Breaking News
Home / Automóveis / Chevrolet Chevy 500

Chevrolet Chevy 500

PUBLICIDADE

Chevy chegava ao mercado até hoje a única picape leve com tração traseira e o mesmo motor 1.6 do resto da família.

Picape, a Chevy 500 (de 1983 a 1995)

picape Chevy 500 tem a mesma estrutura do Chevette. Ela é boa para passeio e também para o trabalho (desde que não seja muito pesado).

Apresentada em setembro, mas só colocada à venda a partir deste mês, a Chevy 500 é a segunda novidade da General Motors do Brasil para 1984 – a primeira foi o Monza duas portas, três volumes. E com a Chevy encerra-se o leque de opções da linha Chevette, lançada em 1973.

GM, aliás, é a última das quatro grandes fábricas de automóveis no Brasil a colocar no mercado uma picape que é derivada de um carro, como fez a Fiat com a City, a Ford com a Pampa, e a Volkswagen com a Saveiro.

O modelo que testamos era a versão mais luxuosa, a Chevy 500 SL, com motor 1600 a álcool, e vários equipamentos opcionais, como ar quente, vidros esverdeados, espelhos retrovisores com controle interno, rádio, câmbio de cinco marchas, embreagem eletromagnética do ventilador, temporizador e lavador elétrico do pára-brisas e ignição eletrônica. Como foi construída na plataforma da Marajó, a Chevy tem o conforto e o espaço do Chevette.

Sua caçamba, porém, não é das maiores: por ter tração traseira, aliás a única de sua categoria com essa característica, o assoalho é alto, ou seja, as laterais têm apenas 43 cm de altura o que limita um pouco sua capacidade.

Também não é a das que levam mais peso. Ao contrário. De acordo com as especificações da GM, a Chevy pode levar 500 Kg, incluindo o motorista. Isso quer dizer que se o motorista pesar 70 kg, sobram para a carga apenas 430 kg.

De qualquer maneira, seu desempenho é bom. Mesmo com carga total, o motor a álcool de 1600 em3 de cilindrada responde muito bem às acelerações porque tem bom torque.

Na estrada não é preciso mudar muito de marchas, mesmo com carga total. Pode-se viajar em quinta quase o tempo todo; só em subidas muito fortes e prolongadas, ou quando um veículo lento atrapalha o fluxo, é que se deve reduzir a marcha.

E vazia tem bom desempenho. Na pista de testes, chegou à velocidade maxíma de 149,377 km/h na média de quatro passagens (151,898 na melhor passagem); acelerou de 0 a 100 km/h em 15,98 s e, na retomada de velocidade, de 40 a 120 km/h, levou 39,81 s, o que demonstra o bom torque do motor.

Chevrolet Chevy 500
Chevy 500 1983-1995

Chevrolet Chevy 500 – Bom consumo

Seu consumo é bom. A 80 km/h, na estrada, com carga máxima, percorreu 10,60 km/l de álcool. Nas mesmas condições, só com o motorista, o consumo foi de 11,54 km/l. E, na cidade, 8,11 km/l.

Pelo tamanho do carro, categoria em que se enquadra, e até pela quinta marcha, as marcas deveriam ser melhores.

Quanto à estabilidade, é boa, bem neutra, quando se guia normalmente, com uma leve tendência a sair de frente para, em seguida, sair de traseira no limite de aderência, mas suavemente, sem dar sustos.

Com carga máxima, como se podia esperar nesse tipo de carro, é preciso tomar um pouco mais de cuidado, pois a traseira tende a desgarrar mais facilmente.

Os freios foram sempre eficientes, não importa se com carga ou vazia: a válvula equalizadora para as rodas traseiras mantém a Chevy na trajetória.

Mas esperava-se que os espaços percorridos depois das freadas fossem menores: a 100 km/h, por exemplo, levou 53,10 m para parar.

As linhas são bonitas e certamente irão agradar a muitos. E a tração traseira é preferida por muita gente. Alguns itens de série são muito úteis, como o assoalho da caçamba recoberto por ripas de madeira e os ganchos externos e internos (na caçamba) para amarração de carga. Mas alguns elementos deveriam ser revistos, como a pequena capade carga e a colocação do estepe. Como está, atrás do banco do passageiro, além de limitar o curso do banco, tira o espaço para pequenos objetos dentro da cabine.

Chevrolet Chevy 500 – A vantagem da beleza

Para Vinícius Lossaco, preparador de motores de competição de São Paulo, apreciador de picapes, a nova Chevy 500 vem ampliar o mercado desse tipo de veículo, com algumas vantagens.

É a mais bonita. Tem um belo estilo, com a frente baixa em forma de cunha. E a traseira mais alta acentua essa característica. Ela ficou com um jeitão de picape grande.

Vinícius gostou do desempenho da Chevy e também do nível de conforto.

Nessa faixa, a Chevy é a picape mais confortável.

Vinícius começou a gostar de picapes em sua oficina.

Para pequenos negócios e oficinas, carros como esse são ideais, econômicos, fáceis de carregar e descarregar. Também é muito bom para jovens e casais sem filhos. Atendo a muita gente que tem picape.

São pessoas que curtem trail, surf e camping. É o carro certa para elas, porque tem o conforto e não exige tantos cuidados com a aparência porque funciona como utilitário. Pena que o custo seja tão alto.

Feitas a princípio para agradar aos jovens e também para aproveitar a onda das picapes incrementadas, a Chevy e outras da mesma classe correspondem às versões dos automóveis da marca.

Elas são feitas em versões standard e luxo, exatamente para atender a essa faixa de público.

Mas o que se vê hoje é um grande número desses carros trabalhando em pequenas empresas e nas zonas rurais, substituindo as grandes picapes. Embora caras, custam menos do que as grandes e gastam menos.

Mas como, por incrível que pareça, elas não têm espaço apropriado para pequenos objetos na cabine, au seja, em lugar mais seguro, levam desvantagem em relação aos automóveis, porque custam quase igual.

História Chevrolet Chevy 500

Chevrolet Chevy 500

Na linha 1984 aparecia o pequeno picape Chevy 500, em alusão à capacidade para meia tonelada de carga (motorista incluído).

Lançada em 1984 a Chevrolet Chevy 500 derivada do Chevette era uma picape pequena que veio competir com a Fiat Fiorino, a Ford Pampa e a VW Saveiro no segmento de picapes leves levando 500 kg de capacidade dai o “500” mas havia uma exclusividade a única ter tração traseira que era vantagem por ter subidas mas rápidas em terrenos difícil ou lamacento Houve somente 2 versões a 500 e 500 SL.

Na versão (SL TOP) já contava com ripas de madeira na caçamba as lâminas do para-choque da cor do carro.

E opcionalmente tinha disponível: Câmbio de cinco marchas, rádio, ar quente, vidros verdes temporizador e lavador elétrico do para-brisa e ignição eletrônica.

Sempre com motorização 1.6 era econômica mas ainda m pouco lenta fazia 0 a 100 km/h 16 segundo e máxima de 139 km/h e também com menor capacidade de carga que suas rivais.

Já em 1988 sem grandes alterações sai a 500 SL para entra a 500 SL/E com opcionais inéditos na categoria: Ar condicionado, cambio automático e embreagem eletromaguinetica do ventilador.

E internamente novo painel com relógio digital e logo abaixo 2 LEDS indicador de consumo de combustível um (Econometro) e os tecidos do bancos, portas e painel havia as cores: Cinza, marron, preto, ou azul.

Já o motor passou a ser 1.6/S (”S” de Super) com acréscimo de 10 cv na potencia nada de excecional mas que dava um novo folego a Chevy levando aos 82 cv e 0 a 100 km/h 14 seg e com máxima de 150 km/h ainda era lento mas lembrando q era uma picape volta mas para o trabalho que para o lazer.

E em 1991 se tornando versão única sem alteração alguma era apenas Chevy 500 DL que foi ate 1993 quando teve a versão “Camping” com a mesma motorização mas com adesivos na laterais,capota marítima e para choques brancos único agravante era a capacidade de carga menor que todas concorrentes porem quem usava mas para lazer não reclama pois seu interior sempre espaçosos e confortável e finalizando sua produção 2 anos após o Chevette quando em 1995 deu lugar a pikup corsa com mas tecnologia e injeção.

Ficha técnica:

Motor: diâmetro dos cilindros, 82,0 mm; curso dos pistões, 75,7 mm; cilindrada, 1 599 cm3; taxa de compressão, 12,0:1; comando de válvulas no cabeçote acionado por correia dentada; válvulas de admissão e escapamento no cabeçote; potência máxima, 72 CV (53 kW) ABNT a 5600 rpm; torque máximo, 12,3 mkgf (120,6 Nm) ABNT a 3200 rpm; alimentado por carburador de corpo simples e fluxo descendente; combustível: álcool.
Transmissão: Embreagem monodisco a seco de acionamento mecânico; câmbio de cinco marchas (opcional) sincronizadas para a frente e ré, com alavanca de mudanças no assoalho; relações
: 1ª) 3,746:1; 2ª) 2,147:1; 3ª) 1,378:1; 4ª) 1,000:1; 5ª) 0,840:1; ré) 3,815:1; diferencial) 3,90:1; tração traseira.
Carroceria, chassi: 
Carroceria de chapas de aço estampadas, picape, duas portas, dois lugares; estrutura mono-bloco.
Suspensão: 
Dianteira, independente, com braço triangular superior, braço simples inferior, barra estabilizadora, molas helicoidais, e amortecedores telescópicos; traseira de eixo rígido, com braços tensores longitudinais, braço transversal, molas helicoidais e amortecedores telescópicos.
Freios: 
A disco nas rodas dianteiras e a tambor nas traseiras, com servofreio; freio de estacionamento atuando nas rodas traseiras.
Direção: 
Mecânica, de pinhão e cremalheira.
Rodas, pneus: 
Rodas de aço estampadas com aro de 13 polegadas e tala de 5 1/2 polegadas; pneus 175/70 SR 13.
Dimensões: 
Comprimento, 418,3 cm; largura, 157,0 cm; altura, 133,0 cm; distância entreeixos, 239,5 cm; bitola dianteira, 130 cm; traseira, 130 cm; altura livre do solo, 14 cm.
Peso: 
958 kg.
Capacidade do tanque: 
62 litros.
Desempenho: 
Para uma picape, seu desempenho é bom. Chegou à máxima de 149,377 km/h na média de quatro passagens e acelerou de 0 a 100 km/h em 15,98 s.
Consumo: A diferença entre o consumo carregada e vazia é pequena:
 de 10,60 para 11,54 km/l de álcool. Na cidade, 8,11 km/l.
Motor: 
Tem bom torque, principalmente em baixas rotações, o que ajuda com carga. Fornece potência sempre constante e, mesmo frio, pega com facilidade.
Transmissão e câmbio: 
Câmbio de cinco marchars (opcional) com bom escalonamento, ajudando no desempenho e consumo. Engates precisos, mas a segunda é difícil de entrar.
Porta-malas: 
As caixas das rodas, na Chevy, não roubam muito espaço. Mas, assim mesmo, sua caçamba não é das maiores. Até a borda tem a capacidade de 765 litros.

Fonte: www.picapesgm.com.br/www.chevroletofturnersville.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Cadillac Self-Starter

Cadillac Self-Starter, Construção, Sistema, Motor, Arranque, Partida, Elétrica, Dispositivo, Inovação, História, Cadillac Self-Starter

História da Cadillac

História da Cadillac, Carro, Marca, Modelos, Fabricação, Motor, Empresa, Construção, Logo, Veículos, Automóveis, História da Cadillac

Aero Willys

Aero Willys, Carros, Brasil, Versão, Veículos, Velocidade, Modelo, Características, Linha, História, Fotos, Aero Willys

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.