Breaking News
Home / Biologia / Osmorregulação

Osmorregulação

PUBLICIDADE

Definição

Osmorregulação é o mecanismo de controle da pressão osmótica em um organismo.

A água atravessa uma membrana semipermeável para alterar a concentração de moléculas de soluto.

Osmorregulação é o processo pelo qual células e organismos simples mantêm o equilíbrio de fluidos e eletrólitos com o ambiente.

O que é osmorregulação?

A osmorregulação é um processo complexo utilizado por organismos vivos para garantir que sua pressão osmótica permaneça estável.

Existem vários tipos diferentes de osmorregulação, e uma grande variedade de técnicas pode ser usada para regular a pressão osmótica em tudo, desde plantas até baleias.

Em todos os casos, o objetivo é manter a consistência e o nível dos fluidos corporais constantes.

Osmoconformadores tentam se adaptar ao ambiente ao redor. Esse tipo de osmorregulação é mais comum em invertebrados marinhos. Nesses animais, a consistência dos fluidos corporais corresponde à da água circundante, de modo que não há ganho ou perda líquida de água ou sais do corpo do peixe. Os osmorreguladores, por outro lado, mantêm uma pressão osmótica muito rigorosa, que não está em conformidade com o ambiente circundante, e esse tipo de osmorregulação é o mais comum.

A pressão osmótica envolve a tendência de uma solução de menor concentração fluir através de uma membrana para uma solução de maior concentração. Dentro do corpo, é essencial regular a pressão osmótica para alcançar o que é conhecido como solução isotônica, o que significa que não há ganho ou perda líquida de líquidos e sais em uma célula, mas sim um fluxo constante de entrada e saída.

Se os fluidos corporais ao redor da célula estiverem muito diluídos, a água flui para dentro da célula, causando inchaço e potencial explosão. Por outro lado, se os fluidos corporais ao redor de uma célula estiverem concentrados, a água fluirá para fora da célula, fazendo-a murchar.

Os processos metabólicos são usados para remover resíduos do corpo e manter estáveis os níveis de sais dissolvidos e outros compostos no sangue.

Isso garante que as células do corpo sejam banhadas em uma solução isotônica que manterá a saúde das células.

A maioria dos organismos precisa consumir água para manter a osmorregulação, pois a água pode ser usada para diluir os fluidos corporais se eles ficarem muito concentrados ou pode ser excretada se não for necessária.

Em um exemplo clássico de osmorregulação no trabalho, quando as pessoas bebem, o álcool atua como diurético, forçando o corpo a excretar água e concentrando os sais nos fluidos corporais, criando uma solução hipertônica.

Como resultado, as células sofrem uma perda líquida de água e o corpo desenvolve o que é conhecido como “ressaca”. Ao beber muita água enquanto bebe álcool, as pessoas podem ajudar seus corpos a manter a osmorregulação, diminuindo o risco de uma ressaca. mantendo os fluidos corporais isotônicos.

Osmorregulação – Pressão Osmótica

Osmorregulação é a regulação ativa da pressão osmótica dos fluidos corporais de um organismo, detectada pelos osmorreceptores, para manter a homeostase do conteúdo de água do organismo; isto é, mantém o balanço hídrico e a concentração de eletrólitos (sais em solução que neste caso é representado pelo fluido corporal) para impedir que os fluidos corporais se tornem muito diluídos ou concentrados.

Pressão osmótica é uma medida da tendência da água de se mover de uma solução para outra por osmose. Quanto maior a pressão osmótica de uma solução, mais água tende a entrar nela.

A pressão deve ser exercida no lado hipertônico de uma membrana seletivamente permeável para impedir a difusão da água por osmose do lado que contém água pura.

Organismos em ambientes aquáticos e terrestres devem manter a concentração correta de solutos e a quantidade de água em seus fluidos corporais; isso envolve excreção (livrar-se de resíduos metabólicos de nitrogênio e outras substâncias, como hormônios que seriam tóxicos se deixassem acumular no sangue) através de órgãos como a pele e os rins.

Biologia

Osmorregulação, em biologia, manutenção por um organismo de um equilíbrio interno entre água e materiais dissolvidos, independentemente das condições ambientais.

Em muitos organismos marinhos, a osmose (a passagem do solvente através de uma membrana semipermeável) ocorre sem a necessidade de mecanismos reguladores, porque as células têm a mesma pressão osmótica do mar.

Outros organismos, no entanto, devem absorver, conservar ou excretar ativamente água ou sais para manter seu conteúdo mineral-água interno.

A maioria dos humanos consome cerca de 55 a 60% de água em peso (45% em idosos e obesos e até 75% em recém-nascidos). Muitas águas-vivas são 95% ou mais de água.

Osmorregulação – Processo

Osmorregulação é o processo de manter o equilíbrio de sal e água (equilíbrio osmótico) através das membranas do corpo. Os fluidos internos e adjacentes às células são compostos de água, eletrólitos e não eletrólitos.

Um eletrólito é um composto que se dissocia em íons quando dissolvido em água. Um não eletrólito, por outro lado, não se dissocia em íons na água. Os fluidos do corpo incluem plasma sanguíneo, fluido que existe dentro das células e o fluido intersticial que existe nos espaços entre as células e os tecidos do corpo. As membranas do corpo (as membranas ao redor das células e as “membranas” feitas de células que revestem as cavidades do corpo) são membranas semipermeáveis. As membranas semipermeáveis são permeáveis a certos tipos de solutos e à água, mas normalmente as membranas celulares são impermeáveis aos solutos.

O corpo não existe isolado. Há uma entrada constante de água e eletrólitos no sistema. O excesso de água, eletrólitos e resíduos são transportados para os rins e excretados, ajudando a manter o equilíbrio osmótico.

A ingestão insuficiente de líquidos resulta na conservação de líquidos pelos rins.

Os sistemas biológicos interagem e trocam constantemente água e nutrientes com o meio ambiente por meio do consumo de alimentos e água e pela excreção na forma de suor, urina e fezes.

Sem um mecanismo para regular a pressão osmótica, ou quando uma doença danifica esse mecanismo, há uma tendência a acumular resíduos tóxicos e água, o que pode ter conseqüências terríveis.

Os sistemas de mamíferos evoluíram para regular não apenas a pressão osmótica geral através das membranas, mas também concentrações específicas de eletrólitos importantes nos três principais compartimentos de fluidos: plasma sanguíneo, líquido intersticial e líquido intracelular. Como a pressão osmótica é regulada pelo movimento da água através das membranas, o volume dos compartimentos de fluido também pode mudar temporariamente.

Como o plasma sanguíneo é um dos componentes dos fluidos, a pressão osmótica afeta diretamente a pressão sanguínea.

Resumo

Os médicos geralmente recomendam beber oito a dez copos de água por dia. Essa quantidade é necessária para o equilíbrio adequado de eletrólitos no corpo humano.

A ingestão é equilibrada pela excreção mais ou menos igual de fluidos através da micção, defecação, sudorese e, em menor grau, respiração.

Os órgãos e tecidos do corpo são imersos em fluido a uma temperatura constante, pH e concentração de soluto, cada um dos quais contribui para manter a homeostase do corpo.

Os solutos nos fluidos corporais são principalmente sais e açúcares minerais. A regulação osmótica, ou osmorregulação, mantém esses solutos nas concentrações ideais.

A homeostase osmótica é mantida apesar da influência de fatores externos, como temperatura, dieta e condições climáticas.

Osmose é a difusão da água através de uma membrana em resposta à pressão osmótica causada por um desequilíbrio de moléculas em ambos os lados da membrana.

Osmorregulação é o processo de manutenção do equilíbrio de sal e água (equilíbrio osmótico) através das membranas dos fluidos do corpo, que são compostas de água mais eletrólitos e não eletrólitos.

Um eletrólito é um soluto que se dissocia em íons quando dissolvido em água. Um não eletrólito, ao contrário, não se dissocia em íons durante a dissolução da água.

Tanto eletrólitos quanto não eletrólitos contribuem para o equilíbrio osmótico. Os fluidos do corpo incluem plasma sanguíneo, citosol nas células e fluido intersticial, o fluido que existe nos espaços entre as células e os tecidos do corpo.

As membranas do corpo (como as membranas pleural, serosa e celular) são semi-permeáveis: permitem a passagem de certos tipos de solutos e água, mas não outros.

As soluções nos dois lados de uma membrana semi-permeável tendem a se igualar na concentração de soluto pelo movimento de solutos e/ou água através da membrana.

Uma célula imersa em água pura tende a inchar à medida que a água se difunde da solução hipotônica ou com “baixo teor de sal”. Por outro lado, uma célula encolhe quando colocada em uma solução de alta concentração de sal.

A célula perde água, que se move para o exterior, para o ambiente hipertônico ou com alto teor de sal. As células isotônicas têm uma concentração igual de solutos dentro e fora da célula; isso iguala a pressão osmótica em ambos os lados da membrana semi-permeável.

Osmoconformadores são animais marinhos que, ao contrário dos osmorreguladores, mantêm a osmolaridade de seus fluidos corporais, de modo que seja sempre igual à água do mar circundante.

Osmoconformadores diminuem o fluxo líquido de água para dentro ou fora de seus corpos devido à difusão. Eles mantêm concentrações internas de soluto em seus corpos em um nível igual à osmolaridade do meio circundante.

O corpo está sujeito a uma ingestão contínua e perda de água e eletrólitos. O excesso de eletrólitos e resíduos resultantes da osmorregulação é transportado para os rins e excretado.

O processo de excreção ajuda o corpo a manter o equilíbrio osmótico.

Osmorregulação

Fonte: opentextbc.ca/www.dictionary.com/www.wisegeek.org/www.britannica.com/byjus.com/homeostasisinhumans.weebly.com/www.biologyreference.com/courses.lumenlearning.com/openstax.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Palinologia

PUBLICIDADE Palinologia é o estudo do pólen da planta, esporos e certos organismos microscópicos do plâncton (chamados coletivamente de palinomorfos) …

Bioindicador

Bioindicador

PUBLICIDADE Definição Um bioindicador são espécies cujo desaparecimento ou perturbação dá um aviso prévio da degradação de …

Diatomáceas

PUBLICIDADE As diatomáceas são fitoplâncton onipresente que representam a fonte primária de fotossíntese (e produção de oxigênio) …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.