Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Automóveis / BMW X5

BMW X5

PUBLICIDADE

O BMW X5 desde que a empresa alemã de carros de luxo foi o seu primeiro empreendimento no mercado de veículos crossover.

Estreando para o ano modelo 2000, o veículo atividade esportiva BMW X5 foi o primeiro produto a sair da Spartanburg, South Carolina linha de montagem.

Um veículo crossover de luxo high-end, características padrão, tais como controle de tração e suspensão autonivelante foi incluído no BMW X5 2000 .

O veículo foi apresentado com um 4.4-litro motor V-8 gerando 282 cavalos de potência e £ 324-pés de torque.

A 3,0-litro inline-seis foi adicionado ao X5, em 2001, proporcionando uma opção mais eficiente em termos de combustível com o veículo crossover de luxo.

O veículo de passagem dividiu o palco carro usado para o sedan Série 5, mas incorporou todos rodas sistemas de controle de acionamento encontrados em produtos Land Rover.

Em 2002, uma escolha terceiro motor no BMW X5 consistiu de um 340-hp 4.6-litro motor V-8.

BMW X5
BMW X5

O exterior

Quer esteja parado ou a toda a velocidade, o BMW X5 é dono de uma presença com carácter. A sua estatura marcante é cunhada por uma mistura de formas côncavas e convexas da carroçaria e por uma grande distância entre os eixos. Jogos dinâmicos de luz e sombras sublinham a sua aparência robusta e salientam, ao mesmo tempo, a sua elegância intrínseca. Soberania que não se esquece rapidamente.

O Interior

Deixe-se fascinar pela sua elegância funcional: Superfícies amplas e níveis marcantes são amenizados por elegantes contrastes de luz e sombra. O painel de instrumentos, com as suas funções de comando e indicação, é facilmente adequado ao condutor. Todos os instrumentos estão idealmente no campo de visão e podem ser visualizados intuitivamente. Desfrute da sensação de um controlo total.

Espaço Interno

O BMW X5 aposta na flexibilidade e dispõe tanto de grandes espaços livres para passageiros, como de muito espaço de arrumação para a bagagem. No equipamento de série, ele oferece um amplo espaço para cinco pessoas. O espaço de arrumação de 620 litros pode, se necessário, ser aumentado para 1750 litros, ao rebaixar a segunda fila de bancos. Como opção, está também disponível uma terceira fila de bancos, cujos dois assentos adicionais, se necessário, podem ser rebaixados individualmente na superfície de arrumação.

O motor de 8 cilindros a gasolina

O V8 no BMW X5 xDrive4.8i estabelece padrões em potência e estilo de condução. O motor é optimizado com o Valvetronic, o comando variável do eixo de excêntricos Vanus duplo e com o sistema de admissão totalmente variável quanto ao domínio das maiores exigências. 355 CV de potência aceleram o veículo em 6,5 segundos dos 0 aos 100 km/h. A marcha suave sublinha a forma como o motor de alta tecnologia desenvolve a sua potência sem esforço.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo combinado: 12,1 l/100 km
Emissões de CO2 combinadas: 289 g/km

O motor de 6 cilindros a gasolina

O motor de seis cilindros mais moderno da sua classe. Sob o cárter em alumínio e magnésio está o trunfo do BMW X5 xDrive3.0i, este motor de 3,0 litros com 272 Cv de potência a 2.750 rpm. E se os puros valores numéricos não convencerem, então a sua suavidade de rolamento exemplar e o seu ruído sonoro respondem a todas as dúvidas.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo combinado: 10,3 l/100 km
Emissões de CO2 combinadas: 247 g/km

O motor de 6 cilindros a diesel

Elevada potência aliada à rentabilidade: O motor de 6 cilindros a diesel não aditivado do BMW X5 xDrive3.0d com injeção direta Common-Rail, técnica de quatro válvulas e turbocompressor desenvolve uma elevada potência de 235 CV.

O BMW X5 xDrive3.0d mostra o seu enorme sistema progressivo de transmissão através da sua capacidade extraordinariamente elevada: passa dos 0 aos 100 km/h em, precisamente, 8,3 segundos.

Consumo do combustível / Emissões de CO2

Consumo combinado de 8,2 a 8,3 l/100 km
Emissões de CO2 combinadas de 217 a 220 g/km

A caixa de 6 velocidades

Com motores harmoniosamente escanolados e idealmente concebidos para o desenvolvimento de potência do BMW X5, a caixa automática de 6 velocidades une a dinâmica de condução ao mais elevado conforto de engrenagem. O modo Steptronic é ativado através de uma tecla no volante – as mudanças de velocidade são efetuadas através de toques suaves e sem tirar as mãos do volante.

BMW X5

xDrive

O sistema inteligente de tração às quatro rodas

O BMW X5 domina flexível e agilmente qualquer estrada – independente do seu estado.

O xDrive detecta os estados difíceis da superfície da faixa de rodagem através dos sensores do sistema de regulação do chassis DSC e reage numa fração de segundos: Através de uma distribuição flexível da potência pelos eixos dianteiro e traseiro, as rodas obtêm, através da mais elevada tração, a força de tração ideal.

O resultado: estabilidade excepcional da trajetória, comportamento seguro em curvas e um desenvolvimento de potência sempre de confiança.

O eixo dianteiro de viragem dupla

No BMW X5 roda incansavelmente um ex-libris de alta tecnologia: O eixo dianteiro de viragem dupla que proporciona uma dinâmica de condução especialmente desportiva, uma estabilidade direccional e uma melhor precisão de direção. A reduzida transmissão de vibrações para o volante e a suspensão elástica garantem, além disso, um elevado conforto na condução, mesmo em grandes viagens.

A direção ativa

Para uma sensação de direção excelente a velocidades elevadas e manobras fáceis ao estacionar: A direção ativa opcional adequa o efeito de virar o volante à velocidade de condução. Quanto mais baixa for a velocidade, mais direta é a direção. Para mais sensibilidade na estrada e mais prazer de condução das retas e nas curvas.

Os pneus preparados para atuar em situações de emergência

A trocar pneu no acostamento da estrada é algo que pertence ao passado. Graças a reforços laterais especiais, os pneus de série do BMW X5, permitem que, mesmo após a perda total de pressão, ainda seja possível cobrir uma longa distância.

A vantagem em cada viagem: mais espaço no porta-malas e menos peso, pois já não é necessário um pneu sobressalente. Para além disso, a mais leve diminuição da pressão é sinalizada no cockpit através da indicação para avaria dos pneus, também de série.

As luzes de curva do BMW X5

O BMW X5 vem equipado com faróis direcionais, como complemento do opcional controle de iluminação em curva. As luzes iluminam o interior da curva, quando o veículo circula a velocidades reduzidas, oferecendo uma visibilidade acrescida nas curvas, na periferia do veículo e noutras manobras. As luzes de curva, integradas nos fraróis de neblina, são ativadas automaticamente com o carro parado, quando o condutor aciona o pisca-pisca, ou a partir de um ângulo de curva do volante de 10 graus – até uma velocidade de 35 Km/h.

BMW X5
BMW X5

A alavanca de câmbio

É aplicada no BMW X5 uma alavanca de câmbio completamente nova. Com o seu design moderno e esportivo, ela não é apenas uma atração no habitáculo, mas assenta também muito bem na mão. No lado esquerdo são engatadas manualmente as seis velocidades. O lado direito regula, como é habitual, o modo-D, o ponto morto e a marcha-a-ré. A posição de estacionamento é ativada ao premir os botões.

O conceito de operação do sistema iDrive

Não queremos estar sempre à procura do que utilizamos com frequência. Por isso, no novo iDrive, as funções do sistema de áudio, da navegação e do telefone utilizadas frequentemente podem ser memorizadas em oito teclas separadas de favoritos. Todas as informações importantes aparecem no monitor anti-reflexivo no melhor campo de visão do condutor. E para além disso, as outras funções são fácil e intuitivamente controláveis, graças ao iDrive.

O visor Head-Up

O visor opcional Head-Up transmite informações importantes como a velocidade ou indicações de navegação diretamente no campo de visão do condutor. A imagem virtual é projetada no pára-brisas e é bem legível para o condutor em todas as condições de iluminação por cima do capot. Para que a indicação se encontre sempre à altura dos olhos, independentemente do tamanho do condutor, o visor Head-Up no BMW X5 é ajustável individualmente em altura. Assim, as informações importantes podem ser visualizadas clara e rapidamente – sem desviar o olhar da estrada.

A tampa traseira

Carregar e descarregar com todo o conforto – a tampa traseira dividida em duas peças permite um acesso ideal ao porta-bagagens. Sob a tampa superior bem aberta pode instalar-se confortavelmente uma pessoa com até 1,85 m de altura. A tampa inferior fecha a base do porta-bagagens e permite-lhe depositar a carga antes de carregar.

A principal atração: A tampa superior abre e fecha automaticamente por telecomando ou por toque na tecla do sensor.

Segurança ativa e passiva

A combinação de todos os elementos de segurança faz do BMW X5 um dos automóveis mais seguros da sua classe: O sistema perfeitamente equilibrado de suspensão, gestão do motor, travões, pneus e uma multiplicidade de aparelhos eletrônicos de medição reage a situações de limite de forma controlada e soberana.

O pack de airbags de série, assim como os sistemas de retenção com pré-tensores do cinto e dispositivos de limitação da força do cinto protegem os passageiros contra ferimentos, em caso de emergência. E a carroçaria ultra rígida cumpre no mundo inteiro todas as normas de embate, até mesmo para a terceira fila de bancos opcional.

Fonte: www.bmw.pt

BMW X5

Embora bastante restrito, o segmento dos utilitários esportivos de luxo tem um público cativo no Brasil.

De Porsche Cayenne a Mercedes-Benz Classe M, passando pelos Land Rover, Audi Q7 e os inúmeros modelos trazidos por importadores independentes, tudo que há de novo no mercado mundial chega logo por aqui.

Atenta a isso, a BMW lança no país a segunda geração do X5.

Sua chegada acontece apenas dois meses após o lançamento nos EUA e dois meses antes da Europa.

O modelo mantém a identidade, porém está alinhado com os últimos lançamentos da marca alemã.

Os contornos do novo X5 estão mais arredondados, mas ainda contundentes, lembrando os do seu “irmão mais novo”, o X3.

Os faróis foram alongados, o capô está mais alto e a grade, maior.

O pára-lama dianteiro é confeccionado em plástico e já agrega parte do pára-choque. Os já pronunciados vincos das laterais cresceram e os pára-lamas foram “anabolizados”.

Atrás há traços retos e lanternas iluminadas por LEDs que invadem a tampa, como no antecessor.

Suas dimensões cresceram: o novo X5 tem 4,85 metros de comprimento (18,7 centímetros mais que o anterior), 1,93 m de largura (6,1 cm) e 1,76 m de altura (5,4 cm), além de estar 30 kg mais pesado.

Esse crescimento possibilitou a instalação de um banco dobrável opcional no porta-malas.

Com ele aberto, a capacidade sobe de cinco para sete passageiros, sendo que os dois últimos devem ter no máximo 1,70 m de altura.

Para facilitar a entrada, a fileira de bancos central corre longitudinalmente e tem regulagem de inclinação.

Com os dois bancos extras abertos, cabem 200 litros no porta-malas.

Fechados permitem acomodar 530 litros de bagagem.

Se a opção for rebater também a segunda fileira de bancos, há espaço para 1.750 litros.

No X5 sem a terceira fileira opcional, o porta-malas pode levar até 620 litros, uma vez que há uma gaveta onde ficaria o banco.

Fotos

BMW X5

BMW X5
BMW X5

Seu painel continua sóbrio, apesar das alterações empregadas pela BMW. Entre elas estão o iDrive, que combina sistemas de navegação, DVD, telefonia, climatização, personalização, entre outros, por meio de um tela no console central e era inédito no utilitário.

O sistema de áudio dispõe de 16 alto-falantes, além de disqueteira para seis discos no porta-luvas. Um opcional que será vendido posteriormente é a câmera traseira que auxilia o motorista nas manobras, como no Audi Q7 (leia aqui).

Outra novidade é o “head up display”, que projeta informações de velocidade e instruções de navegação no pára-brisa sem que o condutor desvie a atenção. O X5 é o primeiro utilitário esportivo a receber o equipamento.

Para os passageiros do banco traseiro, há controles e saídas independentes de ar-condicionado. Além disso, há a opção de um monitor de DVD. Todos estes itens, no entanto, não virão inicialmente para o Brasil.

Entre os itens de segurança, estão airbags frontais, laterais e de cabeça, direção adaptativa, que se torna mais ou menos direta, conforme a velocidade, freios com sistema ABS (antitravamento), controles de estabilidade (DSC e ASC), auxílio em ladeiras (HDC), controle de estabilidade de carreta, controle dinâmico dos freios (DBC) e pneus “run flat”, que podem rodar furados por até 150 quilômetros a 80 km/h. Além disso, há faróis direcionais de xenônio, faróis direcionais de neblina, luzes de freio que piscam em frenagens de emergência e o auxílio de luz alta, que automaticamente abaixa o farol alto quando surge um veículo na direção contrária ou à frente.

No Brasil o X5 vai ter duas opções de motor. O menor é o 3.0 de seis cilindros de 272 cv (cavalos) de potência e 32,1 kgfm de torque a 2.750 rpm. Construído de alumínio e magnésio, pesa 160 kg, 10 kg a menos do que o antigo seis cilindros. Traz comando de válvulas variável Duplo Vanos e o sistema Valvetronic, que usa as próprias válvulas de admissão para controlar a entrada da mistura ar-combustível e dispensa borboleta de aceleração. De acordo com a BMW, consome 14% menos. A aceleração de 0 a 100 km/h ocorre em 8,1 segundos e a máxima é de 225 km/h.

O X5 top de linha traz um motor 4.8 V8 (oito cilindros em “V”). Produzido com os mesmos materiais do seis cilindros, esse motor teve a admissão e a exaustão otimizadas. Também possui os sistemas Duplo Vanos e Valvetronic e, com isso, desenvolve 355 cv e 48,4 kgfm de torque a entre 3.400 e 3.800 rpm. Segundo a BMW, seu consumo é 5% menor do que o anterior. A aceleração de 0 a 100 km/h acontece em 6,5 segundos e a velocidade máxima é limitada eletronicamente em 240 km/h. O motor 3.0 turbodiesel de 231 cv não será oferecido no Brasil.

No console central, a alavanca do câmbio agora tem acionamento elétrico. Para escolher entre as posições “R”, “D” e “N”, basta apertar um botão e mover a alavanca, sendo que ela volta à posição original depois da seleção. Ao parar, aperta-se o botão “P”. Se o condutor quiser fazer as trocas de modo manual, basta levar a alavanca para a esquerda. Para aumentar as marchas, puxa-se para trás e para reduzir, é só empurrá-la. Há ainda a função Sport, que permite giros mais altos.

O sistema de tração integral permanente XDrive, em condições normais, passa a força do motor na proporção de 40% para o eixo dianteiro e 60% para o eixo traseiro. No entanto, caso haja perda de tração, uma embreagem multidisco é responsável pela distribuição entre os eixos.

Interpress Motor avaliou o novo BMW X5 4.8i Sport no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Nas três voltas que deu no circuito e no percurso misto com obstáculos, onde pôde ser comparado com a primeira geração, ficou clara a sua evolução. Como vem acontecendo em todas as marcas, os utilitários esportivos estão cada vez mais esportivos sem, contudo, deixarem de ser utilitários.

Nas curvas e retas do autódromo, o comportamento dinâmico do X5 se mostrou excelente. O Dynamic Drive, que conta com estabilizadores e amortecedores ativos e trabalha em conjunto com a direção adaptativa e os controles de tração e estabilidade, diminui em grande parte as oscilações. A carroceria se mantém nivelada nas curvas, nas acelerações e nas frenagens. A estabilidade é um primor, ajudada pela tração integral e pelas rodas de 19 polegadas calçadas em pneus 255/50. Mesmo provocado nas saídas de curva mais acentuadas, o carro manteve sua trajetória perfeitamente.

O motor de 355 cv tem desempenho de sobra para o porte do carro. Acoplado a uma excelente caixa automática de seis marchas – que traz conversor de torque com amortecimento – tem trocas suaves em modo automático e rápidas no modo manual Steptronic. O sistema de freios, com discos ventilados de 365 mm na frente e 345 mm atrás, também teve funcionamento irrepreensível. O carro passou segurança durante todas as manobras do teste.

Quando avaliado no pequeno circuito de obstáculos que a BMW preparou no estacionamento do autódromo, o novo X5 mostrou que ainda tem um quê de utilitário sob a carroceria. Em um trecho com pedras, placas e troncos de madeira, a firmeza demonstrada na pista deu lugar a uma ótima absorção, além de muita robustez. No slalon, a diferença entre as duas gerações foi notável.

O novo X5 começa a ser vendido por R$ 370 mil na próxima segunda-feira, dia 16. Inicialmente será trazido apenas na versão 4.8i Sport comercializada no mercado norte-americano e que traz pequenas diferenças (sistema de som, airbags maiores, velocímetro em milhas) em relação à comercializada na Europa. Esta é esperada para junho e trará também a versão 4.8i Top, por R$ 350 mil. Em setembro começam as vendas do X5 3.0, ainda sem preço definido.

O novo X5 começa a ser vendido por R$ 370 mil na próxima segunda-feira, dia 16. Inicialmente será trazido apenas na versão 4.8i Sport comercializada no mercado norte-americano e que traz pequenas diferenças (sistema de som, airbags maiores, velocímetro em milhas) em relação à comercializada na Europa. Esta é esperada para junho e trará também a versão 4.8i Top, por R$ 350 mil. Em setembro começam as vendas do X5 3.0, ainda sem preço definido.

Com o motor 4.8 V8, o X5 acelera de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos

A BMW já comercializou no Brasil 1.950 unidades do X5 entre o seu lançamento, em 2000, e o ano passado. No mundo o número chega a 618 mil. Até o fim de 2007, a intenção da empresa é vender 350 unidades da segunda geração por aqui. O número é 17,5% maior do que o total de Mercedes-Benz Classe M vendidos em 2006. Qualidades para alcançar esses números o novo X5 mostrou que tem.

FICHA TÉCNICA

BMW X5 4.8i Sport

Motor: dianteiro, longitudinal, V8 (oito cilindros em “V”), a gasolina,
4.799 cm³ de cilindrada
Potência:
355 cv a 6.300 rpm
Torque:
48,4 kgfm a 3.400 rpm
Câmbio:
automático, de seis velocidades, com opção de trocas manuais Steptronic
Suspensão:
dianteira independente, paralelogramo deformável, com barra estabilizadora e molas duplas; traseira independente, paralelogramo deformável, com barra estabilizadora e molas pneumáticas.
Freios:
a disco nas quatro rodas, com sistema ABS (antitravamento) e DBC (controle dinâmico de frenagem)
Dimensões:
4,85 m de comprimento; 1,93 m de largura; 1,76 m de altura; 2,93 m de entreeixos
Tanque:
85 litros
Porta-malas: 620 litros (5 lugares) ou 530 litros (7 lugares)

Fonte: www2.uol.com.br

BMW X5

Desde a sua apresentação nos EUA (onde é produzido), em 1999, que não tínhamos voltado a conduzir um BMW X5. Dois anos volvidos, e algumas horas foram o suficiente para relembrar todos os atributos de um dos SUV mais apetecidos do mercado.

Com um atrativo adicional: o da unidade posta à disposição da Automotor ser a versão a gasóleo, modelo inexistente por altura do seu lançamento.

E é neste “pormenor” que valerá a pena concentrar atenções. O motor é o conhecido 6 cilindros em linha turbodiesel de 24 válvulas e 2926 cc, com injeção common-rail e turbo de geometria variável, debitando 184 cv/4000 rpm e 410 Nm constantes entre as 2000 e 3000 rpm.

Não obstante os 2095 kg de peso em vazio, e a cai-xa automática Steptronic de 5 relações montada na unidade testada, o casamento entre o X5 e este motor é praticamente perfeito: ruído de funcionamento quase inexistente a baixo regime; sonoridade entusiasmante nas rotações mais elevadas; suavidade de funcionamento ímpar; superior disponibilidade e generosidade de resposta em todos os regimes; prestações de bom nível.

Os consumos são o único senão: para obter os valores anunciados, será necessário conduzir com um “ovo” debaixo do pé. Sobretudo em cidade, onde é difícil não superar largamente o prometido. Em estrada a coisa melhora, e sempre é preciso ter em conta que, apesar de tudo, os valores obtidos são muito inferiores aos das versões a gasolina, e que o preço do gasóleo (em Portugal) é francamente mais acessível.

Comportamento de excepcional

Recorde-se que a BMW afirma que o X5 não é um SUV (Sports Utility Vehicle), mas um SAV (Sports Activity Vehicle). A nuance pode parecer um preciosismo, mas justifica-se depois de efetuados alguns quilómetros a bordo do modelo.

Em estrada, não nos recordamos de qualquer proposta do género que se aproxime, sequer, da eficácia exibida pelo X5. Apesar da altura mais elevada, do peso considerável, da maior altura ao solo, o X5 é quase inabalável em linha reta, mesmo a alta velocidade, exibindo uma invejável estabilidade. Como invejáveis são, também, as velocidades de passagem em curva que alcança, rapidamente nos fazendo esquecer que estamos a bordo de um automóvel com esta vocação, dimensões e peso.

Pena que, na unidade ensaiada, as rodas de 19 polegadas e a suspensão desportiva que esta montava (que muito poderão contribuir para uma aparência ainda mais atraente) impliquem uma sensível diminuição do conforto de marcha sempre que a qualidade do piso não é a melhor, ofuscando o desempenho das suspensões independentes oriundas dos Série 5 (dianteira) e Série 7 (traseira).

Os pneus de medida 285/45 também não são a melhor opção para o fora de estrada – não fossem estes, e decerto que o “nosso” X5 estaria apto a surpreender, de forma ainda mais efetiva, e até mesmo os mais experientes, pela facilidade com que enfrenta terrenos mais exigentes (apesar da BMW realçar que o seu terreno de eleição é o asfalto).

Deste modo, fica ensombrado o superior desempenho da transmissão total permanente composta por elementos tradicionais (três diferenciais, o central com uma repartição de 62% para trás e 38% para a frente), combinados com os mais evoluídos dispositivos eletrônicos. Caso do controlo dinâmico de estabilidade DSC, que integra o ABS, o controlo de travagem em curva CBC, o BAS e o controlo dinâmico de travagem DBC. E do controlo de estabilidade ASC-X, especialmente adaptado à tração integral. E do controlo eletrônico de diferencial ADB-X (que impede que qualquer roda patine, aplicando travão sobre a mesma).

E ainda do genial sistema HDC, para controlo de descidas (criado pela Land Rover, funciona abaixo dos 50 kn/h quando a tal é instado pelo condutor, e mantém automaticamente o veículo numa velocidade linear de 10 km/h em descida).

Requintado e exclusivo

Referência final para a qualidade de vida a bordo. Espaço habitável muito amplo, qualidade de construção e materais, e ergonomia, ao nível de qualquer berlina BMW. Posição de condução exemplar, visibilidade muito boa em todos os sentidos.

Assumindo-se o X5 3.0d como um automóvel de luxo, o equipamento de série é atraente: os airbags frontais e laterais e para a cabeça, o ar condicionado automático e independente, o computador de bordo, os estofos e volante em pele e as jantes de liga de 17 polegadas são só os elementos mais importantes (além de todos os dispositivos eletrônicos de auxílio à condução mencionados).

Fonte: www.automotor.xl.pt

BMW X5

Montadora: BMW

País de fabricação: Alemanha

O modelo X5 da BMW é sem dúvida um dos mais luxuoso dos Utilitários no mercado ou, como deseja a BMW, o mais luxuoso da categoria SAV (Sports Activity Vehicles).

O seu design é no mínimo imponente, fruto das suas elevadas dimensões: 4,67 m de comprimento, 1,87 de largura e 1,70 de altura. Destaque para seu interior bem equipado e luxuosíssimo.

Mas o modelo X5 da BMW não fica só na beleza do seu design ou no seu interior luxuoso do veículo proporcionado pelos equipamentos de alta qualidade. É também um veículo onde a segurança é levada a sério com a adoção do F.I.R.S.T. (Fully Integrated Road Safety Technology) que resulta na adoção de dez airbags divididos em frontais, laterais e para a cabeça. Possui suspensão independente que proporciona aos ocupantes um elevado conforto, mesmo nos pisos mais irregulares.

Ainda vem equipado com um sistema de travas antibloqueio: O ABS, DSC (controle dinâmico de estabilidade), CBC (controle de tração em curva), DBC (controle dinâmico de tração), ADB-X(bloqueio automático do diferencial), ASC-X(controle antiderrapagem) e finalmente o HDC (controle de descida).

O BMW X5 tem duas versões:

Motor: 3.0 L – 6 cilindros – 231 cv
Consumo na Cidade: 5.7 km/l
Consumo na Estrada:
9.7 km/l

Motor: 4.4 L – 8 cilindros – 286 cv
Consumo na Cidade: 5.3 km/l
Consumo na Estrada: 9 km/l

Fonte: www.ivox.com.br

BMW X5

BMW X5

Quando a BMW introduziu ao mercado seu novo modelo X5 há oito anos atrás, muitos viram como uma traição ao espírito esportivo da marca.

Estas pessoas perguntavam: “A marca que inventou os sedans esportivos, está lançando uma SUV?” Hoje a única pergunta que há é se o Novo X5 continua tão bom quanto a primeira geração.

Todas a evidências apontam que o Novo X5 é significantemente melhor em todas as categorias. A segunda geração desta SUV está maior e roda sob uma nova plataforma. Houve espaço de sobra para a BMW adicionar uma terceira fileira de assentos, porém, devido as proporções, o uso desta seja apropriado apenas para o uso infantil.

Por mais maravilhosa que seja a dirigibilidade da primeira geração da X5, esta nova geração possuí uma dirigibilidade ainda melhor. Há mais participação da suspensão ao passar por lombadas e pavimentos irregulares e ainda continua muito ágil quando dirigido agressivamente em curvas fechadas. O interior também está maior e com um visual mais bonito.

Motor & Performance

O Novo X5 conta com um motor V8 de 4.8 litros capaz de desenvolver 355cv de potência. Quanto à performance, esta versão é capaz de acelerar de 0-100km/h em apenas 6.5 segundos. Há também a versão 3.0i, que possui um motor de 6-cilindros em linha, capaz de desenvolver 272cv de potência. A aceleração de 0-100km/h fica em 7.8 segundos. Nada mal.

Ambas as versões contam com um câmbio automático de 6-velocidades com Steptronic, que permite a troca de marchas seqüencialmente.
Segurança

A BMW desenvolveu novos conceitos em relação a segurança dos passageiros. O novo X5 é equipado com uma nova célula robusta, feita de aço multifásico de alta resistência, o que dá aos passageiros o maior espaço de sobrevivência no caso de um acidente.

Para proteção frontal, a força do impacto é absorvida por uma área de deformação situada à frente da célula de passageiros. No caso de colisões traseiras, até mesmo a terceira fileira de assentos fica protegida. Para o caso de impactos laterais, há reforços estruturais nas quatro portas, que serve para minimizar a penetração na célula de passageiros.

Os air bags aumentam a proteção dos ocupantes contra colisões frontais, laterais e até mesmo de capotagens laterais. Há também um sistema de air bags desenvolvido especialmente para a cabeça do motorista e passageiro. Este sistema os protegem de bater contra as laterais do veículo ou contra o outro objeto envolvido na colisão.

Interior & Opcionais

O interior do Novo X5 é um dos mais elegantes que a BMW já desenvolveu. O painel é ergonômico e os controles são de fácil acesso. Um grande destaque são os acabamentos em couro e madeira. O porta-malas possuí uma capacidade de até 1750 litros, um dos maiores da categoria.

A tecnologia iDrive dá acesso a diversas funções do carro, desde a sua estação favorita, até a sua agenda de telefones. Tudo isto é controlado por um único joystick localizado numa posição estratégica. Há quem diga que o iDrive é confuso e de difícil manejo. Eu já o testei e não vi a menor dificuldade, aliás, achei este sistema algo revolucionário. Basta apertar alguns botões para que o celular entre em contato com o carro através do Bluetooth.

Daí em diante, é só guardar o celular no bolso e desfrutar de tudo que ele pode oferecer através da tela de 8,8 polegadas localizada no painel central. Até mesmo disquei para um amigo e conversei com ele através dos alto-falantes do veículo, para testar a eficácia do sistema. Tudo funcionou perfeitamente. Há também um sistema de comando de voz, que permite aos condutores controlar diversas funções do carro, as quais são mostradas simultaneamente na tela do painel central.

Além do iDrive, a tela do painel central também serve para uso do GPS, televisão (embora só possa ser utilizado quando o veículo estiver parado) e uma câmera de alta-resolução localizada na traseira do veículo, que auxilia o motorista ao manobrar em marcha ré.

Uma outra função interessante é o aquecimento auxiliar com controle remoto. Em dias frios, quando você entra no carro, o pára-brisa já está desembaçado e o interior já está em uma temperatura agradável. Tudo isto com o toque de um botão do controle remoto.

O teto solar panorâmico em cristal possui uma abertura extra-grande e área transparente para visualização, além de um defletor para o vento gerado pela velocidade do carro. Ambos os painéis de vidro se inclinam verticalmente ao toque de um botão.
Dirigibilidade

Uma das maiores qualidades do Novo X5 é sua dirigibilidade. O chassis de alumínio com dois braços de suspensão sobre o eixo dianteiro, formam a base para uma dirigibilidade precisa e um alto grau de conforto. O resultado disto é uma agilidade que pode ser aumentada ainda mais com a Direção Adaptável e com a Direção Ativa.

A direção adaptável consiste no sistema Dynamic Drive de controle ativo do chassis, mais o Controle Eletrônico de Amortecimento (EDC). O Dynamic Drive nivela qualquer inclinação lateral do veículo, enquanto o EDC faz uso de sensores para continuamente absorver vibrações no corpo do veículo, não importa a carga, não importam as condições da estrada. A Direção Ativa é outro elemento que contribui para um passeio altamente prazeroso – ela reduz ou aumenta o ângulo de direção das rodas dianteiras, dependendo da velocidade atual.

O sistema Servotronic responde aos comandos do volante, também de acordo com a velocidade do veículo. Desta forma, você poderá ter maior conforto ao estacionar e maior agilidade e segurança em velocidades mais altas, dando-lhe a capacidade de permanecer no rumo certo mesmo ao enfrentar caminhos desafiadores.

O sistema 4×4 xDrive garante máxima tração, mesmo nas condições mais precárias. Usando dados de ângulo de direção e velocidade das rodas, por exemplo, o xDrive reage imediatamente ao detectar uma tendência a sobre – ou subesterçar, empregando uma acoplagem controlada para distribuir a potência entre os eixos em frações de segundo, garantindo o melhor grau de adesão ao solo.

Este sistema de controle do chassis minimiza as intervenções do motor e dos freios, aumentando ainda mais o dinamismo na condução do veículo. Para os mais altos padrões e o máximo prazer em dirigir.
Preços

No geral, o Novo BMW X5 está impressionante. Para os entusiastas da marca ou aqueles que gostam de mais esportividade, o Novo X5 é uma escolha óbvia. Porém, as marcas concorrentes também gostariam de considerar suas qualidades. Quando a primeira geração da X5 debutou no mercado, era a única opção para um SUV quando dirigido sob o asfalto.

Hoje, o segmento de SUVs está cheio de máquinas impressionantes, incluindo o Audi Q7, Porsche Cayenne, Mercedes-Benz Classe-M, Infiniti FX35/FX45, Volvo XC90, Land Rover Range Rover entre outros.

Há ainda muito o que falar sobre o Novo X5, mas acho que já abordei as principais características deste carro..Se fosse para escolher entre as marcas citadas acima, eu ficaria com o Novo X5, sem sombra de dúvidas.

Fonte: papodehomem.com.br

BMW X5

BMW X5

Pouco tempo depois de chegar ao Brasil, em 2000, o BMW X5 da série E53 (código de identificação do projeto pela fábrica) já era o utilitário esporte de luxo mais vendido do país, superando o Mercedes-Benz ML – até então líder nessa categoria de topo. Com o passar dos anos a concorrência foi se acirrando e a performance do X5 em vendas, caindo. Hoje o modelo não ostenta mais o título de nº 1 e está atrás de modelos como o novo ML, Porsche Cayenne e Land Rover Range Rover Sport.

Na busca pelo terreno perdido a BMW traz ao Brasil a nova série E70 do X5. O modelo manteve nome e algumas características da anterior, mas passou por profundas modificações nesta segunda geração. A princípio a marca alemã comercializará aqui apenas a versão de topo da linha, equipada com o motor V8 de 4,8 litros de cilindrada e 355 cv.

Outro detalhe: os primeiros modelos serão os mesmos destinados ao mercado dos EUA.

A partir do mês de junho chega o X5 do mercado europeu, que tem algumas diferenças de acabamento e equipamentos em relação ao do americano. Somente em setembro virá a versão mais barata, equipada com motor de 6 cilindros em linha e 3 litros/272 cv. Os preços são de R$ 370 mil para o X5 Sport e R$ 350 mil para o X5 Top (diferem-se em acabamento, menos sofisticado neste último). A versão de 3 litros deverá ter preço em torno de R$ 280 mil. A expectativa da fábrica é vender 350 unidades até o final do ano, somando os 33 carros da importação inicial.

BMW X5
BMW X5

O monobloco do X5 foi completamente revisado, com aplicação de aço de maior resistência em determinados pontos. A coluna traseira (“C”) foi reforçada, de forma a garantir a segurança dos ocupantes da terceira fileira de bancos.

As alterações estruturais aumentaram a rigidez torcional do SUV em 15%, comparado à versão anterior.

O modelo está maior em todas as dimensões. Está 30 kg mais pesado, 5,9 cm mais alto e 1,7 cm mais largo. Em comprimento cresceu 18,7 cm, beneficiando a distância entre eixos, maior 11 cm (passou de 2,82 metros para 2,93 m).

Com isso, além de permitir mais 4 cm para as pernas dos passageiros do banco traseiro, foi possível inserir uma terceira fileira de bancos. Opcional no exterior, esse recurso será oferecido de série no Brasil.

Também houve mudanças nos recursos de eletrônica. Os sistemas de controle do veículo foram aprimorados e agora trabalham em maior integração. Todas as reações dinâmicas são monitoradas eletronicamente e para qualquer alteração é disparado comando de resposta.

No caso de inclinação excessiva da carroceria em curvas, agem as barras estabilizadoras, que variam sua carga por meio de bomba hidráulica, ativada por sensor eletrônico, estabilizando o veículo.

Também é variada a carga dos amortecedores e a resposta da direção – que tem carga variável de acordo com a velocidade e a necessidade do momento.

Fazer tudo isso funcionar perfeitamente pode ser complexo, mas o resultado é simples: o novo X5 é bastante superior em dirigibilidade e desempenho em relação ao anterior.

Em breve avaliação no circuito de Interlagos, em São Paulo, foi possível andar nos dois modelos. A direção ativa é rápida e precisa, com apenas uma volta de batente a batente (na anterior, duas). A diferença em relação ao X5 E53 é grande e evidente também em desempenho.

A eletrônica aplicada no novo modelo colabora para que se tenha, ao volante, a sensação de estar guiando um automóvel – não um utilitário esporte grande (como se tem no X5 substituído). Tanto que foi possível conduzi-lo com algum vigor pelo circuito, quando os excessos nas curvas foram devidamente corrigidos e a estabilidade, mantida. As irregularidades do piso são todas absorvidas pela suspensão, independente nas quatro rodas (por braços triangulares superpostos na dianteira e multibraço na traseira).

BMW X5

O pneus 255/50 R19 são do tipo “run flat”, que dispensam estepe por poderem rodar por até 150 quilômetros na velocidade máxima de 80 km/h com o veículo completamente carregado, podendo cobrir uma distância ainda maior se o veículo estiver vazio.

Câmbio de 6 marchas Steptronic com trocas seqüenciais possui aprimorado conversor de torque. É o sistema denominado TTD, que age mantendo pressão constante do óleo no conversor, reduzindo a perda por deslizamento e assim garantindo velocidade de resposta 50% maior em trocas de marcha, acelerações ou reduções – de acordo com a fábrica. A tração é integral, distribuída entre os eixos dianteiro e traseiro na proporção de 40/60% e podendo variar de acordo com as condições de rodagem.

O motor V8 de 4,8 litros é mais um exemplo primoroso da engenharia bávara. Possui os sistemas duplo Vanos (duplo comando de válvulas variável) e Valvetronic (que dispensa o uso de borboletas no coletor de admissão), além de gerenciamento eletrônico melhorado. De acordo com a BMW, o X5 4,8 acelera de 0 a 100 km/h em 6,5 segundos, atingindo 240 km/h de velocidade máxima.

O novo X5 está mais sofisticado em equipamentos. Na versão anterior, utilizava chave convencional. Nesta, usa a chave-cartão utilizado também em outros modelos, como os Série 1, 3 e 5 – todos avaliados pelo WebMotors. Também no anterior o freio de estacionamento era acionado por alavanca comum; agora é eletrônico, por tecla no console. Os faróis bixenônio possuem fachos direcionáveis, auxiliados pelas luzes de neblina, que se acendem para iluminar a parte interna de curvas ou manobras feitas lentamente.

Fazem parte do pacote de equipamentos sistema de som com toca-CD que reproduz arquivos MP3 e WAV, com disqueteira para 6 CDs no porta-luvas e ar-condicionado digital com duas zonas de resfriamento (no exterior há opção de modelo mais sofisticado, com quatro zonas, que não será oferecido aqui), com saída para o banco traseiro. Sistema de controle multimídia iDrive, com tela de cristal líquido no painel, é aplicado pela primeira vez na linha X5.

Seu porta-malas tem 620 litros de capacidade com a terceira fileira de bancos rebatida (110 litros a mais do que a versão anterior), sendo que sob o assoalho há um subcompartimento com 90 litros de capacidade. Rebatendo-se a segunda fila de assentos, a capacidade da bagagem aumenta para 1750 litros (200 litros a mais). Com a terceira fila de assentos levantada, a capacidade para bagagem é de 200 litros.

Se o X5 conseguirá recuperar terreno em um segmento tão restrito (limitado a algo em torno de 1.500 unidades/ano) e disputado, o tempo dirá. Mas há vastos recursos para isso.

Fonte: www.webmotors.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Cadillac Self-Starter

Cadillac Self-Starter, Construção, Sistema, Motor, Arranque, Partida, Elétrica, Dispositivo, Inovação, História, Cadillac Self-Starter

História da Cadillac

História da Cadillac, Carro, Marca, Modelos, Fabricação, Motor, Empresa, Construção, Logo, Veículos, Automóveis, História da Cadillac

Aero Willys

Aero Willys, Carros, Brasil, Versão, Veículos, Velocidade, Modelo, Características, Linha, História, Fotos, Aero Willys

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+