Breaking News
Home / Meio Ambiente / Chuva Ácida

Chuva Ácida

PUBLICIDADE

Definição de Chuva Ácida

As chuvas ácidas são um sério problema de agressão ao meio ambiente, são gotas de água que podem ser chuva ou neblina carregadas de ácido nítrico e sulfúrico.

Esses ácidos são resultados de reações químicas que correm na atmosfera a partir da presença do enxofre. O enxofre, por sua vez, é emitido para a atmosfera pelas indústrias, pela queima de carvão, pelos veículos, etc.

Ela pode manifestar-se tanto no local de origem, como a centenas de quilômetros de distância.

chuva ácida é a chuva poluída por um ácido liberado na atmosfera pelas fábricas e outros processos industriais.

chuva ácida é resultado da poluição do ar. Quando qualquer tipo de combustível é queimado, muitos produtos químicos diferentes são produzidos.

A fumaça que vem de um incêndio ou a fumaça que sai do escapamento de um carro não contém apenas as partículas cinza fuliginosas que você pode ver – eles também contêm muitos gases invisíveis que podem ser ainda mais prejudiciais ao nosso meio ambiente.

Centrais elétricas, fábricas e carros queimam combustíveis e, portanto, todos produzem gases poluentes. Alguns desses gases (especialmente óxidos de nitrogênio e dióxido de enxofre) reagem com as minúsculas gotículas de água nas nuvens para formar os ácidos sulfúrico e nítrico. A chuva dessas nuvens cai como um ácido muito fraco – por isso é conhecida como “chuva ácida”.

Chuva ácida – ou deposição ácida – é um termo que inclui qualquer forma de precipitação com componentes ácidos, como ácido sulfúrico ou nítrico, que cai da atmosfera nas formas úmida ou seca, incluindo chuva, neve, nevoeiro, granizo e poeira.

A precipitação não é necessariamente úmida ou líquida; a definição inclui poeira, gases, chuva, neve, nevoeiro e granizo. O tipo de chuva ácida que contém água é denominado deposição úmida. A chuva ácida formada com poeira ou gases é chamada de deposição seca.

O que é chuva ácida?

Embora o termo chuva ácida tenha sido cunhado no início da década de 1850, na época da Revolução Industrial, ela não se tornou um grito de guerra para a reforma ambiental até o final da década de 1960.

Os efeitos devastadores dessa precipitação sobre o abastecimento de água mundial, as populações de peixes e a vida das plantas podem ser rastreados cientificamente até o uso de combustíveis fósseis nas fábricas.

As manifestações públicas realizadas no início da década de 1970 ajudaram a trazer grandes mudanças nos padrões de poluição e emissão. Embora o problema ainda exista em todo o mundo, muitas empresas tomaram medidas para minimizar suas causas raízes.

Poluentes naturais e artificiais contribuem para a chuva ácida

chuva ácida é a precipitação que contém traços de poluentes, principalmente dióxido de enxofre e gases de óxido de nitrogênio criados como combustíveis fósseis como carvão ou óleo. Na época da Revolução Industrial, grandes fábricas começaram a usar carvão para alimentar suas máquinas.

À medida que o carvão queimava, ele liberava grandes quantidades de gases de enxofre e nitrogênio no ar através do escapamento da chaminé.

Esses gases freqüentemente atingiam os níveis superiores da atmosfera e se deslocavam para áreas onde nuvens de chuva naturais se formavam regularmente.

Partículas desses gases de enxofre e nitrogênio altamente ácidos se ligam à chuva natural e caem no solo durante as tempestades. A precipitação natural deve ter um nível de pH em torno de 5,6, que é ligeiramente ácido, mas não considerado prejudicial. Quando o dióxido de enxofre e o óxido de nitrogênio se misturam com a água da chuva, o nível de pH pode cair rapidamente abaixo de 5,0. Em certas áreas localizadas perto de grandes fábricas, o nível ocasionalmente se aproxima da acidez do vinagre puro. Esta é a chuva ácida.

Nem sempre a chuva ácida ocorre na mesma área que os poluentes que a causam. Depois que os poluentes ácidos deixam a chaminé, eles são capturados pelos jatos naturais e pelas frentes meteorológicas da atmosfera. Os gases de enxofre e nitrogênio podem viajar por uma grande distância antes de encontrar nuvens que produzem chuva.

Os efeitos negativos da chuva ácida podem ser vistos em todos os lugares. Pode matar gramíneas e outra cobertura protetora do solo, levando a uma maior incidência de erosão e níveis de solo ácidos.

A precipitação pode remover o revestimento ceroso das folhas, deixando as árvores mais vulneráveis a danos por fungos e desidratação. Os peixes não conseguem sobreviver ou procriar em água com um valor de pH abaixo de 5, o que significa que essa poluição pode matar uma população inteira de peixes.

Também pode causar danos a suportes de metal e concreto expostos, lápides e monumentos históricos, e estruturas danificadas podem ser muito caras para consertar.

Seguindo as diretrizes mais rígidas impostas pela Agência de Proteção Ambiental (EPA), muitas fábricas nos Estados Unidos instalaram voluntariamente lavadores especiais para filtrar suas emissões.

Esses purificadores usam calcário e outros produtos químicos básicos para atrair as partículas de enxofre antes que elas saiam da chaminé. Em alguns casos, o composto resultante é vendido para outras empresas como uma forma de gesso, que é usado para criar painéis de drywall. Algum óxido de nitrogênio ainda atinge a atmosfera, mas não afeta o nível de pH das chuvas tanto quanto o dióxido de enxofre.

Quais são os diferentes tipos de danos causados pela chuva ácida?

Chuva Ácida

chuva ácida é a precipitação contaminada com partículas altamente ácidas. Ela ocorre tanto como resultado da atividade natural, como erupções vulcânicas, quanto pela coleta de material particulado artificial e emissões na atmosfera. De acordo com muitos especialistas e cientistas ambientais, severos danos ambientais e até mesmo estruturais podem ser causados pela chuva ácida, levando muitos a exigirem padrões de emissão atualizados que reduziriam a precipitação ácida produzida pelo homem.

Quando certos gases químicos, como dióxido de enxofre, amônio ou nitrogênio são expelidos para a atmosfera, eles podem se combinar com moléculas de água para criar nuvens pesadas em ácido.

Essas nuvens podem ser impulsionadas pelo vento e pelas mudanças atmosféricas, eventualmente liberando precipitação na forma de chuva ácida, neve, granizo, neblina ou outros tipos de precipitação. O dano é causado quando a natureza ácida dessa precipitação se mistura com tudo o que atinge, incluindo solo, pedra, plantas ou água.

Os danos causados pela chuva ácida assumem muitas formas e podem ter muitos resultados. Geralmente, a precipitação causa alteração no equilíbrio do pH de tudo o que toca, resultando em mudanças na composição química. Segundo estudos, essas alterações químicas podem ter efeitos devastadores em todos os tipos de ecossistemas e até mesmo representar perigo para a saúde humana e a civilização.

O esgotamento de nutrientes no solo é um tipo comum de danos causados pela chuva ácida. À medida que os compostos ácidos da água atingem o solo, eles podem extrair nutrientes vitais que tornam o solo fértil.

Contaminação suficiente pode fazer com que manchas de solo se tornem incapazes de sustentar a vida, cortando a linha de alimentação nutricional de quaisquer plantas na área afetada.

Os compostos químicos da chuva se dispersam no solo, permitindo o acúmulo de substâncias químicas nocivas, como o alumínio, que podem matar as plantas. Deste ponto em diante, a destruição se acumula, à medida que a morte resultante das plantas leva à diminuição do habitat e das fontes de alimento para as populações residentes de animais, pássaros e insetos.

Os danos causados pela chuva ácida também podem ser extremamente perigosos para os ecossistemas aquáticos. Conforme a água ácida cai em um lago ou riacho, o equilíbrio do pH cai e produtos químicos prejudiciais, como alumínio e mercúrio, são liberados no corpo d’água. Muitas espécies aquáticas são extremamente sensíveis aos ácidos e não podem chocar ovos ou sobreviver em águas contaminadas; além disso, o aumento dos níveis de ácido pode matar plantas aquáticas e microrganismos, destruindo as principais fontes de alimento de muitas criaturas aquáticas.

Na sociedade humana, alguns estudos relacionaram os danos da alta chuva ácida a câncer e outras doenças. Esta precipitação perigosa também pode ser extremamente destrutiva para certos tipos de pedra, como calcário e mármore, e causou graves danos a muitos edifícios antigos, pontes, monumentos e obras de arte.

Chuva Ácida – Reações Químicas

Plantas manchadas não são algo incomum de se ver atualmente, isso porque com o aumento da poluição atmosférica as chuvas ácidas não são mais raras, a planta sofre com acidez da chuva podendo manchar sua folhas e flores ou até mesmo matar a planta, outro dano que pode ocorrer é a alteração significativa do pH do solo, prejudicando a vegetação local.

Atualmente podemos ver as consequências da chuva ácida em diversos lugares como edifícios expostos que começa a ocorrer deformações em sua estrutura, esses edifícios geralmente são monumentos antigos que foram feitos com calcário e mármores que sofrem reações químicas na presença da chuva ácida e assim a construção sofre deformação em sua estrutura, também pode ser visto nas pinturas das construções e até mesmo de carros sendo manchadas.

Chuva Ácida

Chuva Ácida

chuva ácida pode ocorrer em todo lugar, ela ocorre em ambientes poluídos quando a chuva é formada, ou seja, a água que está no estado gasoso condensa passando para o estado líquido, assim ocorre o fenômeno da precipitação onde as gotas de água caem. A chuva que está caindo carrega grande parte de ácidos que são formados nas reações químicas e outras moléculas presentes na atmosfera, e muitos desses ácidos formados são resultante do lançamento de poluentes produzidos pelas atividades humanas.

Mesmo em ambientes não muito poluídos, as chuvas são sempre ácidas com pH abaixo de 7, vale ressaltar que o pH da água pura é 7.

Mas porque em ambientes não muito poluídos as chuvas são sempre ácidas? 

Pois a combinação de gás carbônico (CO2) e água presentes na atmosfera produzem ácido carbônico (H2CO3), como mostra a reação química abaixo, o ácido carbônico (H2CO3) produzido mesmo em pequena quantidade, já torna as chuvas normalmente ácidas, com pH 5,6.

CO2 (g)  +  H2(l)  H2CO3 (aq)

H2CO3 (aq)  H+ (aq)  +  HCO3 (aq)

HCO3 (aq)  H+ (aq)  +  CO32- (aq)

Mas da onde vem o gás carbônico (CO2), ele é

liberado no processo de respiração (na expiração) dos seres humanos e animais, e também na queima dos combustíveis fósseis (gasolina, diesel, querosene, carvão mineral e vegetal).

Porem essa acidez não é o maior agravante e sim os outros poluentes.

Os principais poluentes que deixam a chuva com níveis de acidez muito baixos são o trióxido de enxofre e o dióxido de nitrogênio que ao se combinarem com água em suspensão, se transformam em ácido sulfúrico, ácido nítrico e nitroso respectivamente. E são esses ácidos que têm elevada capacidade de corrosão.

O gás nitrogênio (N2) é o gás mais abundante na composição da atmosfera da Terra, ele e o oxigênio molecular (O2) da atmosfera podem reagir formando o monóxido de nitrogênio (NO).

Como essa reação não é espontânea, ela precisa de energia para ocorrer, existem lugares em que ela pode ocorrer facilmente como no motor do carro que fica muito quente por causa da queima de combustível ou em fornos industriais a temperatura é muito elevada.

O dióxido de nitrogênio pode sofrer reações com a água da chuva e formar o ácido nítrico (HNO3), que aumenta a acidez da água de chuva.

N2 (g) + O2 (g)  2 NO (g) (em altas temperaturas)

2 NO (g) + O2 (g)  2 NO2 (g)

2 NO2 (g)  +  H2(l)    HNO3 (aq)   +  HNO2 (aq)

O dióxido de enxofre (SO2) é o responsável pelo maior aumento na acidez da chuva. Este é produzido diretamente como subproduto da queima de combustíveis fósseis como a gasolina, carvão e óleo diesel.

O óleo diesel e o carvão contém grandes quantidades de enxofre em sua composição, sendo responsáveis por uma grande parcela da emissão de SO2 para a atmosfera.

A formação do ácido sulfúrico que é um ácido muito forte ocorre na reação do dióxido de enxofre SO2 com a água formando o ácido sulfuroso. O dióxido de enxofre também pode sofre oxidação, reação com o oxigênio (O2) que está presente na atmosfera, e formar o trióxido de enxofre (SO3), que quando entra em contato com a água da chuva irá formar o ácido sulfúrico (H2SO4).

SO2 (g) + H2O (l)  H2SO3 (aq)

H2SO3 (aq)     H+(aq) + HSO3- (aq)

SO2 (g) + ½ O2 (g)   SO3 (g)

SO3 (g) +  H2O (l)    H2SO4 (aq)

H2SO4 (aq)    2H+ (aq) + SO4²- (aq)

Fonte: Tatiane Bianquini/projects.ncsu.edu/www.safewater.org/www.aces.edu/www.wisegeek.org/earth.org/ypte.org.uk/www.caryinstitute.org

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Definição de Poluição industrial A poluição cuja fonte provém diretamente da indústria é conhecida …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Ecologia Industrial

PUBLICIDADE Definição de Ecologia Industrial A ecologia industrial conceitua a indústria como um ecossistema feito pelo homem …

Um comentário

  1. ANA Paula notaroberto

    Muito obrigada pela reportagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.