Breaking News
Home / Meio Ambiente / Planeta Água

Planeta Água

PUBLICIDADE

Terra: O Planeta Água

No sistema solar da Terra, evidências de gelo subterrâneo, redes de vales antigos e até mesmo um oceano antigo ocorrem no planeta Marte. Gelo de água e talvez água líquida ocorrem sob as superfícies congeladas de três das luas de Júpiter, embora atualmente nenhuma tenha águas superficiais livres.

Mas entre os planetas que orbitam o Sol, a Terra é claramente o “planeta da água“. A água ocorre em sua superfície como líquido, gelo e gás. As águas oceânicas cobrem agora quase 71 por cento da superfície da Terra, enquanto as águas doces em lagos e rios cobrem menos de 1 por cento.

Espessas camadas de gelo cobrem permanentemente as regiões polares da Terra e as geleiras estão espalhadas em suas montanhas mais altas. A água na forma de nuvens mascara cerca de metade da superfície da Terra a qualquer momento. As erupções vulcânicas extraem continuamente água e gases de rochas profundas no interior da Terra.

Vista do espaço, a característica mais marcante do nosso planeta é a água. Na forma líquida e congelada, cobre 75% da superfície da Terra. Enche o céu de nuvens. A água está praticamente em todos os lugares da Terra, desde o interior da crosta rochosa do planeta até o interior das células do corpo humano.

Planeta Água – Terra primitiva

Acredita-se que a água e os gases de cometas e meteoros colidindo com a Terra primitiva contribuíram para seu oceano e atmosfera ao longo de muitos bilhões de anos.

Depois que os bombardeios intensos e destrutivos de meteoritos terminaram há cerca de 3,9 bilhões de anos, o oceano e a atmosfera atuais foram formados. A maior parte da água da superfície da Terra (97%) se acumulou em bacias oceânicas, com quantidades menores (cerca de 3%) formando espessas camadas de gelo no que hoje são a Groenlândia e a Antártida. Apenas uma pequena fração da água da Terra ocorreu em lagos, rios ou geleiras de montanha.

À medida que os organismos vivos evoluíram e se tornaram mais abundantes, eles modificaram a composição da atmosfera da Terra. Por exemplo, a fotossíntese das plantas contribuiu com oxigênio, tornando possível a evolução dos animais.

Hoje, as formas de vida ricas e diversificadas da Terra dependem de sua água abundante. Acredita-se que toda a vida na Terra tenha se originado no oceano, e hoje a água compõe de 60 a 70 por cento de toda a matéria viva. Cerca de dois terços do corpo humano é composto de água. Os seres humanos não podem viver mais de uma semana sem beber água.

Movimento da água na terra

água da Terra se move em vários ciclos, cada um impulsionado por diferentes fontes de energia e atuando em vários períodos de tempo.

Ciclos abaixo da superfície da Terra

O ciclo mais lento que afeta o movimento da água da Terra é chamado de placas tectônicas. Alimentados pelo calor do interior da Terra, os processos tectônicos agem ao longo de milhões e provavelmente bilhões de anos, movendo lentamente a crosta terrestre para construir continentes e moldar bacias oceânicas (apenas para serem eventualmente destruídas).

A atividade vulcânica e metamórfica associada às placas tectônicas derrete e extrai água e gases de rochas profundamente enterradas e depois os libera na superfície da Terra durante erupções vulcânicas.

A atividade vulcânica também forneceu grande parte dos sais do oceano. A água do mar flui através de rochas vulcânicas quentes, fraturadas e recém-formadas nas dorsais meso-oceânicas e reage quimicamente com elas. Os sais são descarregados no oceano. Quantidades menores de sal são extraídas de rochas em terra, que foram alteradas pelo intemperismo. Os córregos transportam fragmentos de rocha intemperizada, sedimentos e sais para o oceano.

Em comparação com as águas superficiais, sabe-se menos sobre a água que flui através de depósitos de sedimentos (por exemplo, areias e cascalhos) e através de formações rochosas aquíferas conhecidas como aquíferos. Essas águas subterrâneas acabam retornando ao oceano por meio de rios e lagos e pelas bordas submersas dos continentes. Em escala global, nem as quantidades nem as taxas desses fluxos de águas subterrâneas são bem conhecidas.

Ciclos acima da superfície da Terra

água se move mais rapidamente pela superfície da Terra em ciclos alimentados por energia solar do que a água que se move na superfície ou abaixo dela. Em um processo conhecido como ciclo hidrológico, a água evapora das superfícies oceânicas aquecidas pela energia do sol. A maior parte do vapor condensa rapidamente e cai sobre o oceano próximo como chuva. Algum vapor de água viaja mais longe para cair em terra e, eventualmente, retorna ao oceano por descargas de rios e também por descargas de águas subterrâneas através das rochas e sedimentos das margens continentais.

Os ventos que sopram através do oceano colocam suas águas superficiais em movimento. As correntes de superfície resultantes fluem principalmente de leste para oeste perto do equador. Em outros lugares, essas correntes de superfície formam padrões quase fechados, chamados giros, centrados nos subtrópicos. Correntes de superfície mais fortes ocorrem perto das margens do oceano.

Quando as águas oceânicas esfriam perto dos polos – especialmente nos oceanos Antártico e Atlântico Norte – elas se tornam mais densas e afundam abaixo da superfície.

Lá eles fluem lentamente em correntes subterrâneas lentas em direção ao equador, onde eventualmente retornam à superfície para serem aquecidos e começarem o ciclo novamente.

Tais correntes subterrâneas levam muitas centenas de anos para completar seu ciclo. Essas correntes de subsuperfície fazem parte do sistema de aquecimento da Terra, retornando as águas frias aos trópicos para serem novamente aquecidas para os fluxos de retorno das correntes de superfície para os oceanos polares.

Embora as correntes oceânicas de subsuperfície lentas envolvam movimentos de água medidos ao longo de séculos, as correntes oceânicas de superfície movem a água do mar através das bacias oceânicas em períodos de tempo medidos em anos. Os ventos podem transportar vapor de água através dos continentes em apenas alguns dias.

Planeta Água – Consumo

Planeta Água

consumo de água sem controle representa um desperdício que pode se controlado

As reservas de água doce do planeta estão sendo ameaçadas devido ao crescimento da população mundial, seu consumo excessivo e o alto nível de poluição.

Poucos desconhecem e alguns se fazem ignorantes à esta realidade preocupante de uma possível crise de água potável, onde esse recurso natural indispensável, pode tornar-se uma mercadoria tão cara quanto o petróleo, podendo com isto, causar disputas e guerras por fontes e reservas d’água.

A Terra possui tanta água que recebeu o apelido de Planeta Água, desde a primeira vez em que foi visualizada do espaço, pela inconfundível predominância desta substância quer na sua atmosfera, como na sua superfície, sob a forma de oceanos e mares ou como gelo, nas calotas polares.

O que é mais importante: Água ou progresso?

É triste que com o grande avanço tecnológico, o ser humano passou à interferir na natureza com agressividade. “Deus nos colocou no mundo como herdeiros de um grande passado, portadores de um grande presente, e construtores de um grande futuro” (Kentenich).

O homem por sua vez, preocupa-se com o crescimento, cria e ignora os resultados de sua criação, pouco se importando, com as consequências prejudiciais que trarão ao meio ambiente. “Penso que a água é apenas mais um alvo do péssimo uso e distribuição dos grandes empresários, grandes industriais, grandes, grandes, e grandes… Sem falar na injusta distribuição da moeda, sem falar no abuso da liberação de gases que têm destruído a nossa camada de ozônio.

O uso da ‘nossa água’ apenas reflete nas mãos de quem realmente está no poder” (Patrícia C. Souza – Ministério CEU – Casais Eternamente Unidos.

Para eles o que importa é o progresso, desprezando então, a natureza, o ar, e principalmente: a água, que se torna indispensável à vida no planeta.

Então, de que vale tanta tecnologia, se a vida está próxima do fim: “Creio eu que o próprio homem é o culpado pela destruição sucessiva do planeta. Com o desenvolvimento industrial e tecnológico a própria natureza foi desfalcada, pagando assim um preço precioso e irrecuperável” (Alexandre Sancho, Consultor de Sistemas, Belo Horizonte-M.G.).

Você sabia ?

Você sabia que para produzir um quilo de papel são usados 540 litros de água? Você sabia que para fabricar uma tonelada de aço, são necessários 260 mil litros de água? Você sabia que em média, um homem tem aproximadamente 47 litros de água em seu corpo e que o mesmo deve repor o líquido em cerca de 2 litros e meio por dia?

Este líquido que por sua vez é composto por dois elementos químicos: Hidrogênio e Oxigênio, quando se faz ausente no corpo do ser humano, aumenta a concentração de sódio que se encontra dissolvido na água. Com isso, o cérebro coordena a produção de hormônios que provocam a sede. Se não houver a reposição do líquido, a pessoa entra em um processo de desidratação e pode morrer em cerca de aproximadamente dois dias. Sabemos que os oceanos compõem cerca de 70% da superfície terrestre, ou seja, quase 2/3 do nosso planeta são cobertos de água, sendo, 97% de água salgada (mar), 1,75% se encontra na Antártica em forma de geleiras, restando-nos apenas 1,25% para nosso consumo. Graças Deus, sabemos que há pessoas que, de alguma forma, se preocupam e trabalham em busca de controle e amenização para o problema.

Tem gente pensando em tudo, desde o controle de natalidade até a possível busca de água em Marte (em junho de 2000 cientistas descobriram a existência deste líquido precioso em Marte).

Não podemos levar o texto para o lado cômico, por mais louca que a idéia possa parecer, pois todo trabalho se torna plausível. “É melhor tentar e falhar, que preocupar-se e ver a vida passar. É melhor tentar, ainda em vão, que sentar-se fazendo nada até o final. Eu prefiro na chuva caminhar, que em dias tristes em casa me esconder. Prefiro ser feliz, embora louco, que em conformidade viver” (Martin Luther King).

Os rios secam e com isso, o setor de agricultura fica prejudicado

Se continuarmos tratando a natureza de maneira irresponsável, não muito longe, nossos filhos estarão colhendo os frutos de nossas árvores plantadas de forma impensável. Podemos sim, planejar um futuro diferente e em paz com a natureza, bastando para isso, somente à busca de um equilíbrio entre as necessidades humanas e a capacidade de recuperação ambiental. “Não conseguimos apagar o passado, mas podemos aceitá-lo como experiência de vida”(Dr. Gary Chapman). O progresso é importante para o desenvolvimento da nação, mas, a vida humana é o que faz o progresso, e sem esta, tudo desce por ralo à baixo. O planeta água pede socorro.

“Deus dá ao homem o metal da mina. Deus dá ao homem as árvores da floresta. Deus dá ao homem a destreza manual. O homem com a sua destreza derruba a árvore. O homem com a sua destreza extrai o metal da mina. Depois do metal extraído e da árvore cortada, o homem com a sua destreza pega essa árvore e faz dela uma cruz. Com sua destreza toma o metal e o transforma em pregos” (Dr. Robinson).

Agora é hora de fazermos nossa parte!

Dicas importantes!

O maior consumo de água geralmente é no banho. Para você que gosta de um banho gostoso e demorado, saiba que, uma simples ducha de chuveiro, é a vilã número um do desperdício de água nas residências domésticas. Numa família de 5 pessoas, onde cada um toma um banho de 15 minutos por dia, gastará por mês entre 7.000 e 14.000 litros de água.

Reduzindo o tempo do banho para 5 minutos, o consumo cairá um terço desta quantidade. Por tanto, durante o banho, feche o registro enquanto se ensaboa. Esta será a sua grande contribuição.

E na hora de escovar os dentes, mantenha a torneira fechada.

Para lavar a louça, coloque água na cuba até a metade para ensaboar; enquanto isso, feche a torneira. Use a máquina de lavar louça somente quando esta estiver cheia para reduzir o consumo de água e eletricidade.

No calor, regue o jardim, de manhã cedo ou à noite, para reduzir a perda por evaporação. No inverno, a rega pode ser feita em dias alternados pela manhã.

Se você tem uma piscina de tamanho médio exposto ao sol e à ação do vento, você perde aproximadamente 3.785 litros de água por mês por evaporação, o suficiente para suprir as necessidades de água potável (para beber) de uma família de 4 pessoas por cerca de um ano e meio aproximadamente, considerando o consumo médio de 2 litros/habitante/dia. Com uma cobertura (encerado, material plástico), a perda é reduzida em 90%.

Planeta Água

Pelo que se sabe, só o planeta Terra tem água em abundância. Estamos falando da água que abrange aproximadamente, 70% da superfície terrestre.

São incontáveis as espécies de animais e vegetais que a Terra possui.

Sua distância do Sol – 150 milhões de quilômetros – possibilita a existência da água nos três estados: sólido, líquido e gasoso.

A água, somada à força dos ventos, também ajuda a esculpir a paisagem do nosso planeta: desgasta vales e rochas, provoca o surgimento de diversos tipos de solo etc.

O transporte de nutrientes, que são aproveitados por centenas de organismos vivos, também é feito pela água.

Planeta ÁguaPlaneta Água

A Vida depende da Água

A existência de tudo o que é vivo, em nosso planeta, depende de um fluxo de água contínuo e do equilíbrio entre a água que o organismo perde e a que ele repõe.

As semelhanças entre o corpo humano e a Terra são: 70% do nosso corpo também é constituído de água. Assim como a água irriga e alimenta a Terra, o nosso sangue, que é constituído de 83% de água, irriga e alimenta nosso corpo.

Quando o homem aprendeu a usar a água em seu favor, ele dominou a natureza: aprendeu a plantar, a criar animais para seu sustento, a gerar energia etc.

Desde as civilizações mais antigas até as mais modernas, o homem sempre procurou morar perto dos rios, para facilitar a irrigação, moer grãos, obter água potável etc.

Nos últimos trezentos anos, a humanidade se desenvolveu muito, a produção aumentou, o comércio se expandiu, provocando uma verdadeira revolução industrial. Nesse processo, a água teve papel fundamental, pois a partir de seu potencial surgiram a roda d´água, a máquina a vapor, a usina hidrelétrica etc.

Hoje, mais do que nunca, a vida do homem depende da água. Para produzir um quilo de papel, são usados 540 litros de água; para fabricar uma tonelada de aço, são necessários 260 mil litros de água; uma pessoa, em sua vida doméstica, pode gastar até 300 litros de água por dia.

Água – Recurso Limitado

No decorrer do século XX, a população do planeta Terra aumentou quase quatro vezes. Um estudo populacional prevê que no ano 2000 a população mundial, em sua maioria absoluta, estará vivendo em grande cidades; com o grande desenvolvimento industrial, a cada dia aparecem novas utilidades para a água.

O custo de ter água pronta para o consumo em nossas casas é muito alto, pois o planeta possui aproximadamente só 3% de água doce e nem toda essa água pode ser usada pelo homem, já que grande parte dela encontra-se em geleiras, icebergs e subsolos muito profundos.

Outra razão para a água ser um recurso limitado é sua má distribuição pelo mundo. Há lugares com escassez do produto e outros em que ele surge em abundância.

Com o grande desenvolvimento da tecnologia, o homem passou a interferir com agressividade na natureza. Para construir uma hidrelétrica, desvia curso de rios, represa uma quantidade muito grande de água e interfere na temperatura, na umidade, na vegetação e na vida de animais e pessoas que vivem nas proximidades.

O homem tem o direito de criar tecnologias e promover o desenvolvimento para suprir suas necessidades, mas tudo precisa ser muito bem pensado, pois a natureza também tem de ser respeitada.

O Caminho da Água

A água dos mananciais e dos poços, por conter microorganismos e partículas sólidas em suspensão, percorre um caminho nas estações de tratamento até chegar limpa ao hidrômetro.

Na primeira etapa do tratamento, a água fica na bacia de tranquilização; em seguida, recebe sulfato de alumínio, cal e cloro. Na segunda etapa, a água passa pelos processos de filtração e fluoretação. Para produzir 33 m³ por segundo de água tratada, uma estação como o Guaraú, no município de São Paulo, gasta em média 10 toneladas de cloro, 45 toneladas de sulfato de alumínio e mais 16 toneladas de cal – por dia!

Nas casas, a água começa seu caminho no hidrômetro (aparelho que mede o volume de água consumida), entra na caixa d´água e passa pelos canos e registros até chegar à pia, ao chuveiro, ao vaso sanitário e tudo o mais.

Após o uso ( para beber, cozinhar, limpar), a água vai para os ralos e em seguida para os canos que vão dar na caixa de inspeção e na saída do esgoto doméstico.Os esgotos que saem das casas, indústrias etc devem ser bombeados para uma estação de tratamento, onde os sólidos são separados do líquido – o que diminui a carga de poluição e os prejuízos para as águas que irão recebê-la.

O tratamento de esgoto é vantajoso, pois o lodo que sobra pode ser transformado em fertilizante agrícola; o biogás resultante desse processo também é aproveitável como combustível.

A Poluição das Águas

Os efeitos da poluição e destruição da natureza são desastrosos: se um rio é contaminado, a população inteira sofre as conseqüências. A poluição está prejudicando os rios, mares e lagos; em poucos anos, um rio sujeito a poluição pode estar completamente morto.

Para despoluir um rio gasta-se muito dinheiro, tempo e o pior: mais uma enorme quantidade de água. Os mananciais também estão em constante ameaça, pois acabam recebendo a sujeira das cidades, levada pela enxurrada junto com outros detritos.

A impermeabilização do solo causada pelo asfalto e pelo cimento dificulta a infiltração da água da chuva e impede a recarga dos lençóis freáticos. As ocupações clandestinas de áreas que abrigam os mananciais também acabam poluindo as águas, pois seus moradores depositam lixo e esgoto no local.

Os poluidores e destruidores da natureza são os próprios seres humanos que jogam o lixo diretamente nos rios, sem nenhum tratamento, matando milhares de peixes.

Desmatadores derrubam árvores das áreas dos mananciais e de matas ciliares, garimpeiros devastam os rios e usam mercúrio, envenenando suas águas.

As pessoas sabem que os automóveis poluem e colaboram para o efeito estufa, mas por falta de opção ou por comodismo não abrem mão desse meio de transporte.

Todos sabem que o lixo contamina e polui o meio ambiente. Porém, muitas pessoas jogam-no nas ruas, praias e parques.

A atividade agrícola também é poluidora da água, já que os pesticidas e os agrotóxicos são levados pela água da chuva para os rios e mananciais ou penetram o solo atingindo os lençóis freáticos.

As fábricas lançam gases tóxicos na atmosfera porque não instalam filtros em suas chaminés. Numa cidade como São Paulo, só 17% das indústrias tratam seus esgotos; 83% jogam nos rios toda a sujeira que produzem.

Quem mais polui é também quem mais consome: 23% da água tratada é consumida pelas indústrias.

A água poluída pode causar doenças como cólera, febre tifóide, disenteria, amebíase etc. Muitas pessoas estão sujeitas a essas e outras doenças porque suas residências não tem água tratada ou rede de esgoto.

Um dado assustador comprova: 55,51% da população brasileira não tem água encanada nem saneamento básico.

O Desperdício da Água

A maioria das pessoas tem o costume de desperdiçar água, mas isso tem de mudar, porque o consumo de água vem aumentando muito e está cada vez mais difícil captar água de boa qualidade.

Por causa do desperdício, a água tem de ser buscada cada vez mais longe, o que encarece o processo e consome dinheiro que poderia ser investido para proporcionar a todas as pessoas condições mais dignas de higiene.

Soluções inviáveis e caras já foram cogitadas, mas estão longe de se tornar realidade.

São elas: retirar o sal da água do mar, transportar geleiras para derretê-las etc.

Quando abrimos uma torneira, não estamos apenas consumindo água. Estamos também alimentando a rede de esgoto, para onde vai praticamente toda a água que consumimos. No ano 2000, os seres humanos estarão consumindo aproximadamente 150 bilhões de m³ de água por ano e gerando 90 bilhões de m³ de esgoto.

O consumo de água cresce a cada dia, mas a quantidade de água disponível para o consumo no planeta não cresce. Em um futuro não muito distante haverá escassez.

Alguns hábitos devem ser adquiridos em nosso cotidiano, tais como fechar a torneira ao escovar os dentes, cuidar para que as torneiras fiquem fechadas de forma correta, reaproveitar a água da lavagem da roupa para lavar o quintal etc.

Um pequeno filete de água escorrendo um dia inteiro por um vazamento pode equivaler ao consumo diário de água de uma família de cinco pessoas.

Os Amigos da Vida

Nem todos poluem a água e estragam a natureza. Existem pessoas que trabalham para conservá-la. Os trabalhadores de uma estação de tratamento de água, por exemplo, passam a vida tratando e filtrando a água que todos consomem. Outros trabalhadores retiram a lama e lixo dos rios e riachos assoreados, para evitar enchentes.

Há pessoas que reflorestam áreas que já estavam se tornando desérticas, que estudam soluções e alternativas para os problemas ambientais. E existem os veículos de comunicação, associações de bairro e entidades ambientalistas que denunciam crimes ecológicos e cobram providências do governo. Porém, os que agem para melhorar o meio ambiente ainda são minoria.

Conscientização e Ação

Se continuarmos tratando a natureza de maneira irresponsável, o futuro nos reservará um mundo devastado e sem recursos. Podemos ter um bom futuro, em paz com a natureza, desde que encontremos o equilíbrio entre as necessidades humanas e a capacidade de recuperação ambiental (auto-sustentação).

Não vale a pena quebrar para depois consertar, poluir para depois limpar.

O grande contraste social e econômico distancia o homem da condição de cidadão e do conhecimento ecológico.

Um caminho importante é a educação: para a formação da consciência ecológica, para a vida em harmonia com a natureza e para a convivência solidária entre as pessoas.

Na prática podemos fazer muitas coisas, como economizar água tratada, utilizar menos detergente, jogar o lixo no lugar certo, plantar árvores, respeitar o ciclo da água, usar a água limpa com economia, gastar somente o necessário, denunciar as empresas que poluem, denunciar ocupações clandestinas que estejam despejando esgoto e lixo nos mananciais, cobrar dos governantes a criação e cumprimento de leis que protejam a natureza etc.

Conscientizar a população para as questões ecológicas é importante para a conquista de um futuro com água potável e com saúde para toda a humanidade.

Fonte: www.biodiversityreporting.org/www.encyclopedia.com(M. Grant Gross)/www.nasa.gov

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Efeito La Niña

PUBLICIDADE Efeito La Niña – O que é Tradicionalmente, La Niña tem recebido menos atenção do que …

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Muitos processos de fabricação industrial usam ou produzem produtos químicos que podem prejudicar a …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.