Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ecossistemas  Voltar

Ecossistemas

 

Um ecossistema é uma área geográfica onde plantas, animais, e outros organismos, bem como clima e paisagem, trabalham juntos para formar uma bolha de vida.

Ecossistemas podem conter bióticos ou vivo, peças, bem como os fatores abióticos, ou partes não vivas. fator biótico s incluem plantas, animais e outros organismos. abióticos fatores incluem rocha s, temperatura e umidade.

Cada fator em um ecossistema depende de cada fator de outra, direta ou indiretamente. Uma mudança na temperatura de um ecossistema, muitas vezes, afetar o que as plantas vão crescer lá, por exemplo. Animais que dependem de plantas para alimentos e abrigos terão de se adaptar às mudanças, mudar-se para outro ecossistema, ou perecer.

Ecossistemas pode ser muito grande ou muito pequeno. Maré, piscinas, o lagoas deixadas pelo oceano como a maré vai, são completos, ecossistemas minúsculos. Piscinas naturais contêm algas marinhas, uma espécie de algas , que utiliza a fotossíntese para criar alimentos. herbívoro s, como abalone comer as algas. Carnivores como estrelas do mar comem outros animais na piscina maré, como mariscos ou mexilhões s. Maré alta depender do nível de transformação da água do oceano. Alguns organismos, como algas, prosperam em um ambiente aquático meio ambiente, quando a maré está na e para a piscina está cheia. Outros organismos, tais como o caranguejo eremitas, não pode viver debaixo d'água e dependem das piscinas rasas deixadas pela maré baixa. Desta forma, as partes bióticos do ecossistema depender de fatores.

Toda a superfície da Terra é uma série de ecossistemas ligados. Os ecossistemas são muitas vezes ligados em um maior bioma . Biomas são grandes seções de terra, a atmosfera do mar, ou Florestas, lagoas, recifes, e tundra são todos os tipos de biomas, por exemplo. Eles estão organizados de maneira geral, com base nos tipos de plantas e animais que vivem nelas. Dentro de cada floresta, cada lagoa, cada recife, ou cada seção de tundra, você vai encontrar muitos ecossistemas diferentes.

O bioma do deserto do Saara, por exemplo, inclui uma grande variedade de ecossistemas. O clima árido e clima quente caracterizar o bioma. Dentro do Saara são oásis ecossistemas, que têm data palma árvores, de água doce, e animais como crocodilos. O Saara também tem dunas ecossistemas, com a paisagem mudando determinar pelo vento. Organismos nesses ecossistemas, tais como cobras e escorpiões, devem ser capazes de sobreviver em dunas de areia por longos períodos de tempo. O Saara inclui ainda um marine ambiente, onde o Oceano Atlântico cria frio nevoeiros na costa Noroeste Africano. Arbustos e animais que se alimentam de pequenas árvores, como cabras, vivem neste ecossistema do Sahara.

Mesmo com som semelhante biomas poderiam ter ecossistemas completamente diferentes. O bioma do deserto do Saara, por exemplo, é muito diferente do bioma do deserto de Gobi, na Mongólia e na China. O Gobi é um frio do deserto, com queda de neve freqüentes e temperaturas congelantes. Ao contrário do Saara, o de Gobi tem ecossistemas baseados não na areia, mas quilômetros de rocha nua. Alguns grama são capazes de crescer no clima frio e seco. Como resultado, esses ecossistemas Gobi tem animal de pasto s como gazela s e até mesmo Takhi , uma espécie ameaçada de cavalo selvagem.

Mesmo os ecossistemas frias do deserto do Gobi são distintos dos ecossistemas do deserto de congelamento da Antártida. Antarcticas espessa camada de gelo cobre uma continente feito quase inteiramente de rocha seca, nua. Apenas alguns musgo es crescer neste ecossistema deserto, suportando apenas alguns pássaros, como skuas.

Ameaças aos ecossistemas

Por milhares de anos, as pessoas têm interagido com os ecossistemas. Muitas culturas desenvolvidas em torno de ecossistemas próximos. Muitas tribos indígenas americanas de Américas do Norte planícies grandes desenvolveram um complexo de estilo de vida com base nas plantas e animais nativos da planície ecossistemas s, por exemplo. Bison , um animal de pasto nativo grande para as Grandes Planícies, tornou-se o mais importante fator biótico em muitos índios das planícies culturas, tais como o Lakota ou Kiowa. Bison são às vezes erroneamente chamado de búfalo. Essas tribos usado búfalo esconder s para o abrigo e roupas, carne de búfalo para alimentar e chifre de búfalo de ferramentas. A pradaria tallgrass das Grandes Planícies apoiado bisonte rebanho s, que tribos seguidas durante todo o ano.

Como as populações humanas cresceram, no entanto, as pessoas têm ultrapassado muitos ecossistemas. A pradaria tallgrass das Grandes Planícies, por exemplo, tornou-se terra. Como o ecossistema encolhido, menos bisonte poderia sobreviver. Hoje, pequeno número de rebanhos sobreviver em ecossistemas protegidos como o Yellowstone National Park.

Nas florestas tropicais ecossistemas que cercam o rio Amazonas na América do Sul, uma situação semelhante está ocorrendo. A floresta amazônica inclui centenas de ecossistemas, incluindo copa, sub-bosque e pisos florestais. Estes ecossistemas apoiar vasta teia alimentars.

Copa são ecossistemas no topo da floresta, onde árvores altas e finas, crescem em busca da luz solar. A cobertura do ecossistemas incluem também outras plantas, chamadas epífitas s, que crescem diretamente sobre ramos. Bosques como ecossistemas existem sob o dossel. Eles são mais escuras e mais úmido do que copa. Animais, como macaco vive em ecossistemas sub-bosque, comer frutas de árvores, bem como animais menores, como besouros. Ecossistemas chão da floresta suportar uma grande variedade de flores, que são alimentados pela inseto s como borboletas. Borboletas, por sua vez, servem de alimento para os animais, como aranha s em ecossistemas chão da floresta.

A atividade humana ameaça todos estes ecossistemas da floresta tropical na Amazônia. Milhares de hectares de terra são derrubadas para a terra, habitação e indústria . Países da floresta amazônica, como o Brasil, Venezuela e Equador, são subdesenvolvidos. O corte de árvores para abrir espaço para cultura s, como soja e milho benefícios muitos agricultores pobres. Estes recursos s dar-lhes uma confiável fonte de renda e alimentação. As crianças podem ser capazes de frequentar a escola e as famílias são capazes de proporcionar uma melhor assistência à saúde.

No entanto, a destruição dos ecossistemas da floresta tropical tem os seus custos. Muitos modernos medicina s foram desenvolvidos a partir de plantas da floresta tropical. Curare, um relaxante muscular, e quinino, usado para tratar a malária, são apenas dois destes medicamentos. Muitos cientistas temem que destruindo o ecossistema da floresta tropical pode evitar mais medicamentos do que está sendo desenvolvido.

Os ecossistemas de floresta tropical também fazer terra pobre. Ao contrário do rico solo s das Grandes Planícies, onde as pessoas destruíram o ecossistema de pradarias tallgrass, Amazon solo da floresta tropical é fino e tem poucos nutrientes s. Somente algumas estações de culturas pode crescer antes de todos os nutrientes são absorvidos. O agricultor, ou agronegócio deve passar para o próximo patch de terra, deixando um ecossistema vazio atrás.

Ecossistemas rebotes

Os ecossistemas podem recuperar da destruição, no entanto. Os corais de recife delicados ecossistemas do Pacífico Sul estão em risco devido às temperaturas do oceano aumento e diminuição da salinidade. Corais água sanitária, ou perder as suas cores brilhantes, em água que está muito quente. Eles morrem na água que não é salgada o suficiente. Sem a estrutura do recife, o ecossistema entra em colapso. Organismos, como algas, plantas, tais como ervas marinhas, e animais, como peixes, cobras, e camarão desaparecer.

Ecossistemas de recifes de coral mais vai se recuperar do colapso. Como a temperatura do oceano esfria e retém mais sal, o retorno corais brilhantemente coloridos. Lentamente, eles constroem recifes. Algas, plantas e animais também retornam.

Pessoas individuais, culturas e governos estão trabalhando para preservar os ecossistemas que são importantes para eles. O governo do Equador, por exemplo, reconhece os direitos ecossistémicos na countrys Constituição. Os chamados direitos da Natureza diz Natureza ou Pachamama [Terra], onde a vida é reproduzida e existe, tem o direito de existir, persistir, manter e regenerar os seus vitais ciclos, estrutura, funções e seus processos de evolução. Cada pessoa, pessoas, comunidade ou nacionalidade, poderão exigir o reconhecimento dos direitos da natureza diante dos públicos corpos. Equador é o lar não só a chover ecossistemas florestais, mas também rio ecossistemas e os notáveis ecossistemas das ilhas Galápagos.

Fonte: education.nationalgeographic.com

Ecossistemas

Ecossistema e meio ambiente

Um ecossistema consiste de comunidades de plantas e animais chamada biodiversidade , que se influenciam mutuamente e: eles ajudam um ao outro, proteger ou comer.

Ecossistemas incluem uma biocenose (todos os seres vivos), que está em constante interação com o seu biótipo (médio ter um conjunto de fatores físicos e químicos).

Eles dependem de fatores abióticos, físico-químicas ou seja, fatores, como a água, o solo, o clima.

Ecossistemas são caracterizados por espécies que ali vivem:

Espécies de produtores primários (plantas)

Consumidores (animais e humanos)

Decompositores (bactérias e fungos)

Eles são autônomos e muito variáveis em tamanho ( uma floresta e um pequeno lago são ecossistemas que não têm a mesma área geográfica).

Eles são frequentemente caracterizados por seu ciclo fechado, mas também existem em outros ecossistemas e interagir com eles, é por isso que às vezes é difícil definir com precisão que começa e termina em um ecossistema.

Os ecossistemas são muito frágeis e podem ser facilmente perturbado ou destruído, se uma espécie é dizimada, ou fatores abióticos são vítimas de poluição .

Fonte: www.vedura.fr

Ecossistemas

Os ecossistemas podem ser definidos como unidades funcionais auto-suficientes, caracterizadas pelo intercâmbio cíclico de matéria e de energia e pela presença e perfeita interação das comunidades existentes entre si e com o ambiente físico. Nesses ambientes específicos é que ocorrem os processos de distribuição, consumo e decomposição da matéria viva.

O ecossistema é um sistema aberto e relativamente estável no tempo; as entradas de energia e matéria são representadas pela energia solar, os elementos minerais e atmosféricos e a água; as perdas ou saídas ocorrem sob forma de calor, oxigênio, gás carbônico, compostos húmicos, substâncias orgânicas arrastadas pelas águas, etc.

A maior parte dos ecossistemas formou-se através de um longo processo de adaptação entre as espécies e o meio ambiente. Estão dotados de mecanismos auto-reguladores e são capazes de resistir, ao menos dentro de certos limites, às variações do meio ambiente e às variações bruscas na densidade de suas populações.

Um ecossistema completo compreende as substâncias orgânicas e inorgânicas do meio; os organismos produtores (autotróficos), capazes de sintetizar matéria orgânica a partir do meio orgânico; os organismos consumidores (heterotróficos); os decompositores, que transformam de novo matéria orgânica em inorgânica, e também interações como:

Adaptação dos organismos ao meio em que vivem;

Sistema de comunicação entre os organismos vivos.

Cada elemento de um ecossistema tem um papel importante no funcionamento equilibrado de manutenção e desenvolvimento da vida e do meio.

Diferentes tipos de Ecossistemas

Em princípio, os ecossistemas podem ser agrupados em terrestres e aquáticos.

Alguns autores distinguem ainda:

Microecossistemas: por exemplo, um tronco de árvore caído ou de uma árvore morta;

Mesoecossistemas: um bosque, um lago, uma laguna, um estuário, um manguezal;

Macroecosistemas: um oceano, uma bacia hidrográfica, um maciço florestal como a Floresta Amazônica ou a Mata Atlântica.

Assim, da mesma forma que comprometemos todas as coisas nas quais mexemos sem o pleno conhecimento de seus mecanismos, estragaremos também essas preciosas moradas se começarmos a manipulá-las sem o suficiente conhecimento, ou ignorando os seus mecanismos.

Fonte: www.pr.gov.br

Ecossistemas

O QUE É ECOLOGIA?

Ecologia é o estudo das relações entre os seres vivos e o ambiente onde vivem.

(Ecologia - do grego oikos, casa e logos ciência)

Assim, seu estudo permite reconhecer que existe um complexo mecanismo de reações recíprocas entre as populações de uma comunidade (BIOCENOSE) e o ambiente (BIÓTOPO), com um contínuo fluxo de matéria e energia entre eles.

Cada uma das diferentes regiões da Terra, onde distintas comunidades se integram com o meio, constitui um sistema ecológico: o ECOSSISTEMA.

Este, continuamente, tem seus fatores bióticos ajustados às mudanças que ocorrem, o que determina uma tendência ao equilíbrio dinâmico (HOMEOSTASE).

HOMEOSTASE

Tendência de um indivíduo, ou de uma população ou de uma comunidade de manter o equilíbrio dinâmico e natural com o ambiente.

ECOSSISTEMA

Ambiente dos seres vivos formado por fatores bióticos e abióticos em contínua interação, constitui uma unidade funcional da natureza; seus limites podem variar muito, compreendendo a biosfera (conjunto de todos os ecossistemas do planeta) os biociclos ( ecossistemas terrestres, marinhos e ds águas continentais), os biomas ( ecossistemas com características bem definidas) e os microecossistemas ( poupam espaço que podem ser medidos em milímetros).

COMPONENTES BIÓTICOS

Os seres vivos de um ecossistema podem ser dividos em autótrofos e heterótrofos.

Autótrofos - são aqueles seres que produzem seu próprio alimento. Para isso eles utilizam energia de uma fonte não-orgânica, em geral a luz solar.

Heterótrofos - são aqueles seres que necessitam captar seus alimentos (substâncias orgânicas) do meio em que vivem.

Produtores - produzem matéria orgânica para todo o ecossistema, são organismos autótrofos, que realizam a fotossíntese.

Consumidores - alimentam-se direta ou indiretamente dos produtores; são organismos heterótrofos, de várias ordens ou níveis tróficos (do grego trofos, alimento, nutrição); os consumidores de primeira ordem alimentam-se de plantas (herbívoros); os consumidores de segunda ordem alimentam-se dos herbívoros (carnívoros); os consumidores de terceira ordem alimentam-se dos carnívoros e assim por diante.

Decompositores - promovem o retorno da matéria ao ambiente físico; são bactérias fungos saprófitos.

COMPONENTES ABIÓTICOS

Os componentes abióticos de um ecossistema são representados por fatores físicos; como luminosidade, temperatura, ventos, umidade, etc., e por fatores químicos como a quantidade relativa dos diversos elementos químicos presentes na água e no solo.

Fonte: www.valerio.bio.br

Ecossistemas

Biosfera

A biosfera refere-se a região do planeta ocupada pelos seres vivos. É possível encontrar vida em todas as regiões do planeta, por mais quente ou frio que elas sejam.

O conceito de biosfera foi criado por analogia a outros conceitos empregados para designar parte de nosso planeta. De modo qual, podemos dizer que os limites da biosfera se estendem desde às altas montanhas até as profundezas das fossas abissais marinhas.

O aparecimento da espécie humana na Terra dada uns 100 mil anos, e a grande expansão das populações humanas aconteceu durante o último milênio. A presença tem interferido profundamente no mundo natural.

É necessário preservar as harmonias da biosfera, se nós não nos concretizarmos que as espécies de seres vivos, inclusive a humana mantém várias inter-relações e que a influência no mundo pode criar vários desequilíbrios.

Organização do mundo vivo

Podemos dividir o mundo vivo em estratos para um melhor entendimento da gradação da complexidade e por isto existem níveis de organização segundo os quais podemos entender o mundo vivo.

Ecossistemas

Conjunto formado por uma biocenose ou comunidade biótica e fatores abióticos que interatuam, originando uma troca de matéria entre as partes vivas e não vivas. Em termos funcionais, é a unidade básica da Ecologia, incluindo comunidades bióticas e meio abiótico influenciando-se mutuamente, de modo a atingir um equilíbrio. O termo "ecossistema" é, pois, mais geral do que "biocenose", referindo a interação dos fatores que atuam sobre esta e de que ela depende.

Componentes básicos de um ecossistema

Os organismos vivos e o seu ambiente inerte (abiótico) estão inseparavelmente ligados e interagem entre si. Qualquer unidade que inclua a totalidade dos organismos (isto é, a "comunidade") de uma área determinada interagindo com o ambiente físico por forma a que uma corrente de energia conduza a uma estrutura trófica, a uma diversidade biótica e a ciclos de materiais (isto é, troca de materiais entre as partes vivas e não vivas) claramente definidos dentro do sistema é um sistema ecológico ou ecossistema. Do ponto de vista trófico (de trophe = alimento), um ecossistema tem dois componentes (que como regra costumam estar separados no espaço e no tempo), um componente autotrófico (autotrófico = que se alimenta a si mesmo), no qual predomina a fixação da energia da luz, a utilização de substâncias inorgânicas simples e a elaboração de substâncias complexas, e um componente heterotrófico (heterotrófico = que é alimentado por outro), no qual predominam o uso, a nova preparação e a decomposição de materiais complexos.

Os ecossistemas são formados pela união de dois fatores:

Fatores abióticos

O conjunto de todos os fatores físicos que podem incidir sobre as comunidades de uma certa região.

Fatores bióticos

Conjunto de todos seres vivos e que interagem uma certa região e que poderão ser chamados de biocenose, comunidade ou de biota.

Exemplo: chamava-se de micro flora, flora autóctone ou ainda fora normal todo o conjunto de bactérias e seres, os corpos que viviam no interior do corpo humano ou sobre a pele. Hoje o termo melhor usado em consonância com os termos ecológicos seria microbiota normal.

Dimensão

É muito variável a dimensão de um ecossistema. Tanto é um ecossistema uma floresta de coníferas, como um tronco de árvore apodrecido em que sobrevivem diversas populações de seres minúsculos. Assim como é possível associar todos os ecossistemas existentes num só, muito maior, que é a ecosfera, é igualmente possível delimitar em cada um, outros mais pequenos, por vezes ocupando áreas tão reduzidas que recebem o nome de microecossistemas.

Constituintes e Funcionamento

Segundo a sua situação geográfica, os principais ecossistemas são classificados em terrestres e aquáticos.

Em qualquer dos casos, são quatro os seus constituintes básicos:

Substâncias abióticas - compostos básicos do meio ambiente

Produtores - seres autotróficos, na maior parte dos casos plantas verdes, capazes de fabricar a sua própria substância a partir de substâncias inorgânicas simples

Consumidos - organismos heterotróficos, quase sempre animais, que se alimentam de outros seres ou de partículas de matéria orgânica

Decompositores - seres heterotróficos, na sua maioria bactérias e fungos que, decompondo as complexas substâncias dos organismos mortos, ingerem partes destes materiais libertando, em contrapartida, substâncias simples que, lançadas no ambiente. podem ser assimiladas pelos produtores.

Há grande diversidade de ecossistemas:

Ecossistemas naturais - bosques, florestas, desertos, prados, rios, oceanos, etc.

Ecossistemas artificiais - construídos pelo Homem: açudes, aquários, plantações, etc.

Atendendo ao meio físico, há a considerar:

Ecossistemas terrestres

Ecossistemas aquáticos

Quando, de qualquer ponto, observamos uma paisagem, apercebemo-nos da existência de descontinuidades - margens do rio, limites do bosque, bordos dos campos, etc. que utilizamos freqüentemente para delimitar vários ecossistemas mais ou menos definidos pelos aspectos particulares da flora que aí se desenvolve.

No entanto, na passagem, por exemplo, de uma floresta para uma pradaria, as árvores não desaparecem bruscamente; há quase sempre uma zona de transição, onde as árvores vão sendo cada vez menos abundantes. Sendo assim, é possível, por falta de limites bem definidos e fronteiras intransponíveis, considerar todos os ecossistemas do nosso planeta fazendo parte de um enorme ecossistema chamado ecosfera. Deste gigantesco ecossistema fazem parte todos os seres vivos que, no seu conjunto, constituem a biosfera e a zona superficial da Terra que eles habitam e que representa o seu biótopo.

Ou seja:

BIOSFERA + ZONA SUPERFICIAL DA TERRA = ECOSFERA

Mas assim como é possível associar todos os ecossistemas num só de enormes dimensões - a ecosfera - também é possível delimitar, nas várias zonas climáticas, ecossistemas característicos conhecidos por biomas. Por sua vez, em cada bioma, é possível delimitar outros ecossistemas mais pequenos.

Diferentes tipos de ecossistemas:

Tundra - Característica das regiões de clima frio. Predominam musgos, líquenes, gramíneas e algumas árvores anãs.

Taiga - Clima frio, mas menos frio que o da tundra. Há mais água no estado líquido. Árvores com copas em forma de cone e com folhagem persistente. Deste modo, há melhor aproveitamento da fraca energia luminosa: os ramos superiores não fazem sombra sobre os inferiores e a fotossíntese realiza-se todo o ano (folhagem persistente).

Deserto - Clima seco e grandes amplitudes térmicas diurnas: Vegetação pouco desenvolvida e pouco variada. Animais capazes de suportar estas condições adversas.

Floresta temperada - Floresta de árvores de folhagem caduca, característica das zonas temporadas.

Savana - Pradaria característica das regiões tropicais, com algumas arvores espalhadas. Locais de pastagem para muitos herbívoros.

Floresta equatorial - Floresta luxuriante, com variadíssimas espécies de arvores de grande porte.

Alguns ocupam áreas tão reduzidas que merecem o nome de microecossistemas. Numa floresta, por exemplo, as clareiras e as zonas densas, a face voltada a norte ou a sul de um tronco de árvore, etc., apresentam comunidades bióticas distintas. Constituem pequenos ecossistemas no grande ecossistema que é a floresta - são os microecossistemas.

Fatores Abióticos

Existem elementos componentes do ambiente físico e químico que agem sobre quase todos os aspectos da vida dos diferentes organismos, constituindo o fatores abióticos. Estes influenciam o crescimento, atividade e as características que os seres apresentam, assim como a sua distribuição por diferentes locais. Estes fatores variam de valor de local para local, determinando uma grande diversidade de ambientes. Os diferentes fatores abióticos podem agrupar-se em dois tipos principais - os fatores climáticos, como a luz, a temperatura e a umidade, que caracterizam o clima de uma região - e os fatores edáficos, dos quais se destacam a composição química e a estrutura do solo.

Luz

A luz é uma manifestação de energia, cuja principal fonte é o Sol. É indispensável ao desenvolvimento das plantas. De fato, os vegetais produzem a matéria de que o seu organismo é formado através de um processo - a fotossíntese - realizado a partir da captação da energia luminosa. Praticamente todos os animais necessitam de luz para sobreviver. São exceção algumas espécies que vivem em cavernas - espécies cavernícolos - e as espécies que vivem no meio aquático a grande profundidade - espécies abissais. Certos animais como, por exemplo, as borboletas necessitam de elevada intensidade luminosa, pelo que são designadas por espécies lucífilas. Por oposição, seres como o caracol e a minhoca não necessitam de muita luz, evitando-a, pelo que são denominadas espécies lucífugas. A luz influencia o comportamento e a distribuição dos seres vivos e, também, as suas características morfológicas.

A Luz e os Comportamentos dos Seres Vivos

Os animais apresentam fototatismo, ou seja, sensibilidade em relação à luz, pelo que se orientam para ela ou se afastam dela. Tal como os animais, as plantas também se orientam em relação à luz, ou seja, apresentam fototropismo. Os animais e as plantas apresentam fotoperiodismo, isto é, capacidade de reagir à duração da luminosidade diária a que estão submetidos - fotoperíodo. Muitas plantas com flor reagem de diferentes modos ao fotoperíodo, tendo, por isso, diferentes épocas de floração. Também os animais reagem de diversos modos ao fotoperíodo, pelo que apresentam o seu período de atividade em diferentes momentos do dia.

Temperatura

Cada espécie só consegue sobreviver entre certos limites de temperatura, o que confere a este fator uma grande importância. Cada ser sobrevive entre certos limites de temperatura - amplitude térmica de existência -, não existindo acima de um determinado valor - temperatura máxima - nem abaixo de outro - temperatura mínima. Cada espécie possui uma temperatura ótima para a realização das suas atividades vitais. Alguns seres têm grande amplitude térmica de existência - seres euritérmicos - enquanto outros só sobrevivem entre limites estreitos de temperatura - seres estenotérmicos.

A Temperatura e os Comportamentos dos Animais

Alguns animais, nas épocas do ano em que as temperaturas se afastam do valor ótimo para o desenvolvimento das suas atividades, adquirem comportamentos que lhos permitem sobreviver: animais que não têm facilidade em realizar grandes deslocações como, por exemplo, lagartixas, reduzem as suas atividades vitais para valores mínimos, ficando num estado de vida latente; animais que se podem deslocar com facilidade como, por exemplo, as andorinhas, migram, ou seja, partem em determinada época do ano para outras regiões com temperaturas favoráveis.

A Temperatura e as Características dos Animais

Ao longo do ano, certas plantas sofrem alterações no seu aspecto, provocados pelas variações de temperatura. Os animais também apresentam características próprias de adaptação aos diferentes valores de temperatura. Por exemplo, os que vivem em regiões muito frias apresentam, geralmente, pelagem longa e uma camada de gordura sob a pele.

Fonte: www.herbario.com.br

Ecossistemas

Ecossistema designa o conjunto formado por todos os fatores bióticos e abióticos que atuam simultaneamente sobre determinada região. Considerando como fatores bióticos as diversas populações de animais, plantas e bactérias e os abióticos os fatores externos como a água, o sol, o solo, o gelo, o vento.

A alteração de um único elemento costuma causar modificações em todo o sistema, podendo ocorrer a perda do equilíbrio existente. Todos os ecossistemas do mundo formam a Biosfera.

Funcionamento

A base de um ecossistema são os produtores que são os organismos capazes de fazer fotossíntese ou quimiossíntese. Produzem e acumulam energia através de processos bioquímicos utilizando como matéria prima a água, gás carbônico e luz. Em ambientes afóticos (sem luz), também existem produtores, mas neste caso a fonte utilizada para a síntese de matéria orgânica não é luz mas a energia liberada nas reações químicas de oxidação efetuadas nas células (como por exemplo em reações de oxidação de compostos de enxofre). Este processo denominado quimiossíntese é realizado por muitas bactérias terrestres e aquáticas.

Dentro de um ecossistema existem vários tipos de consumidores, que juntos formam uma cadeia alimentar, destacam-se:

Consumidores primários

São os animais que se alimentam dos produtores, ou seja, são as espécies herbívoras. Milhares de espécies presentes em terra ou na água, se adaptaram para consumir vegetais, sem dúvida a maior fonte de alimento do planeta. Os consumidores primários podem ser desde microscópicas larvas planctônicas, ou invertebrados bentônicos (de fundo) pastadores, até grandes mamíferos terrestres como a girafa e o elefante.

Consumidores secundários

São os animais que se alimentam dos herbívoros, a primeira categoria de animais carnívoros.

Consumidores terciários

São os grandes predadores como os tubarões, orcas e leões, os quais capturam grandes presas, sendo considerados os predadores de topo de cadeia. Tem como característica, normalmente, o grande tamanho e menores densidades populacionais.

Decompositores ou biorredutores

São os organismos responsáveis pela decomposição da matéria orgânica, transformando-a em nutrientes minerais que se tornam novamente disponíveis no ambiente. Os decompositores, representados pelas bactérias e fungos, são o último elo da cadeia trófica, fechando o ciclo. A seqüência de organismos relacionados pela predação constitui uma cadeia alimentar, cuja estrutura é simples, unidirecional e não ramificada.

Pirâmide ecológica

O fluxo de matéria e energia nos ecossistemas pode ser representado por meio de pirâmides, que poderão ser de energia, de biomassa (matéria) ou de números.

Nas pirâmides ecológicas, a base é quase sempre mais larga que o topo. A quantidade de matéria (biomassa) e de energia transferível de um nível trófico para outro sofre um decréscimo de 1/10 a cada passagem, ou seja, cada organismo transfere apenas um décimo da matéria e da energia que absorveu.

Ecossistemas terrestres

Amazônia - América Latina

Mata Atlântica -

Pantanal

Cerrado

Caatinga

Campos

Campos do Sul do Brasil

Mata de Araucárias do Brasil

Ecossistemas aquáticos

Costeiros

Restingas

Manguezais

Como se relacionam os fatores bióticos e abióticos?

Fatores abióticos afetam a estrutura e as características da comunidade, mas a comunidade pode também alterar os componentes abióticos do ecossistema.

Fatores bióticos afetam as diferentes populaçoes da comunidade e as trocas de energia e matéria destas com o ambiente. Assim, fatores abióticos e seres vivos estão em permanente ligação sistémica.

Algumas áreas vulneráveis do mundo

Floresta Atlântica (lato sensu)

Floresta Amazônica (lato sensu)

Florestas das Ilhas do Pacífico Sul

Florestas Úmidas de Nga-Manpuri-Chin (em Bangladesh, Índia e Myamar)

Florestas Úmidas das ilhas Salomão-Vanuatu-Bismarck

Florestas das Terras Altas de Camarões, Guinea Equatorial e Nigéria

Mangues do Golfo da Guiné

Mangues de Madagascar

Florestas Úmidas de Palawan (Filipinas)

Florestas de Terra Firme do México e Guatemala

Mangues da África Oriental.

No Brasil, os ecossistemas podem ser classificados em sete grupos distintos, que são: cerrado, floresta amazônica, caatinga, restinga, mata atlântica, manguezal e o pantanal.

Fonte: www.geocities.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal