Breaking News
Home / Automóveis / Jaguar XJ-S

Jaguar XJ-S

PUBLICIDADE

O Jaguar XJ-S (mais tarde, o Jaguar XJS), um grande e luxoso carro de turismo, foi produzido pela britânica fabricante Jaguar de 1975 a 1996.

O XJ-S substituiu o E-Type (também conhecido como o XK-E) em Setembro de 1975, e foi baseado no sedã XJ.

Ele havia sido desenvolvido como o XK-F, porém, foi muito diferente em caráter de seu antecessor.

Embora nunca teve exatamente a mesma imagem desportiva, o XJ-S foi um carro de luxo competente e mais aerodinâmico do que o E-Type.

O último XJS foi produzido em 4 de abril de 1996. O modelo foi substituído pelo XK8.

Sucessor do E-Type, o XJS era um cupê de 2+2 lugares, capô longo, traseira baixa com as laterais simulando um fastback, faróis grandes e ovalados. S

eu interior era sofisticado, mais próximo do luxuoso sedã XJ, com revestimento em couro, aplqiues de madeira e ar-condicionado.

MOTORIZAÇÃO
Motor: 5.3, 12 cilindros em V, 24 válvulas (2 por cilindro), injeção multiponto, gasolina
Cilindrada: 5.344 cm³ Potência: 299 cv a 5.500 rpm
Potência Específica: 56,4 cv/litro Torque: 43,9 kgfm a 3.000 rpm
CARROCERIA
Comprimento: 4.872 mm Peso: 1.707 kg
Largura: 1.791 mm Porta-Malas: Não disponível
Altura: 1.265 mm Tração: Traseira
Freios: Discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira Câmbio: Automático de 3 marchas
DESEMPENHO
Velocidade Máxima: 245 km/h Aceleração: 7,9 segundos

História

Certos automóveis nascem com a difícil tarefa de suceder a um clássico.

Foi o que ocorreu com o Jaguar XJ-S: 14 anos depois que o E-type surpreendeu o mundo com a elegância de suas linhas , a marca britânica apresentava seu substituto, em setembro de 1975.

Jaguar XJ-S
Suceder ao clássico E-type foi um desafio para o Jaguar XJ-S, mas ele fez seu nome em 21 anos de mercado

Era um cupê de 2+2 lugares, capô longo, traseira baixa com as laterais simulando um fastback, faróis grandes e ovalados. Estava longe de apresentar a pureza de seu antecessor, mas reunia sofisticação e conforto, com revestimento em couro, apliques em madeira e ar-condicionado de série.

Seu padrão de refinamento estava mais próximo dos sedãs XJ, lançados em 1968, que do esportivo E-type. Prova disso é que a transmissão automática, de início opcional, passava mais tarde a ser a única opção.

Jaguar XJ-S

Jaguar XJ-S
Capô longo, grandes faróis, traseira baixa com ar de fastback: um estilo que nunca agradou em cheio, mas vinha aliado a conforto e bom desempenho

De início foi adotado o mesmo motor V12 de 5.343 cm3 de cilindrada que equipava desde 1971 o E-type.

Todo de alumínio, com comando de válvulas nos cabeçotes e injeção de combustível, fornecia respeitáveis 285 cv de potência, levando o pesado cupê de 0 a 96 km/h (60 milhas por hora) em 6,9 s e alcançando 240 km/h.

Um tratamento para redução de consumo era implantado em 1981, na chamada versão HE (High Efficiency, alta eficiência) do V12.

Os novos cabeçotes, que haviam exigido cinco anos de desenvolvimento, o levavam a 248 km/h: era o carro mais veloz do mundo com transmissão automática.

Jaguar XJ-S
Depois do motor V12 de 285 cv foi lançado um seis-em-linha de até 225 cv, com vistas à redução do consumo. No mercado americano o XJ-S (na foto o modelo 1984) tinha faróis duplos e estilo mais agressivo

A Jaguar procurava também um motor menor para atender às novas metas de economia de combustível.

Depois de cogitar um V8 ou um “meio-V12”, optou por um novo seis-cilindros em linha, de 3.580 cm3, oferecido em versões de duas e quatro válvulas por cilindro.

Inclinado a 158 graus da vertical, o “seis” desenvolvia 225 cv na versão 24-válvulas e, graças ao bloco de alumínio, era 30% mais leve que o antigo motor XK de 3,4 litros e 162 cv.

Oferecido no XJ-S a partir de setembro de 1983, marcou o retorno da opção de câmbio manual, um Getrag de cinco marchas.

Bastavam 7,6 s para acelerar até 96 km/h e a máxima era de 232 km/h.

Na mesma época surgia o XJ-SC, primeiro Jaguar a céu aberto desde o fim do E-type – era na verdade um targa, com barras estruturais e a opção de vidro traseiro fixo, além de apenas dois lugares por questão de segurança.

Jaguar XJ-S

Jaguar XJ-S
Couro, madeira, câmbio automático e muito conforto: um esportivo requintado

A TWR, empresa do piloto Tom Walkinshaw, preparou alguns XJ-S para o Campeonato Europeu de Turismo, que ele faturou em 1984.

Um conversível de verdade, com toda a capota removível por controle elétrico, chegava em maio de 1988. A operação levava apenas 12 s e o vigia traseiro era de vidro.

Em setembro de 1989 o motor de 3,6 litros passava a 4,0 litros, chegando a 235 cv de potência e ganhando 14% em torque.

Os 96 km/h surgiam agora em 7,1 s e a velocidade máxima atingia 224 km/h.

Juntos dele, uma transmissão automática de quatro marchas com controle eletrônico, freios com sistema antitravamento (ABS) e uma renovação do interior.

Jaguar XJ-S
Em 1988 os refinados compradores ganhavam a opção de um conversível, acima. Mas quatro anos antes o XJ-S já faturava o Campeonato Europeu de Turismo, preparado por Tom Walkinshaw

Em novembro seguinte a Ford assumia a Jaguar e, em maio de 1991, o XJ-S era amplamente reestilizado.

Bolsa inflável para o motorista, um conversível com motor de 4,0 litros e o conjunto Insignia de opcionais e itens decorativos foram as novidades seguintes.

Mais tarde, o V12 passou a 6,0 litros, ganhando transmissão automática de quatro marchas, e os pára-choques foram modernizados.

A produção do XJ-S foi encerrada em 1996, após um total de 71 mil unidades produzidas durante 21 anos.

Mesmo com a progressiva melhoria na qualidade de fabricação, um mal que quase exterminou a Jaguar nos anos 70, o carro estava envelhecido e pedia substituição – o que a marca do felino fez com o belíssimo cupê XK8, enfim digno da tradição do lendário E-type.

Fonte: br.geocities.com/www2.uol.com.br

Veja também

História da Tucker

História da Tucker, 48, Carro, Preston, Empresa, Torpedo, Automóveis, Sedan, Motor, Características, Fotos, História da Tucker

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo, Carro, História, Preston, Motor, Automóvel, Sedan, Velocidade, Características, Fotos, Tucker Torpedo

Willys Interlagos

Willys Interlagos, Carros, Modelos, História, Brasil, Versão, Velocidade, Motor, Autódromo, Berlineta, Conversível, Willys Interlagos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.