Breaking News
Home / Obras Literárias / Amor, co a esperança perdida (1595)

Amor, co a esperança perdida (1595)

Sonetos de Luís Vaz de Camões

PUBLICIDADE

Amor, co a esperança já perdida,

teu soberano templo visitei;

por sinal do naufrágio que passei,

em lugar dos vestidos, pus a vida.

Que queres mais de mim, que destruída

me tens a glória toda que alcancei?

Não cuides de forçar me, que não sei

tornar a entrar onde não há saída.

Vês aqui alma, vida e esperança,

despojos doces de meu bem passado,

enquanto quis aquela que eu adoro:

nelas podes tomar de mim vingança;

e se inda não estás de mim vingado,

contenta te com as lágrimas que choro.

Fonte: www.bibvirt.futuro.usp.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Velhas Árvores

Olavo Bilac PUBLICIDADE Olha estas velhas árvores, — mais belas, Do que as árvores mais …

Plutão – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Negro, com os olhos em brasa, Bom, fiel e brincalhão, Era a …

O Trabalho – Olavo Bilac

Olavo Bilac PUBLICIDADE Tal como a chuva caída Fecunda a terra, no estio, Para fecundar …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.