Breaking News
Home / Meio Ambiente / Reciclagem

Reciclagem

Reciclagem

PUBLICIDADE

Você sabia que várias coisas que já não tem mais utilidade podem ser reaproveitadas e voltar a ter utilidade?

Pois é, isso se chama reciclagem!

A reciclagem é um conjunto de técnicas que tem o objetivo de aproveitar os restos e reutilizá-los no processo de produção de que saíram. Eles são desviados, coletados, separados e processados para serem utilizados como matéria-prima na fabricação de novos produtos.

O lixo de gerações

Cada brasileiro produz cerca de 500 gramas de lixo por dia. Olhando assim, parece pouco, mas, somando a população brasileira você vai ver que toso esse lixo se transforma em um enorme bolo de milhões de toneladas.

Quando o caminhão de lixo passa para recolher os sacos, ele é levado para um terreno chamado de aterro sanitário ou lixão. Porém devido o aumento da população, a quantidade de lixo também aumenta, e isso está fazendo com que não haja mais espaço para tanto lixo.

Na natureza, toda a matéria orgânica viva se decompõe rapidamente e ainda ajuda a tornar a terra mais fértil para alimentar novos seres que virão. Mas, com os seres humanos é diferente, porque são os únicos seres vivos que produzem coisas artificiais, e, algumas delas como latas de refrigerante, plástico e vidro levam uma eternidade para se decompor.

Confira na tabela abaixo com alguns desses ‘lixos de gerações’:

Material

Tempo para decomposição

Jornais

De 2 a 6 semanas

Embalagens de papel

De 3 a 6 meses

Fósforos e pontas de cigarros

2 anos

Chiclete

5 anos

Nylon

30 anos

Tampas de garrafas

150 anos

Latas de alumínio

De 200 a 500 anos

Isopor

400

Plásticos

450 anos

Fralda descartável comum

450 anos

vidro

1.000.000 de anos (um milhão)

Como reciclar?

A reciclagem começa dentro de casa, pois é necessário a separação e preparação do lixo.

Por exemplo: As pilhas não devem ser misturadas com o lixo comum (restos de comida), pois contem substâncias tóxicas.

O lixo deve ser separado lixo reciclável como o plástico, o papel, o vidro e o metal.

Daí quando tudo estiver corretamente separado, é só levar para os Pontos de Entrega Voluntária (P.E.V.), espalhados pelas cidades do Brasil. Ou então, você pode levar para o local mais próximo da sua casa onde existem aquelas latas grandes e coloridas com os símbolos de cada material.

Conheça os símbolos e as cores para cada tipo de material, espalhados no mundo inteiro:

Reciclagem

Reciclagem

Reciclagem

Reciclagem

RECICLÁVEL

NÃO RECICLÁVEL

PAPEL

PAPEL

Jornais e revistas

Fitas adesivas

Folhas de caderno

Papel carbono

Caixas de papel

Papeis sanitários

Cartazes

Papeis metalizados

 

Guardanapos

 

fotografias

PLÁSTICO

PLÁSTICO

Garrafas de refrigerantes

Cabo de panela

Embalagens de produtos de limpezas

Tomadas

Copinhos de café

Embalagens de biscoito

Embalagem de margarina, canos e tubos

Misturas de papel, plásticos e metais

Sacos plásticos em geral

 

Metal

Metal

Latinhas de aço (de óleo, de salsicha)

Pilhas

Latinhas de alumínio (como as de refrigerante)

Esponjas de aço (aquelas usadas para lavar louça)

Panelas

Clips

Pregos

Grampos

Arames

 

VIDRO

VIDRO

Garrafas de todos os tipos

Espelhos

Copos

Lâminas

Potes

Porcelana

Frascos

Cerâmica

Depois de separado o material vai para a central de triagem no Departamento de Limpeza Urbana (D.L.U.). Lá o ele é colocado em uma esteira rolante para a seleção do que pode e o que não pode ser reciclado.

Confira abaixo o que pode e o que não pode ser reciclado:

A reciclagem tem um papel fundamental no meio ambiente, pois além de diminuir o acúmulo de lixo nas áreas urbanas, ela ainda faz uma “economia” dos recursos naturais.

E cada um de nós só tem a ganhar com isso, pois se o meio ambiente está bem, nós também estamos.

Reciclagem

Fonte: www.fiocruz.br

Reciclagem

Reciclagem é um conjunto de técnicas que tem por finalidade aproveitar os detritos e reutilizá-los no ciclo de produção de que saíram. É o resultado de uma série de atividades, pela qual materiais que se tornariam lixo, ou estão no lixo, são desviados, coletados, separados e processados para serem usados como matéria-prima na manufatura de novos produtos.

Reciclagem é um termo originalmente utilizado para indicar o reaproveitamento (ou a reutilização) de um polímero no mesmo processo em que, por alguma razão foi rejeitado. É retorno da matéria-prima ao ciclo de produção.

O vocábulo surgiu na década de 1970, quando as preocupações ambientais passaram a ser tratadas com maior rigor, especialmente após o primeiro choque do petróleo, quando reciclar ganhou importância estratégica. As indústrias de reciclagem são também chamadas secundárias, por processarem matéria-prima de recuperação. Na maior parte dos processos, o produto reciclado é completamente diferente do produto inicial.

COMO RECICLAR

Aprenda o que fazer para reciclar:

1. Procure um programa especializado de coleta de seu município, seja uma instituição, empresa ou catador.

2. Separe os resíduos em não-recicláveis e recicláveis e dentro dos recicláveis separe papel (jornais, revistas, formulários contínuos, folhas de escritório, caixas, papelão), metal (latas de aço e de alumínio, clipes, grampos de papel e de cabelo, papel alumínio), vidro (garrafas, copos, recipientes) e plástico (garrafas de refrigerantes e água, copos, canos, embalagens de material de limpeza e de alimentos, sacos).

Escolha um local adequado para guardar os recipientes com os recicláveis até a hora da coleta. Antes de guardá-los, limpe-os para retirar os resíduos e deixe-os secar naturalmente. Para facilitar o armazenamento, você pode diminuir o volume das embalagens de plástico e alumínios amassando-as. As caixas devem ser guardadas desmontadas.

VANTAGENS DA RECICLAGEM

1. Cada 50 quilos de papel usado, transformado em papel novo, evita que uma árvore seja cortada. Pense na quantidade de papel que você já jogou fora até hoje e imagine quantas árvores você poderia ter ajudado a preservar.

2. Cada 50 quilos de alumínio usado e reciclado, evita que sejam extraídos do solo cerca de 5.000 quilos de minério, a bauxita.

3. Com um quilo de vidro quebrado, faz-se exatamente um quilo de vidro novo. E a grande vantagem do vidro é que ele pode ser reciclado infinitas vezes.

4. Além da economia de energia e matérias-primas, temos menos poluição do ar, da água e do solo.

5. Melhora a limpeza da cidade, pois o morador que adquire o hábito de separar o lixo, dificilmente o joga nas vias públicas.

6. Gera renda pela comercialização dos recicláveis. Diminui o desperdício.

7. Gera empregos para os usuários dos programas sociais e de saúde da Prefeitura.

8. Dá oportunidade aos cidadãos de preservar a natureza de forma concreta, tendo mais responsabilidade com o lixo que geram.

Fonte: www.tse.gov.br

Reciclagem

Reciclagem

Quando não é mais possível (MESMO) reaproveitar um produto, a terceira e última alternativa é aproveitar a matéria prima que o constitui, ou seja, fazer uma reciclagem.

A Reciclagem, portanto, consiste em aproveitar os resíduos para fabricar novos produtos, idênticos ou não ao que lhes deu origem.

A reciclagem deve ser encarada como última alternativa, segundo o Princípio dos Três Erres por diversos motivos: Desde que surgiu, é encarada como uma forma de solução exclusiva para a diminuição de lixo no ambiente. Realmente, veio a solucionar muitos dos problemas causados pela disposição inadequada de lixo e pela grande quantidade gerada. Entretanto, se a reciclagem for vista apenas neste sentido, as demais atitudes não serão atingidas, principalmente a conscientização da população. Além disso, quando se deseja atingir altos índices de reciclagem em um determinado local, seja ele uma empresa ou um município, ou até um país, pode-se estar correndo o risco de se estar contribuindo para o aumento do consumo. O que deveria ser feito é a maior abrangência dos Programas de Coleta Seletiva e Reciclagem para os materiais recicláveis que inevitavelmente são gerados no nosso dia-a-dia.

A reciclagem pode ser do tipo artesanal ou industrial. Artesanal quando se utilizam processos de transformação pouco sofisticados, e industrial quando estes processos são mecanizados e capazes de fabricar produtos em larga escala. A reciclagem artesanal também pode ser vista como uma forma de reutilização, pois os resíduos passam por poucas modificações.

Infelizmente, …

… a reciclagem poderá ser mais abrangente.

… com embalagens recicláveis ou produtos reciclados (pois, no primeiro, caso as empresas do setor terão a preferência dos consumidores, que já estarão conscientes das conseqüências de se comprar embalagens não recicláveis e, no segundo caso, as empresas terão como competir melhor no mercado com as que já adotam este processo, baixando o preço dos produtos feitos com matéria prima reciclada).

Infelizmente, ainda não são todos os tipos de materiais fabricados pelo homem que são possíveis de serem reciclados. Isto por que não apresentam condições favoráveis, como a existência de mercado local ou viabilidade técnica.

O mercado para os recicláveis no Brasil ainda não é dos mais promissores. Entretanto, está ampliando-se cada vez mais. Veja o exemplo das embalagens tetrapak que, até alguns anos atrás, não havia tecnologia adequada para reciclá-las. Existem hoje, no mercado inúmeros produtos fabricados a partir de resíduos, considerados lixo por muitos.

O mercado poderá ser continuamente ampliado graças à mudança de pensamento e atitudes em relação aos resíduos, pois se o público reivindicar mais intensamente a mudança de atitudes por parte das autoridades e contribuir melhor com programas já existentes, a reciclagem poderá ser mais atingida.

A inviabilidade técnica para a reciclagem de muitos resíduos ainda não é possível porque estes são feitos com vários tipos de materiais ao mesmo tempo. Por exemplo, alguns produtos têm embalagens tão sofisticadas para ser um atrativo de venda (marketing) que não é possível retirar rótulos ou separar partes desta embalagem. É claro que não depende só de você para mudar isso, mas você pode optar por outros produtos ao invés destes. Até por que, geralmente os produtos artesanais são bem mais baratos que os “super-industrializados” e também mais saudáveis.

E outra: se a coleta seletiva for mais bem realizada e divulgada, talvez as empresas tenham um propósito maior em vender produtos com embalagens recicláveis (pois irão se beneficiar economicamente, tanto por competir melhor com as que já adotam esta atitude, como por poder ter uma fonte garantida de matéria prima).

A reciclagem pode trazer inúmeros benefícios, de acordo com o seu grau e local de atuação.

Fonte: www.pucpr.br

Reciclagem

Quanto e o que se recicla no Brasil e no mundo

Papel

O consumo anual (por habitante) de papel no Brasil manteve-se estável em 1998, situando-se em 38,4 quilos, ainda distante dos níveis observados em países mais desenvolvidos, como os Estados Unidos (336,5 kg por habitante). No entanto, estima-se que 35% do papel produzido no país nos últimos dez anos são originados de matéria-prima reciclada. Nos Estados Unidos, esse número é de 27,6%, caindo para 10,8% no Canadá.

Plástico

O consumo anual de plásticos no Brasil gira em torno de 19 quilos. O volume é relativamente baixo se comparado aos índices de outros países, como Estados Unidos (100 kg/hab) e a média na Europa (80 kg/hab.). No campo da reciclagem, 15% dos plásticos rígidos e filme retornam à produção brasileira como matéria-prima, o que equivale a 200 mil t/ano. Nos Estados Unidos, este número é quase cinco vezes maior.

Vidros

A indústria brasileira produz 800 mil t/ano de vidros para embalagens, das quais 35% são recicladas, somando 280 mil toneladas por ano.

Os Estados Unidos produziram 11 milhões de toneladas em 1997, das quais reciclaram 37%, correspondendo a 4,4 milhões de toneladas.

Índices de reciclagem de vidro em outros países: Alemanha (74,8%), Reino Unido (27,5%), Suíça (83,9%) e Áustria (75,5%).

Latas de alumínio e aço

Em 1998, o Brasil atingiu o recorde nacional de reciclagem. Foram mais de 5,5 bilhões de latas recuperadas pela indústria, o que significa uma taxa de 65% sobre o total de latas de alumínios vendidas (8,5 bilhões de unidades). Os números brasileiros superam países industrializados, como Inglaterra (23%) e Itália (41%).

Os Estados Unidos recuperam 66%, o que equivale a 64 bilhões de latas por ano. O Japão recicla 73%. Quanto às latas de aço, 35% das latas consumidas no Brasil são recicladas, o que equivale a cerca de 250 mil t/ano. Nos Estados Unidos, 60% das embalagens de folha de flandres retornaram à produção de aço em 1987.

Se o Brasil reciclasse todas as latas de aço que consome atualmente, seria possível evitar a retirada de 900 mil toneladas de minério de ferro por ano.

Fonte: www.uniagua.org.br

Reciclagem

Palavra de ordem: Reciclar

Reciclagem

Face à escassez de recursos naturais e à quantidade de lixo existente nas nossas cidades, a reciclagem apresenta-se como uma das ações mais inteligentes e eficazes para ajudar a concretizar um futuro mais limpo e sustentável.

Sabia que:

Cada ser humano produz, por ano, uma quantidade de lixo dez vezes superior ao peso do seu corpo?

A decomposição natural de plástico demora cerca de 450 anos?

Dezenas de milhares de mamíferos marinhos morrem por ano ao comer ou se emaranhar em detritos de plástico?

Uma fralda descartável demora, no mínimo, três anos para se decompor naturalmente?

Por cada tonelada de papel reciclado evita-se o abate de 15 a 20 árvores de médio porte?

Papel produzido com fibra reciclada produz menos poluição atmosférica, gasta menos água e menos energia?

O alumínio pode ser reciclado inúmeras vezes sem perda de qualidade?

84% do lixo doméstico pode ser reciclado?

Nos últimos anos a questão da gestão dos resíduos/desperdícios ganhou uma importância vital. Face à cada vez maior quantidade de lixo gerada pela atual sociedade de consumo (ou deveríamos dizer sociedade de desperdício?), à falta de locais para o colocar, às polémicas da incineração e da localização dos aterros sanitários, reciclar parece ser a chave para um futuro mais limpo e sustentável.

Reciclar implica reaproveitar, reutilizar. A produção de materiais reciclados implica uma menor extração e delapidação dos recursos naturais da Terra, um menor consumo de energia, um menor volume e número de lixeiras e incineradoras e consequentemente uma redução da poluição. Para que a reciclagem ganhe uma maior importância é essencial que se faça uma recolha, separação e transformação dos resíduos eficientes, que a utilização dos resíduos enquanto matérias primas secundárias seja energética e economicamente vantajosa e que estes produtos tenham um público consumidor que os valorize.

Para que a reciclagem dos produtos seja eficaz é necessário que a qualidade dos resíduos seja a melhor possível. Resíduos impróprios ou sujos podem contaminar todo um lote, tornando o trabalho de recolha inútil. Assim, apresentamos uma lista de material que pode ou não ser reciclável. Outro fator importante para uma reciclagem eficaz é a colocação destes materiais nos recipientes adequados para o efeito.

MATERIAL RECICLÁVEL

Papel: Jornais, revistas, cadernos, formulários, caixas em geral, fotocópias, envelopes, papel de fax, cartazes, cartolinas, aparas de papel.

Metal: Latas de alumínio, panelas, utensílios de ferro, arames, pregos.

Vidro: Recipientes em geral, garrafas e copos.

Plástico: Embalagens de refrigerantes, de produtos de limpeza e de higiene, de margarina, de leite, canos e tubos, sacos plásticos em geral.

MATERIAL NÃO-RECICLÁVEL

Papel: Etiquetas adesivas, papel carbono, papéis sanitários, metalizados, parafinados, plastificados ou sujos, guardanapos, tocos de cigarro, lenços, fotografias.

Metal: Clips, ganchos, canos, recipientes de produtos tóxicos ou de restos de produtos gordurosos.

Vidro: Espelhos, lâmpadas, cerâmica, porcelana, recipientes de produtos tóxicos ou de restos de produtos gordurosos, mistura de vidro de diferentes cores.

Plástico: Tomadas, misturas de papel, plásticos e metais, recipientes de produtos tóxicos ou de restos de produtos gordurosos.

Reciclagem

Outros produtos que podem ser reciclados são as pilhas, os tóners, os cartuchos das impressoras, as disquetes de computador, os pneus usados e o óleo do motor. Convém contatar as autoridades locais para esclarecimentos sobre o local onde colocar estes produtos.

Atenção às falsas rotulagens, muitos produtos rotulados como reciclados ou “amigos do ambiente” não o são na realidade. Informe-se junto das autoridades competentes.

Fonte: www.naturlink.pt

Reciclagem

Reciclagem é um conjunto de técnicas que tem por finalidade aproveitar os detritos e reutiliza-los no ciclo de produção de que saíram. E o resultado de uma série de atividades, pela qual materiais que se tornariam lixo, ou estão no lixo, são desviados, coletados, separados e processados para serem usados como matéria-prima na manufatura de novos produtos.

Reciclagem é um termo originalmente utilizado para indicar o reaproveitamento (ou a reutilização) de um polímero no mesmo processo em que, por alguma razão foi rejeitado.

Reciclar outro termo usado, é na verdade fazer a reciclagem.

O retorno da matéria-prima ao ciclo de produção é denominado reciclagem, embora o termo já venha sendo utilizado popularmente para designar o conjunto de operações envolvidas. O vocábulo surgiu na década de 1970, quando as preocupações ambientais passaram a ser tratadas com maior rigor, especialmente após o primeiro choque do petróleo, quando reciclar ganhou importância estratégica. As indústrias recicladoras são também chamadas secundárias, por processarem matéria-prima de recuperação. Na maior parte dos processos, o produto reciclado é completamente diferente do produto inicial.

Tipos de Materiais

Temos diversos tipos de materiais, que podem ser reciclados, devemos tomar cuidado pois alguns materiais existentes não podem ser reciclados.

Saiba o que pode e o que não pode ser reciclado:

Reciclável Não-Reciclável também chamado de Rejeitos
Papel

jornais e revistas

etiqueta adesiva

folhas de caderno papel carbono

formulários de computador

 
  papéis sanitários

aparas de papel

 
 

papéis parafinados

envelopes  
provas papéis sujos
rascunhos guardanapos
cartazes velhos bitucas de cigarro
papel de fax

fotografias

Metal

lata de folha de flandres (lata de óleo,

salsicha, leite em pó etc)

 

lata de alumínio

 

sucatas de reformas

esponjas de aço

canos

Vidros

embalagens

espelhos

garrafas de vários formatos

vidros planos
copos lâmpadas

cerâmica

porcelana

tubos de TV – gesso

Plástico

embalagem de refrigerante

cabo de panela

embalagem de material de limpeza

tomadas

copinho de café

embalagem de biscoito

embalagem de margarina

canos e tubos

sacos plásticos em geral

misturas de papel, plásticos e metais

Fonte: www.compam.com.br

Reciclagem

Reciclagem

Todos os dias, milhares de toneladas de resíduos, são atirados fora pelos consumidores e pela indústria. Muito do lixo doméstico pode ser usado de novo – ou assim mesmo ou depois de um tratamento relativamente simples.

Os benefícios ecológicos derivados de se voltar a usar materiais desperdiçados vão para além de uma boa gestão de recursos, a reciclagem é super vantajosa. É mais barato reciclar do que fabricar um produto novo; gastamos menos matéria-prima (árvores, petróleo), menos energia e menos água; para reciclar é necessário mais mão-de-obra, logo a reciclagem cria mais postos de trabalho; reciclando diminuímos a quantidade de lixo nos aterros o que contribui para a não contaminação da água, solos, ar e aumenta o tempo de vida do aterro – obviamente, menos poluição!

Reciclar é recuperar o material usado, reaproveitando-o para fabricar materiais novos. Mas para reciclar é preciso primeiro proceder à correta separação dos lixos.

Fonte: turma.sapo.pt

Reciclagem

A reciclagem é o reaproveitamento dos materiais como matéria-prima para um novo produto. Muitos materiais podem ser reciclados e os exemplos mais comuns são o papel, o vidro, o metal e o plástico. As maiores vantagens da reciclagem são a minimização da utilização de fontes naturais, muitas vezes não renováveis; e a minimização da quantidade de resíduos que necessita tratamento final, como aterramento, ou incineração. O conceito de reciclagem não deve ser confundido com o de reutilização.

Os recipientes para receber materiais recicláveis seguem o seguinte padrão:

Verde: vidro
Amarelo:
metal
Vermelho:
plástico
Azul:
papel

Lista de materiais que podem ser reciclados

Papel e papelão
Embalagens longa vida
Água proveniente de processos industriais
Garrafas PET
Latas de alumínio
Vários tipos de metais
: cobre, aço, chumbo, latão, zinco, entre outros.
Plásticos:
PEAD(Polietileno de alta densidade), PEBD(polietileno de baixa densidade), PVC(policloreto de Vinila), PP, PS.
Pneus
Tinta
Restos da construção civil
Restos de alimentos e partes dos mesmos que não foram aproveitadas
Óleo
Galhadas
Garrafas de vidro (cervejas, refrigerantes, etc).
Tecido (sobra de confecções, roupas velhas, etc).
Parafusos

Autor: Ane Caroline Pereira dos Santos

Reciclagem

A reciclagem é um processo industrial que converte o lixo descartado (matéria-prima secundária) em produto semelhante ao inicial ou outro. Reciclar é economizar energia, poupar recursos naturais e trazer de volta ao ciclo produtivo o que é jogado fora. A palavra reciclagem foi introduzida ao vocabulário internacional no final da década de 80, quando foi constatado que as fontes de petróleo e outras matérias-primas não renováveis estavam e estão se esgotando.

Reciclar significa = Re (repetir) + Cycle (ciclo).

Para compreendermos a reciclagem, é importante “reciclarmos” o conceito que temos de lixo, deixando de enxergá-lo como uma coisa suja e inútil em sua totalidade. O primeiro passo é perceber que o lixo é fonte de riqueza e que para ser reciclado deve ser separado. Ele pode ser separado de diversas maneiras, sendo a mais simples separar o lixo orgânico do inorgânico (lixo molhado/ lixo seco).

Na natureza nada se perde. Seres vivos chamados decompositores “comem” material sem vida ou em decomposição. Eles dividem a matéria para que ela possa ser reciclada e usada de novo. Esse é o chamado material biodegradável. Quando um animal morre, ele é reciclado pela natureza. Quando um material é dividido em pequenas peças, as bactérias e fungos, os mais importantes decompositores, já podem trabalhar.

A decomposição aeróbia é mais completa que a anaeróbia por gerar gás carbônico, vapor de água e os sais minerais, substâncias indispensáveis ao crescimento de todos os vegetais, o qual gera o húmus, ótimo adubo para o solo.

No processo anaeróbio, são gerados os gases (metano e sulfídrico), que causam um odor desagradável; a decomposição anaeróbia produz um líquido escuro denominado chorume (líquido com grande quantidade de poluentes) encontrado normalmente no fundo das latas de lixo. Este chorume é o principal causador da contaminação dos rios e do lençol freático.

A reciclagem traz os seguintes benefícios:

Contribui para diminuir a poluição do solo, água e ar.
Melhora a limpeza da cidade e a qualidade de vida da população.
Prolonga a vida útil de aterros sanitários.
Melhora a produção de compostos orgânicos.
Gera empregos para a população não qualificada.
Gera receita com a comercialização dos recicláveis.
Estimula a concorrência, uma vez que produtos gerados a partir dos reciclados são comercializados em paralelo àqueles gerados a partir de matérias-primas virgens.
Contribui para a valorização da limpeza pública e para formar uma consciência ecológica.

No Brasil, seria importante que as pequenas e médias empresas recicladoras tivessem apoio financeiro e tecnológico para melhorar suas tecnologias de reciclagem, pois assim estariam contribuindo na geração de empregos, na diminuição de lixo e na produção de produtos de melhor qualidade com tecnologia “limpa”.

A grande solução para os resíduos sólidos é aquela que prevê a máxima redução da quantidade de resíduos na fonte geradora. Quando os resíduos não podem ser evitados, deverão ser reciclados por reutilização ou recuperação, de tal modo que seja o mínimo possível o que tenha como destino final os aterros sanitários.

A reciclagem surgiu como uma maneira de reintroduzir no sistema uma parte da matéria (e da energia), que se tornaria lixo. Assim desviados, os resíduos são coletados, separados e processados para serem usados como matéria-prima na manufatura de bens, os quais eram feitos anteriormente com matéria prima virgem. Dessa forma, os recursos naturais ficam menos comprometidos.

Fonte: www.ambientebrasil.com.br

Veja também

Agenda 21

Agenda 21

Clique nos links abaixo para navegar no capítulo desejado: Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 …

Lixo Eletrônico

Lixo Eletrônico

PUBLICIDADE INTRODUÇÃO Com os avanços tecnológicos, muitos equipamentos (exemplos: computadores, televisões, celulares, etc.) vão sendo …

Controle-Biológico

Controle Biológico

PUBLICIDADE O controle biológico é uma técnica utilizada para combater espécies que nos são nocivas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.