Breaking News
Home / Automóveis / Lotus Europa

Lotus Europa

PUBLICIDADE

Lotus Europa é um carro de duas portas com motor central GT coupê construído pela Lotus Cars, de 1966 a 1975.

O modelo mais caro da Lotus atualmente é o Europa.

Em Genebra, este belo cupê esportivo, que preza tanto pelo comportamento dinâmico quanto qualquer outro modelo da marca britânica, apresentará sua linha 2008.

A maior novidade é a versão de entrada do cupê, que sairá por 31,5 mil, cerca de R$ 80,5 mil. Segundo a fábrica, a nova versão tornará o Europa mais acessível, o que, para a empresa, representará volumes maiores de vendas.

A menina dos olhos de todos, entretanto, continuará a ser a versão topo de linha, agora chamada de SE, que tem motor 2-litros turbinado.

Ele gera 225 cv e 300 Nm de torque, o que leva o carro aos 96 km/h em 5,5 s e à máxima de 230 km/h. O SE custa 41,5 mil, ou pouco mais de R$ 106 mil.

Além dos preços, o Europa traz novidades de estilo e acabamento. Outra mudança importante é a adoção de airbags em todos os modelos, uma concessão da Lotus à segurança.

Lotus Europa – Versão

Lotus EuropaLotus Europa

Lotus Europa ou – para a primeira versão, vendido apenas na Europa continental – Lotus Europe era um cupê GT de motor central de duas portas construído pela Lotus Cars de 1966 a 1975. Em 2006, a Lotus iniciou a produção de um totalmente novo, o Lotus Elise- design derivado, um cupê GT de motor central chamado Europa S.

O Europa original usou o chassi de aço minimalista do fundador da Lotus, Colin Chapman, que foi usado pela primeira vez no Lotus Elan, enquanto também contava com seu corpo moldado em fibra de vidro para resistência estrutural.

Europa foi o primeiro carro de estrada com motor central produzido em massa e foi baseado em um protótipo construído para competir pelo contrato de Henry Ford II para construir um carro de corrida de Le Mans no início dos anos 1960.

O Europa foi projetado e construído para ser uma personificação da filosofia de design automotivo de Chapman: “Simplifique, depois adicione leveza”.

A suspensão independente nas quatro rodas era típica do pensamento de Chapman; a suspensão traseira consistia em dois braços de arrasto relativamente grandes, um elo de localização inferior por lado, e os eixos eram usados como elos de localização superiores; muito semelhante aos designs de carros de corrida de Fórmula daquela época. Além das portas, capô e porta-malas, a carroceria foi moldada como uma única unidade de fibra de vidro.

O manuseio do carro levou os escritores automotivos a descrever o Europa como a coisa mais próxima de um carro de Fórmula para a estrada.

O conceito originou-se em 1963 com desenhos de Ron Hickman, diretor da Lotus Engineering (Designer do Lotus Elan original, bem como inventor do Black and Decker Workmate), para uma oferta no projeto Ford GT40. Esse contrato foi para a Lola Cars, pois Colin Chapman queria chamar o carro de Lotus e Henry Ford II insistiu que seria chamado de Ford.

Chapman optou por usar o design aerodinâmico de Hickman (com um coeficiente de arrasto ainda respeitável hoje de Cd 0,29) como base para o modelo de produção Europa; originalmente destinado a suceder o eterno Lotus 7.

O Series 1 ou S1 Europe (também conhecido como Lotus Type 46) foi anunciado para venda aos mercados europeus em 20 de dezembro de 1966. Os primeiros carros foram entregues na França em fevereiro de 1967. O S1 foi equipado com um motor Renault 16 1470 cc modificado e uma caixa de 4 velocidades. O motor era uma versão especial de 82 cv (61 kW) (em oposição aos 52 cv (39 kW) gerados na forma padrão).

Lotus associou o motor e a caixa de câmbio Renault acessíveis, mas leves, ao revolucionário layout de motor central longitudinal Europa, invertendo a roda de coroa da caixa de câmbio e seu pinhão para evitar ter quatro marchas à ré. O S1 pesava 610 kg (1512 lb), tinha uma velocidade máxima de 110 mph (180 km/h) e fazia 0-60 mph em 10 segundos.

De particular interesse, quase 0,9 g (8 m/s) de aceleração lateral foi alcançada em pneus de estrada daquela época.

Apenas 296 exemplares do S1 foram fabricados (números de chassis de 460001 a 460296). Esses carros tinham construção extremamente leve e minimalista, com vidros laterais fixos, bancos fixos (pedais ajustáveis com uso de ferramentas), sem maçanetas, sem tampas internas e painel de alumínio. A viga central do chassi de aço foi encaixada (incorporada) dentro da carroceria de fibra de vidro, reforçando assim a rigidez, mas tornando o reparo bastante complicado.

As séries 1A e B (cerca de 350 construídas) tinham janelas laterais removíveis, painel de madeira e tampas internas dos painéis das portas que podiam acomodar as janelas uma vez retiradas. A Série 1B teve um painel traseiro redesenhado, com novos conjuntos de luz retangulares.

Incluindo as variações S1A e S1B (que incorporaram algumas das alterações posteriores do S2), 644 Europa S1s foram fabricados. A partir da Série 2 (Chassis número 0645 em diante), a carroceria de fibra de vidro não era mais colada ao chassi, mas aparafusada e, portanto, podia ser separada para reparos.

Durante 1966, enquanto a fábrica estava selecionando o primeiro Type 46′ (S1) de produção, a equipe Lotus correu com o Type 47, um Europa modificado para a pista, com um motor duplo Lotus/Ford/Cosworth de 165 hp (123 kW) 1594 cc Lotus/Ford/Cosworth. motor, que usava um bloco Kent modificado por Cosworth, e uma caixa de câmbio Hewland FT 200 de 5 velocidades. O Type 47 é lembrado com carinho por ter conquistado o primeiro e o segundo lugares (dirigido por John Miles e Jackie Oliver, respectivamente) em sua primeira corrida realizada no célebre Brands Hatch no Boxing Day.

Acredita-se que 55 Type 47s foram construídos pela Lotus entre 1966-70. Dois outros protótipos de corrida esportivos baseados no Europa chamado, Type 62, foram construídos em 1969.

Um Europa com motor duplo não estaria disponível para o público até o Type 74, em 1971. Réplicas 47s são fabricadas sob medida por Banks Europa Engenharia, em diversas variações. Um 47 único, equipado com um motor Rover V8, foi construído pela GKN em 1968 e registrado, GKN 47 D.

O Europa S2, ou Type 54, foi lançado em abril de 1968. Ele usava o mesmo motor Renault do Type 46, mas oferecia uma série de refinamentos, incluindo vidros elétricos, assentos totalmente ajustáveis, um novo interior e um painel de madeira polida para o painel. Por solicitação do setor de seguros automotivos, a Lotus mudou para fixadores de parafuso (em vez de colagem de resina) para prender a carroceria à estrutura. Um pequeno número de Type 54 foi modificado para ser “federalizado”, ou seja, adequado para exportação para os Estados Unidos. O Federal Type 54 foi ligeiramente modificado. Na verdade, eles foram recolhidos porque os faróis estavam muito baixos (um levantador de farol “olho de inseto” deveria ser instalado). O Federal 54 tinha os para-lamas baixos do 54 europeu, mas motor maior do tipo 65.

Em 1969-70, nasceu o Type 65 (também conhecido como S2 Federal), com mudanças adicionais na carroceria, chassi e motor para melhor cumprir com o U.S. D.O.T. padrões. Entre os bits mais recentes, o motor Renault foi expandido para 1565 cc de capacidade em relação aos 1470 cc anteriores. A suspensão dianteira foi alterada para tornar a dianteira do carro mais alta, juntamente com para-lamas dianteiros mais altos para elevar os faróis. A revista Road&Track testou o Federal S2 e registrou 0-60 mph em 9,6 segundos com uma velocidade máxima de 116 mph (187 km/h). 3.615 S2s foram produzidos

Em 1971, o Type 74 Europa Twin Cam foi disponibilizado ao público, com um motor Lotus-Ford Twin Cam de 115 cv (78 kW) e 1558 cc “válvula grande” (versão de controle de emissões “Federal” dos EUA de 105 cv até o final de produção), uma nova caixa de velocidades Renault de 4 velocidades (Tipo 352) e uma carroçaria redesenhada para melhorar a visibilidade traseira. Mike Kimberley, que se tornou executivo-chefe do Grupo Lotus, então um novo engenheiro da Lotus, foi nomeado Engenheiro-Chefe do projeto Europa TC. 1.580 carros foram enviados como Europa Twin Cam antes que a Lotus mudasse para uma versão de 126 hp (94 kW) aspirada por carburadores Dell’Orto/Weber do mesmo motor; além de oferecer uma nova opção de caixa de câmbio Renault de 5 marchas (Tipo 365); e renomeou o carro Europa Special. Ele pesava 740 kg (1631 lb), tinha uma velocidade máxima de 123 mph (198 km/h), fazia 0 60 mph em 7,0 segundos e correu 1/4 de milha em 14,9 segundos. Um total de 3.130 Especiais foram fabricados. Para homenagear os títulos do Campeonato Mundial de F1 de 1972 e 1973 da Team Lotus, alguns Black com listras douradas e emblemas numerados Europa Specials foram oferecidos como os primeiros veículos motorizados comemorativos John Player Special.

Em 2005, a Lotus divulgou imagens de um novo carro tipo GT chamado Lotus Europa S. Ele foi apresentado oficialmente no Salão Automóvel de Genebra de 2006.

A produção do Lotus Europa S começou em julho de 2006. O motor é um turbo de 2,0 L com 200 cv (147 kW; 197 cv) a 5.400 rpm, com torque máximo de 272 Nm (201 lbft) a 5.400 rpm. Entrega 0-60 mph em 5,6 segundos (0-100 km/h em 5,8 seg.) Com uma velocidade máxima de 143 mph (230 km/h). A Lotus não tem planos de exportar o Europa S para os EUA antes de 2008.

Europa SE foi apresentado no Salão Internacional do Automóvel de Genebra em 5 de março de 2008. O Europa SE é um modelo atualizado com mais conforto em mente, destinado a atrair mais clientes.

O motor Europa S foi modificado para trazer potência de 225 cv (165 kW; 222 cv) e torque de 300 Nm (221 lbft).

Lotus Europa – História

Lotus EuropaLotus Europa

Lotus Europa, ou Europa em seu disfarce inicial apenas para exportação, era um cupê GT de motor central de duas portas construído pela Lotus Cars de 1966 a 1975

Europa original usou o conceito de chassi de backbone de aço do fundador da Lotus, Colin Chapman, que foi usado pela primeira vez no Lotus Elan, enquanto também contava com seu corpo moldado em fibra de vidro para resistência estrutural.

Europa foi o primeiro carro de estrada de motor central produzido em massa do mundo e foi baseado em um protótipo construído para competir pelo contrato de Henry Ford II para construir um carro de corrida de Le Mans, que a Ford mais tarde introduziu como GT40, no início dos anos 1960.

Ao todo, a Lotus construiu cerca de 9.300 Europas de todas as variantes.

Primeira Geração/Origens (1966-1975)

Série 1 (Tipo 46) Pontos de mudança de tipo: Série I do chassi número 46/0001 a 46/0299 excluindo 0270, 0271 e 0272 Série I Mk.I do chassi número 46/0300 a 46/0644 incluindo 0270, 0271 e 0272 Série 1.

O Series 1 ou S1 Europa (também conhecido como Lotus Type 46) foi anunciado para venda nos mercados europeus em 20 de dezembro de 1966. Os primeiros carros foram entregues na França em fevereiro de 1967, vendidos como Lotus Europe. O S1 foi equipado com um motor Renault 16 1470 cc modificado e uma caixa de 4 velocidades. O motor era uma versão especial de 82 cv (em oposição aos 52 cv gerados na forma padrão). A Lotus girou o motor e a caixa de câmbio em 180 graus para acomodar o layout longitudinal do motor central do Europa, invertendo a roda de coroa da caixa de câmbio e seu pinhão para evitar quatro marchas à ré. O S1 pesava 1512 libras, tinha uma velocidade máxima de 110 mph e fazia 0,60 mph em 10 segundos.

De particular interesse, quase 0,9 g de aceleração lateral foi alcançada em pneus de estrada daquela época.

46 – S1 – Primeira Europa – lanternas traseiras Lancia Flavia, painel de alumínio. Chassi totalmente fechado. Janelas fixas. Parou em 460299 46 – S1A – Igual a S1 mas com traço de madeira. Janelas pop-out. Parou em 460540 46- S1B – Igual ao S1A mas com lanternas traseiras S2. Parou em 460644 47 – Racing 46 – Motor de duplo came. Freios a disco traseiros na caixa de câmbio 644 Europa S1s para a rua foram fabricados.

Série 2

Série 2 (Tipos 54 e 65) Pontos de mudança de tipo: Série II do chassi número 54/0645 Série II Federal do chassi número 54/1066

O Europa S2, ou Type 54, foi lançado em abril de 1968. Ele usava o mesmo motor Renault do Type 46, mas oferecia vários refinamentos, incluindo vidros elétricos, assentos totalmente ajustáveis, um novo interior e um painel de madeira polido para o painel. A pedido do setor de seguros automotivos, a Lotus mudou para parafusos (em vez de colagem de resina) para prender o corpo ao quadro.

Um pequeno número de Type 54 foi modificado para ser “federalizado”, ou seja, adequado para exportação para os Estados Unidos.

Em 1969, o Tipo 65, ou S2 Federal, nasceu com mudanças adicionais na carroceria, chassi e motor para melhor atender aos padrões do USDOT. Entre as mudanças, o motor Renault foi ampliado para 1.565 cc de cilindrada em relação aos 1.470 cc anteriores. A revista Road&Track testou o Federal S2 e registrou 0-60 mph em 9,6 segundos com uma velocidade máxima de 116 mph.

Variações:

54 – S2 – Early – Sem bináculos de luz de estacionamento na frente. Sem marcadores laterais traseiros. 46 marcadores frontais de estilo. Limpador único. Vidros elétricos. Começou em 540645. Parou por volta de #541070 54 – S2 – Tarde – 65 binnacles de luz de estacionamento na frente. 65 luzes de marcador laterais de estilo. Limpadores duplos. Parou por volta de 542859 62 – Racer. Apenas 2 construíram 65 – S2 – Late – Federalized S2 com altura do farol elevado ajustando a linha superior dos pára-lamas dianteiros e molas mais longas, motor R16 com controle de emissão, mas inclui todas as melhorias trazidas do 46 para o 54 e ROW 65 3.615 S2s foi produzido

Câmera dupla e especial

Em 1971, o Type 74 Europa Twin Cam foi disponibilizado ao público, com um motor Lotus-Ford Twin Cam de 115 cv e 1558 cc “válvula grande” (105 cv para cumprir os controles de emissões federais dos EUA até o final da produção), um nova caixa de velocidades Renault de 4 velocidades (Tipo 352) e uma carroçaria redesenhada para melhorar a visibilidade traseira. Mike Kimberley, que se tornou executivo-chefe do Grupo Lotus, então um novo engenheiro da Lotus, foi nomeado Engenheiro-Chefe do projeto Europa TC. 1.580 carros foram enviados como o Europa Twin Cam antes que a Lotus mudasse para uma versão carburada Dellorto/Weber de 126 hp do mesmo motor; além de oferecer uma nova opção de caixa de câmbio Renault de 5 marchas (Tipo 365); e renomeou o carro Europa Special. Ele pesava 740 kg (1631 lb), tinha uma velocidade máxima de 123 mph, fez 0,60 mph em 7,0 segundos e correu 1/4 de milha em 14,9 segundos. Um total de 3.

Para homenagear os Campeonatos Mundiais de F1 de 1972 e 1973 da Team Lotus, alguns especiais Europa Specials foram oferecidos como os primeiros veículos motorizados comemorativos “John Player Special” de todos os tempos.

Variações:

74 – TC – Velas baixas. Cabine maior (mais profunda). A esteira dianteira aumentou 1″ e o quadro aprofundou. Introdução do motor Twin Cam. Mantidas sapatas de freio traseiras de 1,25″ do S2.

Servos de freio padrão. 74 – TCS – Largura da sapata do freio traseiro aumentada para 1,5″.

Novo Lotus Europa

Lotus EuropaLotus Europa

Só os europeus terão direito ao Lotus Europa revisado, o que até parece razoável, em se tratando do nome do modelo. Agora ele vem em uma versão de entrada e o superior SE.

O motor central turbinado de 2.0 litros rende 225 cv a 30,6 mkgf e leva a versão SE de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos e dali para 230 km/h, valores estimados pela própria Lotus. Se julgarmos que a versão básica de 200 cv e 27,6 mkgf marca 5,8 segundos e a mesma velocidade máxima, a mudança foi em vão.

Se no desempenho houve empate técnico, para aprimorar a aderência, o SE vem novas rodas, de aro 17 na frente e 18 atrás, mais leves e revestidas de pneus mais largos.

Os discos de freio também ficaram maiores no diâmetro. Botão de partida e duplo airbag são itens de série. Melhorias que devem atrair a clientela da marca, mas não a da concorrência, que facilmente vai além desses números e do estilo da marca inglesa.

Ficha Técnica:

Lotus Europa

Motor: 4 cilindros em linha de 1,5/1,6 litro
Potência: 82/126 cv a 6 000/6 500 rpm
Câmbio: manual de 4 marchas/5 marchas
Carroceria: cupê
Dimensões: comprimento, 399 cm; largura, 164 cm; altura, 107 cm; entre eixos, 231 cm;
Peso:
 686/711 kg

Fonte: www.webmotors.com.br/www.classic-car-history.com/www.classiccars.co.uk

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Cadillac Self-Starter

Cadillac Self-Starter, Construção, Sistema, Motor, Arranque, Partida, Elétrica, Dispositivo, Inovação, História, Cadillac Self-Starter

História da Cadillac

História da Cadillac, Carro, Marca, Modelos, Fabricação, Motor, Empresa, Construção, Logo, Veículos, Automóveis, História da Cadillac

Aero Willys

Aero Willys, Carros, Brasil, Versão, Veículos, Velocidade, Modelo, Características, Linha, História, Fotos, Aero Willys

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.