Breaking News
Home / Física / Estrela Maciça

Estrela Maciça

PUBLICIDADE

Definição

Estrelas maciças – a vida de uma estrela com cerca de 10 massas solares. Estrelas massivas têm uma massa 3x vezes a do Sol. Algumas são 50 vezes os do Sol

O que é

Uma estrela massiva é uma estrela com massa oito vezes maior que a do Sol.

É difícil para as estrelas obterem esse tamanho, pois vários fatores influenciam o desenvolvimento estelar e esses fatores geralmente limitam o tamanho, mas os astrônomos conseguiram observar estrelas massivas até 150 vezes maiores que o Sol, ilustrando que isso é possível sob o Sol. condições certas.

Compreender como essas estrelas se formam é um tópico de interesse para alguns astrofísicos, assim como desenvolver um entendimento de como elas envelhecem.

Estrelas massivas se transformam em supernovas ou hipernovas quando finalmente ficam sem combustível, o que as torna figuras notáveis no cosmos.

A formação de estrelas envolve uma densa nuvem de gases interestelares que gradualmente se junta ou se desmorona em uma massa, que cria sua própria força gravitacional, atraindo mais gases para si mesma.

À medida que a massa cresce, o mesmo ocorre com a atração gravitacional, mas a estrela também começa a produzir pressão de radiação como resultado de reações ocorrendo dentro da estrela. Isso tende a limitar o tamanho, porque a pressão da radiação expelirá gases da estrela, inibindo a acumulação de mais material.

Com uma estrela massiva, no entanto, formam-se colunas que permitem que a pressão da radiação seja liberada enquanto novos gases são sugados para o corpo da estrela.

Uma vez estabilizada, a estrela massiva tem combustível suficiente para durar milhões de anos.

Eventualmente, uma estrela massiva começa a ficar sem energia, transformando-se em um tipo de estrela conhecida como supergigante vermelha perto do fim de sua vida. Essa estrela, por sua vez, entrará em colapso, gerando uma supernova que pode ser extremamente brilhante ao expelir gases e elementos pesados, aumentando o meio interestelar.

Uma vez que a supernova explode, a estrela pode se transformar em uma estrela de nêutrons ou em um buraco negro, dependendo de várias variáveis.

Muitas estrelas massivas ocorrem em sistemas binários.

Modelos experimentais sugeriram que isso tem a ver com a forma como essas estrelas se formam; geralmente jogam bolas de material que podem ser sugadas mais tarde ou podem se transformar em estrelas próprias.

Estrelas massivas são de interesse porque produzem muitos elementos pesados, contribuindo para a composição do meio interestelar e para o equilíbrio de elementos no universo.

Medir estrelas massivas é complicado. Obviamente, astrônomos e físicos não podem trotar para uma estrela massiva com um conjunto de pinças e escalas. Observações sobre tamanho e composição são feitas remotamente, usando os dados existentes como linha de base para fazer estimativas sobre a natureza de uma estrela.

Formação maciça de estrelas

Estrelas massivas (estrelas mais massivas que 8 vezes as do Sol) são atores dominantes na galáxia.

Apesar do pequeno número, eles produzem a maior parte da luz visível na galáxia. Em suas vidas relativamente curtas, eles têm um grande impacto no ambiente galáctico, ionizando o meio interestelar por meio de forte radiação ultravioleta e alteram a composição do meio interestelar através da fabricação de elementos pesados por meio da explosão de supernovas.

A existência de estrelas massivas apresenta um desafio ao nosso entendimento da formação de estrelas.

As estrelas se formam a partir de gás molecular frio e poeira quando a força gravitacional supera a pressão interna nas nuvens moleculares.

A radiação de estrelas massivas exerce pressão adicional sobre o material infalente e pode superar a gravidade para impedir a formação de tais estrelas.

Estrela maciça – Universo

Como são todos feitos apenas de hidrogênio e hélio, quando se trata de estrelas, massa é tudo. A quantidade de massa que uma estrela possui define sua luminosidade, tamanho e até quanto tempo ela viverá.

As estrelas mais massivas do Universo realmente vivem rápido e morrem com força; eles podem acumular mais de 100 vezes a massa do Sol e viverão apenas alguns milhões de anos antes de serem detonados como supernovas.

Quão maciço é maciço?

Alguns astrônomos pensam que o limite teórico para a massa estelar é cerca de 150 vezes a massa do Sol (1 massa solar é a massa do Sol); além desse limite, poderosos ventos estelares afastarão o material infalante antes que ele possa se juntar à estrela. E estrelas com 150 massas solares foram observadas, pelo menos teoricamente.

A maneira mais precisa de medir a massa de um objeto como uma estrela é se ele estiver em um sistema binário com outro objeto. Os astrônomos podem calcular a massa dos dois objetos medindo como eles orbitam um ao outro.

Mas as estrelas mais massivas já vistas não têm companheiros binários, então os astrônomos precisam adivinhar o quão massivas são. Eles estimam a massa da estrela com base em sua temperatura e brilho absoluto.

Estima-se que dezenas de estrelas conhecidas tenham 25 vezes a massa do Sol.

Aqui está uma lista das estrelas conhecidas mais massivas:

HD 269810 (150 massas solares)
Estrela da nebulosa de peônia (150 massas solares)
Eta Carinae (150 massas solares)
Pistol Star (150 massas solares)
LBV 1806-20 (130 massas)

Todas essas estrelas são supergigantes, que se formaram dentro das maiores nuvens de gás e poeira.

Estrelas desse tamanho não demoram muito para o Universo. Eles queimam enormes quantidades de combustível e podem ser 500.000 vezes mais luminosos que o Sol.

Talvez a estrela mais familiar e extremamente massiva seja a Eta Carinae, localizada a cerca de 8.000 anos-luz da Terra. Os astrônomos pensam que tem uma massa estimada entre 100 e 150 massas solares.

A estrela provavelmente tem menos de 3 milhões de anos e acredita-se que tenha menos de 100.000 anos de vida. Quando detonar, a supernova de Eta Carinae será brilhante o suficiente para ser vista durante o dia, e você poderá ler um livro à noite.

Estrelas maciças – a vida de uma estrela com cerca de 10 massas solares

Estágio 1 – Estrelas maciças evoluem de maneira semelhante a pequenas estrelas até alcançar seu estágio de sequência principal (ver pequenas estrelas, estágios 1-4). As estrelas brilham constantemente até o hidrogênio se fundir para formar hélio (leva bilhões de anos em uma pequena estrela, mas apenas milhões em uma estrela massiva).

Fase 2 – A estrela massiva torna-se um supergigante vermelho e começa com um núcleo de hélio cercado por uma concha de gás em expansão e resfriamento.

Fase 3 – Nos próximos milhões de anos, uma série de reações nucleares ocorre formando diferentes elementos nas conchas ao redor do núcleo de ferro.

Estágio 4 – O núcleo entra em colapso em menos de um segundo, causando uma explosão chamada Supernova, na qual sopra uma onda de choque nas camadas externas da estrela. (A supernova real brilha mais que toda a galáxia por um curto período de tempo).

Etapa 5 – Às vezes, o núcleo sobrevive à explosão. Se o núcleo sobrevivente tiver entre 1,5 e 3 massas solares, ele se contrai para se tornar uma Estrela de Nêutrons minúscula e muito densa. Se o núcleo for muito maior que 3 massas solares, ele se contrai para se tornar um buraco negro.

Fonte: www.cfa.harvard.edu/www.universetoday.com/www.wisegeek.org/www.astrobio.net/www.astrobio.net/www.unawe.org/dictionary.obspm.fr/www.astro.keele.ac.uk

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Regra de Hund

PUBLICIDADE Definição A regra de Hund afirma que a configuração eletrônica de menor energia, o …

Carga axial

PUBLICIDADE Definição Carga axial é a carga que atua ao longo do eixo central do …

Escala de Planck

Escala de Planck

PUBLICIDADE Definição A Escala de Planck é a escala na qual os efeitos da mecânica quântica se …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.