Breaking News
Home / Meio Ambiente / Parque Nacional do Monte Pascoal

Parque Nacional do Monte Pascoal

PUBLICIDADE

OBJETIVOS ESPECÍFICOS DA UNIDADE

Conservar uma amostra representativa dos ecossistemas de transição entre o litoral e a floresta pluvial dos tabuleiros terciários, conservar os recursos genéticos, possibilitar; fomentar atividades de educação e investigação e proteger o Monte Pascoal, marco histórico do Brasil.

Parque Nacional do Monte Pascoal

DECRETO E DATA DE CRIAÇÃO

Foi criado pelo Decreto n.º 242 de 29.11.1961.

ASPECTOS CULTURAIS E HISTÓRICOS

O Monte Pascoal foi o primeiro ponto de terra avistado pelos portugueses em 1.500, quando descobriram o Brasil. O monte avistado foi batizado por Pedro Alvares Cabral com o nome de Monte Pascal. O nome da unidade é devido a este monte.

Há notícias sobre a existência do grupo indígena Pataxó no extremo sul da Bahia desde o século XVI. Esses indígenas, que naquela época já eram bastante influenciados pela cultura civilizada, possuíam pequena tradição agrícola, o que aliado ao assédio dos madeireiros da região, levou- os a desmatar e comercializar a cobertura vegetal nativa existente. Este fato aliado à expansão agrícola da região culminou com a propostas de criação da unidade. A primeira proposta de protegê-lo partiu da comissão nomeada pelo Governo Federal na década de 30, encarregada de determinar o exato ponto do descobrimento do Brasil, presidida por Bernardino José de Souza. A concretização dessa proposta partiu do General Pinto Aleixo, que criou o parque Monte Pascoal em terras devolutas do estado.

ÁREA, LOCALIZAÇÃO E ACESSOS

Possui 22.500 ha de área total e 110 Km de perímetro. Está localizado no extremo sul do estado da Bahia, no município de Porto Seguro. O acesso é feito, por via terrestre, através da rodovia BR-101, no trecho situado entre as cidades baianas de Itamaraju e Itabela, percorrendo uma estrada (BR-498) asfaltada que tem início na BR-101 com cerca de 14 Km até a entrada. A cidade de Itamaraju fica a 750 Km da capital do estado, sendo a mais próxima à Unidade.

CLIMA

O clima da região do Parque pode ser considerado de úmido a super úmido, tropical e subtropical, apresentando uma temperatura média entre 21 e 24,2° C. Conta ainda com precipitações com médias anuais em torno de 1500 a 1750 mm. A umidade relativa do ar fica em média em torno de 80% durante todo ano.

QUE VER E FAZER (ATRAÇÕES ESPECIAIS)/ÉPOCA IDEAL PARA VISITAÇÃO

É aberto à visitação todos os dias da semana, das 8:00 às 16:00 hs.O valor do ingresso é R$ 3,00 por pessoa. A unidade tem como principal atração a trilha para o Monte Pascoal (valor histórico) e o centro de visitantes que conta parte da história do descobrimento do Brasil. Nos meses de dezembro a março e os de junho e junho, a unidade é mais visitada.

RELEVO

O relevo é caracterizado pelos depósitos de praias, às vezes com bancos de recifes, extensas planícies costeiras, tabuleiros da formação barreiras, colinas e pequenas serras de rochas cristalinas.

VEGETAÇÃO

Abriga um dos últimos remanescentes da Mata Atlântica, tendo como vegetação predominante a Floresta Tropical Pluvial. Segundo aspecto fisionômico e estrutural esta tipologia assemelha-se à Hileia Amazônica, apresentando um vegetação densa e exuberante. Algumas espécies de ocorrência são visgueiro, farinha-seca e anda-açu (grande porte).

FAUNA

O Parque tem grande diversidade faunística. Entre os mamíferos destacam-se: veado-campeiro e a ariranha, ambos ameaçados de extinção. Ainda conta com alguns raros, como: ouriço preto, preguiça de coleira e o guariba. Já os carnívoros pode-se citar a suçuarana e a tradicional onça. As aves ameaçadas de extinção: urubu-rei, macuco e mutum.

USOS CONFLITANTES QUE AFETAM A UNIDADE E SEU ENTORNO

A problemática da unidade reside nas atividades degradantes como: incêndios florestais, ação predatória sobre fauna e flora e descaracterização do ecossistema. Outro sério problema enfrentado pela unidade é o relacionamento conflitante com os índios Pataxós. No momento o Parque encontra-se ocupado pelos índios, que o invadiram no início do ano (2000).

BENEFÍCIOS INDIRETOS E DIRETOS DA UNIDADE PARA O ENTORNO

Dados não disponíveis

ACORDOS DE PARCERIA

Não possui acordos de parceria

INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A UNIDADE

Número total de Funcionários

05 funcionários do IBAMA e 06 de empresas de vigilância e limpeza.

Infra-estrutura disponível

1 sede administrativa (c/ sala do chefe, sala p/ outros funcionários, sala de arquivo, cozinha, banheiro, garagem, depósito); 1 alojamento para funcionários (2 pessoas); 1 centro de visitantes (c/ auditório para 50 pessoas, sala de exposições, sanitários e cozinha); 1 portaria em alvenaria (12 m2); 30 Km de estradas/aceiros; sistema de comunicação (telefax, e-mail, 2 rádios fixos e 4 rádios móveis. ); 1 Toyota (1991); 2 carros de passeio (1988 e 1991) e 1 Hill (96/97).

Fonte: www.brasilturismo.com

PARQUE DE NACIONAL DO MONTE PASCOAL

Parque Nacional do Monte Pascoal

Em seus limites encontram-se três fases distintas do ciclo que contribuiu decisivamente para a transição entre os ecossistemas do litoral e da floresta densa dos tabuleiros terciários. Foi a primeira porção continental avistada pelos portugueses ao descobrir o Brasil, o Monte Pascoal – que dá nome ao Parque – reúne, além da importância histórica, uma diversidade de ecossistemas, como a floresta atlântica densa, regiões alagadiças, restinga, mangue e praia.

A mais antiga dessas fases tem no Monte Pascoal seu mais notável afloramento. As outras duas, do terciário e quaternário, são respectivamente representadas pelas rochas sedimentares do grupo Barreiras, constituintes dos chamados “tabuleiros”, e pelos sedimentos aluviais e costeiros.

Embora variada, a vegetação predominante é de mata atlântica densa, onde ocorrem árvores de grande porte, como o visgueiro (Parkia pendula), de origem amazônica, mas que se espalha até o norte do Espírito Santo. As mais famosas, porém, são a canela-sassafrás (Ocotea pretiosa), jequitibá (Cariniana estrelensis), araribás (Centrolobium robustum), jacarandá-caviúna (Dalbergia nigra) e maçaranduba (Manilkara elata).

Nos trechos mais úmidos há a formação de densas comunidades de samambaias (Pteridium aquilinum), podendo-se também encontrar o palmito (Euterpe edulis) e diversas espécies de orquídeas, como a rara Cattleya schilleriana. E, nas partes mais secas, ocorre a piaçava.

Parque Nacional do Monte Pascoal

Na fauna, os destaques são o raro ouriço-preto (Chaetomys subspinosus), preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus) e caxinguelê (Scirurius sp), além de guariba (Alouatta fusca) e anta (Tapirus terrestris), que habitam perto dos leitos dos rios. Há também tamanduás (Tamandua tetradactyla), cutias (Dasyprocta sp) e pacas (Agouti paca).

Entre os mamíferos ameaçados de extinção, a onça (Phantera onca) e a suçuarana (Puma concolor) mantêm-se protegidos no interior do Parque. E, entre as aves, há exemplares dos também ameaçados gavião-de-penacho (Spizaetus ornatus) e gavião-pega-macaco (Spizaetus tyrannus), além de mutum (Crax blumenbachii), curió (Oryzoborus angolensis) e sabiá-da-mata (Turdus fumigatos).

Distante apenas 14 km da BR-1O1, que liga Vitória a Salvador, e a 156 km de Porto Seguro, o Parque ainda não dispõe de infra-estrutura para a hospedagem de visitantes.

Parque Nacional do Monte Pascoal
Mapa do Parque Nacional de Monte Pascoal

Parque Nacional de Monte Pascoal

Data de criação: 29 de novembro de 1.961, pelo decreto federal nº. 242.
Localização: Bahia, município de Porto Seguro.
Área: 22.500 hectares
Perímetro: 110 km
Clima: tropical do Brasil Central, quente úmido, com um a dois meses secos.
Temperaturas: média anual de 22 a 24ºC, máxima absoluta de 36 a 38ºC e mínima absoluta de 8 a 12ºC.
Chuvas: Entre 1500 e 1750 mm anuais.
Relevo: plano e ondulado.

Fonte: paginas.terra.com.br

Veja também

Agenda 21

Agenda 21

Clique nos links abaixo para navegar no capítulo desejado: Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 …

Lixo Eletrônico

Lixo Eletrônico

PUBLICIDADE INTRODUÇÃO Com os avanços tecnológicos, muitos equipamentos (exemplos: computadores, televisões, celulares, etc.) vão sendo …

Controle-Biológico

Controle Biológico

PUBLICIDADE O controle biológico é uma técnica utilizada para combater espécies que nos são nocivas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.