Breaking News
Home / Meio Ambiente / Lixão

Lixão

PUBLICIDADE

 

Lixão – O que é

Lixão é a disposição final de lixo sem qualquer tratamento. É o meio que mais causa danos ao homem e ao meio ambiente e – pasmem! – é o mais usado no Brasil!

Mais de 90% do lixo em todo o país é jogados ao ar livre. Essa lixarada toda traz vários problemas. Primeiro, junta bichos que podem causar doenças e até epidemias, como ratos, baratas, moscas e mosquitos. Depois, causa um cheiro absolutamente nojento, que maltrata tanto a população quanto o turismo, se for uma cidade que vive disso.

Muito grave também é o fato de que a decomposição do lixo gera o chorume, um líquido que contamina o solo, o ar e os recursos naturais de água. Ou seja, as populações mais ou menos perto dos lixões podem estar bebendo e usando água contaminada, sem saber!

Como os lixões não são controlados nem medidos por ninguém, qualquer pessoa ou empresa que não raciocina muito bem pode jogar ali resíduos perigosos, como lixo hospitalar, produtos radioativos ou muito tóxicos, que deveriam ter um tratamento especial.

O lixão a céu aberto também atrai catadores de lixo (adultos e crianças que se contaminam com doenças variadas!) e animais domésticos, que comem aqueles restos.

Algumas soluções

Há algumas opções, melhores que o lixão: bons projetos de reciclagem diminuem a quantidade de lixo, porque garrafas PET, vidros etc. passam a ser reutilizados, criando-se com eles novas garrafas, móveis e até casas de verdade!

O aterro controlado é uma opção ruim (nesse caso, o lixo recebe uma camada de terra por cima), porque continua a haver contaminação do ambiente através do chorume e dos gases (irc!).

O aterro sanitário é uma solução melhor: é um processo mais complicado, onde os resíduos sólidos (ou seja, o lixo!) são “arrumados” no solo de acordo com um projeto de engenharia que envolve a drenagem dos líquidos e dos gases. E é possível também incinerar, ou seja, queimar o lixo, para diminuir seu volume.

Essa incineração tem que ser feita de modo muito controlado, para não provocar poluição do ar nem um incêndio na região!

Depósito de Lixo

Depósito de Lixo

Uma das consequências de uma sociedade moderna é a geração de enormes quantidades de resíduos. A escala de uso de materiais pelos países industrializados supera a de um século atrás. Em 2000, o estoque de materiais foi extraído de todos os noventa e dois elementos naturais da tabela periódica em comparação com apenas vinte em 1900. O US Geological Survey – Pesquisa Geológica(USGS) estima que, somente nos Estados Unidos, o consumo de metal, vidro, madeira, cimento e produtos químicos cresceu dezoito vezes desde 1900 e que o país responde por um terço de todos os materiais usados em todo o mundo.

A produção e processamento de quase qualquer material gera subprodutos (que podem ou não ser úteis) e os libera no ar e na água. Fabricação, mineração, perfuração de petróleo e gás, processamento químico e usinas de energia a carvão produzem muitos bilhões de toneladas de resíduos a cada ano.

A geração de resíduos radioativos e perigosos tem crescido à medida que a sociedade avança tecnologicamente. Até mesmo a agricultura gera cerca de um bilhão de toneladas de resíduos anualmente, principalmente resíduos de colheitas. Por fim, a geração residencial e comercial de resíduos sólidos urbanos (lixo) é de 230 milhões de toneladas por ano.

Qual a diferença entre aterro sanitário e lixão?

Lixão

Segundo a Companhia de Tecnologia e Saneamento Ambiental (CETESB), aterro sanitário é o processo de disposição final de resíduos sólidos, principalmente do lixo domiciliar, baseado em critérios de engenharia e normas operacionais específicas.

Estas normas e critérios permitem a confinação segura do lixo, em termos de controle da poluição ambiental e proteção ao meio ambiente.

Ao contrário do aterro sanitário, os lixões não atendem nenhuma norma de controle. O lixo é disposto de qualquer maneira e sem nenhum tratamento, o que acaba causando inúmeros problemas ambientais.

O lixo a céu aberto atrai ratos que têm a sua capacidade reprodutiva aumentada devido a disponibilidade abundante de alimentos. Esses animais são transmissores de inúmeras doenças, tais como raiva, meningite, leptospirose e peste bubônica.

Outro sério problema causado pelos lixões é a contaminação do solo e do lençol freático, caso exista um no local, pela ação do chorume, líquido de cor negra característico de matéria orgânica em decomposição.

Além disto, estes lugares dão acesso para as pessoas carentes que acabam contraindo várias doenças. Com total omissão social e desrespeito ao ser humano, essas pessoas buscam nos lixões um meio de sobrevivência, ou alimentando-se, ou vendendo entulhos.

Se na sua cidade existe um lixão exija do governo providências imediatas para a solução do problema. Os lixões ferem as normas de Saúde Pública e poluem o meio ambiente.

Lembre-se que nós contribuímos com impostos e que é nosso direito ter a nossa saúde assegurada!

Lixão – Resíduos

Lixão

lixão não utiliza qualquer norma ou padrão de destinação de resíduos, depositando o lixo a céu aberto, de forma irregular.

O local que recebe os resíduos não passa por tratamento antes de seu funcionamento e também não trata o chorume e os gases provenientes do lixo.

A ação do vento pode espalhar o material depositado, aumentando o risco de contaminação de uma área maior que a do lixão.

O espaço do lixão não é cercado por cobertura vegetal, o que expõe o ambiente à contaminação e atrai vetores de doenças.

O material depositado não recebe cobertura diária e a falta de controle dos resíduos destinados leva ao descarte de qualquer tipo de lixo, ampliando consideravelmente a poluição e a contaminação dos recursos naturais da área do lixão.

Com risco de desabamento considerável, o lixão está sujeito à interdição da Cetesb a qualquer momento.

A eliminação de resíduos, a coleta, processamento e reciclagem ou deposição dos resíduos da sociedade humana. Os resíduos são classificados por origem e composição.

De um modo geral, os resíduos são líquidos ou sólidos e seus componentes podem ser perigosos ou inertes em seus efeitos sobre a saúde e o meio ambiente.

O termo resíduo é normalmente aplicado a resíduos sólidos, esgotos (águas residuais), resíduos perigosos e resíduos eletrônicos.

Nos países industrializados, os resíduos líquidos municipais são canalizados através de sistemas de esgoto, onde passam por tratamento de águas residuais ou tratamento de esgoto.

Este processo remove a maioria ou todas as impurezas das águas residuais, ou esgotos, antes que possam atingir os aquíferos subterrâneos ou águas superficiais, como rios, lagos, estuários e oceanos.

lixo, ou resíduo sólido municipal, é um resíduo sólido não perigoso de uma comunidade que requer coleta e transporte para um local de processamento ou descarte.

O lixo é principalmente resíduos de alimentos decomponíveis, e o lixo é principalmente material seco, como vidro, papel, tecido ou madeira. O lixo é altamente putrescível ou decomponível, enquanto o lixo não é.

Lixo é o lixo que inclui itens volumosos, como geladeiras velhas, sofás, grandes tocos de árvores ou resíduos de construção e demolição (por exemplo, madeira, drywall, tijolos, concreto e vergalhões com nervuras para uso em concreto armado), todos os quais muitas vezes requerem coleta e manuseio especiais.

O lixo é frequentemente depositado em aterros sanitários, ou seja, fossas ou outros locais vedados com forros sintéticos impermeáveis, onde os resíduos são isolados do restante do meio ambiente.

Algumas formas de resíduos sólidos e líquidos são classificadas como perigosas por serem prejudiciais à saúde humana e ao meio ambiente. Os resíduos perigosos incluem materiais tóxicos, reativos, inflamáveis, corrosivos, infecciosos ou radioativos. Os resíduos tóxicos são essencialmente resíduos químicos de processos industriais, químicos ou biológicos que podem causar lesões ou morte quando ingeridos ou absorvidos pela pele. Os resíduos reativos são quimicamente instáveis e reagem violenta ou explosivamente com o ar ou a água.

Resíduos infecciosos (como bandagens usadas, agulhas hipodérmicas e outros materiais de instalações médicas e de pesquisa) são materiais que podem conter patógenos. Resíduos radioativos (como varetas de combustível usado contendo materiais cindíveis usados na geração de energia nuclear e isótopos de cobalto e iodo usados no tratamento do câncer e outras aplicações médicas) emitem energia ionizante que pode prejudicar os organismos vivos. Os resíduos perigosos apresentam desafios especiais de manuseio, armazenamento e descarte que variam de acordo com a natureza do material.

O lixo eletrônico é um equipamento eletrônico que deixou de ter valor para os usuários ou que não satisfaz mais sua finalidade original como resultado de redundância, substituição ou quebra. O lixo eletrônico inclui tanto “linha branca” como geladeiras, máquinas de lavar e fornos de micro -ondas e “bens marrons” como televisores, rádios, computadores e telefones celulares. O lixo eletrônico difere do lixo municipal tradicional.

Embora o lixo eletrônico contenha combinações complexas de substâncias altamente tóxicas (como chumbo e cádmio em computadores e telefones celulares) que representam um perigo à saúde e ao meio ambiente, que devem ser tratados como materiais perigosos no que diz respeito ao seu descarte, ele também contém materiais não recicláveis partes que entram no fluxo de resíduos sólidos urbanos.

Dispositivos eletrônicos também contêm peças recuperáveis feitas de ouro, prata, platina, e outros materiais valiosos, bem como materiais recicláveis (como plásticos e cobre ), que podem ser usados para fazer novos itens eletrônicos.

Fonte: www.mingaudigital.com.br/www.rc.unesp.b/www.encyclopedia.com/www.mingaudigital.com.br/www.anbio.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Efeito La Niña

PUBLICIDADE Efeito La Niña – O que é Tradicionalmente, La Niña tem recebido menos atenção do que …

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Muitos processos de fabricação industrial usam ou produzem produtos químicos que podem prejudicar a …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.