

Feche bem com uma rolha e deixe descansar por 15 dias, agitando o vidro diariamente.

Fonte: www.viaintegral.com

Orégano

Variedade da manjerona e parente do tomilho, o orégano é uma erva de diversas espécies, bastante aromática e de sabor forte levemente amargo. Os tipos com sabores mais fortes são considerados os melhores.

Sua planta é rasteira de com folhas verde-escuras. Muito utilizado em pratos com tomate fresco ou queijo, molhos a base de tomate, omelete e assados. Era utilizado pelos gregos como óleo pós-banho e, hoje largamente utilizado na cozinha italiana, francesa e grega.

Denominado de origanon (erva amarga) por Hipócrates na Grécia Antiga, o orégano é originário do Mediterrâneo, Norte da África e Oriente Médio.

Participando da receita da pizza ficou conhecido no mundo todo. Na Idade Média era usado para curar infecções e dores de ouvido e os medievais utilizavam nas magias. Somente o uso da erva na pizza a tornou popular como tempero, sendo cultivado hoje na Europa, Ásia e Américas.

Outros Nomes: Orégão

Nome Científico: Origanum vulgare

Utilizando

O sabor característico da pizza vem da utilização do orégano, mas ainda pode ser utilizados em pratos a base de queijos, molhos, pizzas, vinagres, sopas, massas, legumes, saladas, ensopados, feijão e ovos. A culinária italiana e grega conta com o orégano em suas receitas.

Comprando

Fresco: Seus ramos danificados são escurecidos e murchos, evite-os.
Seco:
As embalagens mais escuras o protegem da luz.

Conservando

Frescas: em sacos plásticos limpos na geladeira.
Seco:
em recipientes herméticos em lugar fresco e seco.
Se preferir secar: pendure os ramos de orégano ventilado, protegido do sol.

Combinando

Além de combinar com diversos tipos de alimentos já citados, o orégano compõe temperos combinados com outras ervas, temos o exemplo das ervas finas (composta por orégano, estragão, cerefólio, salsa e cebolinha).

Preparando

As folhas devem ser lavadas e imersas em solução anti-séptica. Apenas as folhas devem ser bem picadas.

Dicas

Pode substituir o tomilho quando está fresco.

Uso Medicinal

Horta em Casa O chá de orégano é indicado no tratamento de tosse, dor-de-cabeça de origem nervosa e irritação. O chá pode ser usado para aliviar enjôo do mar.

Observação importante: Qualquer uso terapêutico deve sempre ser acompanhado por um médico.

Fonte: www.fleischmann.com.br

Orégano

Origem

Originário da Europa, África e Ásia, o orégano, Origanum vulgare L. (LAMIACEAE) é uma das espécies integrantes do projeto "Produção, processamento e comercialização de ervas medicinais, condimentares e aromáticas", coordenado pela Embrapa Transferência de Tecnologia - Escritório de Negócios de Campinas (SP), a qual está sendo cultivada e multiplicada nas unidades demonstrativas da Embrapa Pantanal (Corumbá, MS), Embrapa Semi-Árido (Petrolina, PE) e nos Escritórios de Negócios de Dourados (MS), Canoinhas (SC) e Petrolina (PE). Esse projeto contempla também o treinamento de técnicos e a qualificação de pequenos agricultores e seus familiares na produção e manipulação de ervas, fundamentadas em boas práticas agrícolas.

Orégano
Orégano

DESCRIÇÃO BOTÂNICA

Planta perene de caule ereto, por vezes corado de vermelho, com 4 ângulos e ramoso na extremidade superior, podendo atingir até 80 cm de altura; folhas inteiras, pecioladas, ovais, pontiagudas e quase sem pêlos; flores numerosas, cor de rosa púrpura; rizoma rastejante, escuro e com raízes fibrosas.

COMPOSIÇÃO QUÍMICA

Taninos, timol, fenóis, origaneno e caneacol.

FORMAS DE PROPAGAÇÃO

Sementes ou mudas produzidas por estaquia a partir de ramos ou divisão de touceiras.

CULTIVO

Espaçamento de 20 x 30 cm entre plantas, em regiões de clima temperado brando.Tem preferência por solos férteis e bem drenados.

COLHEITA E BENEFICIAMENTO

A colheita dos ramos e folhas deve ser realizada antes da floração. Após a secagem, os ramos devem ser batidos e peneirados; para comercialização, as folhas são secas separadamente.

REQUISITOS BÁSICOS PARA UMA PRODUÇÃO DE SUCESSO:

Utilizar sementes e material propagativo de boa qualidade e de origem conhecida: com identidade botânica (nome científico) e bom estado fitossanitário.
O plantio deve ser realizado em solos livres de contaminações (metais pesados, resíduos químicos e coliformes).
Focar a produção em plantas adaptadas ao clima e solo da região.
É importante dimensionar a área de produção segundo a mão-de-obra disponível, uma vez que a atividade requer um trabalho intenso.
O cultivo deve ser preferencialmente orgânico: sem aplicação de agrotóxicos, com rotação de culturas, diversificação de espécies, adubação orgânica e verde, controle natural de pragas e doenças.
A água de irrigação deve ser limpa e de boa qualidade.
A qualidade do produto é dependente dos teores das substâncias de interesse, sendo fundamentais os cuidados no manejo e colheita das plantas, assim como no beneficiamento e armazenamento da matéria prima.
Além dos equipamentos de cultivo usuais, é necessária uma unidade de secagem e armazenamento adequada para o tipo de produção.
O mercado é bastante específico, sendo importante a integração entre produtor e comprador, evitando um número excessivo de intermediários, além da comercialização conjunta de vários agricultores, por meio de cooperativas ou grupos.

REFERÊNCIAS

FERRI, M. G.; MENEZES, N. L. de; MONTEIRO-SCANAVACCA, W. R. Glossário Ilustrado de Botânica. 1 ed. São Paulo, SP: NOBEL, 1981, 197p, il.
JACOBS, B. E. M. Ervas: como cultivar e utilizar com sucesso. São Paulo, SP: NOBEL, 1995, 215p. il.
LOW, T.; RODD, T.; BERESFORD, R. Segredos e virtudes das plantas medicinais: um guia com centenas de plantas nativas e exóticas e seus poderes curativos. Reader´s Digest Livros. Rio de janeiro, RJ. 1994, 416p. il.
SARTÓRIO, M. L.; TRINDADE, C.; RESENDE, P.; MACHADO, J. R. Cultivo de plantas medicinais. Viçosa, MG: Aprenda Fácil, 2000, 260p: il.

Fonte: www.campinas.snt.embrapa.br

Orégano

NOME CIENTIFICO: Origanum vulgaris

DESCRIÇÃO DA PLANTA

Erva perene que pode variar entre 25 a 80cm de altura. É herbácea, com raízes em forma de caules subterrâneos. Bastante ramificada, com folhas pequenas, ovais e pecioladas. Suas flores são pequenas, podendo variar do púrpura ao branco.

AROMA E SABOR

Possui um forte aroma e um sabor um tanto amargo.

ORIGEM

Ásia e Europa.

COMPOSIÇÃO

O óleo essencial desta planta possiu cervacol, cimeno, linanol e tonino (substâncias que garantem as propriedades digestivas).

PROPRIEDADES

Digestivas

FUNÇÕES TERAPÊUTICAS

O carvacol, substância contida em suas folhas, ativa as defesas do corpo, além de matar germes na comida
Combate a tosse, bronquite e cólicas intestinais, quando usada como infusão

HISTÓRIA

A palavra “oregano” tem origem grega, e quer dizer “alegria da montanha”. Para os gregos esta erva possuía a magia de trazer felicidade.

PARTES USADAS

Folhas.

FORMAS EM QUE SE ENCONTRA

Pode ser encontrado fresco ou seco.
Quando se usa o orégano seco, é conveniente friccioná-lo entre as palmas das mãos, para que libere melhor o seu aroma.

COMO CONSERVAR

Fresco: Lave bem as suas folhas e coloque-as em recipientes fechados ou em saquinhos próprios para alimentos e guarde-os na geladeira, por até três dias.
Seco:
Coloque-o em recipiente fechado, em lugar protegida da luminosidade e umidade. Use-o antes de completar um ano, pois a partir de então suas propriedades aromáticas começam a se perder.

CURIOSIDADES MISTICAS

Na aromaterapia, o óleo essencial de orégano, misturado à água do banho, funciona como relaxante.

USO GERAL

Além de ser um ótimo tempero, muito usado na cozinha italiana, ele também é usado na cosmética, (caspa - ferva 30 gramas de orégano em um litro de água por 10 minutos, coe e enxágüe os cabelos limpos).Esta erva também pode ser usada na água do banho para aliviar dores reumáticas e musculares.

USO INDICADO EM ALIMENTOS

De preferência, não cozinhe este tempero, seja ele fresco ou seco, adicione-o ao prato depois de pronto, pois ele perde seus benefícios terapêuticos com o cozimento.

Molhos à base de tomate
Saladas
Massas em geral

Fonte: www.sensibilidadeesabor.com.br

Orégano

Nome científico: Origanum vulgare
Família: Labiadas
Nome comum: orégano, mangerona-silvestre, mangerona-selvagem
Origem: Ásia Ocidental e Europa Mediterrânea

Orégano
Orégano

Descrição e característica da planta

Planta herbácea rasteira de caule flexível e folhas pequenas verdes ou variegadas de creme,perfumadas.

É cultivada como tempero de pratos salgados.

O orégano é uma planta perene, herbácea, com 25 a 80 centímetros de altura. Ela forma novas plantas ao lado da planta mãe através de brotações dos rizomas (caules subterrâneos). Existem várias espécies do gênero Origanum, nativas do Mediterrâneo e todas usadas como tempero. Entre elas estão o Origanum sativum (conhecido como orégano brasileiro) e Origanum laevigatum (orégano vermelho ou ornamental).

As folhas de Origanum vulgare são pequenas, de forma oval, tenras e de cor verde-clara. São muito parecidas com as da manjerona (Origanum majorana ou Mamorana hortensis). A diferença está no tamanho, na cor das flores (as da manjerona são violáceas ou branco-esverdeadas), no aroma e na textura das folhas.

As flores do orégano são pequenas e de diversas cores: púrpura, rosa, branca ou uma mistura delas. No Brasil, há algumas regiões onde o orégano nunca floresce.

As condições favoráveis ao seu bom desenvolvimento são:

1) Em locais mais quentes : Ele ganha aroma mais intenso, sabor mais picante e perfume mais persistente
2) Solos:
Boa drenagem, ricos em matéria orgânica
3) Insolação:
Deve ficar em pleno sol
4) Área de plantio:
Protegidas de ventos fortes e frios. A propagação é feita através de divisão das touceiras, por enraizamento de estacas ou por sementes. Os dois primeiros são os mais indicados pela rapidez na formação das plantas e para manter as mesmas características da planta mãe.

Produção e produtividade

No primeiro ano, com um corte no início do florescimento, orégano rende aproximadamente 3 toneladas métricas de folhas recém-colhidas por hectare. A partir do segundo ano, são feitos 2 cortes por ano, com produção em torno de 15 toneladas métricas por hectare-ano. Na secagem há redução de peso de 4 para 1, isto é de 100 quilos de folhas e flores recém-colhidas resultarão em 15 a 20 quilos de produto seco. A secagem deve ser feita à sombra, porque a luz solar destrói o óleo essencial. A partir de 6 a 8 anos, se houver redução na produção deve ser feita nova plantação. Da planta pode ser extraído um óleo, que tem um rendimento de 2 quilos por tonelada métrica de material seco ou cerca de 30 quilos por hectare.

Utilidade

O orégano é um dos temperos mais usados na culinária, como em molhos de tomate, berinjela à parmegiana, massas, pizzas, queijos frescos, requeijão, saladas diversas, caldeiradas e alguns tipos de churrasco. A planta é indicada como medicinal. As folhas secas e inteiras contêm cerca de 1,8% de óleo essencial e, quando trituradas, 1,5%.

Fonte: globoruraltv.globo.com

Orégano

Orégano
Orégano

De onde vem?

O nome da erva tem sua origem na Grécia Antiga, quando o pai da Medicina, Hipócrates, a chamou de Origanon – “erva amarga” ou “alegria da montanha” são alguns de seus significados prováveis. Antes de ser descoberta como especiaria, o orégano era muito apreciado pelos gregos na forma de óleo para banho. Eles acreditavam, inclusive, que ele poderia trazer felicidade plena.

Ajuda como?

As prioridades medicinais dessa erva já eram conhecidas desde o Egito Antigo. O chá de orégano é indicado para o tratamento de tosse, dor de cabeça e para aliviar a irritação, além de ser usado para aliviar o enjôo do mar. Apresenta, também, benefícios ao aparelho digestivo e atua contra cólicas intestinais.

Plante em casa!

É realmente muito fácil cultivar o orégano em casa, mas para que ele se desenvolva e tenha maior longevidade, o ideal é plantá-lo em um vaso de tamanho médio/grande ou ainda em um canteiro ou jardineira.

A planta forma moitas rasteiras com flores pequenas na cor púrpura, branca ou rosa e seu plantio deve ser feito em solo leve e rico, que receba luz do sol direta e que seja protegido pelo vento.

Fonte: guiadereceitas.uol.com.br

Orégano

Orégano
Orégano

Ah o orégano! Como preparar um prato sem utilizá-lo? Como pensar em uma pizza ou um espaguete sem aquele aroma característico? Pelo que conhecemos dá até para pensar que foram os italianos os que primeiro utilizaram esta planta fabulosa. Mas não foi. Os gregos foram os que primeiro aprenderam a utilizar esta erva aromática. Usavam até mesmo para aromatizar vinhos. O seu nome deriva do grego e tem o significado de esplendor da montanha. Mas logo já se espalhou por todo o Mediterrâneo, caracterizando os pratos daquela região.

Planta muito aromática e muito saborosa, apreciada até por quem não gosta de condimentos. Até hoje não encontrei ninguém que tenha falado que não gosta do orégano na comida. Encontramos dezenas de variedades espalhadas principalmente pela Europa, e de mais variados tipos e sabores. Mas de uma forma geral são plantas pequenas, de porte baixo, chegando no máximo a 0,5 m de altura, com caules eretos, finos, formando um verdadeiro tapete no canteiro. Suas folhas são pequenas, atinge no máximo 3,5 cm, de formato ovalado, com presença de pequenos pelos, de coloração verde escuro a acinzentado. Produz flores de coloração rosada a branca. As partes utilizadas são as folhas e as pétalas. O mais desejado são as pétalas, mas como a produção é mais difícil e o preço é mais caro, de forma geral utilizam-se mais as folhas.

O orégano contém resinas, gomas, taninos e principalmente óleos, que é o princípio mais desejado.

O orégano na Europa é muito empregado como planta medicinal, já no Brasil nem tanto, mas isto é por desconhecer as propriedades desta planta. Para nevralgias e abscessos pegue uma xícara de café de vinho tinto e coloque cerca de 10 g de folhas e flores de orégano. Leve ao fogo brando e após levantar fervura desligue.

Deixe amornar e friccione sobre o local com o vinho, em caso de abscesso pegue o orégano e prepare um cataplasma sobre o local. Também é utilizado para asma, bronquites, como depurativo e até para resfriados. Possui ação carminativa e digestiva, por isso pode-se preparar um chá e tomar após as refeições para facilitar a digestão. Para cólicas menstruais auxilia muito, pois possui uma ação emenagoga muito boa.

Provavelmente é a erva condimentar mais conhecida e mais utilizada no Brasil. É muito empregada na cozinha do dia-a-dia. Vai muito bem em saladas, molhos, principalmente de tomate, carnes de todos os tipos e preparadas de todas as formas, massas italianas, patês, etc... Eu particularmente não gosto de misturar o orégano com o manjericão, pois fica um sabor muito forte e meio que misturado, não compondo muito bem.

Mas pode ser utilizado juntamente com a noz-moscada, o louro, pimenta-do-reino entre outros. Para o preparo de um patê de ervas muito gostoso pegue ½ copo de orégano, ½ copo de manjerona, ½ copo de tomilho, ½ copo de salsa desidratada, pimenta calabresa a gosto, ½ copo de hortelã fresca, 1 pitada de páprica picante, 1 pitada de pimenta-do-reino, 1 pitada de noz-moscada, 1 copo de azeite, 2 copos de vinagre branco e 1 pimenta vermelha. Bata tudo no liquidificador e se precisar adicione mais azeite e ½ limão.Bata muito bem para que haja uma boa quebra das ervas e uma boa mistura entre elas. Coma com pães dos mais variados tipos e torradas. Em uma vasilha adicione azeitonas verdes, azeitonas pretas, queijo prato picado em cubos, salsicha tipo Viena cortada em fatias de uns 2 cm aproximadamente, ovos de codorna cozidos, alcaparras, cebola, cebolinha e salsa.

Adicione azeite, vinagre, sal e pimenta-do-reino a gosto, orégano e noz-moscada.Mexa bem e coloque em uma vasilha bem tampada na geladeira. Sirva como tira gosto com uma cerveja bem gelada ou até mesmo com um bom vinho de mesa tinto. Lembre-se de quando utilizar o orégano colocá-lo alguns minutos antes que o prato esteja pronto, e se tiver o orégano fresco coloque na hora de desligar o fogo. Bom apetite.

Fonte: www.jperegrino.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal