Breaking News
Home / Bem-Estar / Quitosana

Quitosana

PUBLICIDADE

É um suplemento muito procurado por emagrecer, e controlar as taxas de colesterol.

É formada de fibras obtidas a partir  de esqueletos de crustáceos.

Ela aglutina as gorduras que ingerimos, passando pelo organismo sem ser absorvida.

( Por Portal São Francisco)

Quitosana é um suplemento alimentar que ajuda na perda de peso por reduzir a assimilação de gorduras no corpo. Ele também é chamado de “bloqueador de gordura. Normalmente, quitosana é derivado da quitina, que está presente nos exoesqueletos de moluscos. Eles são encontrados em camarões e caranguejos.

Na verdade, a quitosana é muito parecido com o de plantas de fibras, o que não é facilmente digerida pelo organismo humano. Se ingeridos por via oral, as funções de quitosana é como uma esponja de gordura. Isto porque, como a quitosana passa através do trato digestivo, tem a capacidade de absorver 4-6 vezes a sua massa de gordura. Como resultado disto, a quitosana ajuda na limpeza a gordura do corpo, mesmo antes de ser metabolizado e armazenado no sistema como libras excesso de gordura. Simplesmente falando, você pode comer alimentos gordurosos e ainda se manter saudável, bem como livre de transtornos devido ao excesso de gordura, se você usar a quitosana.

A substância só pode ser utilizada, por vezes, possivelmente como um instrumento para dar início a uma dieta. Não é aconselhável o uso de quitosana por mais de quinze dias. O problema com o uso de quitosana, que, apesar de limpar a gordura para fora do nosso corpo, também pode alienar o sistema de vitaminas que são solúveis em gorduras. Estas vitaminas incluem a vitamina E , A, D e K. Aqui está uma palavra de aconselhamento. Se você tomar quitosana, é necessário que você complemente sua dieta com vitaminas lipossolúveis e ácidos graxos essenciais.

Para além disto, a quitosana é relatado para ser seguro e existem vários estudos que indicaram que a utilização da substância pode ser muito mais benéfica do que a sua capacidade conhecida para reduzir o peso de uma pessoa. Por exemplo, um estudo recente demonstrou que, quando um grupo de ratos foram alimentados com um carcinógeno identificados, os ratos que ingeriram uma dieta de acompanhamento tiveram menor laceração pré-cancerosas do cólon do que os ratinhos que não foram fornecidos com quitosana.

Outros estudos realizados sobre a substância ter estabelecido que a quitosana pode notavelmente reduzir os níveis de colesterol total no sangue, enquanto aumenta os níveis de HDL, o que é considerado “bom” colesterol , uma vez que ajuda a proteger contra doenças do coração. Este suplemento alimentar na dieta de recursos também é conhecida por sua capacidade de impedir a deterioração de dente. Além disso, a quitosana é também um antiácido brilhante.

USO

Estudos descobriram que a quitosana possui propriedades excepcionais que permitem a coagulação do sangue rapidamente.

A quitosana que foi purificada a partir de cascas de camarão é geralmente utilizada em produtos fitoterápicos. Testes realizados pela fuzileiros navais dos EUA descobriram que a quitosana parava o sangramento rapidamente e resulta em 100 por cento dos casos mostrou que ativamente reduzia a perda de sangue arterial de feridas.

Nas lojas, a quitosana, popularmente conhecido como ‘extrator de gordura’ é geralmente disponível em forma de comprimido. Estudos têm demonstrado a sua capacidade de extrair gordura a partir do sistema digestivo e conduzi-lo para fora do corpo. De acordo com afirmações feitas por defensores de quitosana, este processo permite que os usuários desta substância para perder peso sem se preocupar em comer menos. No entanto, alguns estudos científicos têm demonstrado que tais afirmações carecem de qualquer base ou evidência e o processo pode ocorrer mesmo sem a ingestão de quitosana.

Estes estudos ainda afirmou que inalterada a quitosana pode, no máximo remove 10 calorias da dieta de uma pessoa a cada dia. Além disso, a modificação ou inalterada quitosana é conhecido por ser capaz de absorver, bem como remover três a seis vezes o seu peso em gordura e óleos a partir do corpo. Por outro lado, os críticos afirmam que o uso da quitosana pode ter efeitos nocivos sobre o corpo, uma vez que é susceptível de tornar vários minerais encontrados em nosso material de alimento ineficaz e, portanto, pode vir a ser prejudicial para uma vida saudável.

Normalmente quitosana é utilizado como um potenciador para o crescimento das plantas e também como um material que aumenta a capacidade das plantas para as proteger contra todos os tipos de infecções fúngicas. A quitosana está aprovado para utilização tanto exterior como interior em inúmeras plantas que são cultivadas comercialmente, assim como por aqueles cultivados pelos consumidores.

Constituintes vigorosas de quitosana estão presentes nas cascas de crustáceos – camarões, caranguejos, lagostas e em alguns organismos particulares. Como a quitosana é encontrado em abundância na natureza e tem muito baixo potencial tóxico, é pouco provável que causem qualquer dano às pessoas, animais , selvagens ou o ambiente, desde que seja utilizado seguindo as instruções dos rótulos das embalagens.

A quitosana é definitivamente uma adição química fundamental no processo de filtração. Embora a filtração pode por si só remover até 50 por cento dos contaminantes a partir da água, quando a quitosana é adicionada à filtração de areia, juntos, eles são capazes de purificar a água até 99 por cento.

Para além da sua utilização na filtração de água, a quitosana também é valiosa em outros processos de filtração, especialmente onde se pode exigir a remoção de partículas flutuantes, ou suspensa de qualquer líquido. Amálgama de quitosano com outros materiais como a gelatina , bentonite, sílica-gel, cola de peixe ou outros meios castigar é frequentemente utilizado para refinar o vinho e cerveja. Se a quitosana é adicionada à última parte do processo de fermentação, ela ajuda a melhorar a floculação, bem como remove as células de levedura, partículas de fruta e outras acumulações que podem causar o vinho seja clara ou obscura.

Fonte:www.herbs2000.com

Produto Natural – Quitosana

Estrutura Química

Quitosana

Denominação Química

Quitosana

Fórmula Química

Quitosana

I – INTRODUÇÃO

Os efeitos benéficos de fibras dietéticas têm atraído bastante atenção. Estes  benefícios são reconhecidos não só por promover uma redução energética na dieta, com aumento no bolo fecal ou na freqüência de defecação, mas também como uma medida preventiva contra doenças que ocorrem no trato digestivo inferior, como por exemplo, diverticulite ou câncer de cólon. Os efeitos das fibras dietéticas no metabolismo de lipídios séricos e hepáticos também tem sido extensivamente estudados.Uma destas fibras, a Quitosana, que é uma fibra natural de origem animal, apresenta propriedades benéficas superiores a outras fibras dietéticas, tanto sintéticas quanto naturais.

A Quitosana é um polímero constituído de unidades repetidas de Glicosamina, que pode ser obtido pela desacetilação da quitina, que é encontrada naturalmente nas paredes celulares de fungos e forma a maior proporção dos exoesqueletos de insetos e crustáceos. A Quitosana apresenta a propriedade de ser solúvel em ácidos orgânicos e minerais diluídos, mas precipita a um valor de pH superior a 6.0, funcionando assim como uma resina trocadora de íons.

Esta propriedade difere a Quitosana das outras fibras até então conhecidas, como por exemplo, a celulose, Guar, Pectina, Alginato de sódio, Colestiramina, etc. Duas das propriedades farmacológicas da Quitosana que vem sendo bastante explorada tanto pela comunidade científica mundial é a sua capacidade de auxiliar na redução de peso corporal através da captura de gordura ingerida e a sua capacidade de redução dos níveis de colesterol LDL, sem que a mesma afete significamente os teores de colesterol HDL e outros nutrientes essenciais. Tais propriedades serão descritas, a seguir, em uma revisão bibliográfica de revistas internacionais e livros especializados.

II – PROPRIEDADES ANTIOBESIDADE E ANTICOLESTEROLÊMICA DA QUITOSANA 

Para entender o mecanismo pelo qual a quitosana atua no organismo, é essencial uma apreciação sobre os lipídios, incluindo as suas funções no corpo, como são digeridos e absorvidos e sua distribuição no sangue. Apesar de serem  uma excelente fonte de calorias, eles apresentam diversas funções no organismo.

Os lipídeos são também componentes estruturais das membranas celulares e dos sistemas nervoso e circulatório e estão envolvidos em uma grande variedade de funções hormonais e imunológicas em todos os animais.
As gorduras dietéticas são compostas por triglicerídeos (triacilgliceróis) de vários ácidos graxos, o qual devem ser quimicamente modificados antes da  absorção pelo organismo. O processo de digestão representa a forma pela qual as gorduras dietéticas são quebradas em moléculas menores.

Quando essas gorduras estão presentes no trato gastrintestinal, são expostas as lípases (enzimas) gástricas e intestinais. Apesar do estomago atuar para iniciar o processo de digestão das gorduras, o mesmo ocorre principalmente no intestino delgado. As lípases (pancreáticas intestinais quebram sucessivamente os triglicerídeos em ácidos graxos livres e monoacilgliceróis, deixando o ácido graxo central do triglicerídeo original ligado a cadeia de glicerol).

A maior parte da gordura ingerida na dieta é absorvida; menos de 5% das gorduras ingeridas não são absorvidas. A digestão e absorção ocorrem através da ação das lípases, que são enzimas que quebram as ligações químicas dos triglicerídeos. Essas enzimas consistem principalmente de lípase pancreática, enquanto as lípases gástrica e lingual possuem um papel secundário. As lípases pancreáticas quebram um ácido graxo de cada vez. A ação dessas enzimas produz principalmente ácidos graxos, 2-monoacilgliceróis e diacilgliceróis. Os sais biliares, os quais são produzidos a partir de colesterol, pigmentos biliares e eletrólitos são secretados pelo duto biliar. Esses sais atuam, como agentes emulsificantes que ajudam a dispersar as gotas de gorduras, permitindo as lípases a atuarem sobre as gorduras.

Os sais biliares atuam com um detergente, dispersando os lipídeos (gorduras), ou seja, são essenciais para a emulsificação das gorduras dietéticas. Após a digestão das gorduras, os sais biliares são reabsorvidos na porção baixa do intestino para a circulação enterohepática, retornando para o fígado para reciclagem na bile. Esse ciclo, denominado circulação enterohepática, fornece um sistema eficiente para manter um suprimento adequado de sais biliares. No curso de 24 horas, de 11 a 40 gramas de sais biliares podem ser secretados no bolo digestivo pela circulação enterohepática, que é o fator mais importante para o controle da secreção da bile hepática. Esse processo ocorre de 6 a 15 vezes por dia.

Em resposta a presença de gorduras dietéticas no duodeno, ocorre a liberação de colecistoquinina (CCK) que contrai a vesícula biliar resultando na secreção de sais biliares no duodeno, enquanto estimula também a liberação de enzimas pancreáticas, resultando em aproximadamente 3 ciclos de secreção de sais biliares por refeição. Apesar da síntese de ácidos biliares normalmente compensar a perda desses ácidos nas fezes, a taxa de produção de ácidos biliares só pode aumentar 2 a 3 vezes. Desta  forma, quando ocorre um aumento na quantidade de ácidos biliares excretados, pela ligação com a quitosana por exemplo, a quantidade de ácidos biliares disponível diminui, resultando em uma redução na taxa de secreção biliar.

Após a interação da lípase com os sais biliares, os produtos da digestão lipídica se apresentam para a absorção na forma de micelas, formadas pela ação detergente dos sais biliares, auxiliados pelo fosfolipídeos. Essas micelas se quebram na mucosa intestinal, liberando os produtos da digestão dentro das células intestinais. Após absorção, os ácidos graxos livres e os monoglicerídeos são recombinados para formarem triglicerídeos, os quais são subsequentemente incorporados nos quilomicrons, que consistem em triglicerídeos e esteres de colesterol envoltos por uma cobertura de proteínas.

Apesar de existirem evidências científicas abundantes da ação da quitosana sobre as gorduras dietéticas e sais biliares, ainda não se sabe o mecanismo exato pelo qual a quitosana age no organismo. Entretanto, diversos modelos foram propostos, com bastante semelhança entre alguns e praticamente um consenso entre os resultados obtidos, com os pesquisadores seguindo uma mesma linha de raciocínio para explicar a ação da quitosana no organismo.

Estudos recentes sobre a redução do colesterol em animais sugerem que uma forte atração iônica entre a quitosana e os sais biliares podem ser os principais fatores para a redução do colesterol nos experimentos. Devido à necessidade de sais biliares e colesterol para a absorção de gorduras, pesquisadores sugerem que a ligação iônica da quitosana com esses compostos pode inibir a formação das micelas no intestino. Diversos estudos baseados nessa hipótese sugerem que as cargas catiônicas dos grupamentos amino da quitosana se ligam às cargas negativas dos ácidos biliares e dos ácidos graxos, resultando em um efeito hipocolesterolêmico. Além de aumentar a excreção de colesterol, essa ligação iônica resulta na excreção de micelas, juntamente com fosfolipídeos, monoglicerídeos e ácidos graxos associados.

O aumento de excreção de ácidos biliares acarretará em um aumento da oxidação de colesterol no fígado, para compensar a perda dos ácidos que não foram reabsorvidos através da circulação enterepática. Essa oxidação resultará em uma redução efetiva dos níveis de colesterol. Uma das hipóteses sugere que no ambiente altamente ácido do estômago (pH 1 e 3) a quitosana dissolve-se, tornando-se altamente protonada e podendo teoricamente se ligar aos ácidos graxos livres produzidos pela lipase gástrica.

Entretanto, a baixa atividade da lípase gástrica no estômago evita a liberação significativa de ácidos graxos dos triglicerídeos. Outra hipótese postula que a ligação ou captura dos ácidos biliares, colesterol e ácidos graxos ocorre principalmente no intestino delgado, especificamente no duodeno e possivelmente no jejuno. Diversos estudos sugerem que, no intestino delgado, com um aumento gradual do pH, os grupos amino da quitosana, carregados positivamente, podem se ligar aos ácidos graxos e biliares em micelas mistas. Esse processo pode resultar, numa ligação da micela inteira à quitosana, ou a ruptura da micela pela remoção dos ácidos biliares ou graxos.

Nesse ambiente de elevação progressiva do pH, os ácidos biliares podem  se ligar mais do que os ácidos graxos, devido ao alto grau de ionização em pH neutro. Entretanto, quando a quitosana se liga às micelas ou rompe-as, pode levar a uma redução na captura de lipídeos no intestino delgado, acarretando um aumento da excreção de lipídeos, sais biliares e colesterol.
Um mecanismo mais compreensivo foi proposto recentemente por um  grupo de pesquisadores em um encontro científico (EUCHIS) no final da década de 90. Essa nova proposta mecanística sugerem que a ligação da quitosana consiste na emulsificação dos lipídeos no estômago, com atração iônica dos lipídeos para a quitosana no duodeno, e/ou hidrólise enzimática e formação de micelas que são capturadas pela quitosana no intestino delgado.

CAPTURA DE GORDURAS

Estudos recentes revelam ainda a capacidade única da quitosana de capturar gorduras dietéticas em experimentos in vitro e in vivo, prevenindo a absorção pelo sistema digestivo. Alguns ensaios clínicos revelam a capacidade da quitosana de se ligar a outras misturas de sais biliares, dodecil sulfato, bile bovina e outras microemulsões mistas.

Os efeitos da quitosana sobre o peso corporal, excreção de lipídeos e pressão arterial tem sido observados em diversos ensaios com animais. De acordo com os resultados obtidos, alguns pesquisadores sugerem que os efeitos anti-obesidade obsevados em ratos se devem principalmente a inibição da absorção intestinal das gorduras dietéticas. Outros estudos revelam que os animais alimentados com quitosana de baixa viscosidade apresentam reduções nos níveis de triglicerídeos plasmáticos e nas concentrações do colesterol total em relação ao controle, enquanto que as dietas com quitosanas de média e alta viscosidade reduzem o colesterol total e elevam o colesterol HDL, embora em pequena quantidade.

Desta forma, parece que junto com a redução da ingestão de alimentos e redução do peso corporal, a dieta com quitosana geralmente melhora a relação do colesterol HDL/colesterol total em relação ao controle. Esse último efeito se deve mais a uma redução do colesterol total do que a uma elevação do colesterol HDL. Outro aspecto de destaque foi a redução da digestibilidade das gorduras dietéticas observado em experimentos com frangos que foi de 8% em média comparado com o controle e uma redução significativa do peso corporal e da ingestão de alimentos. Alguns pesquisadores ressaltam que esses achados exaltam a utilidade da quitosana como suplemento para controle de peso corporal, uma vez que o excesso de peso e a obesidade já são questões de saúde pública com altos custos e que está tomando proporções epidêmicas.

Ensaios clínicos recentes utilizando a quitosana na dieta de pacientes obesos mostraram uma significativa redução do peso corporal, da pressão arterial, do colesterol e dos triglicerídeos em relação ao controle. A redução média foi de 7,19kg no peso corporal e de 23,3% no colesterol total.
De acordo com os dados obtidos, os pesquisadores alertam que os resultados podem ser comprometidos pela ocorrência de uma dieta não supervisionada ou altamente calórica ou rica em gorduras acompanhada por uma baixa dosagem de quitosana que pode comprometer a restrição calórica provocada pela ação da quitosana. Os melhores resultados podem ser obtidos com uma associação de uma dosagem adequada de quitosana com uma dieta balanceada.

Fonte: www.herbs2000.com/www.polymar.com.br

Veja também

triptofano

Triptofano

PUBLICIDADE O triptofano é um aminoácido, uma proteína sem a qual os seres humanos não …

melatonina

Melatonina

PUBLICIDADE A melatonina é um hormônio produzido pelo nosso cérebro, e esse hormônio interfere em …

Kefir

Kefir

PUBLICIDADE Alimentos probióticos são microrganismos vivos que ajudam a equilibrar a flora intestinal. A flora …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.