Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Tipos de Alimentos  Voltar

Tipos de Alimentos

Tipos de Alimentos

LEITE E DERIVADOS

QUEIJO

Derivado do leite, em sua fabricação são adicionadas bactérias que atuam no organismo para melhorar o funcionamento do sistema imunológico. Como é rico em cálcio, também fortalece ossos e dentes. Os queijos brancos são recomendados para a prevenção do diabetes. Também ajudam no controle da pressão arterial.

LEITE

Rico em cálcio, fortalece os ossos e dentes, combate a osteoporose. Na versão desnatada, ajuda a controlar a pressão arterial, reduzindo assim os riscos de problemas cardíacos. É recomendado para a prevenção do diabetes. Consumido quente, pela manhã, evita a formação de pedras na vesícula. Mas cuidado, não exagere na dose. Em excesso, pode provocar a formação de cálculos renais.

IOGURTE

Contém um antibiótico natural que bloqueia a atividade da bactéria causadora da úlcera de estômago. Assim como o leite, ajuda a fortalecer ossos e dentes, combatendo ainda a osteoporose. Os desnatados são recomendados ainda para a prevenção do diabetes. Eles ajudam no controle da pressão arterial, diminuindo o risco de problemas cardíacos. O consumo de iogurtes não deve ser exagerado. Em excesso, pode causar pedras nos rins.

FRUTAS, VERDURAS E LEGUMES

MAMÃO

Combate a anemia, porque ajuda o organismo a absorver mais ferro. Colabora com o bom funcionamento dos intestinos, facilitando a digestão, principalmente de proteínas.

Mas um alerta: em excesso, pode soltar o intestino

BANANA

Auxilia na redução da pressão arterial e evita a formação de pedras nos rins.
É indicada para quem sofre de úlcera e gastrite devido a seu teor elevado de amido. Contém zinco, betacaroteno e vitaminas B, B6, C e E que melhoram a saúde dos olhos e o funcionamento do sistema imunológico. Está ainda associada à prevenção de cânceres e diabetes.

Só um detalhe: consumida em excesso, prende o intestino.

LARANJA

Indicada para quem tem anemia porque facilita a absorção do ferro pelo organismo. Contém zinco, betacaroteno e vitamina E que fortificam a saúde dos olhos.

Consumida em excesso, pode soltar o intestino. Devido à acidez, deve ser evitada por quem sofre de úlcera e gastrite.

Quem tem problemas renais deve dobrar a atenção: a laranja possui oxalato, que está relacionado à formação de pedras.

ABACAXI

Facilita a digestão, sobretudo de proteínas. Ajuda ainda no controle da pressão sanguínea e na eliminação de toxinas. Também deixa o corpo mais resistente contra gripes e resfriados. Devido à acidez, deve ser evitado por quem sofre de úlcera e gastrite.

MAÇÃ

Ajuda na calcificação de ossos. Possui fitoquímicos, substâncias naturais que na corrente sangüínea se encarregam de levar o colesterol ruim para órgãos secretores. Consumida em excesso, deixa o intestino preso.

BATATA

Rica em potássio, ajuda a manter a pressão arterial sob controle, reduzindo o risco de problemas cardiovasculares. Evita o acúmulo de oxalato, uma substância que pode provocar a formação de pedras nos rins. Devido ao teor elevado de amido, é indicada para quem sofre de úlcera e gastrite. Tem zinco, betacaroteno, vitaminas B, B6, C e E que fortalecem o sistema imunológico e melhoram a visão e a saúde bucal.

TOMATE

Combate anemia, pois facilita a absorção do ferro pelo organismo. No homem, ajuda a prevenir o câncer de próstata. Reduz o risco de doenças cardíacas. Devido à sua acidez, há restrições para quem sofre de úlceras, gastrite e problemas renais.

COUVE

Possui muscilagem, substância que protege a parede do estômago. Por isso é recomendada para quem sofre de problemas como úlcera e gastrite. Contém ainda ferro, magnésio e betacaroteno que fortalecem ossos e o sistema imunológico, ajudando no combate à anemia e à osteoporose. Está associada à produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar. Rica em vitaminas B, C e E garante o bom funcionamento da visão e a recuperação depois de gripes e resfriados. O consumo deve ser limitado por quem tem doenças hepáticas.

RÚCULA

Facilita o trabalho da vesícula, impedindo a formação de pedras. Regula o intestino e contribui com a prevenção de câncer e diabetes.

PIMENTÃO

Ajuda o organismo a absorver ferro. Por isso, é indicado para quem tem anemia. Rico em vitamina C, deixa o sistema imunológico mais fortalecido. Facilita a absorção de cálcio, responsável pelo controle da pressão arterial.

ALFACE

Contém fibras que regulam o intestino. Rica em água, hidrata o organismo. Ajuda ainda na prevenção do câncer e diabetes.

BRÓCOLIS

Ajuda o organismo a absorver mais ferro, evitando anemia. Rico em cálcio e magnésio, fortalece dentes e ossos, prevenindo a osteoporose. Possui antioxidantes que melhoram o funcionamento do sistema imunológico. Age ainda no controle da pressão arterial e na eliminação do oxalato, substância relacionada à formação de pedras nos rins. Mantém o bom funcionamento dos intestinos e contribui com a prevenção de câncer e diabetes.

ESPINAFRE

Contém ferro, betacaroteno, zinco e vitaminas C e E que fortalecem o sistema imunológico, melhoram a visão e combatem a anemia. Ajuda na produção de serotonina, hormônio responsável pela sensação de bem-estar. Não é recomendado para quem tem problemas de fígado ou rins.

CENOURA

Tem zinco, betacaroteno e vitaminas A, C e E que fortalecem o sistema imunológico e garantem a capacidade de visão.

GRÃOS

SOJA

Rica em cálcio e vitamina E, faz bem para o fígado e deixa o sistema imunológico mais fortalecido. Ajuda ainda no controle da pressão arterial. Aumenta a calcificação de ossos e dentes, prevenindo a osteoporose. Há restrições para quem tem problemas renais.

FEIJÃO

Eficaz no combate à anemia. Fortalece ossos e dentes, prevenindo a osteoporose. Ajuda a manter a pressão arterial sob controle e melhora o funcionamento do sistema imunológico. A ingestão aumenta os níveis de serotonina, hormônio que dá sensação de bem-estar.

Alerta: há restrições para quem tem problemas de fígado.

ARROZ

Possui magnésio e citrato que ajudam a remover do organismo o oxalato, substância que provoca a formação de pedras nos rins. Como também é rico em amido, recomenda-se para quem sofre de problemas gástricos, como úlcera. A ingestão aumenta os níveis de serotonina, hormônio que dá sensação de bem-estar.

CARNES E OVOS

FRUTOS DO MAR

São ricos em ômega 3, um ácido capaz de transportar o colesterol ruim da corrente sangüínea para o fígado, onde é quebrado evitando a formação de placas de gordura nas artérias. Ajuda, portanto, a baixar os riscos de doenças cardíacas, como o infarto. Deixa as defesas do organismo mais resistentes e amplia a capacidade respiratória. Como os peixes, deve ser evitado por quem tem produção elevada de ácido úrico.

PEIXES

Os mais magros, como a pescada e o bacalhau, ajudam a remover o oxalato, uma substância que em acúmulo no organismo provoca cálculos renais. Salmão, truta e demais espécies oleosas facilitam a absorção do cálcio, prevenindo a osteoporose. Há restrições no consumo para quem produz muito ácido úrico.

OVOS

Combate a osteoporose, melhora a visão e evita problemas bucais, principalmente a gengivite. Como aumenta o nível de colesterol do sangue, deve ser consumido com moderação. O limite gira em torno de 1,5 gema por dia para quem leva uma vida sedentária. Esta restrição também vale para quem sofre de diabetes. Pessoas que têm problemas de fígado (hepatite, por exemplo) devem evitar ovos.

AVES

Possuem uma quantidade pequena de gordura e liberam pouco colesterol ruim na corrente sanguínea durante a digestão. O consumo moderado é, portanto, mais saudável que o das carnes vermelhas. Entretanto, possui pouco ferro, ajudando menos no combate à anemia. Comer demais acentua o risco de doenças como o câncer.

CARNE BOVINA

Recomenda-se consumir, no máximo, 80 g por dia. Caso contrário, funcionará como fator de risco para doenças cardíacas, câncer, diabetes e cálculos renais. Com moderação, ajuda a combater a anemia, a fortalecer o sistema imunológico do organismo e aumentar a capacidade respiratória.

EMBUTIDOS

O consumo exagerado de presunto, salame, mortadela e outros embutidos pode causar pressão alta. Isso devido à alta concentração de sódio usada no processo de conserva.

FÍGADO

Combate a anemia e aumenta a resistência do sistema imunológico. Possui elementos químicos, tais como o selênio e zinco, que melhoram o desempenho do cérebro. Há restrições no consumo para quem produz muito ácido úrico. O acúmulo da substância provoca cálculos renais.

PORCO

Eficiente no combate à anemia.

BEBIDAS

VINHO

Os flavonóides presentes nas uvas vermelhas ajudam a reduzir a taxa de colesterol ruim do sangue.

CERVEJA

Beber com moderação ajuda a vesícula a liberar a bile, líquido que quebra as moléculas de gordura no organismo. Pessoas que sofrem de enxaquecas ou produzem grande quantidade de ácido úrico devem evitar a bebida. O excesso causa problemas no fígado e estômago (gastrite, por exemplo).

REFRIGERANTE

O gás faz mal para a mucosa estomacal. Pode provocar gastrite, e em casos mais avançados, até úlceras.

ÁGUA

Age na eliminação de toxinas do organismo e evita a formação de pedras nos rins.

Detalhe: para isso, é preciso tomar pelo menos dois litros diariamente.

ÓLEOS E TEMPEROS

ALHO

Têm baixo valor nutritivo, mas são muito ricos em flavonóides, substâncias que ajudam a reduzir a taxa de colesterol ruim do sangue.

CEBOLA

Têm baixo valor nutritivo, mas são muito ricos em flavonóides, substâncias que ajudam a reduzir a taxa de colesterol ruim do sangue.

ÓLEO VEGETAL

Ricos em vitamina E, ajudam a fortalecer o sistema imunológico. Mas isso só vale para os óleos fabricados sem refinamento – processo que deixa um óleo mais estável. No mercado, eles são conhecidos por CIS. O consumo exagerado leva à formação de colesterol na corrente sangüínea, causando problemas cardiovasculares.

ÓLEO DE SOJA

O consumo em excesso libera colesterol ruim na corrente sanguínea, aumentando os riscos de problemas cardiovasculares.

SAL

Em excesso, o sódio nele existente causa pressão alta àqueles que já têm pré-disposição.

AZEITE DE OLIVA

Dentre seus vários nutrientes, destaca-se o ômega-3, um ácido capaz de transportar o colesterol ruim da corrente sangüínea para o fígado, onde é quebrado evitando a formação de placas nas artérias. Ajuda, portanto, a baixar os riscos de doenças cardiovasculares, como o infarto. Não é recomendável o consumo em excesso.

GULOSEIMAS

BISCOITO DOCE

É uma bomba. Combina gordura e açúcar, dois nutrientes difíceis de digerir e que, consumidos em excesso, vão parar direto na corrente sanguínea na forma de colesterol ruim – que provoca doenças cardiovasculares.

AMENDOIM

Rico em oxalato, substância que causa pedras nos rins, deve ser consumido com moderação, ainda que ofereça nutrientes que ajudam no bom desempenho mental.

SALGADINHO

Combinação explosiva. Feitos à base de gordura e sal, vão parar na corrente sangüínea na forma de colesterol ruim sempre que consumidos em excesso. E isso é um passo para aumentar os riscos de adquirir problemas cardíacos.

CHOCOLATES

Possui alcalóides, um estimulante natural. Há estudos mostrando que melhora o humor e a concentração. O consumo exagerado causa um efeito contrário, levando à ansiedade e aumentando a pressão arterial. Pode causar dependência, provocar dor de cabeça, cansaço e depressão (em caso de abstinência). Há restrições para quem tem problemas digestivos e renais.

BARRA DE CEREAIS

Garantem o bom funcionamento dos intestinos devido à quantidade de fibras.

MASSAS E AÇÚCARES

PÃO

Tem serotonina, hormônio que dá sensação de bem-estar. Alguns pães, ricos em nitrito, podem provocar crises de enxaqueca em pessoas que já sofrem com o problema. Pães integrais ajudam no bom funcionamento dos intestinos.

AÇÚCAR

A queima vira energia para ser usada nas atividades do dia-a-dia. O problema é que, ao abusar, as pessoas criam estoques energéticos que acabam se transformando em gordura localizada, principalmente na região da barriga. E, como se sabe, este é um passo rumo à obesidade, fator de risco de doenças cardiovasculares e do diabetes.

ADOÇANTE

Contém grande quantidade de nitrito, que pode causar enxaqueca em quem já sofre com o problema.

MACARRÃO

Tem serotonina, hormônio que dá sensação de bem-estar. As massas integrais ajudam a regular o funcionamento dos intestinos.

Fonte: www.geocities.com

Tipos de Alimentos

Tipos de Alimentos

Alimentos que provêm de fontes originais da natureza sem no entanto terem sido obrigatoriamente produzidos com os insumos modernos.

São os alimentos que não foram produzidos em laboratórios como por exemplo, sabores e corantes artificiais de frutas, verduras, leite e tantos outros químicos empregados na moderna indústria de alimentos. Além disto, para nós é o alimento apropriado à espécie humana. Mas lembre-se este produto pode ou não ser orgânico, você precisa saber como é o seu processo de produção.

O QUE É UM ALIMENTO INTEGRAL

São os alimentos que mantêm, ao serem consumidos, todos os seus integrantes nutricionais básicos. Por exemplo, farinha de trigo integral gerará um produto com a totalidade dos ingredientes básicos para um pão nutritivo. Se houver a ausência das fibras e do germe, obrigará que estes integrantes sejam compensados com outras fontes de nutrientes. Mas lembre-se este produto pode ou não ser orgânico, você precisa saber como é o seu processo de produção.

O QUE É UM PRODUTO ORGÂNICO

Alimentos que passaram a ser assim denominados para diferenciá-los de outros que também são produzidos naturalmente. No entanto, não são empregados em seu processo produtivo os chamados insumos modernos. Estes produtos são os venenos com química artificial, os adubos com alta solubilidade e as sementes ditas melhoradas e que são normalmente híbridas. Ainda se tolera como orgânico o alimento de sementes híbridas. Mas está totalmente excluída a semente transgênica, ou seja, aquela originária da engenharia genética. Em tempos mais recentes está se buscando excluir desta categoria, os produtos originários de propriedades rurais que não respeitam as questões humanitárias, tanto nas relações internas de trabalho como nos métodos de criação de animais.

O QUE É AGRICULTURA ORGÂNICA

Resumidamente, agricultura orgânica é o sistema de produção que exclui o uso de fertilizantes sintéticos de alta solubilidade, agrotóxicos, reguladores de crescimento e aditivos para a alimentação animal, compostos sinteticamente. Sempre que possível baseia-se no uso de estercos animais, rotação de culturas, adubação verde, compostagem e controle biológico de pragas e doenças. Busca manter a estrutura e produtividade do solo, trabalhando em harmonia com a natureza.

O QUE É UM PRODUTO ECOLÓGICO

É um estágio mais avançado em termos de concepção da qualidade do alimento. Além de serem produzidos dentro dos princípios da agricultura ecológica, é originado de um agricultor que tem a consciência de que outros fatores devem ser considerados para ter sua propriedade cem porcento ecológica. Na administração de seu cotidiano e de sua atividade produtiva, o agricultor demonstra ter soluções bem objetivas quanto ao destino de seu esgoto, por exemplo.

Tem a preocupação de reaproveitar todo o material que sobra de suas atividades, destina corretamente aquilo que realmente é lixo, tem noção de desperdício, da parcimônia, das relações coletivistas e da integração efetiva com outras áreas da sociedade para se alcançar, conjuntamente, uma melhor qualidade de vida para os dias de hoje e para os dias do amanhã. É caracterizado como um profissional que, ao desempenhar suas funções operacionais faz com ética e em harmonia por conhecer e amar a casa que habita (eco=oikus-casa / logia=logus-conhecimento). Ë o respeito com os animais que possue em sua propriedade, como por exemplo não Ter vacas ou gainhas em sistema de confinamento, todos animais deve Ter otima qualidade de vida, como galinhas que andam, ciscam, tomam sol e o mesmo deve ocorrer com o plantel de vacas que devem pastar, tomar sol e serem bem tratadas.

HIDROPONICO NÃO É ORGÂNICO

A hidroponia produz na água e seus produtos obtém nutrientes através de adubos químicos solúveis. É produzida sem solo e em estufa, sendo que não imita os procedimentos da natureza que prega a agricultura orgânica. Pode-se produzir alface, pimentão , tomate e outros. O cultivo orgânico dispensa todos os produtos químicos e utiliza apenas adubos naturais.

UM PRODUTO NATURAL NÃO E A GARANTIA DE UM PRODUTO SER ORGÂNICO

Todo produto vegetal é natural, mesmo aquele cultivado com agrotóxicos e adubos químicos. Portanto, produto natural não significa necessariamente que seja produto orgânico. Procure a palavra "orgânico" na embalagem ou conhecer a procedência do mesmo.

PRODUTO QUE NÃO LEVA CONSERVANTES OU ADITIVOS QUIMÍCOS NÃO TEM A GARÂNTIA DE SER UM PRODUTOS ORGÂNICO

Pães caseiros, rapaduras, geléias, bolos, iogurtes entre outros que são vendidos em feiras como produtos coloniais não tem a garantia de que foram produzidos sem veneno. Porque os insumos que foram utilizados para sua produção (leite, farinha, frutas) precisa Ter uma procedência que de que são orgânicos.

O QUE É UM PRODUTO TRANSGÊNICO

Todos os seres vivos(planta, animais, pessoas e microorganismos) tem dentro de suas células um registro que diz como ele e seus filhos vão ser, é nosso código genético. Os seres vivos trocam seus genes através do cruzamento sexual, o que era possível entre seres da mesma espécie, ou entre espécies muito próximas.

Agora se descobriu a forma de pegar genes de uma espécie e colocar em outra bem diferente..

Pode-se tirar de uma animal e colocar em uma planta, ou tirar de um homem e colocar em um animal. Os seres vivos que saem destas experiências não são mais uma criação da natureza, mas sim uma manipulação do homem, organismos geneticamente modificados em laboratóios, os TRANSGÊNICOS.

Exemplo de um milho transgênico, o Milho Bt: O milho Bt contém pedaços do DNA de uma bactéria comum de solo. Para quê? Com este DNA da bactéria, o milho consegue produzir na sua seiva uma toxina fabricada naturalmente pela bactéria e que mata lagartas que atacam o milho, Assim, a lagarta morre ao comer qualquer parte do Milho Bt. O nome Bt vem das iniciais da bactéria chamada Bacillus thuringiensis. Nos Estados Unidos, o milho Bt é regulamentado pelo mesmo orgão do governo que trata dos agrotóxicos e não pelos que tratam da agricultura orgânica.

A QUEM PERTENCE A SEMENTE TRANSGÊNICA

As empresas que comercializam sementes transgênicas obrigam o agricultor a assinar um contrato cheio de regras, como pagar uma taxa adicional pela tecnologia, não podem guardar parte da colheita para usar como sementes na próxima safra, se o agricultor não planta transgênicos mas foi contaminado por seu vizinho, ele tem que provar que não roubou a semente.

Fonte: www.penaterra.com.br

voltar 12345avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal