Breaking News
Home / Meio Ambiente / Coleta Seletiva

Coleta Seletiva

PUBLICIDADE

Coleta Seletiva – Lixo

Coleta seletiva é separar o lixo para que seja enviado para reciclagem. Isso significa que os materiais recicláveis não devem ser descartados junto com outros tipos de lixo.

Ela pode ser feita por um cidadão sozinho ou organizada em comunidades: condomínios, empresas, escolas, clubes, cidades, etc.

coleta seletiva envolve a triagem dos resíduos recicláveis diretamente na fonte, por exemplo, o processo de triagem dos resíduos é feito diretamente pela pessoa que os gera, enquanto o transporte das duas frações (resíduos recicláveis e resíduos biodegradáveis) é feito pelos operadores de saneamento.

Enfim, a coleta seletiva é o termo utilizado para o recolhimento dos materiais que são passíveis de serem reciclados, previamente separados na fonte geradora.

coleta seletiva tanto pode ser realizada por uma pessoa sozinha, que esteja preocupada com o montante de lixo que estamos gerando, quanto por um grupo de pessoas (empresas, condomínios, escolas, cidades, etc.).

coleta seletiva contribui para a minimização de resíduos, pois, é um conceito que abrange mais do que a simples coleta seletiva e envio do lixo para reciclagem.

Portanto, a coleta seletiva de lixo é de extrema importância para a sociedade. Uma sociedade consciente e bem educada não gera lixo e sim materiais para reciclar, além de gerar renda para milhões de pessoas e economia para as empresa, também significa uma grande vantagem para o meio ambiente uma vez que diminui a poluição dos solos e rios.

Este tipo de coleta é de fundamental importância para o desenvolvimento sustentável do planeta.

Coleta Seletiva – O que é

Coleta Seletiva é o processo de separação e recolhimento dos resíduos conforme sua constituição: orgânico, reciclável e rejeito.

Para se proceder à Coleta Seletiva, é essencial que o material seja separado e acondicionado.

Os vasilhames (vidro, lata e plástico) devem ser enxaguados após o uso. Assim, evita-se o surgimento de cheiro e o aparecimento de animais, aumentando o valor de revenda.

Os papéis deverão estar secos e de preferência não amassados, pois ocupam menos espaço e têm mais valor.

As latas, além de limpas, deverão ter as tampas pressionadas para dentro e os materiais cortantes, como vidro quebrado e outros, devem ser embalados em papéis grossos (jornais, por exemplo) para evitar acidentes.

Este sistema de separação traz mais vantagens para o processo da reciclagem pois:

Melhora a qualidade dos materiais, evitando-se a mistura de componentes diferentes no lixo que podem tornar muitos materiais potencialmente recicláveis inúteis, aí sim irão virar lixo pela atitude mal pensada do gerador;
Facilita o controle de impactos ambientais;
Gera uma menor quantidade de rejeitos;
Necessita de menor área de instalação das usinas;
Proporciona menos gastos com esta instalação e com os equipamentos de separação, lavagem e secagem.

Benefícios

A reciclagem gera benefícios nos seguintes aspectos:

Sanitários: Contribui decisivamente para a melhoria da saúde pública

Ambientais

Evita a poluição do ambiente (água, ar e solos) provocada pelo lixo;
Aumenta a vida útil dos aterros sanitários, pois diminui a quantidade de resíduos a serem dispostos;
Diminui a exploração de recursos naturais, muitos não renováveis como o petróleo;
Reduz o consumo de energia;
É um grande passo para a conscientização de inúmeros outros problemas ecológicos

Econômicos

Representa uma grande atividade econômica indireta, tanto pela economia de recursos naturais quanto pela diminuição dos gastos com tratamento de doenças, controle da poluição ambiental e remediação de áreas degradadas e uso de espaços de reserva;
É também uma atividade econômica direta pela valorização, venda e processamento industrial de produtos descartados. – Diminui os gastos com a limpeza urbana;
Gera empregos para a população não qualificada;
Estimula a concorrência, uma vez que produtos fabricados a partir dos recicláveis são comercializados em paralelo àqueles feitos a partir de matérias-primas virgens;
Melhora a produção de compostos orgânicos, a partir da reciclagem de resíduos orgânicos (compostagem).

Sociais

A reciclagem garante ganhos sociais imensuráveis.

Por exemplo: Tem-se a geração de empregos diretos, a possibilidade de união e organização da força trabalhista mais desprestigiada e marginalizada (em cooperativas de reciclagem) e a oportunidade de incentivar a mobilização comunitária para o exercício da cidadania, em busca de solução de seus próprios problemas.

Contribui para a diminuição da marginalidade, pois auxilia a retirada das pessoas dos lixões, e para a melhoria da qualidade de vida

Educacionais

As atividades de reciclagem, quer industrial ou artesanal, bem como as centrais de triagem ou usinas de compostagem, têm fortes vínculos com a formação e educação ambientais de crianças, jovens e adultos. Essas instalações, além de serem unidades de tratamento do lixo, podem funcionar como grande laboratório de ciências para que professores e alunos tenham aulas práticas e discorram sobre as várias áreas e atividades relacionadas com a reciclagem do lixo urbano;
Mobilização e participação comunitária;

Educação Ambiental: Dá oportunidade aos cidadãos de preservarem a natureza de uma forma concreta. Assim, as pessoas se sentem mais responsáveis pelo lixo que geram.

Políticos e Institucionais: Um programa institucional (em nível nacional) seria um importante mecanismo para mobilizar as comunidades, criar parcerias com o poder público e ressaltar a participação indispensável do cidadão no sucesso e alcance dos objetivos do processo, além de destacar seus vários benefícios para a coletividade.

Coleta seletiva

coleta seletiva de lixo na área industrial é uma atividade educativa realizada junto aos colaboradores da Gerdau Açominas e que transcende aos limites da usina, chegando até a comunidade através das famílias e com a participação das escolas locais.

É usado o conceito dos 4 Rs: reduzir, reutilizar, reciclar e

repensar. Assim, é necessário consumir menos, evitar desperdícios, utilizar melhor os materiais e adotar nova postura em relação aos resíduos sólidos.

Os resíduos recicláveis gerados nas áreas administrativas e operacionais da Gerdau Açominas são encaminhados para uma unidade de segregação interna onde o material aproveitável é enfardado para comercialização com empresas especializadas, gerando um mínimo de materiais não aproveitáveis. Campanhas educativas são permanentemente atualizadas, levando os colaboradores a atuarem como catalisadores do processo em seu ambiente de trabalho e em suas casas.

O conceito de coleta seletiva de lixo também é trabalhado nas escolas da região. O programa Coleta Seletiva de Lixo Escolar é uma ação educativa que busca despertar uma consciência ambiental.

A proposta de se trabalhar o tema de coleta de lixo nas escolas é capacitar os alunos para:

Observar e analisar fatos e situações do ponto de vista ambiental, de modo crítico, reconhecendo a necessidade e as oportunidades de atuar para garantir um meio ambiente saudável e uma boa qualidade de vida;
Compreender a realidade e buscar soluções nas questões sociais;
Modificar atitudes pessoais, adotando posturas na escola, em casa e na comunidade;
Conscientizá-los sobre o problema do lixo, nas formas de coleta e destino, na reciclagem, nos comportamentos responsáveis de produção na escola, em casa e em todo lugar em comum.

Reciclagem dos Resíduos

reciclagem dos resíduos é mais bem alcançada quando existem sistemas de separação de cada tipo de material.

Este sistema de separação é chamado de Coleta Seletiva, que traz mais vantagens para o processo da reciclagem pois:

Melhora a qualidade dos materiais
Menor geração de rejeitos
Menor área de instalação das usinas
Menos gastos com esta instalação e com os equipamentos de separação, lavagem e secagem.

A Coleta Seletiva pode ser feita de diferentes maneiras (dependendo da política estabelecida pela administração local):

Porta-a-porta

Quando os resíduos são separados na fonte geradora, ou seja no local onde os resíduos são gerados (como por exemplo na sua casa, trabalho ou local de estudo) para depois serem recolhidos pela prefeitura.

PEV´s (Pontos de Entrega Voluntária) ou LEV´s (Locais de Entrega Voluntária)

São locais distribuídos em diferentes pontos da cidade (ou de uma empresa) com grupos de lixeiras diferenciadas por cores e/ou símbolos onde as pessoas depositam espontaneamente os resíduos recicláveis.

Unidades ou Centrais de Triagem

Locais onde é feita a separação dos materiais recicláveis ou do material orgânico para a compostagem. Quando não há Coleta Seletiva podem estar localizados nos locais de depósito final dos resíduos ou, para atender à Coleta Seletiva, estão distribuídos pela cidade. Mesmo quando há este tipo de coleta, são indispensáveis para separar cada tipo de material, possibilitando sua venda.

Por catadores ou carrinheiros

Os catadores separam os materiais recicláveis que chegam nos lixões ou aterros (quando isso é permitido) e os carrinheiros recolhem os recicláveis, informalmente, através do sistema porta em porta.

Trata-se de alternativas que não devem ser incentivadas, pois oferecem condições totalmente insalubres para estas pessoas. Os carrinheiros também correm riscos, por disputarem espaço com automóveis e ônibus nas ruas. Estas pessoas também são vistas com inferioridade pela sociedade! Entretanto, esta ainda é uma das formas mais utilizadas para sustentar a indústria de reciclagem no Brasil.

Quando há uma preocupação por parte da prefeitura e esta realiza parceria com associações de catadores, diminuem-se os riscos desta atividade, pois além de retirarem as pessoas dos lixões, promovem apoio a elas: local adequado de trabalho (espaço e equipamentos); maiores quantidades e melhor negociação dos materiais (qualidade do material), reconhecimento social etc.

A coleta porta-a-porta é a mais vantajosa. Primeiro por que a coleta do tipo PEV ou LEV não permite coletar uma quantidade significativa de materiais e, segundo, porque nas unidades de triagem a qualidade dos materiais é bem inferior, pois os materiais estão misturados entre si (principalmente com matéria orgânica), impossibilitando a reciclagem de muitos.

A Coleta Seletiva porta-a-porta, por sua vez, pode ser feita de duas maneiras:

Separar os resíduos de acordo com sua propriedade: recicláveis e não recicláveis;
Separar os tipos de resíduos: papel, plástico metal, vidro, matéria orgânica e perigosos.

Observação

Os resíduos perigosos devem ser separados SEMPRE, mesmo quando só se separa os recicláveis dos não recicláveis e têm destino diferente (ver destino do lixo).

Em Curitiba a primeira alternativa é a que configura a coleta seletiva existente. Esta situação está gradualmente sendo modificada, portanto, cabe a VOCÊ começar a modificar suas atitudes na separação do lixo.

Coleta Seletiva – Sistemas

Coleta seletiva

Existem algumas formas de coletas de materiais recicláveis.

O primeiro exemplo é o sistema de porta a porta onde os caminhões do serviço de limpeza passam recolhendo os materiais separados, como na coleta de lixo comum, mas em dias específicos.

O segundo exemplo é através da entrega voluntária (PEV) em postos de coleta distribuídos pela cidade nas escolas, praças, supermercados, etc., onde a população entrega os materiais separados nos respectivos coletores.

Hoje existem, também, empresas especializadas que retiram os materiais selecionados e encaminham para as usinas de reciclagens mediante contratos ou solicitações.

Este método é mais adequado às empresas onde o volume de material é maior.

GUIA DE MATERIAIS RECICLÁVEIS E NÃO RECICLÁVEIS

Plástico – cor padrão vermelho

Reciclável

Copos
Garrafas
Sacos/Sacolas
Frascos de produtos
Tampas
Potes
Canos e Tubos de PVC
Embalagens Pet (Refrigerantes, Suco, Óleo, Vinagre, etc).

Não Reciclável:

Tomadas
Cabos de Panelas
Adesivos
Espuma
Embalagens Metalizadas (Biscoitos e Salgadinhos)

Metal – Cor padrão amarelo

Reciclável

Tampinhas de Garrafas
Latas
Enlatados
Panelas sem cabo
Ferragens
Arames
Chapas
Canos
Pregos
Cobre

Não Reciclável:

Clipes
Grampos
Esponja de Aço
Aerossóis
Latas de Tinta
Latas de Verniz,
Solventes Químicos,
Inseticídas

Papel – Cor padrão azul

Reciclável

Jornais e Revistas
Listas Telefônicas
Papel Sulfite/Rascunho
Papel de Fax
Folhas de Caderno
Formulários de Computador
Caixas em Geral (ondulado)
Aparas de Papel
Fotocópias
Envelopes
Rascunhos
Cartazes Velhos

Não Reciclável:

Etiquetas Adesivas
Papel Carbono
Papel Celofane
Fita Crepe
Papéis Sanitários
Papéis Metalizados
Papéis Parafinados
Papéis Plastificados
Guardanapos
Bitucas de Cigarros
Fotografias

Vidro – Cor padrão verde

Reciclável:

Garrafas
Potes de Conservas
Embalagens
Frascos de Remédios
Copos
Cacos dos Produtos Citados
Pára-brisas

Não Reciclável:

Portas de Vidro
Espelhos
Boxes Temperados
Louças
Cerâmicas
Óculos
Pirex
Porcelanas
Vidros Especiais (tampa de forno e microondas)
Tubo de TV

Fonte: www.gerdau.com.br/www.tre-rn.gov.br/www.reciclarepreciso.hpg.ig.com.br/www.pucpr.br/www.lixo.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Efeito La Niña

PUBLICIDADE Efeito La Niña – O que é Tradicionalmente, La Niña tem recebido menos atenção do que …

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Muitos processos de fabricação industrial usam ou produzem produtos químicos que podem prejudicar a …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.