Breaking News
Home / Bem-Estar / Quilaia

Quilaia

PUBLICIDADE

Descrição: Planta da família das Rosaceae. Também conhecida como panamá-quilaia, timboúva. Pequeno arbusto, que cresce em lugares altos, possui flores verdes ou brancas.

Parte utilizada: Flores, casca do caule.

Origem:
Chile.

Quilaia

Quillaja saponaria

Princípios Ativos: ácido ascórbico (vitamina C), ácido quiláico, amido, oxalato de cálcio, quilaína, sacarose, tanino.

Propriedades medicinais:
Adstringente, anti-seborréica, antiinflamatória, antimicrobiana, cicatrizante, emulsificante, expectorante, tensoativa, tônica capilar.

Indicações:
Afecções da pele, asma, bronquite, estimulante da mucosa gástrica, expectorante, feridas, infecção vaginal, leucorréia, psoríase, reumatismo crônico.

Contra-indicações/cuidados:
deve ser evitado o uso interno por gestantes e nutrizes. O uso deve ser feito apenas sob supervisão médica. As saponinas presentes na casca da quilaia, se ingeridas, podem causar irritação da mucosa, gastroenterite, dores estomacais, dor de cabeça, vertigem, vômito, febre, diarréia, fraqueza muscular progressiva e até levar à morte.

Uso interno: males respiratórios, como asma e bronquite, e males estomacais, como estimulante da mucosa gástrica.

Uso externo:

– infusão para banho: infecção vaginal e leucorréia.

– infusão das flores para banhos: reumatismos crônicos.

– cascas maceradas: afecções da pele, feridas e psoríase.

Quilaia

Nome popular QUILÁIA
Nome científico Quillaya saponariaMolina
Família Rosaceae
Sinonímia científica Quillaya brasiliensis, St. Hillaire;Q. petiolaris, D. Don.
Parte usada Flores e a casca do caule.
Propriedades terapêuticas Adstringente, antiinflamatório, antimicrobiano, cicatrizante, emulsificante, expectorante, anti-seborréico, tensoativo.
Princípios ativos ácido ascórbico, ácido quiláico, amido, oxalato de cálcio, quilaína, tanino e sacarose.
Indicações terapêuticas Tônico capilar, infecções vaginais, afecções cutâneas, feridas e psoríase, asma e bronquites catarrais, males que afetam o estômago.
Informações complementares

Nome em outros países e idiomas

  • Portugal: timboúva
  • Panamá: quilaia
  • Inglês: panama bark, soap tree, soapbark, cullay;
  • Alemão: chilenischer seifenbaum, seifenbaum, seifenrinden, seifenrindebaum, panamaholz;
  • Francês: écorce de quillaya;
  • Italiano: scorza di panama;
  • Espanhol: quillaja, quillay;

Origem: Chile

Características
É uma árvore de médio porte, ciclo perene, com ramos pubescentes, que mede até 18m de altura. As folhas são coriáceas, medindo até 5cm de comprimento, com as extremidades denteadas, obtusas ou subagúdas.

As flores são esbranquiçadas, medindo até 1cm de diâmetro, dispostas geralmente em pequenos corimbos terminais, bem solitários ou sobre pedúnculos com até 5 flores. Os folículos são estrelados, tomentosos, com até 3cm de diâmetro, contendo numerosas sementes aladas.

Uso externo. As flores em infusão, para banhos, nas infecções vaginais, leu- corréia e dores reumáticas crônicas. A casca do caule macerada, para banhos, nas afecções cutâneas, feridas e psoriase.

Uso interno. A casca do caule, em decocção, para debelar males do sistema respiratório, como asma e bronquites catarrais, e como estimulante da mucosa gástrica nos males que afetam o estômago.

Outros usos
A casca do caule da quilaia é aproveitada pela indústria de cosméticos capilares, devido à ação anti-seborréica que seus princípios ativos oferecem.

Cuidado
Deve ser evitado o uso interno por gestantes e nutrizes. De modo geral, o uso interno deve ser feito sempre sob supervisão médica.

Bibliografia

  • BALMÉ, François. Plantas Medicinais. Hemus Editôra Ltda. São Paulo (SP).
  • COIMBRA, Raul. Manual de Fitoterapia. Ed. CEJUP. Belém (PA).
  • CONCEIÇÃO, Moacir. As Plantas Medicinais no Ano 2000. TAO Editora. São Paulo (SP).
  • LAINETTI, Ricardo; BRITO, Nei R. S. de. A Saúde pelas Plantas no Mundo Inteiro. Ed. Technoprint. Rio de Janeiro (RJ).
  • FOTO:A Modern Herbal

Colaboração
João Luiz Dias, arquiteto aposentado pelo Centro Federal de Ensino Tecnológico (CEFET/PA). Setembro de 2006.


Nome Científico:
Quillaia saponaria Molina / Rosaceae
Parte Utilizada: Casca
Fórmula Molecular: N.A
Peso Molecular: N.A

PRINCÍPIOS ATIVOS
A quilaia é rica em saponinas que se hidrolisam até formar o ácido quiláico. Também encontramos na  quilaia o amido, a sacarose e os taninos.

PROPRIEDADES
Possui propriedade adstringente obtida dos taninos, além da ação das saponinas como tensoativo, antiseborréico, anticaspa, e, em alguns casos, como antiinflamatório.

DOSAGEM
Em géis e loções antiacne – 2 a 5%. Em shampoos, condicionadores e sabonetes – 3 a 10%.
Atenção: O Extrato Glicólico de Quilaia deve ser adicionado no final da preparação cosmética, com o produto em temperatura abaixo de 45º C.
Indicado somente para uso externo.

Deve ser estocado hermeticamente fechado, ao abrigo da luz solar direta e do calor.
Prazo de validade: 36 meses a partir da data de fabricação.

Obs.: Poderá ocorrer formação de precipitado e/ou turbidez durante a estocagem, sem alterar as  propriedades.
Alterações da cor são esperadas por modificações dos compostos coloridos das plantas.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Alonso, J.R.; Tratado de Fitomedicina–Bases Clínicas e Farmacológicas. ISIS Ediciones SRL, 1998.
Balmé, F.; Plantas Medicinais. Ed. Helmus, 1994.
Coimbra, R.; Manual de Fitoterapia. Ed. CEJUP, 1994.
Moreira, F.; As Plantas que Curam. Ed. Helmus, 1985.

Fonte: www.plantasquecuram.com.br/ci-67.ciagri.usp.br/www.mapric.com.br

Veja também

triptofano

Triptofano

PUBLICIDADE O triptofano é um aminoácido, uma proteína sem a qual os seres humanos não …

melatonina

Melatonina

PUBLICIDADE A melatonina é um hormônio produzido pelo nosso cérebro, e esse hormônio interfere em …

Kefir

Kefir

PUBLICIDADE Alimentos probióticos são microrganismos vivos que ajudam a equilibrar a flora intestinal. A flora …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.