Breaking News
Home / Automóveis / BMW X3

BMW X3

PUBLICIDADE

A liberdade ganha forma

BMW X3
BMW X3

O exterior do BMW X3

Neste conjunto harmonioso, as linhas e as superfícies refletem uma dinâmica fascinante. Devido às suas proporções exatas, o novo BMW X3 exprime-se, mesmo quando está parado, como temperamental e desportivo. Desde a frente vigorosa, passando pela elegante continuidade das linhas até à traseira marcante, o novo BMW X3 convence pela sua inconfundível linguagem de formas. Os pára-choques pintados na cor do veículo acentuam o seu carácter dinâmico. A elevada posição dos bancos completa o resultado exclusivo neste automóvel.

O interior do novo BMW X3

Crômio, madeiras, pele – um pouco clássico e um pouco moderno e inovador. No novo BMW X3, condutor e passageiros estão rodeados por materiais de elevada qualidade e idealmente combinados entre si. Cada detalhe, cada ponto e cada botão inserem-se de forma harmoniosa na arquitetura exata do seu espaçoso interior. Para experiências inesquecíveis, que conquistam o coração e a razão.

Espaço Interno

Quatro passageiros, duas bicicletas de montanha ou o equipamento de ski? Tanto para o trabalho como para o lazer – um interior flexível para concretizar ideias de forma espontânea.Com o seu banco traseiro rebatível, os excelentes suportes para bicicleta e a tampa traseira de grandes dimensões com um fundo de carga plano, o novo BMW X3 está aberto a qualquer experiência. A pedido, compartimentos de arrumação adicionais, redes de porta-bagagens e barras de fixação oferecem um conforto em viagem completo – mesmo quando as suas ideias exigem demais.

Os motores de seis cilindros em linha, a gasolina

Os motores de seis cilindros em linha conferem ao novo BMW X3 toda a sua força. Realces técnicos como o Vanos Duplo, a técnica de 4 válvulas e a Eletrônica Digital do Motor (DME) conferem-lhe consciência. Assim, o novo BMW X3 xDrive2.5si acelera dos 0 aos 100 km/h em apenas 8,5 segundos, enquanto o xDrive3.0si necessita de 1,3 segundos menos. Quem achar que um veículo de tração às 4 multifacetado não consegue ser dinâmico, vai saber o que é andar rápido, a bordo de um BMW X3.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo total de 7,7a 8,0 l/100 km Emissão CO2 de 238 a 248 g/km

Os motores de seis cilindros em linha, a diesel

Um argumento importante para o motor de seis cilindros, a diesel, é a sua fulminante transmissão – e outro argumento não menos convincente é a sua elevada eficiência. Em subidas ou em longos trajetos, o BMW xDrive3.0sd com turbo-carga de dois níveis desenvolve o seu total potencial de binário de 580 Nm. A inovadora tecnologia Common-Rail proporciona, também no xDrive3.0d, uma constante pressão de injeção de até 1.600 bar, o que possibilita uma combustão silenciosa e poupada, em todos os regimes de rotações.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo total de 7,9 a 8,7 l/100 km Emissão CO2 de 210 a 232 g/km

O motor de quatro cilindros em linha, a gasolina

O “primeiro” motor oferece a dinâmica já adquirida pela BMW ao xDrive2.0i. Com a sua potência de 110 kW (150 cv) consegue chegar a uma velocidade máxima de 198 km/h. A marca dos 100 km/h é atingida logo aos 11,5 segundos. O comando das válvulas Valvetronic proporciona um resposta espontânea e eficiente e graças ao Vanos Duplo, o motor convence através do binário impressionante e de uma propulsão potente.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo total: 9,3 l/100 km Emissão CO2 223 g/km

O motor diesel de quarto cilindros no BMW X3 xDrive18d e xDrive20d

Existem muitos argumentos favoráveis aos motores diesel da BMW.

Particularmente convincente o novo modelo de entrada, o BMW X3 xDrive18d com 143 cv: a sua eficiência. A inovadora tecnologia Common-Rail viabiliza uma combustão eficiente e econômica, injetando o combustível a uma pressão de 1.600 bar. Tendo um consumo médio de apenas 6,2 litros necessários para percorrer 100 km. Tal como o BMW X3 xDrive20d e apesar do seu temperamento dinâmico, o motor do BMW X3 xDrive18d é silencioso e suave. Os motores diesel da BMW vêm equipados com filtro de partículas e cumprem as normas de emissões EU5.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo combinado de 6,2 a 6,7 l/100 km Emissões de CO2 combinadas de 164 a 178 g/km

Comando digital do motor

A Eletrônica Digital do Motor (DME) e a Electrônica Digital Diesel (DDE) comandam e controlam todas as funções relevantes para o funcionamento do motor.

Estas funções são captadas e avaliadas através de sensores. São medidos parâmetros como as rotações do motor, temperatura e posição da válvula borboleta ou do pedal do acelerador. Com a DME ou a DDE, o novo BMW X3 dispõe de um instrumento que possibilita sempre e em todas as condições a utilização perfeita da potência do motor.

BMW X3
BMW X3

Caixa de velocidades manual e automática

A caixa de 6 velocidades manual de série para os xDrive2.0i, xDrive2.5si, xDrive3.0si, xDrive2.0d e xDrive3.0d convence através de passagens de caixa curtas e precisas.

Qualidades que são apenas melhoradas com as caixas de velocidades automáticas: as caixas de 6 velocidades automáticas opcionais para o X3 xDrive2.5si, xDrive3.0si, 2.0d e xDrive3.0d e de série para o X3 xDrive3.0sd vêm equipadas com Steptronic e com comando da caixa de velocidades adaptativo e podem arrancar manualmente. A decisão é visível – dirige-se sempre para um especial prazer de condução.

BMW xDrive

Para que o dinamismo de condução superior do novo BMW X3 permaneça constante em qualquer piso, o sistema de tração às quatro rodas xDrive providencia uma distribuição variável da potência de tração. O sistema inteligente permite, ao condutor, usufruir da potência e do dinamismo do veículo, porque ganha visivelmente em tração em qualquer tipo de piso. Assim, a potência é transposta de forma perfeita para a estrada também em curvas apertadas, no arranque em montanhas ou em piso escorregadio.

Controle dinâmico de estabilidade

Só poderia haver um sucessor legítimo para o controlo dinâmico de estabilidade (DSC): o DSC da mais recente geração. Os sensores de elevada sensibilidade detectam as rotações das rodas, a aceleração transversal e a taxa de avidez. As divergências são detectadas de imediato e retificadas de modo discreto através de intervenções guiadas na gestão do motor e dos travões. Para além disso, o sistema DSC tem agora quatro novas funções.

DSC com funções ampliadas

Para além das suas já tradicionais funções, o sistema DSC tem agora quatro novas funções:

1. Frenagem operacional: reduz a distância de paragem nas travagens de perigo.
2. Travagem a seco:
melhora a resposta do travão quando a estrada está molhada.
3. Assistente de arranque:
possibilita um arranque confortável nas subidas.
4. Compensação de fading:
os travões continuam a ter o mesmo efeito, mesmo quando aquecem.

O sistema de retenção da BMW

Através da colaboração dos cintos de segurança, tensores do cinto, dispositivos de limitação da força do cinto e suportes contra submersão (impede que uma pessoa escorregue por baixo do cinto abdominal), o sistema de retenção faz com que, em caso de colisão, o fecho do cinto seja recolhido numa fração de segundos e que o cinto transversal e o cinto abdominal sejam esticados simultaneamente. Assim, os cintos de segurança, pré-tensores do cinto, dispositivos de limitação da força do cinto e suportes contra submersão no banco atuam em conjunto. Além disso, o novo BMW X3 dispõe de três apoios de cabeça de série e três cintos de segurança automáticos na parte de trás.

O sistema de airbags

Pode contar com: airbags do condutor e do passageiro, airbags diretos de cabeça dianteiros e traseiros, assim como airbags laterais à frente e, opcionalmente, atrás oferecem uma proteção objetiva e eficaz. O Impact Depending System calcula o potencial de perigo em caso de colisão através de fatores como a força de embate e abre os airbags de forma correspondente ao tipo de impacto e na intensidade certa.

Ajuda nos trajetos mais sinuosos (HDC)

O Hill Descent Control (HDC) é o controlo de condução na montanha conectável do novo BMW X3. Através de intervenções de travagem em nas quatro rodas de tração o novo BMW X5 movimenta-se para a frente apenas com aproximadamente o dobro da velocidade de modulação. Adicionalmente, é possível variar a velocidade através do pedal do acelerador e do travão. Dessa forma é garantida uma excelente segurança e o condutor pode concentrar-se totalmente na estrada.

Faróis direccionais adaptativos

As curvas passam a ter a iluminação certa: Com os faróis direccionais adaptativos (opcionais), os sensores registam permanentemente a velocidade, o indice de viragem e a rotação do volante, calculando o curso da curva. Os faróis de xénon comandados eletro-mecanicamente com funções de médios e máximos giram até, no máximo, 15 graus na horizontal e iluminam as curvas à medida que entra nelas.

Controle dinâmico de tração (DTC)

O controlo dinâmico de tração em série (DTC) aumenta o deslize nas rodas de tração em favor de uma melhor tração em qualquer piso. Até um limite definido, o condutor deverá descobrir por si mesmo o potencial desportivo do novo BMW X3. Em situações de condução críticas, o controlo dinâmico de estabilidade interfere, no sentido de regular a condução.

Controle de frenagem em curva

Ao frear, as rodas traseiras são desbloqueadas, o que pode fazer com que o veículo derrape. O controlo de frenagem em curva reage, através de uma regulação assimétrica da pressão de travagem. Este cria um momento resistente estabilizador, fora da área de regulação do ABS. Deste modo, o novo BMW X3 mantém-se seguro na faixa de rodagem, mesmo nas curvas mais apertadas.

Fonte: www.bmw.pt

BMW X3

O BMW X3 é um crossover de luxo compacto SUV fabricado pela montadora alemã BMW desde 2003.

Baseado na plataforma do BMW Série 3, e agora em sua segunda geração, BMW comercializa o crossover como um Sports Activity Vehicle, o conceito de propriedade da empresa para sua linha X de veículos. A primeira geração X3 foi desenhado pela BMW em conjunto com a Magna Steyr de Graz, na Áustria, que também fabricado tudo X3s sob contrato com a BMW.

Depois de entrar no segmento dos utilitários esporte quatro anos atrás, com o X5, a marca da Bavária traz para o Brasil o modelo menor X3, construído sobre a plataforma do Série 3, especificamente a perua Touring. Veículo de Atividade Esporte (Sport Activity Vehicle) é como a BMW chama o X3, um modelo elegante e charmoso que tem tudo para agradar.

O X3 não embarca em Munique rumo ao Brasil: é produzido pela Magna Steyr, de Graz, na Áustria (empresa que o austríaco Herbert Demel dirigiu por cerca de um ano depois da Volkswagen do Brasil, antes de passar a presidente e executivo-chefe da Fiat italiana), com quem a BMW tem longa parceria em projetos de veículos. A decisão mostra a saúde financeira da marca bávara, que num mercado mundial em recessão encontra-se diante de falta de capacidade de produção.

A conceito X3 foi apresentado no Salão de Detroit de 2003 com o nome xActivity. Sete meses depois, em Frankfurt, surgia como X3, com a proposta de inaugurar novo subsegmento no mercado de luxo, por isso mesmo considerado premium pelo fabricante, que por enquanto diz não ter concorrente. E de fato é premium, pelo que o BCWS pôde verificar na apresentação à imprensa nesta sexta-feira (6/2).

A única versão no Brasil, a 3,0-litros de seis cilindros e 231 cv, custa R$ 280.000 em acabamento Family. O Sport, que traz bancos mais envolventes, suspensão de característica esportiva, rodas de 18 pol com pneus de classificação de velocidade W (a roda básica é de 17 pol, pneus H) e liberação eletrônica para maior velocidade (de 210 para 221 km/h), sai por R$ 295.000. A BMW do Brasil não informou o número de unidades a serem importadas, mas estima-se em 100.

Nos mercados mundiais estão disponíveis as versões 2,5-litros a gasolina (192 cv) e 3,0 turbodiesel de 204 cv, sendo o desempenho deste similar ao do 3,0 a gasolina: mesma velocidade máxima e 0-a-100 km/h em 7,9 s, um décimo de segundo pior apenas. Faria sucesso aqui, andando o que anda e com seu consumo médio de 11,9 km/l (gasolina, 8,8 km/l), caso a legislação permitisse sua venda — o que não acontece por falta de caixa de redução.

Os preços incluem o câmbio automático de cinco marchas Steptronic, que permite trocas seqüenciais — claro, com o inusitado padrão da marca de ascender para trás e reduzir para a frente, inverso em relação à maioria. Com ele o 0-a-100 é feito em 8,1 s. A caixa básica, manual de seis marchas, não está disponível no Brasil.

Como é o X3

O novo modelo é todo menor que o X5, mas pouco, com entreeixos de 2,795 metros ante 2,82 m e comprimento total de 4,566 m contra 4,667 m. Mas é maior do que a Série 3 Touring, com 70 mm a mais na distância entre eixos e 87 mm no comprimento, e mais baixo que o X5 em 41 mm, com 1,674 m. Apesar da redução tipo em escala, o conjunto mostra-se muito agradável à vista. O coeficiente aerodinâmico (Cx) 0,35 é recordista na categoria, contribuindo para atenuar o efeito da grande área frontal de 2,5 m2.

Para quem está ao volante, de três raios e tamanho certo (o diâmetro do aro poderia ser ligeiramente menor), os elementos clássicos da marca. O interior é dos mais confortáveis, em especial na traseira. O espaço para os joelhos é de 59 mm com banco todo recuado e do assento ao teto são 1.002 mm, mais de um metro.

O encosto é bem alto e os três ocupantes dispõem de cinto de três pontos e apoio de cabeça: conforto de sedã grande.

O compartimento de bagagem até o nível dos bancos é de 480 litros e pode chegar a 1.560 litros com o banco traseiro 1/3-2/3 escamoteado. A carga útil é de 500 kg, com peso rebocável de 2.000 kg com freio e 720 kg sem. A rede divisória pode ser usada em qualquer configuração, separando ocupantes da bagagem ou de animais domésticos a bordo. Sob a tampa do porta-malas está a bateria, ferramentas e o mecanismo de guincho para baixar o estepe, que fica por baixo. Na lateral esquerda há uma tomada de 12 volts. Enquanto a tampa de carga estiver aberta, uma luz vermelha de sinalização, na borda inferior, fica voltada para o tráfego à retaguarda.

O teto solar duplo de vidro e acionamento elétrico deixa um vão de 0,65 m2 de área quando todo aberto, de modo que até os passageiros traseiros possam desfrutá-lo, e cada seção pode ser aberta inclinada para melhor exaustão do ar interior. É um dos pontos altos do X3. Claro, há uma cortina rígida para proteção contra o sol.

Na dianteira, os bancos contam com ajuste elétrico em todas as direções e há três memórias para o do motorista. Há um porta-copos no console e outro, escamoteável, na extremidade direita do painel. Sob a tampa dupla do console, primeiro um porta-documentos, depois um porta-objetos grande e, ao lado, o trocador para seis CDs, que no X5 fica no porta-malas. Há também um enorme e jeitoso porta-objetos com tampa sobre o painel. Todas as antenas que o veículo tem ou venha a ter, como rádio, GPS e telefone, são agrupadas numa pequena unidade sobre o teto, próximo à traseira.

O vidro do pára-brisa contribui para o conforto climático por possuir capacidade de refletir raios infravermelhos, capaz de reduzir a temperatura interna em até 10º C com o veículo estacionado uma hora e meia sob sol forte. O conjunto de luz interior inova com lente lisa e refletor de superfície complexa, ladeado por dois focos de leitura. E para o motorista, o grande e bem-posicionado apoio de pé esquerdo se destaca no assoalho.

O estilo típico BMW faz qualquer “beemista” sentir-se em casa. A solução de seis janelas foi acertada, com as posteriores de base ascendente conferindo leveza ao estilo. Os pára-choques são pretos, não pintados da cor da carroceria, e os faróis de neblina ficam incrustados e recuados para proteção em terrenos de vegetação alta. Lamentavelmente, ao contrário dos carros mostrados e por se tratar de conjunto, as unidades que virão para o Brasil não trarão os lavadores duplos por farol, o ajuste lombar elétrico dos dois bancos dianteiros e o aquecimento de bancos, este dispensável aqui.

A segurança passiva consiste de oito bolsas infláveis, entre frontais, laterais inferiores e superiores. As dianteiras enchem-se de forma progressiva, de acordo com a intensidade do impacto (técnica Smart), bem como observando a posição da pessoa no banco, se inclinada para a frente ou para o lado, ou então crianças. As portas possuem dispositivo que as leva a se engancharem nas colunas, reduzindo a possibilidade de intrusão numa colisão lateral

Superdose de tecnologia

A carroceria monobloco traz barra de amarração entre os alojamentos da suspensão dianteira, que é McPherson como manda a tradição da BMW. Na traseira, é independente multibraço atrelada a subchassi como no Série 3, com amortecedores pressurizados na frente e atrás. O diâmetro mínimo de curva pequeno, 11,7 m, facilita as manobras. A capacidade de rampa informada, 33%, é baixa, certamente devido à falta de reduzida no câmbio, que a BMW não considera necessária nesse tipo de veículo e ajuda na redução de peso.

O motor é o suave e compacto 3,0 de seis cilindros em linha de outros modelos da marca, que desenvolve 231 cv a 5.900 rpm e torque de 30,6 m.kgf a 3.500 rpm. Com taxa de compressão de 10,2:1, obtém o melhor rendimento com gasolina de 98 octanas RON, a premium disponível no Brasil. Mas o sistema de gerenciamento, Siemens MS45, possui salvaguardas que garantem a integridade do motor até com 91 octanas RON. Dessa maneira, o proprietário pode abastecer com gasolina comum aditivada (95 RON).

As quatro válvulas por cilindro são controladas por variadores de fase para admissão e escapamento, de nome comercial da marca Bi-Vanos. Conjugado com a borboleta do acelerador de controle eletrônico, o sistema otimiza todas as fases de funcionamento do motor, por exemplo provocando aumento de contrapressão de escapamento em velocidades normais de viagem para obrigar a maior abertura do acelerador e assim reduzir o consumo.

O grande destaque do X3 fica para o sistema de transmissão que a fábrica chama de xDrive. Uma embreagem multidisco distribui a potência entre os eixos em proporção continuamente variável em função das necessidades, que pode chegar a 0-100% ou 100-0%, ou seja, só dianteiro ou só o traseiro tracionam. É um sistema mais flexível que o de diferencial do X5 até 2003, com repartição fixa de 38% à frente e 62% à traseira (o X5 2004 adota também o xDrive).

Não há travamento dos diferenciais dos eixos, mas o efeito é conseguido, também automaticamente, pela aplicação dos freios, possível pelo controle de estabilidade DSC, que interage com o xDrive. O DSC se baseia em informações de um sensor de guinada e da maneira como o volante de direção é virado. Este age também de modo contínuo, contribuindo para um maior controle do veículo em todas as situações.

Ao arrancar, a tração é 50-50% até 20 km/h. Depois disso, será o que for necessário para garantir a melhor tração. Acima de 180 km/h, somente a tração traseira funciona (nas manobras, como estacionar, também). Numa curva, se a traseira começar a sair, a tração atrás diminui e a dianteira aumenta, para ganho de aderência lateral (analogamente, se frente sai, aumenta a tração atrás). Só quando não for possível corrigir pela distribuição de potência entre os eixos é que entra em ação a atuação seletiva dos freios para corrigir a trajetória.

Sobre piso muito escorregadio ou em rampas muito inclinadas, o DSC pode até acelerar o motor e ao mesmo tempo mexer com a distribuição de tração, sempre visando a melhor aderência possível. O DSC pode ser desligado, ao contrário do xDrive. As semi-árvores da tração dianteira são de mesmo comprimento, contribuindo para o bom comportamento em curva, e a assistência hidráulica de direção pode ser opcionalmente sensível à velocidade (Servotronic), que os carros importados para o Brasil terão.

Controle de descida

Outro auxílio importante para o motorista é o controle de descida de ladeiras, chamado de Hill Descent Control, HDC. Sobretudo quando o piso estiver escorregadio, e por não haver reduzida, o veículo mantém uma descida lenta e controlada, sem intervenção de quem está dirigindo. É outro caso de interação do DSC, pois durante a descida os freios são aplicados conforme necessidade e até seletivamente para corrigir trajetória.

O acionamento do HDC — por tecla no painel de 35 km/h para baixo — faz o carro baixar para 8 km/h suavemente e o mantém aí. Mas esta velocidade pode ser ajustada, por meio de botões “+” ou “-“ no controle multifuncional de bordo, entre 6 e 25 km/h. Se for desejado trafegar a mais de 35 km/h, o sistema passa ao estado de prontidão, mas se desliga em definitivo acima de 60 km/h.

Outro controle importante é o de estabilidade com reboque, que funciona com o DSC ligado. Se houver oscilação entre o veículo e o reboque, o sensor de guinada percebe o perigo e aciona o freio do reboque com rapidez, restabelecendo a estabilidade. A borboleta de aceleração do motor também é fechada. O sistema reconhece a existência de reboque no ato de engatá-lo e pode ser acionado a partir de 65 km/h. Há também o indicador de perda de pressão nos pneus, que alerta ao motorista sempre que um deles estiver com pressão 30% abaixo da ajustada, em velocidade superior a 15 km/h.

A função Car Memory (memória do carro) permite programar características individuais, como acender os faróis ao ligar o motor ou mantê-los acesos para poder chegar à porta de casa. A Key Memory (memória de chave) memoriza vários ajustes. Por exemplo, ao abrir a porta, o banco e o ar-condicionado estão regulados de acordo com a preferência daquele motorista. Há ainda computador de bordo.

O sistema de iluminação conta com faróis baixos de xenônio orientáveis para curva quando o motorista aciona o acendimento automático. Para o lado esquerdo mudam o facho em até 7 graus apenas, para impedir ofuscamento, e para direita chegam a 12 graus. Os faróis altos são lâmpadas bi-iodo h2 normais. Há também o sistema auxiliar de estacionamento à retaguarda e à dianteira, que se torna contínuo em distância menor que 20 cm, e limpador de pára-brisa automático.

Como anda

A BMW não proporcionou um percurso de avaliação convincente: poucos quilômetros nos bairros Ibirapuera e Moema, em São Paulo. Assim mesmo, deu para perceber a qualidade de rodagem do X3, em especial a precisão de direção e a resposta do motor. Inclusive, não se percebe tanto a grande altura como seria de esperar, exceto ao entrar e sair. Faltou ocasião para analisar melhor o comportamento em curvas, a calibração geral do chassi rodante, o funcionamento do câmbio e dos freios. Mas conhecendo os antecedentes da marca bávara, trata-se mais de querer confirmar do que ter dúvidas.

Por outro lado, a BMW do Brasil criou uma minipista de teste fora-de-estrada, com intencionais e grandes desníveis para se avaliar a capacidade de tração em situações críticas. O X3 mostrou capacidade de vencer esse tipo de obstáculo com facilidade mesmo com pneus para asfalto, o que confirma as qualidades do xDrive apregoadas. Na vida real o usuário não deverá ter problemas para chegar àquele chalé no alto de uma montanha.

Surpresa mesmo, só na parte urbana da avaliação: um Astra começou a me seguir, eu escapava mas logo ele se aproximava, pois o tráfego no momento era relativamente pesado. Comentei com o funcionário do importador que estava comigo (ele parecia muito tranqüilo) e ele se desculpou: “Esqueci de avisar, estamos com segurança atrás de cada X3”.

Surpresa pelo fato, mas também por constatar a que ponto chegamos nessa terra descoberta por Cabral.

Ficha técnica

Motor – longitudinal, 6 cilindros em linha; duplo comando no cabeçote, 4 válvulas por cilindro.
Diâmetro e curso:
84 x 89,6 mm.
Cilindrada:
2.979 cm3.
Taxa de compressão:
10,2:1. Injeção multiponto seqüencial.
Potência máxima:
231 cv a 5.900 rpm.
Torque máximo:
30,6 m.kgf a 3.500 rpm.
Câmbio – automático, 5 marchas; tração integral.
Freios – dianteiros e traseiros a disco ventilado; antitravamento (ABS).
Direção – assistência hidráulica.
Ssuspensão – dianteira, independente, McPherson; traseira, independente multibraço.
Rodas – 8,5 x 18 pol; pneus, 255/45 R 18 W.
Comprimento: 4,565 m;
Largura:
1,853 m;
Altura:
1,674 m;
Entreeixos:
2,795 m;
Capacidade do tanque:
67 l;
Porta-malas:
480 l;
Peso:
1.840 kg.

Desempenho e consumo

Desempenho – velocidade máxima, 221 km/h (acabamento Sport); aceleração de 0 a 100 km/h, 8,1 s.
Consumo –
em cidade, 5,7 km/l; em estrada, 11 km/l.
FORA-DE-ESTRADA – ângulo de entrada, 26º; de saída, 24º; altura livre do solo, 201 mm; capacidade de rampa, 33%; capacidade de inclinação lateral, 50%; capacidade de travessia de trechos alagados, 500 mm.

BMW X3

BMW X3
BMW X3 3.0d M Sport

Ficha técnica

BMW X3 3.0 SPORT

Motor

Dianteiro, longitudinal, 6 cilindros em linha, 24 válvulas, comando de válvulas variável Bi-Vanos
Cilindrada: 2979 cm3
Diâmetro x curso: 84 x 89,6 mm
Taxa de compressão: 10,2:1
Potência: 231 cv a 5900 rpm
Torque: 30,6 mkgf a 3500 rpm

Câmbio

Automático, 5 marchas, tração 4×4.
I. 3,42; II. 2,22; III. 1,60; IV. 100:1; V. 0,75:1; ré 3,03;
Diferencial (traseiro): 3,64;
rotação a 100 km/h em D – 2000 rpm

Carroceria

Monobloco, aço estampado, 5 lugares
Dimensões: Comprimento, 456 cm; largura, 185 cm; altura, 167 cm; entre-eixos, 279 cm
Fora-de-estrada: Ângulo de ataque, 26o; ângulo de saída, 24o; vão livre, 20 cm; capacidade de rampa, 50%; submersão, 50 cm; inclinação lateral máxima, 50%
Peso: 1840 kg
Peso/potência: 7,9 kg/cv
Peso/torque: 60,1 kg/mkgf
Volumes: Porta-malas, 480 litros; tanque de combustível, 67 litros

Suspensão

Barras estabilizadoras, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos.
Dianteira: Independente, com braços triangulares
Traseira: Independente, tipo multilink

Freios: Discos ventilados nas 4 rodas, com ABS, DSC (controle de estabilidade) e HDC (freio eletrônico para declives)

Direção: Hidráulica, tipo pinhão e cremalheira

Rodas e pneus: Alumínio, aro 17; Dunlop Sport 235/50 R18

Principais equipamentos de série: Ar-condicionado, 8 airbags, sensores de pressão dos pneus, sensor de estacionamento, bancos de couro, faróis direcionais, computador de bordo, sensor de chuva, sistema de som com CD player e disqueteira para 6 CDs, faróis de xenônio e teto solar

Garantia: 2 anos sem limite de quilometragem

Fotos

 

BMW X3
BMW X6

BMW X3
Derivado da perua Série 3 Touring, o X3 é pouco menor que o conhecido X5 e tem linhas que o identificam facilmente como um modelo da marca bávara

BMW X3
O sistema de tração integral xDrive reparte o torque entre 0 e 100% em cada eixo, um avanço sobre o adotado no X5, e trabalha em conjunto com o controle de estabilidade

Fonte: www2.uol.com.br

Veja também

História da Tucker

História da Tucker, 48, Carro, Preston, Empresa, Torpedo, Automóveis, Sedan, Motor, Características, Fotos, História da Tucker

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo, Carro, História, Preston, Motor, Automóvel, Sedan, Velocidade, Características, Fotos, Tucker Torpedo

Willys Interlagos

Willys Interlagos, Carros, Modelos, História, Brasil, Versão, Velocidade, Motor, Autódromo, Berlineta, Conversível, Willys Interlagos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.