Breaking News
Home / Automóveis / Porsche 917

Porsche 917

PUBLICIDADE

O Porsche 917 é um carro de corrida que deu para a Porsche suas primeiras vitórias gerais nas 24 Horas de Le Mans em 1970 e 1971.

Um dos carros de corrida mais famosos e velozes da história do automobilismo mundial, o Porsche 917 terá um espaço especial no tradicional festival de velocidade de Goodwood (Inglaterra), que começa hoje e vai até o próximo dia 10. Apenas para citar algumas referências, o carro vem equipado com motor de 12 cilindros de 1580 cavalos, potência para atingir 390 km/h. Com toda essa disposição, o 917 foi um dos maiores vencedores em Le Mans.

Além de pilotos que venceram ao volante do modelo alemão, entre eles Richard Attwood, campeão em Le Mans em 1970 e Brian Redman, uma das lendas do automobilismo, o 917 terá exposta a irreverente versão conhecida como “Pink Pig”, com aerodinâmica vem avançada para o início dos anos 70, quando participou de algumas provas.

Porsche 917
Porsche 917 “Pink Pig”, uma das versões do modelo de competição mais irreverentes e com aerodinâmica avançada para o início dos anos 70

Em 13 de março de 1969, a Porsche apresentou no Salão de Genebra um carro que, mesmo para os padrões atuais, fica muito além da simples classificação “supercarro esporte”: o Porsche 917, que se transformou em uma lenda por ser um dos carros de corrida mais rápidos e vitoriosos de todos os tempos.

Porsche 917
Porsche 917 no Museu Porsche

A Porsche lançou o Projeto 917 em junho de 1968, depois que a FIA, autoridade máxima do automobilismo esportivo, anunciou a criação de uma classe de “carros esporte aprovados” com capacidade de até 5 litros e peso mínimo de 800 kg.

Porsche 917
Porsche 917 em exposição no Salão de Genebra

Com a supervisão de Ferdinand Piëch, as 25 unidades planejadas (número mínimo exigido pela FIA para homologação) foram apresentadas em abril de 1969 para que o 917 pudesse começar sua carreira desportiva nesse mesmo ano.

Ainda que o 917 tenha abandonado suas três primeiras corridas devido a problemas técnicos, a história de êxito começou em agosto de 1969, quando a dupla formada pelo suíço Jo Siffert e pelo alemão Kurt Ahrens venceu os 1000 Km da Áustria, em Österreichring.

Porsche 917
25 Porsche 917, número mínimo para homologação

A configuração do motor do 917 era tão incomum quanto as distintas versões de sua carroceria. Atrás do assento do piloto, ficava um motor de 12 cilindros horizontais refrigerado a ar, cujo virabrequim lhe outorgava um desenho em V de 180 graus.

O motor de 520 cv tinha capacidade cúbica inicial de 4,5 litros.

A estrutura tubular era de alumínio e a carroceria, de fibra de vidro sintética reforçada.

Porsche 917
Chassi de aço-molibdênio pesava somente 47 quilos

Os engenheiros da Porsche desenvolveram distintos modelos de carroceria para satisfazer às distintas exigências das diversas pistas.

O modelo denominado “cauda curta” (917K) foi desenhado para circuitos sinuosos, em que se exige maior pressão aerodinâmica para fazer as curvas à maior velocidade possível. O modelo de “cauda longa” (917 LH) foi desenhado para pistas de alta velocidade.

Em seguida, chegaram os 917 com cabine aberta, como os 917/10 e 917/30 utilizados nos campeonatos Can-Am e Intersérie.

Ao término da temporada de 1970, a Porsche confirmou sua superioridade com os modelos 917 e 908/3 e ganhou o Campeonato Mundial de Marcas (na época, tão importante quanto o de Fórmula 1) vencendo nove das dez corridas válidas para pontuação. Esta série de vitórias começou na 24 Horas de Daytona e prosseguiu em Brands Hatch, Monza, Spa, Nürburgring (todas corridas de 1.000 Km), Targa Florio, 24 Horas de Le Mans, 6 Horas de Watkins Glen e 1.000 Km de Österreichring. O ponto culminante da temporada foi a 24 Horas de Le Mans, disputada em 13 e 14 de junho de 1970 – a primeira vitória da Porsche na classificação geral dessa corrida. Ao volante de um 917K número 23, pintado nas cores vermelho e branco da equipe Porsche Salzburg, Hans Herrmann/Richard Attwood superaram não apenas seus fortes concorrentes, mas também as fortes chuvas que caíram durante toda a prova.

Como no ano anterior, a temporada de 1971 foi dominada pelo modelo 917 e a Porsche venceu novamente o Campeonato Mundial de Marcas com oito vitórias em dez corridas.

Novamente, um Porsche 917 saiu vitorioso na 24 Horas de Le Mans, desta vez com Gijs van Lennep/Helmut Marko.

Eles estabeleceram dois recordes que permanecem até hoje: média horária da prova (222 km/h) e distância percorrida (5.335 km).

Uma característica especial do 917 de cauda curta destes pilotos, que visualmente se caracteriza pela “aleta de tubarão” na traseira, era a estrutura tubular de magnésio.

Um 917 de cauda longa estabeleceu outro recorde em 1971: o carro de Vic Elford/Gerard Larrousse registrou a velocidade máxima de 387 km/h no trecho reto de Mulsanne, que integra o traçado usado na 24 Horas de Le Mans.

Outro carro dessa corrida obteve um reconhecimento inusitado: o 917/20, uma combinação dos modelos de “cauda curta” e “cauda longa”, notável por seu grande tamanho. Pilotado pelos alemães Willy Kauhsen/Reinhold Joest, abandonou na metade da corrida, mas a pouco habitual decoração cor-de-rosa valeu-lhe o apelido “Pig” (porco) e transformou-o em um dos carros de competição mais famosos da Porsche.

O regulamento do Mundial de Marcas foi alterado no final de 1971: os motores acima de 3 litros foram banidos. A Porsche decidiu então inscrever-se no Canadian American Challenge (Can-Am), outra categoria de grande repercussão no cenário automobilístico internacional da época. Em junho de 1972, a equipe privada Penske utilizou pela primeira vez o Porsche 917/10 com turbocompressor. Com redimento de até 1.000 cv, o 917/10 dominou o campeonato e obteve o título com vitórias nos circuitos de Road Atlanta, Mid Ohio, Elkhart Lake, Laguna Seca e Riverside. No ano seguinte, estreou o 917/30, ainda mais evoluído, com motor de 1.200 cv. A superioridade do carro pilotado por Mark Donohue era tão evidente que o regulamento técnico da Can-Am, até então praticamente sem limites para a criatividade dos engenheiros, foram modificados para impedir o 917/30 de competir na temporada de 1974. Como é característico da Porsche, as tecnologias desenvolvidas para conseguir um rendimento cada vez maior nestas corridas foram utilizadas com êxito nos carros esportivos de rua. Foi assim com o 911 Turbo e seu turbocompressor com escapamento lateral, lançado no mercado no final de 1974 e, desde esse momento, sinônimo de capacidade de rendimento dos carros esporte da Porsche.

A reputação do 917 é lendária. Cinquenta experts internacionais em automobilismo esportivo ouvidos pela revista britânica “Motor Sport” escolheram o 917 como “melhor carro de corrida da história”. No total, a Porsche fabricou 65 unidades, do 917: 44 com carroceria cupê com cauda curta e cauda longa, dois PA Spyder e 19 modelos de cabine aberta para os campeonatos Can-Am e Intersérie, com motores turbo de até 1.500 cv. Sete dos 917 mais importantes, entre eles os carros vitoriosos em Le Mans (1970 e 1971) e o 917/30, estão atualmente expostos no novo Museu Porsche em Stuttgart-Zuffenhausen.

História

Porsche 917
Porsche 917

No mês de Abril de 1969 vinte e cinco automóveis de aspecto agressivo eram alinhados no pátio da fábrica Porsche em Stuttgart. Na parte da frente da carroçaria e nos flancos a inscrição 917 substituía os números de corrida.

Era o começo da temporada automobilística desse ano e também o começo de uma aventura inesperada de um protótipo de excepção que iria ditar a sua lei em todos os circuitos do mundo e que afirmou definitivamente a marca alemã nas provas de resistência: o Porsche 917, o último dos monstros.

A génese do 917 só foi possível face às assustadoras prestações dos protótipos de 7000 cc na temporada de 1967 que deram origem a um novo regulamento que limitava as cilindradas a 3000 cc. Paralelamente, com o intuito de não desencorajar a participação dos americanos, amantes de grandes e possantes motores, foi criada uma categoria especial denominada sport, vigorando até 1971, que admitia cilindradas até 5000 cc. Porém era necessário que fossem produzidos e homologados 50 exemplares desses protótipos, número que posteriormente foi reduzido para 25. A Porsche viu a brecha e jogou tudo ou nada. De forma brilhante, acrescentou meio motor a um motor de 8 cilindros e 3000 cc já existente obtendo um novo bloco de 12 cilindros e 4500 cc que quase redobrou a potência!

Os primeiros modelos do 917 revelaram-se extremamente difíceis de conduzir e até perigosos devido à sua grande potência e falta de aderência. Somente pilotos muito hábeis estavam aptos a conduzi-los e a tirar partido das suas enormes potencialidades. Após diversas afinações chegou-se a uma configuração estável, o 917 K ou versão curta, responsável pela maioria das vitórias do bólide. A versão longa, o 917 L, era apenas usado em circuitos muito rápidos, com era o caso de Le Mans. Chegou a ser cronometrado a 380 Km/hora na grande reta…

Porsche 917
Porsche 917 “Pink Pig”, o Porco Rosa

Uma versão denominada 917/20 foi também apresentada reunindo o melhor de cada uma das outras. Teve uma aparição fugaz na edição de 1971 das 24 horas de Le Mans e ficou mais conhecida devido à sua decoração original – que lhe valeu o baptismo de Pink Pig – do que devido ao seu desempenho em pista…

Terminado o período de transição do novo regulamento o monstro foi proscrito das provas do Campeonato do Mundo de Resistência, reservado apenas aos protótipos de 3000 cc.

Encontrou refúgio e um novo alento nas provas de CanAm graças a motores sobrealimentados pela pressão dos gases de escape: os primeiros turbo.

Na sua versão mais potente, que correu durante a temporada de 1973, chegou a atingir a potência fabulosa de… 1200 cv! Definitivamente o último dos monstros…

Porsche 917
Posche 917

Fonte: www.porsche.com.br/www.interney.net

Veja também

História da Tucker

História da Tucker, 48, Carro, Preston, Empresa, Torpedo, Automóveis, Sedan, Motor, Características, Fotos, História da Tucker

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo, Carro, História, Preston, Motor, Automóvel, Sedan, Velocidade, Características, Fotos, Tucker Torpedo

Willys Interlagos

Willys Interlagos, Carros, Modelos, História, Brasil, Versão, Velocidade, Motor, Autódromo, Berlineta, Conversível, Willys Interlagos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.