Breaking News
Home / Automóveis / História da Lamborghini

História da Lamborghini

PUBLICIDADE

História da Lamborghini
Ferruccio Lamborghini

Ferruccio Lamborghini nasceu na Itália em 1916.

Ele ficou fascinado com motores desde tenra idade.

Durante a Segunda Guerra Mundial, ele se alistou no exército e foi postado na ilha de Rhodes. Felizmente havia pouco acontecendo lá durante aguerra. A ilha foi essencialmente isoladas do resto do o mundo.

Quaisquer carros, caminhões ou motocicletas que quebrou teve de ser reparado no local com peças reutilizadas. Lamborghini ficou conhecido como um assistente a improvisação mecânica e tornou-se muito na procura de fixar motores.

Depois da guerra, ele retornou para sua casa, perto de Modena, no norte da Itália e de instalação de um pequeno carro e moto oficina. Ele logo percebeu que havia uma necessidade desesperada de tratores na área agrícola em que ele viveu. Ele descobriu que podia construir cerca de um trator de um mês a partir de veículos militares abandonados. Como a economia da Itália cresceu a demanda por seus tratores de alta qualidade começou a crescer. Ele começou a construir seus próprios motores de tratores. Seu negócio trator tornou-se muito bem sucedido atingindo uma taxa de mais de 400 por mês em 1960. Ele logo olhou para expandir o negócio e, em 1960, começou a fabricar aquecedores e aparelhos de ar condicionado de edifícios, bem como manter o negócio trator. Isso também tornou-se muito bem sucedida.

Sobre este tempo Lamborghini começou a ficar interessado em desenvolver um carro de alto desempenho. Ele tinha possuído Oscas, Maseratis e Ferraris, mas foi sempre decepcionado com eles. Particularmente seus motores. Há uma história agora famoso sobre como ele estava frustrado com os problemas que teve com uma embreagem em uma Ferrari (a Ferrari 250 GT), e foi visitar Enzo Ferrari, que é fábrica estava nas proximidades. Enzo não tinha tempo para a fabricação do trator e simplesmente o dispensou. Lamborghini decidiu que não havia nada Ferrari estava fazendo, ele não poderia fazer melhor. Ele decidiu também construir seu próprio carro com um motor V12. Para o projeto, ele encontrou um engenheiro muito talentoso chamado Giampaolo Dallara que já havia trabalhado em um motor V12 Ferrari.

O novo motor tinha 4 cams, um curso curto e 4 válvulas por cilindro Big Bore. Ele desenvolveu uma surpreendente de 350 HP. Era um motor de todo o alumínio com uma cambota suportada por sete rolamentos principais. Esses virabrequins foram usinadas em aço SAE 9840. As bielas (12) eram de aço SAE 4340. Os pistões eram de alumínio forjado. Cada par de árvores de cames foram impulsionados por sua própria roda dentada velocidade metade do motor e corrente silenciosa. Este motor foi realmente o protótipo de todos os futuros motores Lamborghini. Um corpo projetado por Scaglione-Touring foi usado para abrigar o motor.

A Lamborghini “350 GTV” protótipo foi mostrado ao público no Turin Auto Show de 1963. As vendas começaram no ano seguinte. O carro foi chamado o 350 GT. Foi um sucesso total. Mais de 130 foram sold.The futuro da Automobili Lamborghini parecia muito brilhante durante os anos sessenta. O 350 GT foi sucedido pelo 400 GT e, em seguida, o 400 GT 2 + 2. O 350 GT e 400 GT 2 + 2 fez o nome Lamborghini conhecido em todo o mundo. Com os recursos vindo estes carros e seu negócio trator sucesso Ferruccio permitiu que seus engenheiros à concepção e construção de um carro novo – o Lamborghini Miura. O Miura fez o nome Lamborghini lendário. Era um carro verdadeiramente à frente de seu tempo. Isso chocou até mesmo empresas como Ferrari e Maserati.

O Miura foi exibido pela primeira vez em novembro 1965 em Turim Auto Show pelo próprio Ferruccio Lamborghini. Apenas o chassi foi mostrado no show, o motor foi transversalmente meio-montado, algo até então visto apenas em carros verdadeira corrida de F1. O design do corpo foi executado por Marcello Gandini em menos de um ano, e no mar 1966 Salão de Genebra foi concluído e em exposição. Parecia ainda melhor do que em Turim. O carro foi muito agressiva estilo, e um nome apropriado foi escolhido por ele, o Miura, um nome retirado dos ferozes touros espanhóis. Mais uma vez o carro foi um sucesso completo.

Isto foi seguido em 1973 no Geneva Auto Show quando Lamborghini chocou o mundo novamente com o seu revolucionário Countach LP400. Apenas um protótipo foi mostrado. Hoje é difícil perceber o impacto que o carro tinha sobre todos naquele momento. Mesmo agora, o carro é um show rolha! O carro no show foi pintado em um vermelho brilhante e com um interior de camurça preta. Ele mostrou, pela primeira vez, o até agora, famoso, assinatura Lamborghini balançar as portas. Apresentou também entradas de ar exclusivas montadas verticalmente traseiros para ir com seu poderoso motor de 4 litros.

Em 1974, veio o desastre. O negócio trator Lamborghini recebeu um grande revés. A ordem maciça para tratores para um país sul-americano foi cancelado. Lamborghini antecipando a demanda, já havia atualizado a fábrica de tratores para ser capaz de construir o número de tratores necessários. A empresa perdeu um monte de dinheiro sobre ele. Para piorar as coisas, também neste momento foi uma série de problemas de trabalho na fábrica. Enquanto sua fortuna pessoal ainda era considerável ele decidiu vender parte da sua quota na fábrica. Eventualmente, a fábrica foi adquirida pela Fiat.

Durante os anos setenta a empresa sobreviveu nas vendas de Miura. O negócio do carro começou a ser auto-suficiente e ganhar dinheiro. No entanto Lamborghini vendeu todo o seu estoque remanescente na empresa para um investidor suíço. A empresa até hoje ainda mantém seu nome no entanto. Ferruccio Lamborghini morreu em fevereiro de 1993 com a idade de quase 76 anos.

A crise do petróleo da década de 70 começou a feitas as vendas de carros difíceis de alto desempenho. Arte de Produção da fábrica foi atormentado com problemas de orçamento e fornecimento de peças. As pessoas desistiram de esperar para carros com duas ordens ano atrás. A canadense ricos, Walter Wolf, desempenhou um papel importante está apoiando Lamborghini e desenvolver o Countach durante estes tempos difíceis.

Em 1978, a empresa declarou falência. Um tribunal italiano foi nomeado para encontrar um comprador. Um grupo com sede na Suíça chamado do irmão Mimran foram capazes de salvar a fábrica. Patrick Mimran (um dos irmãos), em 1980, começou a transformar a empresa em torno. O Countach foi desenvolvido sob ele desde o LP500 S até o impressionante Quattrovalvole.

Assim como as coisas estavam indo bem, os irmãos Mimran vendeu a empresa para Chrysler Corporation. Esta foi uma grande surpresa na época. Apoio Chrysler, porém, foi exatamente o que a empresa precisava naquele momento. Eles estavam trabalhando em um sucessor Countach – o Diablo. Chrysler manteve a equipe vencedora juntos na Itália. Enquanto as culturas das duas empresas eram diferentes e as coisas ficaram estressante entre os grupos de gestão, eles tiveram êxito em levar os vastos recursos da Chrysler para suportar sobre o design, controles de poluição, e novas técnicas de produção, etc., para o novo carro.

Mais uma vez o resultado foi um sucesso extraordinário.

O novo Lamborghini Diablo tem comentários elogiosos em todos os lugares que fui. No entanto, em outra reviravolta da fé, em 1994 Chrysler caiu em cima das dificuldades e teve de vender a empresa. Foi comprado por um grupo de investimento liderado por Tommy indonésio Suharto da família Suharto bem conhecida. Infelizmente no final dos anos 90, uma crise econômica começou a bater os donos da Indonésia duro eo dinheiro muito necessário para a investigação sobre um sucessor para o Diablo começou a secar.

Felizmente, a empresa alemã Audi tinha interesse na Lamborghini.

Em 04 de agosto de 1998, em uma complexa série de transações Audi AG tornou-se o único proprietário da Automobili Lamborghini. Como no caso da compra da Chrysler, este não poderia ter sido melhor hora para Lamborghini. Audi teve um papel ativo na concepção do Murcielago e trouxe para a mesa novamente os vastos recursos de uma grande empresa automobilística para desenvolver e produzir um outro carro exótico.

O Lamborghini Diablo

Já o substituto, do Countach, o Diablo, foi apresentado em 1990 e conheceu um grande sucesso, mantendo-se em produção para além do ano 2000.

Nesta altura, já a Lamborghini tinha passado para as mãos do grupo alemão Volkswagen, o que aconteceu em 1998, tendo ficado associada à marca Audi.

Modelos produzidos (anos de produção):

350 GT (1964 a 1966)
400 GT (1966 a 1967)
400 GT 2+2 (1966 a 1968)
P400 Miura (1966 a 1969)
Islero (1968 a 1969)
Espada Série I (400 GT, 1968 a 1969)
Espada Série II (400 GTE, 1969 a 1972)
Espada Série III (400 GTE, 1972 a 1978)
P400 Miura S (1969 a 1971)
Islero S (1969 a 1970)
400 GT Jarama (1970 a 1972)
P250 Urraco (1972 a 1976)
P400 Miura SV (1971 a 1972)
400 GTS Jarama (1972 a 1976)
LP400 Countach (1974 a 1978)
P200 Urraco (1975 a 1977)
P300 Urraco (1974 a 1979)
Silhouette (1976 a 1979)
LP400 S Countach (1978 a 1982)
Jalpa P350 (1981 a 1988)
LP500 S Countach (1982 a 1985)
LP500 Countach QuattroValvole (1985 a 1988)
Countach 25e Anniversaire (1988 a 1990)
LM 002 (1986 a 1992)
Diablo (1990 a 1998)
Diablo VT (1993 a 1998)
Diablo SE30 (1994 a ?)
Diablo SE30 JOTA (1995)
Diablo VT Roadster (1995 à 1998)
Diablo SV (1995 à 1998)
Diablo SV Roadster (1998)
Diablo SV Monterey (1998)
Diablo SV Alpine Edition (1999)
Diablo VT (1999)
Diablo VT12 (1999)
Diablo SV (1999)
Diablo VT Roadster (1999)
Diablo GT (1999)
Diablo VT Roadster Momo Edition (1999)
Diablo GTR (2000)
Diablo Millennium Roadster (2000)
Diablo VT 6.0 (2000 à 2001)
Murciélago (Salão de Frankfurt, 2001. Comercializado a partir de 2002)
Lamborghini Gallardo (2003 a …)
Murciélago 40th Anniversary (2003)
Lamborghini Murciélago Roadster
Lamborghini Murciélago R-GT
Lamborghini Murciélago LP640 (2006)
Lamborghini Gallardo Spyder (2006)
Lamborghini Gallardo Superleggera (2007)
Lamborghini Reventón (2008)
Lamborghini Alar Concept (2008)
Lamborghini Gallardo LP560-4 (2008)
Lamborghini Miura Concept (2008)
Lamborghini Reventón (2008)
Lamborghini Estoque (2008)
Lamborghini Murciélago LP 670-4 SV (2009)
Lamborghini Gallardo LP550-2 (2010

Fonte: www.lamboweb.com

História da Lamborghini

Em 28 de abril de 1916, Ferruccio Lamborghini, o fundador da empresa que leva seu nome e é conhecido por carros elegante, de alta performance, é nascido na Itália.

Após a Segunda Guerra Mundial, Lamborghini fundou uma empresa que fabrica tratores de máquinas militares excedentes reconfigurados, perto de Bolonha, Itália. Mais tarde, ele expandiu-se para outros empreendimentos, incluindo a fabricação de sistemas de ar condicionado e aquecimento, e enriqueceu.

O sucesso da Lamborghini permitiu-lhe comprar uma variedade de carros esportivos de luxo, incluindo uma Ferrari, considerado um dos melhores carros da época.

Depois de experimentar dificuldades mecânicas com sua Ferrari, Lamborghini decidiu começar seu próprio esportes rivais companhia de carro, até mesmo a contratação de um ex-top engenheiro da Ferrari.

Automóveis Lamborghini foi criada oficialmente em 1963, em Sant’Agata Bolognese, Itália, e no mesmo ano lançou seu primeiro carro, o Lamborghini 350 GTV, um cupê de dois lugares com motor V12.

O logotipo da empresa contou com um touro, uma referência ao signo de Ferruccio Lamborghini, Taurus o touro.

Vários modelos Lamborghini teve nomes relacionados com touros ou touradas, incluindo o Miura (nomeado para Don Eduardo Miura, um criador de touros de lide), um carro esportivo meio-máquina, que foi lançado em meados de 1960 e ganhou Lamborghini seguir internacional entre os entusiastas de automóveis e uma reputação de prestígio e de ponta design.

O touro que aparece no símbolo dos esportivos italianos é uma homenagem do fundador da marca, Ferruccio Lamborghini, às lutas de touro, pelas quais era fanático. Tanto que os carros da marca (Diablo e Murciélago) têm nomes de touros famosos.

A história

Tudo começou por causa de uma resposta grosseira e malcriada. O fabricante de tratores agrícolas, ar condicionado e calefação, Ferrurucio Lamborghini tinha uma Ferrari 250 GT que sofria de problemas crônicos de embreagem.

Um dia, reclamou do defeito como o comendador Enzo Ferrari e foi destratado. “Você não entende nada de carros. Vá dirigir trataores!” teria respondido grosseiramente o comendador.

Sentindo-se ofendido respondeu: “Eu criarei uma marca melhor que a sua!”. Ferrucio não se deu por vencido. Diz a história que ele consertou a Ferrari de uma vez por todas, usando uma embreagem de trator.

Mais do que isso: resolveu fabricar automóveis superesportivos que não descem dores de cabeça e fossem mais dóceis com seus proprietários.

Foi então que fundou, em 1963, a Ferruccio Lamborghini Automobili. Para uma vingança completa, montou sua nova empresa na cidade de Sant’Agata Bolognese, localizada a apenas 17 quilômetros de Modena, sede da montadora Ferrari, e próximo a Bolonha (sede da Maserati).

O primeiro protótipo foi o 350 GTV (Gran Turismo Veloce), que tinha um motor V12 de 3,5 litros e 360 cv, alcançando 280 km/h, acelerando de 0 a 100 km/h em apenas 6.7 segundos, fazendo sua estréia no Salão de Turim.

No ano seguinte, o modelo de produção, chamado 350GT, foi revelado no Salão de Genebra.

O carro vinha equipado com um motor V12 de 280 cv de potência, com suspensão independente, câmbio de 5 marchas e freios a disco.

Em 1965 a fábrica construía um interessante chassi, chamado de P400 que fez muito sucesso no Salão de Turim do mesmo ano. No inverno, Ferruccio encomendou a Bertone uma carroceria para o modelo.

Nascia um dos mais belos carros esporte feitos por este estúdio em todos os tempos: o Miura P400, desenhado por Marcello Gandini. Miura era uma raça de touro, uma das grandes paixões do fundador da empresa, que lançou muitos automóveis com nomes de raças.

A fama da LAMBORGHINI como fabricante de carros espetaculares começava a crescer.

Em 1968, o modelo Islero 400GT, foi apresentado no Salão de Genebra, com chassi de alumínio, um motor V12 de 320 cv, suspensão independente e freios a disco. O visual surpreendente do modelo Espada (primeiro carro da montadora com capacidade para quatro pessoas) foi outra novidade do mercado apresentada pela montadora. Era baseado no protótipo Marzal do estúdio Bertone e combinava a aparência, performance e dirigibilidade de um esportivo com o conforto e luxo de uma perua. O Espada foi um dos carros mais bem sucedidos da LAMBORGHINI.

Nos anos 70, o futuro era incerto para a LAMBORGHINI. Sua divisão de tratores fora vendida a Fiat, e ao mesmo tempo, o mercado de automóveis superesportivos andava em baixa por causa das crises do petróleo. Falida a empresa foi entregue a um grupo de investidores suíços, e Ferrucio viveu o resto de seus dias longe de problemas, em uma bela propriedade rural. Ele morreu ao 76 anos de idade em 1993.

O modelo Countach, de 1974, foi a última criação da marca sob o domínio de Ferrucio.

No ano de 1977, a montadora desbravava novos caminhos com o lançamento do Cheetah, modelo off-road (fora de estrada) que entrou no mercado dos veículos militares.

Quatro anos depois, o LM001, sucessor do Cheetah, começa a ser produzido. Os suíços que passaram a administrar a montadora italiana não demoraram a revender a empresa para o grupo americano Chrysler. A montadora começou então a preparar um motor para equipar carros de Fórmula 1. A estréia nesta competição automobilística ocorreu em 1989, mas nunca teve sucesso.

E foi neste tempo que nasceu o superesportivo Diablo, no ano de 1990. Com um design surpreendente, o carro, mais uma vez, vinha com o motor 4.0 litros V12, chassi tubular, portas que abriam para cima (conhecidas como portas gaivota) e 375 cv de potência.

Apesar do sucesso do novo modelo, a Chrysler também começou a viver dificuldades financeiras e, mais uma vez, a LAMBORGHINI teve que ser passada adiante, agora para um grupo da Indonésia, que no fim dos anos 90, se viu em meio a uma grave crise. Novamente parecia que o fim seria inevitável.

Aí, aconteceu uma surpresa: a Audi (que atualmente pertence a Volkswagen) comprou a LAMBORGHINI em 1998 e salvou a montadora italiana da falência.

Inicialmente a montadora alemã seguiu produzindo e vendendo o Diablo, mas fazia tempo que a marca não lançava um novo automóvel.

No salão de Frankfurt de 2001, exatos 11 anos após a apresentação, o inesquecível modelo Diablo, enfim, ganhou um sucessor: o superesportivo Murciélago. A palavra significa “morcego” em espanhol, mas não tem nada a ver com mamíferos voadores. Murciélago era o nome de um touro tão nobre que, em 1879, foi poupado numa tourada e transformado em reprodutor. Nos anos seguintes a montadora italiana lançou modelos exclusivos como o Gallardo e mais recentemente o Reventón, e continua criando superesportivos cobiçados por muitos, mas produzidos para poucos.

História da Lamborghini
Logo da Lamborghini

A linha do tempo

1966: Lançamento do MIURA, um superesportivo que tinha motor central, localizado atrás do motorista. A nova posição do motor permitia uma melhor distribuição de peso, algo essencial em um automóvel esportivo. O modelo possuía ainda um motor V12 de 350cv e alcançava 290km/h.
1972:
Lançamento do URRACO, que permitiu à marca italiana ingressar no segmento dos pequenos super-carros.
1974:
Lançamento do COUNTACH, um automóvel marcado pela irreverência das suas linhas (design extremamente angular e aerodinâmico), sendo o primeiro modelo da montadora italiana a incorporar o conhecido sistema de abertura das portas em tesoura (conhecidas popularmente como portas gaivotas). O modelo era dotado de um potente motor traseiro de 4000cc e 12 cilindros em V. O carro foi produzido com estas características até 1988, ano em que o motor passou a ter uma cilindrada de 5000cc.
1986:
Lançamento do LM002, um super-jipe equipado com motor V12 e velocidade máxima de 220km/h. O modelo foi produzido até 1992.
1990:
Lançamento do DIABLO, veículo (na época) mais rápido do mundo, capaz de chegar a uma velocidade final superior aos 321 km/h. Foi um sucesso de vendas com mais de 2.900 unidades produzidas.
1996:
Lançamento do DIABLO SV, uma versão mais esportiva do Diablo inspirada no lendário Miura SV. Os 525 cv de potência de seu motor levavam o carro de 0 a 100 km/h em apenas 4s.
2001:
Lançamento oficial do MURCIÉLAGO, com seu motor de 6.2 litros V12 de 571 cv de potência e tração integral.
2003:
Lançamento do GALLARDO, equipado com motor V10 de 500 cv de potência. O automóvel é uma versão menor e mais barata do modelo Murciélago. O modelo foi o LAMBORGHINI mais vendido da história: em apenas dois anos, mais de três mil unidades foram comercializadas.
2006:
Lançamento do MIURA CONCEPT, uma interpretação moderna para um clássico da marca da década de 60. Lançamento do GALLARDO SPYDER, um conversível baseado na versão cupê. Uma das novidades fica por conta do teto, concebido em fibra de carbono, o que contribui para sua leveza e permite abertura e fechamento em 20 segundos. A operação é feita de maneira eletrônica, acessada por meio de um botão no console central
2007:
Lançamento do REVENTÓN, o automóvel mais veloz e potente já produzido pela LMABORGHINI. Custando um milhão de euros, serão construídas apenas 100 unidades equipadas com motor 6.5 litros V12 Central (650 cv). REVENTÓN é o nome do famoso touro que matou o toureiro Félix Guzmán, em 1943.

O museu

Inaugurado em 2001, o MUSEU LAMBORGHINI é um espaço que se destina a preservar as preciosidades da marca italiana que nasceu para desafiar a Ferrari. Construído depois que a marca de superesportivos foi adquirida pela Audi, o museu fica ao lado da fábrica, localizada na cidadezinha italiana, ou comune, como eles as chamam, de Sant’Agata Bolognese, na província de Bolonha, perto da mítica cidade de Modena, onde fica outra fabricante das mais famosas, a Ferrari.

No primeiro piso do museu pode-se encontrar exatamente o primeiro modelo que a empresa criou, o 350 GT. Fabricado de 1964 a 1966, esta berlinetta para duas pessoas (2+1, na verdade, mas o espaço para o terceiro passageiro era praticamente inexistente) teve apenas 135 unidades fabricadas. Outra jóia da coleção é o 400 GT 2+2, produzido de 1966 a 1968. Com um total de 250 unidades a deixar a fábrica, esse belo automóvel, também equipado por um motor V12, mas com 316 cv, conseguia chegar à velocidade máxima de 250 km/h. No mesmo piso também se encontram outros automóveis que marcaram história, esses instaurando a tradição de usar os nomes de touros valorosos, conhecidos nas arenas de tourada por sua valentia.

Na parte superior do Museo Lamborghini é ocupada pelos carros mais recentes da marca, como o GT2 e oDiablo (um dos quais está até pendurado na parede), com seus protótipos, mockups e desenhos. Nessa parte pode-se ver as versões GT, GTR e 6.0 SE, todas já com o dedo da Audi, que resolveu de uma vez por todas os tais problemas de qualidade e confiabilidade que a marca enfrentava. Decorrência dos conhecidos perfeccionismo e disciplina germânica. Ali também estão guardados os veículos de Fórmula 1 que tiveram motores produzidos pela Casa do Touro, como o Lola Larousse de 1989, o Lotus de 1990 e a Minardi de 1993. Outras curiosidades são os motores náuticos da empresa, que, nas palavras dela própria, servem para mostrar que a LAMBORGHINI consegue ser rápida também na água. A entrada para o museu custa cerca de €10.

A origem do nome

Ferrucio Lamborghini nasceu no dia 28 de abril de 1916. Era do signo de touro, daí usar o animal como símbolo de sua marca de carros. O animal está presente, não somente, no logotipo da marca LAMBORGHINI, assim como batiza os modelos produzidos pela montadora desde a década de 60, com o lançamento do MIURA. Depois vieram o DIABLO, MURCIÉLAGO, GALLARDO, todos com o temperamento do animal bravio.

Os dados

Origem: Itália
Fundação:
1963
Fundador:
Ferrucio Lamborghini
Sede mundial:
Sant’Agata Bolognese, Itália
Proprietário da marca:
Volkswagen AG
Capital aberto:
Não (subsidiária)
Chairman:
Werner Mischke
CEO & Presidente:
Stephan Winkelmann
Faturamento:
€467 milhões (estimado)
Lucro:
€47 milhões (estimado)
Produção anual:
2.406 unidades
Presença global:
80 países
Presença no Brasil:
Sim
Funcionários:
1.000
Segmento:
Automotivo
Principais produtos:
Automóveis esportivos
Ícones:
A porta de abertura gaivota de seus veículos

A marca no mundo

A LAMBORGHINI comercializa sua limitada produção anual em mais de 80 países ao redor do mundo através de mais de 110 concessionárias. Anualmente a marca comercializa cerca de 2.500 unidades.

Você sabia??

Em dezembro de 2004 alguns automóveis GALLARDO foram doados pela LAMBORGHINI para a polícia italiana como presente por seu 152º aniversário. Com o seu motor V10 de 520cv de potência a 7800rpm, vai de 0-100 km/h em 3,9 segundos, tendo uma velocidade máxima de 333km/h. Este, com certeza é o carro de polícia mais rápido do mundo, e é usado pela polícia Rodoviária Italiana.

Fotos

História da Lamborghini
Lamborghini Diablo

História da Lamborghini
Lamborghini Murciélago (2001 a 2011)

História da Lamborghini
Lamborghini Gallardo LP550-2 (2010)

Fonte: www.history.com/edutp.com.br

História da Lamborghini

Graças ao bom volume de vendas alcançado pelos modelos 350 GT e 400 GT, a Lamborghini alcançou fundos suficientes para se lançar na concepção de um super esportivo.

Foi então criado em 1966 o Lamborghini Miura, com este modelo a Lamborghini tornou-se numa marca conceituada na concepção de super esportivos.

Foi também com este modelo que começaram os nomes referentes a touradas.

História da Lamborghini
Lamborghini Miura

Em 1972 a Lamborghini sofre uma reviravolta quando uma grande encomenda de tratores é cancelada. Depois de um grande investimento para a produção dos tratores requisitados, a Lamborghini ficou sem capital e foi obrigada a vender parte da divisão de tratores à FIAT, sendo ela mais tarde vendida na totalidade à SAME.

Em 1974 é lançado o Lamborghini Countach, marcado pela irreverência das suas linhas, tornou-se num dos Lamborghini mais famosos de todos os tempos, sendo o primeiro Lamborghini a incorporar o conhecido sistema de abertura das portas em tesoura.

O bom volume de vendas alcançado pelo Lamborghini Countach, foi mantendo a marca no mercado, mas os anos 70 mostraram-se difíceis para a Lamborghini. Com a crise petrolífera de 1973, as vendas de carros esportivos caiu drasticamente, o que levou a Lamborghini a declarar falência em 1978.

Em 1986 a Lamborghini lançou o SUV LM002, um potente automóvel que causou uma enorme surpresa no mercado.

História da Lamborghini
Lamborghini Countach

Depois de estar em posse de vários investidores, a Lamborghini é vendida à Chrysler em 1987.

Em 1990 a Lamborghini lança o sucessor do Countach, o Lamborghini Diablo, mais um estrondoso sucesso de vendas que trouxe a Lamborghini novamente para a ribalta.

Em 1993 Ferruccio Lamborghini morre com 76 anos.

A Chrysler devido a questões econômicas vende a Lamborghini a uma empresa indonésia em 1994 que por sua vez a volta a vender pouco tempo depois.

Em 1998 a Lamborghini é comprada pela Audi. É em posse da Audi que a Lamborghini cria o seu automóvel tecnologicamente mais avançado até à data, o Lamborghini Murciélago, lançado em 2001.

Em 2003 é lançado o Lamborghini Gallardo, um modelo muito parecido com o Murciélago, mas com prestações inferiores e um preço igualmente inferior.

Em 2007 é lançado o mais potente Lamborghini, o Lamborghini Reventón, com um preço de um milhão de euros, sendo construídos apenas 100 unidades.

Fonte: maistuning.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Cadillac Self-Starter

Cadillac Self-Starter, Construção, Sistema, Motor, Arranque, Partida, Elétrica, Dispositivo, Inovação, História, Cadillac Self-Starter

História da Cadillac

História da Cadillac, Carro, Marca, Modelos, Fabricação, Motor, Empresa, Construção, Logo, Veículos, Automóveis, História da Cadillac

Aero Willys

Aero Willys, Carros, Brasil, Versão, Veículos, Velocidade, Modelo, Características, Linha, História, Fotos, Aero Willys

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.