Breaking News
Home / Automóveis / Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

PUBLICIDADE

O Tucker 48 ou Torpedo, é um automóvel de passeio avançado para sua época, projetado pelo empresário estadounidense Preston Tucker e fabricado em Chicago no ano de 1948.

Tem uma carroçeria sedan de quatro portas, e foram fabricados apenas 51 unidades antes da empresa ser fechada por acusações de fraude.

História

Depois da Segunda Guerra Mundial, empresarios como Henry J. Kaiser e Preston Tucker viram uma oportunidade para entrar no mercado automobilístico.

O governo dos Estados Unidos sofreu um corte de seus fornecedores e deu prioridade a empresas e empreendedores independentes, em vez das grandes corporações beneficiadas pela produção de material para a Guerra.

A Studebaker foi a primeira, com um modelo totalmente novo do pós-guerra.

Mas Tucker segui uma tática diferente, desenhando um carro seguro com características inovadoras e desenho moderno. Suas especificações encluiam um motor traseiro como o do Porsche (ou seja, 6 cilindros opostos), freios a disco, ar-condicionado e injeção de combústivel, a localização de todos os instrumentos no volante, e um painel acolchoado.

O famose designer Alex Tremulis, que havia trabalhado antes para Auburn/Cord/Duesenberg, foi contratado em 24 de Dezembro de 1946, apenas seis dias antes de finalizar o projeto. Em 31 de Dezembro de 1946, Tucker aprovou o design de, o Tucker Torpedo. Tucker também cantratou outra firma para desenhar um modelo alternativo, mas apenas emprestou deste a traseira cuja forma era horizontal e os quais são vistos nos modelos finais.

Design Inovador

Os componentes mecânicos foram inovadores. O marco perimetral envolvente dava ao veículo uma proteção em caso de acidente. A caixa de direção estava atrás do eixo dianteiro para protejer o condutor em caso de impacto frontal, mas muitas inovações foram deixadas de lado. Rodas de magnésio, freios a disco, faróis orientáveis e uma transmissão de conversor de torque não passaram do protótipo.

No entanto, a novidade do automóvel entrou em produção por um longo período de tempo. Era um seis cilíndros tipo boxer de 589 in³ (9,7L) de cilindrada e 150hp de potência máxima. Possuia câmaras de combustão semiesférica, injeção de combustivel e válvulas no cabeçote operadas por pressão de óleo. Estas características foram pioneiras na indústria automobilística de 1948, mas ao avançar no desenvolvimento do motor, apareceram os problemas. As válvulas se mostraram problemáticas.

O motor e a transmissão foram montados em separado, cada um podia ser removido em minutos apenas soltando seis parafusos, outra visão de Tucker que permitia ao carro menor tempo de manutanção caso fosse necessário retirar o motor.

O carro final teria somente 1524 mm de altura, mas tinha um grande espaço interno. Destaque era o seu terceiro farol, apelidado de “olho de ciclópe”, para uso em curvas. Este se acendia sempre que o volante era girado em mais de 10 graus. O design de Tremulis foi aclamado como o mais aerodinâmico do mundo. Mantinha as defesas próprias do tempo do pré-guerra e foi precursor dos modernos. A computação matemática do coeficiente de arrasto era de somente 0,27, no entanto foi arredondado para publicidade para 0,30.

Apresentação

A apresentação mundial do tão esperado carro foi prevista para o dia 19 de Junho de 1947. Mais de 3.000 pessoas foram convidadas para um almoço, uma volta de trem pela fábrica, e para a apresentação no auditório principal. Esta se viu condenada, já que surgiram problemas de última hora no carro. A suspensão travou e o carro não se mechia. Tucker se mantinha em cena por duas horas enquanto se improvisavam atos para distrair o público enquanto se realizavam os reparos de emergência. O veículo foi finalmente empurrado a uma mesa giratória e a cortina subiu entre aplausos fervorosos. Tucker se uniu a sua família no placo. Junto com sua filha estourou uma garrafa de chamagne no “olho do ciclópe” e ensopou seu pai. No mesmo palco estavam os engenheiros de Tucker, cobertos de graxa pelos reparos de última hora.

Tucker havia prometido 150cv em seu motor, mas este não funcionava, mas outro motor iria substituí-lo. A empresa primeiro tentou um Lycoming de avião, mas não coube no compartimento traseiro. Entretanto o motor Franklin refrigerado a ar e usado em um helicóptero encaixou surpreendentemente e Tucker comprou 5 destes a $5.000 dólares cada. Os engenheiros da companhia transformaram-no em um motor de 5,5 litros refrigerado a água e seus 166 hp agradaram a Tucker.

Este duravel motor teve seu batismo de fogo ao rodar em capacidade máxima durante 150 horas, o que daria pra viajar 28.962 km com o acelerador no fundo.

Ele rapidamente comprou a companhia Franklin para assegurar a fonte de motores.

Outro elemento abandonado do protótipo foi a transmissão por cabo, desenhado para motor e tração dianteiros. Esta não era adequada ao motor Franklin, para qual foi necessário outro desenho. Foi contratado o criador da transmissão Dynaflow da Buick, projetando uma transmissão especial chamada “Tuckermatic” com apenas 27 peças, diante das 90 das convencionais. Essa transmissão causou mais problemas, no entanto, como o protótipo não tem marcha-a-ré, alguns repórteres da imprensa cética informaram que o carro não teria esta marcha, manchando sua reputação.

A empresa decidiu então investir mais dinheiro para assegurar seu futuro e credibilidade. 17.000.000 de dólares foram injetados em vendas de ações, um dos primeiros OPI (Oferta Publica Inicial) especulativo. Outra fonte de recursos foi o programa de acessório, onde os futuros compradores, podiam comprar acessórios como capas de banco, rádio e porta objetos, antes mesmo do carro ser construido, o que rendeu 2.000.000 de dólares adicionais para investimentos na empresa.

Com o desenho final em mãos, Preston Tucker levou carros de pré-produção a rua para mostrar as pessoas. Os carros foram um sucesso, conglomerando multidões onde paravam. Um informe da época afirma que Tucker foi empurrado por um oficial de polícia que queria ver melhor o carro.

Falhas

Uma das idéias mais inovadoras de mercado de Tucker causou problemas a empresa. Seu programa de acessórios arrecadou fundos antes que os carros estivessem em produção. Este conceito foi investigado pela Comissão de garantias e trocas dos Estados Unidos e o Procurador dos Estados Unidos conduziu uma acusação contra os executivos da empresa. Apesar de todos os acusados serem demitidos, a publicidade negativa destruiu a empresa e interrompeu a produção do carro.

Para contrariar a má imprensa, Tucker colocou outra vez os carros no caminho, programou uma prova pública de duas semanas no autódromo de Indianapolis com alguns dos 37 carros qua haviam sido construidos. Um carro chegou os 160Km/h. A opinião pública alterou sua indignação perante a má conduta alegada a Tucker a ira da imprensa e especialmente ao governo.

Durante os problemas que Tucker enfrentou para promover seu carro e produzi-lo, afirmou que as “Três Grandes” construtoras de carros (referindo-se a Chrysler, Ford e GM) estavam tentando sabotar seus esforços de maneira deliberada, tudo com a influência do senados por Detroit Homer Ferguson, que é comummente nomeado como responsável pela queda do negócio de Tucker.

Tucker Hoje

Hoje o sedan ’47 tem famas além do esperado por sua modesta produção. Dos 51 carros construidos (50 de produção e 1 protótipo) 47 ainda existem, a mioria em exelente condições. Quando aparecem em leilões empõem preços muito altos.

O carro número #1038 foi vendido em Agosto de 2008 no leilão RM em Monterrey California, EUA, pelo preço histórico de 1.017.500 dólares. Outros carros estão expostos em museus automotivos de maneira proeminente.

O Clube de Automóveis Tucker da América (Tucker Automobile Club Of America, TACA) preserva devotamente a lenda de Preston Tucker, o Tucker ’48 e a Corporação Tucker. O clube realiza de maneira anual convenções e reuniões nos Estados Unidos para manter juntos os entusiastas da saga de Tucker.

Réplicas

Em 1997, a companhia automotriz Rob Ida inicia os trabalhos de uma réplica do Sedan Tucker ’48, que culminou no lançamento e comercialização do New Tucker ’48 em 2001. Esta réplica recria de maneira muito real o corpo externo do Tucker, mas foi construido em um chassim de Hot Rod com painéis de plástico. A pintura e as rodas refletem o moderno estilo do Hot Rod e o interior é completamente moderno. Utiliza um motor Northstart V8 proveniente de um Cadillac, montado na parte traseira, talqual desenhara Preston Tucker. De acordo com o construtor, o carro vai de 0 a 100 Km/h em 7 segundos com uma velocidade máxima de 193 Km/h. Rod Ida já construiu três carros.

Cultura

O legado e história de Tucker foi contado em 1988 no filme Tucker: The man and this dream (Tucker, um homem e um sonho) que protagonizado por Jeff Bridges, o filme foi produzido por George Lucas e dirigido por Francis Ford Coppola.

Fonte: es.wikipedia.org

Tucker Torpedo

O carro mais desejado da América

Em 1946, Preston Tucker finalmente começou a realizar o sonho de toda uma vida.

Ele foi um homem determinado, cheio de entusiasmo e voltado à vida familiar. Seu espírito arrojado e sua gritante ingenuidade formaram um contraste inusitado. E, principalmente, corajoso.

Conseguiu finalizar 51 carros que incendiaram a imaginação de todo os Estados Unidos. Seu carro acabou associado, no imaginário popular, com a perseverança do empreendedor.

Um carro que vence os obstáculos desde a história da sua construção, que combina com sonhos realizados, com imaginação sem as amarras do medo.

O Tucker Torpedo estava anos à frente em matéria de engenharia, era rápido, futurista e extremamente seguro.

Enfim, o carro dos sonhos de todos os americanos, por um preço que grande parte deles poderia pagar. Foi uma inovação da engenharia, também, introduzindo noções de design desenvolvidas pela indústria da aviação.

Com linhas aerodinâmicas revolucionárias para a época, o Tucker ainda apresentava um monte de novidades: motor traseiro, cintos de segurança, painel acolchoado, injeção eletrônica e freios a disco. E, principalmente, um estilo único. O visual era marcado por um farol central que acompanhava o movimento do volante, mantendo o caminho sempre iluminado.

O carro praticamente não foi divulgado pela mídia por causa de um boicote dos políticos de Washington em favor dos Três Grandes de Detroit, os tubarões da indústria automobilística da época, que fizeram uma dura campanha contra o criador do carro.

Essa é uma história verdadeira sobre o espírito empreendedor norte-americano.

Na época o Torpedo era vendido por U$ 2.450. Hoje nos EUA, por U$ 150 mil, qualquer um pode comprar uma réplica de um Tucker Torpedo.

Quem quiser saber um pouco mais desta fantástica história, pode assistir ao filme Tucker: o homem e seu sonho, de Francis Ford Coppola, que traz Jeff Bridges no papel de Presto Tucker.

O filme recebeu indicações para o Oscar nas categorias Vestuário, Direção de Arte e Melhor ator coadjuvante, Martin Landau.

Preston Tucker: visionário ou charlatão? Pecador ou santo?

Cinco décadas depois de ele apresentar o seu maravilhoso carro ao público, estas questões ainda não tem resposta.

Mas o fato é que ele seria todas essas coisas e ainda mais, porque a história de Tucker e o seu Torpedo é a história da América no medonho outono da Segunda Grande Guerra.

Em 1940, Tucker tinha como objetivo criar um novo automóvel, um veículo seguro e livre do desenho tradicional.

Os Tucker reconhecem-se de imediato através do seu terceiro farol colocado em posição central. Independentemente do seu estilo invulgar, a inovação não se resume ao aspecto exterior. Debaixo da pele, este carro é verdadeiramente único. Como exemplo, o terceiro farol central é usado para alumiar acompanhando a direção das rodas da frente.

A parte mais interessante do Tucker é o seu motor de 6 cilindros opostos, construido inteiramente a partir de desenhos de Tucker. Colocado em posição traseira, debita uns impressionantes 504 Nm de binário máximo. O motor nesta posição, ajuda a maximizar o espaço interior, especialmente porque não existe túnel de transmissão.

A acessibilidade ao habitáculo é facilitada pelo tamanho das portas. O Tucker é um carro extremamente baixo, o piso “arrasta-se” a 23 cm do chão.

Tristemente, o projeto Tucker foi um falhanço financeiro. Tucker gastou mais de 20 milhões de dólares (anos 40) no desenvolvimento do seu carro de sonho e, por fim, apenas 51 veículos foram construídos.

O sonho de Preston Tucker jamais será esquecido, o seu legado viverá nesses 51 exemplos que carregam o seu nome.

A história de Tucker e do seu carro prova a dupla verdade de que os sonhos podem ser realizados e são efêmeros.

Fotos

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo

Tucker Torpedo
Tucker Torpedo

Dados Técnicos

Construtor: Tucker
Modelo
: Torpedo
Ano:
1948
País de Origem
: EUA

Motor

Tipo: 6 cilindros opostos
Colocação
: Traseira
Cilindrada
: (cc) 5473
Alimentação:
NA
Distribuição
: OHV, 2 válvulas por cilindro
Potência máxima:
(CV/rpm) 166/3200
Combustível:
Gasolina

Prestações

Velocidade máxima: (km/h) 193
0-100 km/h:
(s) 10

Transmissão

Tração: Traseira
Caixa Manual
: 4 velocidades

Plataforma

Suspensão: dianteira/traseira Independente
Freios:
diant/trás Tambores com assistência hidráulica nas 4 rodas
Rodas-Pneus:
diant/trás 7,0 x 15

Dimensões

Comprimento: (mm) 5563
Largura:
(mm) 2007
Altura
: (mm) 1524
Distância entre eixos:
(mm) 3251
Peso:
(kg) 1905

Fonte: www.webmotors.com.br/www.4rodaspt.com

Veja também

História da Tucker

História da Tucker, 48, Carro, Preston, Empresa, Torpedo, Automóveis, Sedan, Motor, Características, Fotos, História da Tucker

Willys Interlagos

Willys Interlagos, Carros, Modelos, História, Brasil, Versão, Velocidade, Motor, Autódromo, Berlineta, Conversível, Willys Interlagos

História da Willys Overland

História da Willys Overland, Brasil, Carros, Modelos, Jeep, Veículo, Rural, Motor, Alpine, Marca, História da Willys Overland

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.