Breaking News
Home / Automóveis / BMW Série 5

BMW Série 5

PUBLICIDADE

O mais avançado BMW Série 5 de sempre: como um Sedan, Touring, ActiveHybrid, Gran Turismo se M5 Sedan.

Além disso a elegância impressionante e desempenho, estes veículos têm também uma variedade de diferentes qualidades que os torna indispensável no uso diário.

BMW Série 5
BMW Série 5 GT

A Série 5 GT é uma mistura de SUV com esportivo, ou seja, tem posição mais elevada para dirigir porem desempenho de em esportivo.

A BMW Série 5 GT é baseado na plataforma da próxima geração dos outros modelos da Série 5 . O GT mede 4,998 mm de comprimento, 1,901 mm de largura, 1,559 mm de altura e 3,070 mm de distância entre eixos.

O Série 5 GT será proposto com dois motores a gasolina, os já conhecidos 3.0 de 306 cv (535i GT) e o V8 de 4.4 litros (550i GT) com 408 cv, e um turbodiesel de 3 litros de cilindrada com 235 cavalos de potência (530d GT).

BMW Série 5
BMW Série 5

Desde que a BMW revelou as primeiras fotos da nova Série 5, só o que se tem comentado é seu desenho polêmico, que foge ao padrão tradicional da marca alemã.

Com isso, muitos se esqueceram do carrão que se esconde sob essa carroceria. Um carro bonito e estiloso, uma combinação arrojada de sedã de luxo com aspectos esportivo-futuristas, um sedã alemão que desperta atenção e curiosidade no trânsito.

Chris Bangle, o talentoso e controverso diretor de design da BMW, tentou com o novo Série 5 criar um meio-termo entre o médio Série 3 e o luxuoso Série 7.

Do primeiro vieram o dinamismo e a esportividade; do segundo, a elegância.

Mas, olhando para o modelo, fica claro que ele puxa mais para o irmão maior. Lá estão os fortes vincos no capô, o porta-malas recortado, a linha de cintura alta, a antena em forma de barbatana de tubarão e os faróis alongados.

Pelo menos o Série 5 não tem esquisitices do Série 7, como as lanternas que se prolongam pela tampa traseira. Seu maior destaque visual são os enormes faróis que se estreitam para as laterais, sempre acompanhando as linhas do capô. Eles conferem ao modelo uma cara de carro nervoso, incomum a sedãs de luxo. O ar esportivo é ressaltado pelas grandes rodas de aro 16, com pneus de perfil baixo (225/55 R16 95W). Os vincos do capô avançam sobre os pára-choques formando um grande “V” para quem observa o carro de frente.

Para os que reclamam da perda de identidade da marca, lá está a indefectível grade dianteira com filetes verticais, dividida em duas seções e coroada com o logotipo da hélice azul e branca.

Precisa mais que isso para identificar um legítimo BMW? Além disso, a marca estava perdendo seu caráter mais jovial em relação à rival Mercedes-Benz.

Seus carros estavam ficando previsíveis e conservadores, um perigo para sua imagem e para as vendas.

O excesso de ousadia de Chris Bangle pode desagradar aos fãs mais antigos, mas o designer está seguindo à risca a ordem de seus superiores: arriscar para colocar a BMW na vanguarda do estilo automotivo.

BMW Série 5
BMW Série 5

O teste do 530i, tem números que impõem muito respeito.

Logo na pesagem, o carro impressionou pelo perfeito equilíbrio entre os eixos traseiro e dianteiro: exatos 811 kg para cada lado.

A regularidade do desempenho também chamou a atenção: em cinco passagens de aceleração ele foi de 0 a 100 km/h em 8,8.

Fonte: icarros.uol.com.br

BMW Série 5

Chris Bangle já saiu, mas seu legado permanece. O polêmico ex-designer da BMW viu hoje a sua última criação conhecida dar o ar da graça, o Série 5 Gran Turismo. E mais uma vez causará celeuma entre os fãs da marca alemã.

Em vez de seguir a tendência mundial e criar um cupê de quatro portas, como já fizeram Mercedes-Benz, Volkswagen e Aston Martin, Bangle colocou mais ingredientes na fórmula e transformou o Série 5 GT numa mistura de cupê com sedã e utilitário esportivo.

A grande diferença estética do novo BMW é a traseira curta com a tampa do porta-malas dividida em duas partes. Lembra o X6, outro modelo original da marca, mas é mais baixo e sem atributos de off-road. Embora use a designação da Série 5, o GT tem visual diferente a ponto de ser um consenso que ele antecipe a nova geração do sedã, que deve ser lançada em 2010.

Versatilidade

Fica claro que a BMW quis reunir diversos atributos diferentes em um só carro. A posição de dirigir, por exemplo, é mais alta que a de um sedã. Os bancos traseiros oferecem espaço semelhante ao do Série 7 ou, se o proprietário preferir, podem avançar 10 cm, manter o conforto e ampliar o porta-malas de 440 para 590 litros.

Ao contrário do que possa parecer, o compartimento de bagagem é isolado da cabine de passageiros, assim como num sedã. Das peruas e minivans, a BMW trouxe o teto solar panorâmico e a versatilidade de configurações. A tampa do porta-malas, como citado, pode ser aberta no todo ou apenas uma peça, dependendo do tamanho do objeto a ser transportado.

São três versões disponíveis: 535i e 550i, ambas com motores a gasolina, e 530d, a diesel. A primeira usa um 6 cilindros em linha de 306 cv, a segunda, V8 de 407 cv e a terceira, um seis cilindros também, de 245 cv. A 550i acelera de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos, a 535i, em 6,3 segundos e a 530d, em 6,9 segundos. Todos os três são equipados com o novo câmbio automático de oito marchas inaugurado pelo Série 7.

O consumo da versão a diesel é impressionante – são apenas 15,4 km/l em média, valores de um carro popular a gasolina.

No mais, o Série 5 GT apresenta toda a sorte de equipamentos eletrônicos vistos em outros modelos da BMW como sistema ativo de direção, controles de tração, frenagem, estabilidade e programas de condução esportivos ou para trechos urbanos.

Fonte: www.fastdriver.com.br

BMW Série 5

BMW Série 5
BMW Série 5 GT (Gran Turismo)

O BMW Série 5 GT (Gran Turismo) tem três variações em termos de motorização.

São: 530d GT, 535i GT e 550i GT. O primeiro é a versão mais econômica e ecológica, pois usa um motor menor, de três litros, diesel. Apesar de ele ter 245 cavalos de potência, tem um ótimo consumo de 15,3 km/l de média.

As versões mais potentes 535i GT e 550i GT são para quem quer melhor performance. O primeiro tem um motor com seis cilindros em linha, twin- turbo, e 306 cavalos de potência. E o segundo tem o motor 4.4 V8 twin-turbo, de generosos 407 cavalos. É o mesmo que equipa a X6 e alguns modelos da Série 7.

A BMW Série 5 GT tem o novo câmbio automático de oito marchas, que até agora só foi usado no BMW 760i de 12 cilindros. É aquilo, um novo modelo recebe uma inovação antes dos outros, para que ele tenha um melhor apelo de venda.

BMW Série 5
BMW Série 5 GT (Gran Turismo)

A suspensão do Série 5 GT é feita praticamente toda de alumínio. O sistema Dynamic Drive Control é de série, e se você pedir o opcional Adaptive Drive, vai ter uma suspensão a ar que fica trabalhando sem parar para entregar a melhor estabilidade e conforto.

Apesar de o Série 5 GT ter preço alto (estimado em 60.000 euros na versão mais barata), ele vem com equipamentos que fazem jus ao preço. Podemos citar o iDrive com tela de 10 polegadas no painel, BMW ConnectDrive, Lane Departure Warning, Lane Change Warning, câmera traseira e dianteira, etc.

Fonte: www.noticiasautomotivas.com.br

BMW Série 5

BMW Série 5
BMW Série 5

A BMW tem como norma denominar sua família de veículos por siglas.

A série 5, de ano-modelo 1996 a 2003, é conhecida internamente por E39 e representa um modelo com excelente relação custo-benefício no mercado de usados. Além disso, é um dos poucos carros disponíveis que apresentam uma versão blindada de fábrica. A BMW Série 5 tem no 528i e no 540i as versões mais populares, equipadas respectivamente com motor de seis cilindros em linha, 2,8 litros de cilindrada e 193 cv e V8 de 4,4 litros e 286 cv.

No primeiro ano de importação desses modelos, não havia acabamentos diferenciados por siglas e cada carro poderia ser diferente do outro. A partir de 1997 existem duas versões de acabamento para cada uma delas, sendo que a mais luxuosa é conhecida como High-line. O que as diferencia são detalhes como rodas, sistema de som, teto de chapa ou com vidro solar, acabamento etc. Todas as unidades disponíveis no Brasil contam com bancos e interior de couro, rodas de liga-leve, sistema de abertura das portas por telecomando, bancos, espelhos, vidros e travas com controles elétricos e controle de velocidade, entre muitos outros itens. E é justamente a quantidade de equipamentos, aliada à marca BMW, que torna a Série 5 um carro interessante.

Em 1998 o motor de seis cilindros passou por mudanças e deixou o carro bem mais ágil, embora com apenas 1 cv a mais (192 cv para 193 cv). Nesse mesmo ano a BMW iniciou a comercialização dos modelos 540i blindados de fábrica (os Protection), além da versão station wagon Touring.

Em 2001 a Série 5 passou por alterações na dianteira, com a adoção dos faróis apelidados “angel eyes” (as luzes de estacionamento são aros que se acendem, em vez das convencionais lâmpadas), pelos novos pára-choques e detalhes de acabamento. A versão 528i deixou de existir e em seu lugar entrou a 530i, com o motor de seis cilindros agora ampliado para 3 litros de cilindrada e 231 cv. Em 2003 a E39 deixou de ser produzida para dar lugar à nova Série 5.

Para quem deseja um bom desempenho, mas sem grandes gastos com gasolina, a opção deve recair sobre o motor de seis cilindros. Com quase 200 cv, oferece um bom rendimento sem que a conta no posto quebre o dono do carro. Já a versão equipada com motor V8 tem pouco menos de 300 cv à disposição, o que a torna um veículo rápido e extremamente agradável de dirigir. O pênalti fica por conta do consumo – dificilmente se consegue rodar mais de 5,5 km/l na cidade.

Um item interessante na hora da compra é o tipo de transmissão a ser escolhido. Na versão 528i existe a possibilidade de optar por câmbio manual ou automático, ambos de cinco marchas, sendo que este último possui sistema Steptronic (acionamento manual, tipo seqüencial). É bom saber que as versões com câmbio manual chegam a ser de 10% a 20% mais baratas que as equipadas com câmbio automático, mas são bem mais difíceis de vender.

Já a versão 540i, top de linha e equipada com motor V8, é encontrada somente com câmbio automático com sistema Steptronic. Existem algumas unidades no país equipadas com câmbio manual, mas são muito raras (apenas cinco veículos) e não podem ser computadas como opção no mercado de usados.

Comprando um Série 5 usado

A primeira dica que vale na hora de comprar um carro desses é fugir dos 528i com câmbio manual, pois são bem mais difíceis de vender, embora sejam mais ágeis que os modelos com câmbio automático. Existem ainda pouquíssimas unidades do 540i equipadas com câmbio manual no Brasil, embora na Europa fossem oferecidas normalmente. Esses carros são extremamente raros e difíceis de vender, mas muito bons para dirigir.

Quando se fala em Série 5 é necessário verificar com cuidado a existência de folgas e ruídos na suspensão dianteira, geralmente provocados por buchas e batentes gastos. A brincadeira pode sair cara. Em algumas unidades à venda os LEDs do painel de instrumentos e mesmo do sistema de som podem apresentar falhas, com caracteres sem a perfeita visualização. Numa oficina paralela o conserto desse defeito fica entre R$ 450,00 e R$ 600,00.

Com relação ao câmbio automático, veja se os engates ocorrem sem trancos e se o sistema não patina entre uma marcha e outra, ou em subidas íngremes.

Aproveite para checar o nível e estado do fluido da transmissão. Ao ligar o rádio, veja se todos os canais estão funcionando por igual, pois um problema nesse módulo faz com que os canais fiquem desprogramados cada vez que se desliga o sistema de som. Nas concessionárias é um problema que pode custar mais de R$ 3 mil para ser resolvido.

BMW Série 5
BMW Série 5 Touring

A peça onde ficam os controles dos bancos, localizada ao lado dos assentos dianteiros, se solta e faz com que os controles parem de atuar. Existe ainda a possibilidade de defeito puro e simples no próprio módulo de controle dos bancos. Cheque se todas as regulagens estão funcionando e se todos os motores estão atuando.

Blindado de fábrica

Entre os anos de 1998 e 2003 a BMW disponibilizou unidades da Série 5, mais especificamente do 540i, blindadas de fábrica. Na verdade o veículo era blindado em uma oficina autorizada pela fábrica e possuía todas as garantias de um modelo original, uma vez que já nasceu para ser blindado.

Com isso o 540i Protection, como era denominado, já vinha sem teto solar, sem as máquinas dos vidros traseiros, colunas das portas em aço balístico e, naturalmente, revestimentos e vidros à prova de balas. O carro é cerca de 350 quilos mais pesado que um 540i sem blindagem, mas os 286 cv do motor V8 dão conta do recado.

Fonte: www.webmotors.com.br

BMW Série 5

BMW Série 5
BMW Série 5

BMW apresentou a nova geração da sua dimensão intermédia: a quinta. Design ousado, mais tecnologia, mais segurança e motores revistos são as principais novidades do novo Série 5 O novo Série 5 combina o dinamismo e a desportividade do Série 3 com a supremacia e a presença do Série 7. Sem rodeios, foi assim que os responsáveis da marca bávara se referiram à quinta geração deste executivo. Disponível, para já, apenas na versão berlina, a BMW espera que o seu êxito seja ainda maior. Com 1,5 milhões de unidades vendidas, o atual Série 5 (E39) reuniu, para si, 25% do total das vendas da BMW – 75% das vendas incidiram sobre o saloon, ficando os restantes 25% a cargo da Touring.

Marcante

Com um Cx de 0,28 (0,26 no 520i), o novo Série 5 tem uma presença tão marcante quanto controversa. O design ousado assinala uma ruptura com as linhas da anterior geração, à semelhança do que sucedeu com o Série 7. Com 4841 mm de comprimento, 1846 mm de largura (sem espelhos) e 1468 mm de altura, o novo Série 5 é 66 mm mais comprido, 48 mm mais largo e 40 mm mais alto que o anterior. A distância entre eixos é de 2888 mm, mais 62 mm que no modelo antecessor. As vias são de 1558 mm à frente e 1582 mm atrás.

O peso das versões com caixa manual situa-se nos 1560 kg (520i), 1570 kg (530i) e 1670 kg (530d), valores inferiores aos da anterior geração, graças à utilização de alumínio em maior escala (châssis, suspensões e seção dianteira). A distribuição de peso é de 50% para cada eixo.

O interior marca também uma nova era do ponto de vista estético e do ponto de vista tecnológico. Sem ceder um único detalhe no capítulo da qualidade, o habitáculo apresenta-se mais elaborado, sendo bastante semelhante ao do Série 7.

O aumento das dimensões exteriores teve natural repercussão na habitabilidade. Os passageiros do banco traseiro dispõem de mais 46 mm de espaço para pernas, mais largura ao nível dos ombros e mais 7 mm de espaço em altura para a cabeça atrás (10 mm na frente). A mala passou a oferecer 520 litros de volume, ou seja, mais 60 do que no modelo anterior. O equipamento de série foi outra das áreas que mereceu particular atenção, sendo agora mais extenso.

Tecnologia de ponta

O novo Série 5 foi concebido com base em tecnologia de ponta. Se não, vejamos. Em alternativa aos pneus normais, estão disponíveis os Runflat Tyres, capazes de rolar totalmente sem ar durante 80 km a velocidades até 80 km/h (no interior existe um indicador de pressão insuficiente). O sistema iDrive, que revoluciona o tradicional painel de bordo e controla as principais funções do veículo, inclui um monitor a cores, um comando circular e está dividido em quatro áreas, sendo menos extenso e mais fácil de utilizar face ao do Série 7 (dispõe ainda de uma tecla de acesso direto ao menu principal).

O interior, semelhante ao do Série 7, exibe um design futurista. O sistema iDrive, menos extenso do que no topo de gama da BMW, é também mais fácil de utilizar. O opcional head-up display, ao projetar no vidro as informações, evita que o condutor desvie o olhar da estrada

Em alternativa à direção Servotronic, está disponível a direção ativa (novidade mundial), que trabalha em estreita colaboração com o controlo de estabilidade.

A sua relação de desmultiplicação altera-se a baixas e médias velocidades (até 120 km/h), graças a um motor eléctrico. As vantagens residem na maior precisão e feeling de condução, ao mesmo tempo que o esforço diminui e a facilidade de controlo aumenta (implica menos voltas do volante e menor ângulo deste para inserir o veículo em curva).

Disponível em opção está também o sistema de controlo ativo da suspensão (Dynamic Drive), que minimiza o rolamento da carroçaria em curva e ajusta permanentemente o grau de amortecimento ao tipo de condução e piso, graças a sensores de aceleração lateral e a barras estabilizadoras ativas. O condutor pode, ainda, optar pela suspensão desportiva, onde a afinação específica de molas e amortecedores torna o veículo 15 mm mais baixo.

O sistema de navegação com DVD, o head-up display (projeta no vidro as informações relativas à condução, evitando que se desvie o olhar da estrada), o cruise control ativo (permite memorizar e predefinir um máximo de oito velocidades, mesmo com o veículo parado), a tecnologia Bluetooth para telefones móveis, o sistema HiFi Logic7, os faróis adaptativos (dois motores eléctricos controlam o ângulo de focagem das lâmpadas em curva, até um máximo de 15° para cada lado) e a tecnologia LED nos farolins traseiros (dispõe de duas fases de acendimento em função da pressão de travagem, sendo mais extensa nas mais fortes), encerram as novidades tecnológicas.

Constituição técnica

A segurança contempla cintos com pré-tensores e limitadores de esforço à frente e atrás, estruturas deformáveis, encostos de cabeça ativos à frente (opcionais), oito airbags (frontais, laterais dianteiros, laterais traseiros – estes opcionais – e do tipo cortina) e os dispositivos eletrônicos ABS, CBC, ASC, DSC, DTC e DBC.

Numa primeira fase, o novo Série 5 estará disponível em três motorizações, ambas de seis cilindros em linha, com caixa manual de seis velocidades: 520i (170 cv e 210 Nm), 530i (231 cv e 300 Nm) e 530d (218 cv e 500 Nm). Em opção para os 530i e 530d (no 520i chegará mais tarde), estará disponível a caixa automática de seis velocidades desenvolvida pela ZF, que inclui um comando manual sequencial (Steptronic). No próximo Outono, a gama será alargada com os 525i e 545i. Em 2004, chegarão os 520d (o único quatro cilindros da gama) e 525d. O M5 e a Touring não deverão ser vistos antes de 2005.

Equipado com suspensão de triângulos duplos sobrepostos à frente e multilink atrás, travões de disco ventilados nas quatro rodas e direção assistida (hidráulica) de pinhão e cremalheira, no novo Série 5 a BMW uniformizou as medidas dos pneus, pelo menos nas versões que iniciarão comercialização já no próximo mês de Julho. Deste modo, os 520i, 530i e 530d virão equipados, de série, com pneus 225/55R16 à frente e atrás, estando disponíveis, em opção, jantes de 17 e 18 polegadas com pneus mais largos. A direção tem 11,4 metros de diâmetro de viragem entre passeios. O depósito de combustível dispõe de 70 litros de capacidade.

Com preços (estimados) a oscilar entre 51 500 € (520i) e 69 899 € (530iA e 530dA), o novo Série 5 promete fazer correr muita tinta.

Fonte: www.automotor.xl.pt

BMW Série 5

BMW Série 5 Gran Turismo

BMW Série 5
BMW Série 5 GT

A primeira aparição do Série 5 GT, no Salão de Genebra, dividiu opiniões. Enquanto alguns torceram o nariz para o conceito, outros aplaudiram a novidade da BMW. Polêmicas à parte, os alemães resolveram apostar neste segundo grupo ao mostrar as linhas finais do novo crossover da montadora.

Classificado pela própria marca como uma “extensão futurista e atraente do Série 5”, o Gran Turismo é um legítimo crossover. Ao combinar as características de um sedã com a versatilidade de um utilitário esportivo, a BMW cria um sério concorrente para o segmento de cupês de quatro portas, que hoje conta com os conterrâneos Mercedes-Benz CLS e VW Passat CC.

Seu desenho também não esconde a inspiração em outros modelos da marca. A dianteira se assemelha à do Série 7. De perfil, o GT lembra o X6, tanto na suave curvatura do teto quanto no porte imponente. Já a traseira traz à tona os traços do sedã mais luxuoso da linha, em especial no formato das lanternas com iluminação por LEDs (diodos emissores de luz, em bom português).

Por dentro, nota-se uma clara inspiração nos cupês, a começar pelos quatro lugares individuais. Ao contrário deste tipo de veículo, porém, os passageiros se acomodam confortavelmente. De acordo com a marca, o espaço para as pernas é equivalente ao Série 7, enquanto que o espaço para a cabeça é parecido com o do SUV X5.

O acesso ao porta-malas é um capítulo à parte, já que pode ser realizado por duas maneiras. Para acomodar bagagens menores, a abertura é feita como em um sedã. Caso os ocupantes precisem carregar objetos maiores, a tampa traseira se abre totalmente, assim como acontece em um hatchback.

A extensa lista de itens de série inclui mimos como piloto automático com Stop & Go (que desliga o motor assim que o carro para em um semáforo, por exemplo), sistema de visão noturna que identifica a presença de pedestres, faróis com iluminação bi-xenon que acompanham a trajetória do veículo, câmeras instaladas nas laterais e na traseira do carro, Head-Up Display (que projeta as informações do painel no para-brisa) e sistema de entretenimento com disco rígido de 80 GB e DVD para os passageiros de trás.

A BMW vai oferecer o Série 5 GT com três opções de motorização, variando entre dois propulsores movidos a gasolina (nas versões 535i e 550i, com 306 cv e 407 cv, respectivamente) e um abastecido com diesel (530d, capaz de gerar 245 cv).

Todos os modelos contam com uma moderna transmissão de oito velocidades, antes restrita apenas ao topo-de-linha 760i. A BMW ainda não anunciou a data da apresentação oficial do Série 5 GT, mas o modelo é presença certa na próxima edição do Salão de Frankfurt, que acontecerá em setembro.

Ficha técnica:

Motor: Dianteiro, longitudinal, 6 cilindros em linha, 24 válvulas
Cilindrada: 2979 cm3
Potência: 231 cv a 5900 rpm
Torque: 30 kgfm a 3500 rpm
Desempenho:
velocidade máxima, 250 km/h; aceleração de 0 a 100 km/h, 6,1 s.
Diâmetro x curso: 84 x 89,6 mm
Câmbio: Automático de 6 marchas; tração traseira
Dimensões: Comprimento, 484 cm;
Largura: 184 cm;
Altura: 147 cm;
Entre-eixos: 289 cm;
Peso: 1585 kg
Porta-malas: 524 l;
Suspensão: Independente, com McPherson na dianteira e Four-link na traseira
Freios: Discos ventilados nas quatro rodas com ABS
Direção: Hidráulica progressiva
Rodas e pneus: Liga leve, aro 17, 225/50 R17
Principais equipamentos de série: Ar-condicionado, ABS, ESP, computador de bordo, sistema de navegação, seis airbags

Fonte: quatrorodas.abril.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Cadillac Self-Starter

Cadillac Self-Starter, Construção, Sistema, Motor, Arranque, Partida, Elétrica, Dispositivo, Inovação, História, Cadillac Self-Starter

História da Cadillac

História da Cadillac, Carro, Marca, Modelos, Fabricação, Motor, Empresa, Construção, Logo, Veículos, Automóveis, História da Cadillac

Aero Willys

Aero Willys, Carros, Brasil, Versão, Veículos, Velocidade, Modelo, Características, Linha, História, Fotos, Aero Willys

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.