Breaking News
Home / Meio Ambiente / Codominância

Codominância

PUBLICIDADE

Codominância – Definição

codominância ocorre quando duas versões diferentes – também conhecidas como “alelos” – do mesmo gene estão presentes em um ser vivo, e ambos os alelos são expressos separadamente em diferentes partes de um organismo. Em vez de uma característica ser dominante sobre a outra, ambas as características aparecem.

A codominância, no que se refere à genética, refere-se a um tipo de herança em que duas versões (alelos) do mesmo gene são expressas separadamente para produzir características diferentes em um indivíduo.

Ou seja, em vez de uma característica ser dominante sobre a outra, ambas as características aparecem, como em uma planta ou animal que possui mais de uma cor de pigmento.

Nas pessoas, um traço codominante que você realmente não pode observar olhando para uma pessoa, mas muitas pessoas sabem sobre si mesmas, é o tipo sanguíneo.

Pessoas com o tipo sanguíneo AB têm um alelo A e um alelo B. Como ambos os alelos são expressos ao mesmo tempo, seu tipo sanguíneo é AB.

Codominância – Descrição

codominância é fácil de detectar em plantas e animais que têm mais de uma cor de pigmento. Vacas malhadas e flores com pétalas de duas cores diferentes são exemplos de codominância, por exemplo.

codominância também ocorre em alguns traços menos visíveis, como o tipo sanguíneo.

Os alelos A e B para o tipo sanguíneo podem ser expressos ao mesmo tempo, resultando em sangue tipo AB.

Em genética, genes “dominantes” são aqueles que sempre são expressos se forem encontrados em um organismo. Os genes dominantes podem ser expressos como codominantes – onde duas características diferentes são expressas lado a lado – ou como dominante/recessivo, onde a presença de um gene dominante mascara completamente a presença de um gene recessivo.

Em síntese: acodominância refere-se ao fenômeno genético em que os produtos gênicos dos dois alelos em um heterozigoto são produzidos em quantidades aproximadamente iguais, onde os produtos gênicos referem-se a diferentes transcritos dos dois alelos, proteínas diferentes do processamento celular dos transcritos ou metabólitos diferentes especificamente associada com a atividade enzimática dos transcritos ou proteínas específicas do alelo.

Codominância – O que é

codominância é uma forma de herança em que os alelos de um par de genes em um heterozigoto são totalmente expressos. Como resultado, o fenótipo da prole é uma combinação do fenótipo dos pais. Assim, a característica não é dominante nem recessiva.

codominância em humanos é exemplificada por indivíduos com sangue tipo AB.

Uma pessoa que herda os alelos IA e IB terá sangue tipo AB porque IA e IB são codominantes e, portanto, serão expressos juntos.

Outros exemplos de codominância são a flor vermelha manchada de branco em plantas e os mamíferos de pelagem preta e branca.

Alelos e genes

Um alelo é uma variante de um gene. Alelos vêm em pares.

Cada par tem seu próprio ponto (locus) no cromossomo e controla a mesma característica.

O alelo que é expresso é descrito como dominante, enquanto o alelo que é mascarado é descrito como recessivo.

Alelos e genes

Para entender a codominância, uma visão geral dos conceitos básicos é essencial. Um gene é a unidade fundamental, física e funcional da hereditariedade.

É composto por nucleotídeos responsáveis pelas características físicas e hereditárias de um organismo. Especifica a estrutura de uma determinada proteína ou de uma molécula de RNA.

Uma variante de um gene é referida como um alelo. Alelos vêm em pares. O par de alelos ocupa um locus semelhante (ou seja, um ponto no cromossomo) e eles controlam a mesma característica.

O alelo que expressa ou mascara o efeito do outro alelo é descrito como dominante. Por outro lado, o alelo cujos efeitos não se manifestam ou são mascarados pelo alelo dominante é descrito como recessivo.

Alelo – Biologia

Alelo, também chamado de alelomorfo, qualquer um dos dois ou mais genes que podem ocorrer alternadamente em um determinado local (locus) em um cromossomo. Os alelos podem ocorrer em pares, ou pode haver vários alelos que afetam a expressão (fenótipo) de uma característica particular. A combinação de alelos que um organismo carrega constitui seu genótipo. Se os alelos pareados são os mesmos, diz-se que o genótipo do organismo é homozigoto para aquela característica; se forem diferentes, o genótipo do organismo é heterozigoto.

Um alelo dominante substituirá as características de um alelo recessivo em um pareamento heterozigoto. Em alguns traços, no entanto, os alelos podem ser codominantes – ou seja, nenhum atua como dominante ou recessivo. Um exemplo é o sistema de grupo sanguíneo ABO humano; pessoas com sangue tipo AB têm um alelo para A e um para B. (Pessoas com nenhum dos dois são do tipo O.)

A maioria das características é determinada por mais de dois alelos. Podem existir múltiplas formas do alelo, embora apenas duas se liguem ao sítio do gene designado durante a meiose. Além disso, algumas características são controladas por dois ou mais sítios de genes. Ambas as possibilidades multiplicam o número de alelos envolvidos. Todas as características genéticas são o resultado das interações de alelos.

Mutação, crossing over e condições ambientais alteram seletivamente a frequência de fenótipos (e, portanto, seus alelos) dentro de uma população.

Por exemplo, alelos que são carregados por indivíduos com alta aptidão (o que significa que eles se reproduzem com sucesso e passam seus genes para seus descendentes) têm maior probabilidade de persistir em uma população do que os alelos carregados por indivíduos menos aptos, que são gradualmente perdidos da população.

Codominância – Resumo

Codominância

codominância, em genética, fenômeno em que dois alelos (versões diferentes do mesmo gene) são expressos em igual grau dentro de um organismo. Como resultado, as características associadas a cada alelo são exibidas simultaneamente.

Um exemplo de codominância é visto no sistema de grupo sanguíneo MN de humanos.

O tipo sanguíneo MN é governado por dois alelos, M e N.

Indivíduos homozigotos para o alelo M têm uma molécula de superfície (chamada antígeno M) em seus glóbulos vermelhos. Da mesma forma, aqueles homozigotos para o alelo N têm o antígeno N em seus glóbulos vermelhos. Heterozigotos – aqueles com ambos os alelos – carregam ambos os antígenos.

Um exemplo de codominância para um gene com múltiplos alelos é visto no sistema de grupo sanguíneo ABO humano. Pessoas com sangue tipo AB têm um alelo para A e um para B; o alelo O é recessivo (sua expressão é mascarada pelos outros alelos).

Exemplos de codominância em animais incluem galinhas manchadas, que possuem alelos para penas pretas e brancas, e gado ruão, que expressa alelos para cabelos ruivos e brancos.

A codominância também é observada em plantas. Por exemplo, rododendros com expressão simultânea de genes vermelhos e brancos para a cor das flores exibem flores com pétalas vermelhas e brancas.

Fonte: www.genome.gov/www.biologyonline.com/biologydictionary.net/www.sciencedirect.com/www.britannica.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Desequilíbrio ambiental

PUBLICIDADE Desequilíbrio ambiental – O que é O desequilíbrio ambiental é uma das questões ambientais que mais …

Competição Ecológica

PUBLICIDADE Competição Ecológica – O que é A competição ecológica é a luta entre dois organismos pelos …

Comensalismo

PUBLICIDADE O comensalismo pode implicar a palavra comunidade, e isso é verdade, porque o comensalismo apresenta duas …