Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Rúcula  Voltar

Rúcula

Rúcula

Benefícios

Rica em proteínas e vitaminas A e C

Contém cálcio e ferro

Pobre em calorias

A rúcula, também conhecida como mostarda persa, é uma planta da família da mostarda e, assim como esta, a rúcula também tem sabor picante, embora seja mais forte e mais amargo.

Na culinária, o uso da rúcula é um pouco restrito devido a seu sabor, tão forte que elimina o dos outros alimentos. No entanto, é um excelente complemento de refeições mais pesadas, como carne de porco. Pode ser preparada crua, em saladas, ou refogada, preparo excelente para recheio de pizzas.

Os nutrientes da rúcula são semelhantes aos da mostarda. é rica em proteínas, vitaminas A e C, e sais minerais, principalmente cálcio e ferro. Também é um excelente estimulante de apetite.

A rúcula é vendida em maços. Quando fresca, as folhas são bem verdes, firmes e viçosas. Se amareladas, murchas ou com pequenos pontos pretos, já não servem para o consumo. Para saber quanto comprar, calcule 1 maço para 4 pessoas (se for preparar salada) e 2 maços se for refogar.

Para conservar a rúcula por 2 ou 3 dias, coloque em saco plástico e guarde na gaveta da geladeira.

Uma porção de 35gs de rúcula fornece apenas 7 calorias.

Fonte: www.ufms.br

Rúcula

Rúcula

É uma hortaliça herbácea da família Cruciferae, anual, de porte baixo, originária do sul da Europa e da parte ocidental da Ásia. Suas folhas tenras são muito apreciadas na forma de salada, em São Paulo e no Sul do Brasil.

É importante, também, no sul da Europa, no Egito e no Sudão. Na Índia, é cultivada em função da pungência e do conteúdo de óleo das sementes; rica em vitamina A e C, potássio, enxofre e ferro, tem efeitos anti-inflamatório nos intestinos e desintoxicante para o organismo humano.

Em São Paulo, as principais microrregiões produtoras são Paranapiacaba, Grande São Paulo, Sorocaba e Campinas, cabendo as duas primeiras quase 90% da produção.

Cultivares

Cultivada, Dinamarquesa.

Zoneamento agrícola

A rúcula necessita de temperaturas amenas (15 a 18oC) para bom desenvolvimento e qualidade. Temperaturas elevadas induzem ao florescimento precoce, prejudicando a produção; as folhas ficam menores e rijas, pungentes e amargas. Quanto aos solos, prefere os de textura média.

Época de plantio

a) no planalto paulista: março a julho
b) em regiões altas e de clima ameno: o ano todo
c) em baixas altitudes: abril a junho

Espaçamento

20 a 25 cm x 5 cm.

Densidade

560.000 a 1.400.000 plantas/hectare.

Propagação

Por sementes

Cada grama de semente contém 550 a 580 sementes.

Sementes necessárias

1,2 a 2,5 kg/ha.

Técnica de plantio

Semeadura direta, manual ou mecanizada, em sulcos, a 0,5cm de profundidade, estabelecidos em canteiros de 1,0m de largura e 20 a 40cm de altura.

Controle da erosão

Canteiros em nível.

Calagem e adubação

Aplicar calcário para elevar a saturação por bases a 80%, 2 meses antes do plantio. A adubação de pré-plantio (20 dias antes da semeadura) consta da aplicação, por hectare, de 60 a 80t de esterco curtido de curral, ou um quarto dessa quantidade de esterco de galinha, 40kg de N, 200 a 400kg de P2O5, 50 a 150kg de K2O, conforme a análise de solo e 1kg de B. Em cobertura, aplicar 120kg/ha de N, parcelados aos 7, 14 e 21 dias após a emergência das plântulas.

Controle de pragas e doenças

a) pragas: pulgão, lagarta mede-palmo e lagarta-rosca, principalmente nos plantios feitos sob temperaturas elevadas

b) doenças: ferrugem branca das folhas, mancha de Alternaria, mancha de Cercospora, mancha de Septoria, damping-off. Não há produtos registrados para a cultura (até janeiro/95).

Outros tratos culturais: controle do mato (não há herbicidas registrados à cultura)

Desbaste do excesso de plantas.

Irrigação

Exigente em água - 10 a 20 litros de água por metro quadrado de canteiro - desde que não haja encharcamento, que é o fator predisponente ao tombamento das mudas, amarelecimento e menor desenvolvimento das folhas.

Colheita

Cerca de 30 a 40 dias após a semeadura. Em culturas comerciais, a rúcula colhida de uma só vez, arrancando-se as plantas inteiras (folhas e raízes).

Em cultivos para consumo próprio ou local, cortam-se as folhas próximas ao solo, porém sempre acima da gema apical, para permitir novas colheitas.

Produtividade normal

1.700 a 2.000 maços/ha.

Rotação de culturas

Com hortaliças de outras famílias, leguminosas de adubação verde e cereais.

Armazenamento e comercialização

a) armazenamento: em saco plástico em câmara fria (4 a 10oC) e úmida (90 a 95%)

b) comercialização: em maços de 0,5kg.

Fonte: www.agrov.com

voltar 1234567avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal