Breaking News
Home / Física / Curto-circuito

Curto-circuito

PUBLICIDADE

A definição de um curto-circuito é uma conexão em um circuito elétrico que permite que uma corrente siga um caminho não planejado ou acidental.

Em termos simples, um curto-circuito é um caminho de baixa resistência para uma corrente elétrica fluir entre dois condutores que fornecem energia elétrica. Como o volume do fluxo de corrente é enorme, isso pode causar danos à fonte de energia elétrica, às vezes permanentemente. Se houver um fusível no circuito, ele funcionará como um dispositivo de proteção e explodirá, abrindo o circuito e impedindo mais danos.

O que é um curto-circuito?

Um curto-circuito é um tipo de mau funcionamento em sistemas elétricos. Ocorre quando uma conexão não intencional é criada entre dois componentes que devem ser isolados.

Isso pode ser causado por fios ou peças defeituosos ou por elementos externos, como umidade ou materiais estranhos. O surto de energia resultante pode danificar o sistema e quaisquer dispositivos que estejam conectados a ele.

Um curto-circuito pode ser perigoso, pois o superaquecimento e a corrente irregular podem causar incêndios e outros perigos.

A eletricidade é aproveitada direcionando a corrente elétrica de uma fonte de energia para um sistema de fios e condutores; os dispositivos são alimentados conectando-os a este sistema. Na linguagem da engenharia elétrica, um circuito aberto ocorre quando a eletricidade é impedida de fluir por todo o sistema. Em um circuito fechado, a corrente flui livremente e o sistema é considerado quente.

A eletricidade de um circuito fechado fluirá para qualquer material condutor disponível. Quando materiais condutores criam um circuito fechado onde nenhum deveria existir, o resultado é um curto-circuito, às vezes abreviado como “curto” ou “s/c”.

Os fios elétricos são envoltos em materiais isolantes para reduzir a chance de um curto-circuito. Se o isolamento for removido ou os fios estiverem comprometidos, o fluxo de corrente no sistema poderá fazer um desvio abrupto.

Fatores externos também podem criar esses desvios, como galhos de árvores caindo através de linhas de energia não isoladas durante uma tempestade. A madeira úmida conduz a corrente de uma linha para a outra, criando um aumento involuntário de energia. O resultado pode ser uma falha de energia, pois o sistema se desliga automaticamente para evitar mais danos.

A água é um material altamente condutor. Uma única trilha de líquido de um componente não isolado para outro pode criar um curto-circuito.

É por isso que a maioria dos dispositivos elétricos deve ser protegida da umidade e não deve ser usada se eles se molharem. Da mesma forma, qualquer dispositivo ou sistema elétrico deve ser desligado se um curto-circuito for detectado ou suspeito.

Um técnico qualificado deve ser consultado o mais rápido possível para evitar a possibilidade de danos ao equipamento ou consequências ainda piores.

Um curto-circuito tem baixa resistência, o que significa que a corrente tem um fluxo mais forte do que os componentes foram projetados para lidar.

Consequentemente, a área afetada pode superaquecer ou até gerar um arco de eletricidade não contida. Isso pode resultar em graves danos aos componentes e dispositivos, choques elétricos ou até incêndios. Por esse motivo, a maioria dos sistemas elétricos é equipada com fusíveis, disjuntores e dispositivos de segurança similares. No caso de um surto de energia, esses dispositivos criam um circuito aberto, cortando a eletricidade em todo o sistema.

O que é um curto circuito de proteção?

Um curto-circuito de proteção é um circuito elétrico com um recurso de segurança para resolver preocupações sobre curtos-circuitos, onde a energia se move anormalmente por um circuito, geralmente causando uma sobrecarga de corrente. Shorts, como são conhecidos, podem ser perigosos e também podem causar danos ao equipamento. Especialmente para sistemas de alta energia, a implementação de medidas para responder rapidamente a curtos-circuitos é muito importante e, muitas vezes, exigida pelo código elétrico.

Existem dois métodos comuns para adicionar proteção curta a um circuito elétrico, fusíveis e disjuntores. Os fusíveis contêm uma tira fina de fio que derrete em altas temperaturas associadas a sobrecargas de corrente, desligando o circuito. Os disjuntores operam mecanicamente, respondendo a sobrecargas de corrente, invertendo para interromper o circuito. Ambas as opções têm vantagens e desvantagens; a questão principal para os consumidores é que, após um curto período, os fusíveis precisam ser substituídos, enquanto os disjuntores podem retornar à sua posição normal de operação.

O objetivo de um curto circuito de proteção é reagir assim que fluxos anormais de eletricidade são detectados. Isso evitará danos ao circuito e pode reduzir os riscos de ferimentos. Quando um curto se desenvolve, o circuito quebra, não permitindo mais que a energia se mova através dele. O curto circuito de proteção também pode desligar a fonte de alimentação. Até que um eletricista examine o circuito e determine a natureza do problema, ele permanecerá desligado.

O tratamento de curtos pode ser um desafio, pois nem sempre causam uma sobrecarga atual. Às vezes, a corrente flutua ou outros problemas se desenvolvem, e nenhum dos sensores em um circuito é capaz de detectar e responder à mudança. Um curto circuito de proteção pode ter vários recursos de segurança para detectar diferentes tipos de problemas elétricos e desligar a corrente.

Geralmente, se um operador ligar o circuito novamente sem corrigir o problema, ele se desligará novamente até que o problema seja resolvido.

Os códigos elétricos geralmente exigem o uso de um curto circuito de proteção para proteger a segurança pública. Shorts podem ser extremamente perigosos e causar problemas como arcos elétricos, onde o plasma extremamente quente dispara pelo ar. As pessoas no caminho do arco podem sofrer queimaduras graves ou morte, dependendo das circunstâncias. Problemas menores podem incluir choques causados po

r circuitos defeituosos ou danos extensos a um sistema elétrico, exigindo reparos dispendiosos para resolver o problema.

Um eletricista pode determinar se um curto circuito de proteção é necessário ou recomendado e instalará um circuito apropriado às necessidades.

O que é um circuito elétrico?

Um circuito elétrico é um dispositivo que usa eletricidade para executar uma tarefa, como executar um vácuo ou alimentar uma lâmpada. O circuito é um circuito fechado formado por uma fonte de energia, fios, um fusível, uma carga e um comutador. A eletricidade flui através do circuito e é entregue ao objeto que está sendo alimentado, como o motor a vácuo ou a lâmpada, após o qual a eletricidade é enviada de volta à fonte original; esse retorno de eletricidade permite que o circuito mantenha a corrente elétrica fluindo.

Existem três tipos de circuitos elétricos: o circuito em série, o circuito paralelo e o circuito em série paralelo; dependendo do tipo de circuito, pode ser possível que a eletricidade continue fluindo se um circuito parar de funcionar.

Dois conceitos, a Lei de Ohm e a voltagem da fonte, podem afetar a quantidade de eletricidade que flui através de um circuito e, portanto, o funcionamento de um circuito elétrico.

Como funciona

A maioria dos dispositivos que funcionam com eletricidade contém um circuito elétrico; Quando conectado a uma fonte de energia, como a tomada elétrica, a eletricidade pode passar pelo circuito elétrico dentro do dispositivo e retornar à fonte de energia original, para continuar o fluxo de eletricidade.

Em outras palavras, quando um interruptor é ligado, o circuito elétrico está completo e a corrente flui do terminal positivo da fonte de energia, através do fio para a carga e, finalmente, para o terminal negativo.

Qualquer dispositivo que consome a energia que flui através de um circuito e converte essa energia em trabalho é chamado de carga. Uma lâmpada é um exemplo de carga; consome a eletricidade de um circuito e a converte em trabalho – calor e luz.

Tipos de circuitos

Um circuito em série é o mais simples porque possui apenas um caminho possível para o fluxo da corrente elétrica; se o circuito elétrico estiver quebrado, nenhum dos dispositivos de carga funcionará.

A diferença com os circuitos paralelos é que eles contêm mais de um caminho para a eletricidade fluir; portanto, se um dos caminhos for quebrado, os outros caminhos continuarão funcionando.

Um circuito paralelo em série, no entanto, é uma combinação dos dois primeiros: liga algumas das cargas a um circuito em série e outras a circuitos paralelos. Se o circuito em série quebrar, nenhuma das cargas funcionará, mas se um dos circuitos paralelos quebrar, esse circuito paralelo e o circuito em série deixarão de funcionar, enquanto os outros circuitos paralelos continuarão a funcionar.

Lei de Ohm

Muitas “leis” se aplicam aos circuitos elétricos, mas a Lei de Ohm é provavelmente a mais conhecida.

A lei de Ohm afirma que a corrente de um circuito elétrico é diretamente proporcional à sua tensão e inversamente proporcional à sua resistência. Portanto, se a tensão aumentar, por exemplo, a corrente também aumentará e, se a resistência aumentar, a corrente diminui; ambas as situações influenciam diretamente a eficiência dos circuitos elétricos.

Para entender a Lei de Ohm, é importante entender os conceitos de corrente, tensão e resistência: corrente é o fluxo de uma carga elétrica, tensão é a força que move a corrente em uma direção e resistência é a oposição de um objeto a ter passagem atual por ele.

A fórmula para a lei de Ohm é E = I x R, onde E = tensão em volts, I = corrente em amperes e R = resistência em ohms; Essa fórmula pode ser usada para analisar a tensão, corrente e resistência dos circuitos de eletricidade.

Tensão da fonte

Outro conceito importante em relação aos circuitos elétricos, a tensão da fonte refere-se à quantidade de tensão produzida pela fonte de energia e aplicada ao circuito. Em outras palavras, a voltagem da fonte depende da quantidade de eletricidade que um circuito receberá. A tensão da fonte é afetada pela quantidade de resistência dentro do circuito elétrico; também pode afetar a quantidade de corrente, pois a corrente é normalmente afetada por tensão e resistência. A resistência não é afetada pela tensão ou corrente, no entanto, mas pode reduzir as quantidades de tensão e corrente nos circuitos elétricos.

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Turbulência

Turbulência

PUBLICIDADE Definição A definição de turbulência é uma mudança repentina e violenta no fluxo de ar. A turbulência cria …

Ondas de gravidade

PUBLICIDADE Definição Uma onda gravitacional é uma ondulação invisível (mas incrivelmente rápida) no espaço. As ondas gravitacionais viajam à …

Ferromagnetismo

PUBLICIDADE Definição Ferromagnetismo se refere ao fenômeno exibido por substâncias, como o ferro, que têm permeabilidades …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.