Breaking News
Home / Geografia / Floresta Amazônica

Floresta Amazônica

PUBLICIDADE

Floresta Amazônica – O que é

A palavra Amazônia evoca instantaneamente a visão de uma floresta gigantesca que está viva e cheia de animais e árvores exóticas. De fato, a floresta amazônica é a maior floresta tropical da Terra.

Considerado o maior bioma do território brasileiro, ocupa uma área de aproximadamente 5.000.000 km², situado predominantemente na região Norte do país e compreende os estados do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Maranhão, Roraima, Tocantins e Mato Grosso.

Além disso, faz-se presente nos países vizinhos, como nas Guianas, Venezuela, Colômbia, Peru, Equador e Bolívia.

floresta amazônica tem aproximadamente o tamanho de 48 estados norte-americanos contínuos e cobre cerca de 40% do continente sul-americano.

Assim sendo, o calor e a umidade exacerbada possibilitam o desenvolvimento e a consolidação da biodiversidade que ali se encontra e que é comumente conhecida como Floresta Amazônica ou Floresta Latifoliada Equatorial, e que possuí as seguintes característica:

Trata-se de uma floresta densa (apresentando intensa compactação ou plantas muito próximas uma da outra), ampla variedade de espécies vegetais, perene que apresenta vida longa, (não perde as folhas no outono e no inverno), latifoliadas (com suas folhas largas e grandes) e higrófilas (plantas adaptadas ao clima úmido).

É nessa extensa região que se encontra a maior hidrográfica do mundo em extensão e volume de água, o conhecido Rio Amazonas, além de outros rios de menor porte, e o segundo maior rio do mundo (o primeiro é o Grande Nilo).

O que é responsável por fazê-la ter aproximadamente 20% de toda água doce do planeta Terra.

Esta floresta está ainda localizada nas baixas latitudes, o que a faz receber de forma intensa a energia solar, classificando o clima como equatorial, ou seja, com temperaturas médias altas e chuvas constantes e distribuídas durante o ano todo.

Floresta AmazônicaFloresta Amazônica

Essa intensidade pluviométrica (chuvas), ainda é responsável por lavar ou lixiar o solo, retirando os nutrientes que nele estão. Mas mesmo assim, eles não deixam de existir, pois a decomposição de outros organismos, como as plantas e animais, enriquece a toda área. Cientistas ainda descobriram que esses nutrientes que sobram, são rapidamente absorvidos pelas raízes das árvores, que em um ciclo o liberam novamente para o solo, fazendo uma espécie de reciclagem ambiental.

Além disso, a fauna da Floresta Amazônica é bem rica em espécies de mamíferos, anfíbios, répteis, aves e outros animais.

Um grave problema que atualmente a afeta está ligado ao desmatamento, que é capaz de pôr em extinção várias espécies da flora e fauna. Pesquisas mostram que ao menos 20% da floresta já foi desmatada.

Estas mesmas pesquisas indicam que o desmatamento da Amazônia influência no aumento do semiárido na caatinga.

De acordo com a proximidade dos cursos fluviais, a Floresta Amazônica apresenta diferentes aspectos, constituindo três tipos básicos de vegetação, que são:

Mata de Igapó (Caaiagapó): Situada pela extensão dos rios nas planícies permanentemente inundadas. As espécies marcantes dessa vegetação são vitória-régia, açaí, marajá, cururu, dentre outra.
Mata de Várzea
: Que devido a sua proximidade com os rios é caracterizada como parte da floresta que sofre inundações frequentes. As espécies representativas dessa vegetação são a seringueira, maçarandubas, cacaueiro, copaíba, etc.
Mata de Terra Firme (Caaetê)
: Caracterizada como parte da floresta de maior extensão, situada nas áreas mais altas – baixo planaltos, ou seja, não sofrem inundações. Para representar esse tipo de vegetação pode-se citar a andiroba, angelim, castanheira, guaraná, mogno, etc.

Floresta Tropical – O que é

Floresta Amazônica

As florestas tropicais são florestas com grandes quantidades de chuva, o que faz com que tenham características muito diferentes de outras florestas, como as florestas de coníferas.

As florestas tropicais são definidas de forma variável como tendo uma precipitação média anual superior a 1750 mm e 2000 mm.

Existem dois tipos de floresta tropical: florestas tropicais temperadas, que são encontradas em pequenas quantidades nas costas de todos os continentes, exceto África e Antártica, e florestas tropicais, como a floresta amazônica na América do Sul, possuindo uma flora e fauna únicas, sinônimo de o termo “floresta tropical”.

As florestas tropicais podem ser encontradas na América do Sul (Floresta Amazônica), África (Floresta Tropical Africana) e Sudeste Asiático (Floresta Tropical do Sudeste Asiático), Madagascar, e isso é tudo.

Apenas algumas centenas de anos atrás, as florestas tropicais cobriam 12% da área de superfície dos continentes, mas hoje esse número encolheu para menos de 6%, devido ao desmatamento causado pelo homem e ao avanço do deserto do Saara para o sul da África. Floresta tropical. A maioria das florestas tropicais do mundo está localizada a 20 graus do equador, onde é mais quente e, muitas vezes, mais úmido.

Embora as florestas tropicais do mundo representem apenas 6% da área de superfície, elas contêm dois terços da biodiversidade de plantas e animais do planeta. Eles também foram chamados de “os pulmões da Terra”, embora isso seja falso, pois as florestas tropicais não produzem mais oxigênio do que absorvem. As florestas tropicais são cobertas por árvores de folhas largas perenes, algumas com até 80 m de altura.

O bioma da floresta tropical tem uma estrutura em camadas. No topo está a camada emergente, onde as árvores mais altas surgem através do dossel abaixo. A camada emergente é geralmente entre 45 m e 55m de altura, embora ocasionalmente algumas árvores muito altas se projetem 80 m acima do solo. A camada emergente é povoada por águias, borboletas, morcegos e certos macacos.

As plantas aqui devem ser resistentes a ventos fortes e altas temperaturas.

Abaixo da camada emergente está o famoso dossel, a área de maior biodiversidade na floresta tropical e na própria Terra. Acredita-se que cerca de 40% de todas as espécies de plantas e mais da metade de todas as espécies de insetos na Terra vivem no dossel, que só começou a ser investigado por cientistas na década de 1980. O dossel é de 30 40 m acima do solo.

Aqui, o galho é tão grande que forma uma folhagem mais ou menos contínua sobre áreas de muitas centenas de milhares de milhas quadradas de extensão.

O chão da floresta está completamente escuro. Menos de 1% da luz solar disponível chega ao chão, por causa da espessa copa das árvores acima. Na verdade, mesmo a água da chuva leva cerca de 10 minutos para chegar ao solo.

Na parte inferior da floresta tropical está o chão da floresta. Pouca luz chega aqui, e os nutrientes são muitas vezes levados pela chuva. Numerosas bactérias quebram rapidamente o material orgânico, impedindo a formação de húmus. O solo da floresta tem baixa biodiversidade em comparação com o dossel acima dele, mas ainda maior biodiversidade do que qualquer outro habitat do planeta.

Floresta Amazônica – Aquecimento Global

Floresta Amazônica

floresta amazônica é reconhecida há muito tempo como um repositório de serviços ecológicos não apenas para tribos e comunidades locais, mas também para o resto do mundo. É também a única floresta tropical que nos resta em termos de tamanho e diversidade.

Mas à medida que as florestas queimam e o aquecimento global piora, o impacto do desmatamento da Amazônia continua a desfazer gradualmente os frágeis processos ecológicos que foram refinados ao longo de milhões de anos.

Ironicamente, à medida que a floresta tropical continua a desaparecer, o trabalho científico das últimas duas décadas lançou luz sobre os laços críticos que ligam a saúde das florestas tropicais ao resto do mundo.

Filtrando e reprocessando a produção nociva de dióxido de carbono do mundo.

As árvores têm atributos ocultos que desempenham um papel fundamental na redução dos níveis de poluentes. Por exemplo, o dióxido de carbono (CO2), um gás emitido por fontes naturais e humanas. Ao longo dos últimos 150 anos, os humanos têm bombeado grandes quantidades de CO2 para o ar através da queima de combustíveis fósseis, carvão, petróleo e gás natural – este é um dos principais impulsionadores da mudança climática global.

Dióxido de carbono entrando, oxigênio saindo

Em condições naturais, as plantas removem o CO2 da atmosfera e o absorvem para a fotossíntese, um processo de criação de energia que produz:

Oxigênio, que é liberado de volta no ar
Carbono, que permite que a planta cresça.

Assim, sem florestas tropicais, o efeito estufa provavelmente seria ainda mais pronunciado, e as mudanças climáticas podem piorar ainda mais no futuro.

Florestas amazônicas e dióxido de carbono

Floresta Amazônica

O que as florestas tiram do ar, também podem devolver. Quando as florestas queimam, o carbono das árvores é liberado na forma de CO2, que polui a atmosfera e que já existe em excesso.

Onde antes havia floresta tropical e savana, agora estão surgindo pastagens para pecuária. As pastagens estão repletas de cupins e gado, cujas atividades metabólicas também liberam CO2, embora sua contribuição para a poluição atmosférica esteja sob muito debate.

Com o desaparecimento das florestas, o CO2 não é mais transformado por meio da fotossíntese, e as culturas que substituem as florestas absorvem apenas uma fração do CO2 em comparação com as florestas tropicais. Junto com a poluição industrial, o desmatamento desenfreado na América do Sul e em outros lugares aumentou significativamente a quantidade de CO2 na atmosfera.

A floresta amazônica: o ecossistema mais importante do mundo

Metade das florestas tropicais do planeta já desapareceu. A Amazônia ainda é a floresta tropical mais extensa do planeta, mas uma parte desastrosamente grande dela está agora em perigo de desaparecer para sempre.

Nosso objetivo é evitar esse desastre.

A floresta amazônica se estende por 5,5 milhões de quilômetros quadrados – uma área muito mais extensa do que a UE e mais da metade dos EUA.

Todas as figuras que descrevem algum aspecto da Amazônia nos falam sobre o status único da região no planeta:

O enorme rio Amazonas, com todos os seus afluentes, contém 20% da água doce que flui no mundo.

Embora a Amazônia cubra apenas quatro por cento da superfície da Terra, contém um terço de todas as espécies conhecidas de plantas, animais e insetos terrestres.

A floresta produz mais de 50 por cento de toda a chuva que cai na região amazônica e provavelmente afeta os padrões de chuva fora da América do Sul.

floresta amazônica contém 10 por cento de toda a biomassa na Terra. Isso significa que, quando ocorre o desmatamento, as grandes quantidades de carbono que a floresta armazena são liberadas na atmosfera como dióxido de carbono, um gás de efeito estufa que contribui significativamente para o aquecimento global.

A importância da floresta amazônica para o clima local e global

As florestas tropicais (por exemplo, savanas) trocam grandes quantidades de água e energia com a atmosfera e são consideradas importantes no controle de climas locais e regionais.

A água liberada pelas plantas na atmosfera através da evapotranspiração (evaporação e transpiração das plantas) e para o oceano pelos rios, influencia o clima mundial e a circulação das correntes oceânicas. Isso funciona como um mecanismo de retroalimentação, pois o processo também sustenta o clima regional do qual depende.

Fonte: Gean Alef Cardoso(lsie.unb.br)/www.wisegeek.com/wwf.panda.org/mocomi.com

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Energia Fotovoltaica

PUBLICIDADE Energia Fotovoltaica – O que é Os materiais e dispositivos fotovoltaicos convertem a luz …

Geleiras

PUBLICIDADE Geleiras – O que são As geleiras são formadas de neve que, ao longo …

Mapas Temáticos

PUBLICIDADE Definição de Mapas temáticos Um mapa temático mostra a distribuição espacial de um ou mais temas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.