Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Meio Ambiente / Classificação do Lixo

Classificação do Lixo

PUBLICIDADE

De forma simples podemos classificar o lixo como seco ou molhado, orgânico ou inorgânico, como veremos a seguir:

O LIXO SECO

É composto pelos papéis, plásticos, metais, couros tratados, tecidos, vidros, madeiras, isopor, parafina, cerâmicas, porcelanas, espumas, cortiças e etc.

LIXO MOLHADO

É aquele composto por restos de comida, alimentos estragados, cascas e bagaços de vegetais, etc.

O LIXO ORGÂNICO

É composto por toda matéria orgânica descartada, como os restos de alimentos, borra de café, folhas e galhos de árvores, pelos de animais, cabelo humano, papel, madeira, tecidos, etc.

O LIXO INORGÂNICO

É composto por matéria inorgânica como os metais e os materiais sintéticos, por exemplo.

Uma classificação mais detalhada do lixo pode ser feita quanto à sua tipologia, suas características físicas, químicas e biológicas.

Quanto à sua TIPOLOGIA o lixo pode ser de origem urbana, agrícola ou especial.

O LIXO URBANO pode ser:

DOMICILIAR

É formado pelos resíduos sólidos produzidos pelas atividades residenciais e apresenta em torno de 60% de composição orgânica e o restante formado por embalagens plásticas, latas, vidros, papéis, etc.

COMERCIAL

Varia de acordo com a atividade desenvolvida no estabelecimento de origem. No caso de bares, restaurantes e hotéis predomina o lixo de origem orgânica enquanto os escritórios geram lixo onde predomina o papel.

PÚBLICO

É aquele resultante das atividades de limpeza de vias e logradouros públicos e é composto por papéis, terra, folhas, etc.

LIXO AGRÍCOLA

É aquele composto pelos resíduos das atividades agropecuárias.

Embalagens de adubos, defensivos agrícolas, restos de ração, restos de colheita, estrume, etc.. Atenção especial deve ser dada as embalagens de defensivos agrícolas que merecem um tratamento adequado. Também o estrume produzido em atividades de criação intensiva devem merecer o devido tratamento devido ao grande volume de produção.

LIXO ESPECIAL

Apresenta características especiais, passa a merecer, por tanto, atenção diferenciada no seu acondicionamento, transporte, manipulação e disposição. São eles os resíduos industriais, os gerados pela construção civil, os de serviços de saúde, os lixos radioativos, os de portos, aeroportos e terminais ferroviários e rodoviários.

O LIXO INDUSTRIAL

É aquele composto pelos resíduos sólidos produzidos nos processos industriais e suas características dependem diretamente do tipo de indústria e do tipo de processo utilizado. Porém nem sempre todo o resíduo produzido numa indústria é lixo. Ao contrário, podem ser sub-produtos que servirão de matéria prima para outros processos industriais.

Noutros casos a natureza dos resíduos produzidos por algumas indústrias, como padarias e confecções por exemplo, são de natureza idêntica à do lixo domiciliar, porém produzidos em maior escola. Os resíduos industrias que são lixo e merecem tratamento especial são aqueles que oferecem qualquer risco ao meio ambiente e à saúde da população, resultantes da atividade industrial ou do tratamento de seus efluentes (GLOSSÁRIO) , líquidos e gasosos.

O LIXO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE

É proveniente dos hospitais, centros cirúrgicos, ambulatórios, postos médicos, consultórios médicos e odontológicos, clínicas, farmácias e laboratórios.

Eles podem ser:

Resíduos infectantes ou lixo séptico

sangue e hemoderivados, animais utilizados em experimentações, bem como os materiais que tenham entrado em contato com os mesmos, excreções, secreções e líquidos orgânicos, meios de cultura, tecidos, órgãos, fetos, peças anatômicas, filtros de gases aspirados de áreas contaminadas, resíduos advindos de áreas de isolamento, de laboratórios de análises clínicas, de unidades de atendimento ambulatorial, resíduos de sanitários de unidades de internações de enfermaria, etc.

Resíduos comuns

Resíduos de atividades administrativas, dos serviços de varrição e limpeza, restos de alimentos que não tiveram contato com os pacientes, etc.

Rejeitos radioativos

Materiais radioativos ou contaminados com radionuclídeos, provenientes de laboratórios de análises clínicas, serviços de medicina nuclear e radioterapia.

Os resíduos infectantes compõem um pequeno percentual do lixo dos serviços de saúde, mas por oferecerem periculosidade real ou potencial à saúde humana recomenda-se sua esterilização (autoclavagem ou incineração) antes da disposição final. Os que trazem elementos cortantes ou perfurantes, capazes de promover qualquer lesões, como agulhas, bisturis e ampolas, devem ser previamente acondicionados em recipientes rígidos estanques e vedados. Os resíduos comuns, que não oferecem qualquer risco, podem receber a mesma destinação do lixo domiciliar.

LIXO RADIOATIVO

É formado por rejeitos radioativos provenientes dos serviços de saúde e das atividades industriais e é matéria regida pela Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN. (LINK)

4. O lixo proveniente de PORTOS, AEROPORTOS, TERMINAIS FERROVIÁRIOS E RODOVIÁIRIAS deve merecer cuidados especiais, o que é justificável como medida de controle e prevenção da introdução de agentes causadores de doenças ou epidemias.

Quanto as CARACTERÍSTICAS FÍSICAS o lixo deve ser analisado quanto:

A composição gravimétrica, que demonstra o percentual de cada componente (papel, vidro, metais, etc.) em relação ao peso total do lixo

O peso específico que é o peso dos resíduos em função do volume ocupado por eles

O teor de umidade que representa a quantidade relativa de água contida na massa de lixo, que varia de acordo com a composição do lixo, com a estação do ano e com a incidência de chuvas

A compressividade ou grau de compactação que indica a redução de volume que a massa de lixo pode sofrer quando submetida à uma determinada pressão

A produção per capita que relaciona a quantidade de lixo gerado com o número de habitantes da região. Este índice está diretamente relacionado com o padrão de consumo e o poder aquisitivo.

Quanto as CARACTERÍSTICAS QUÍMICAS o lixo pode ser analisado de acordo com:

O poder calorífico que é a quantidade de calor liberada durante a combustão de 1 kg de lixo, sob condições controladas;

O potencial de hidrogênio (pH) que indica o teor de acidez ou alcalinidade do material;

A reação carbono/nitrogênio (C/N) que indica a degradabilidade e o grau de decomposição da fração orgânica do lixo;

E o teor de matéria orgânica que representa a quantidade, em peso seco, de matéria orgânica contida na massa do lixo. Compreende tanto matéria orgânica putrescível (restos de alimento, animais mortos, etc.) como não putrescível (papel, madeira, tecidos, etc.).

As CARACTERÍSTICAS BIOLÓGICAS são determinadas pelo estudo da população microbiana e dos agentes patogênicos presentes no lixo.

Fonte: www.pontoterra.org.br

Classificação do Lixo

A palavra lixo, derivada do termo latim lix, significa “cinza”. No dicionário, ela é definida como sujeira, imundice, coisa ou coisas inúteis, velhas, sem valor. Lixo, na linguagem técnica, é sinônimo de resíduos sólidos e é representado por materiais descartados pelas atividades humanas. Desde os tempos mais remotos até meados do século XVIII, quando surgiram as primeiras indústrias na Europa, o lixo era produzido em pequena quantidade e constituído essencialmente de sobras de alimentos.

A partir da Revolução Industrial, as fábricas começaram a produzir objetos de consumo em larga escala e a introduzir novas embalagens no mercado, aumentando consideravelmente o volume e a diversidade de resíduos gerados nas áreas urbanas. O homem passou a viver então a era dos descartáveis em que a maior parte dos produtos — desde guardanapos de papel e latas de refrigerante, até computadores — são inutilizados e jogados fora com enorme rapidez.

Ao mesmo tempo, o crescimento acelerado das metrópoles fez com que as áreas disponíveis para colocar o lixo se tornassem escassas. A sujeira acumulada no ambiente aumentou a poluição do solo, das águas e piorou as condições de saúde das populações em todo o mundo, especialmente nas regiões menos desenvolvidas. Até hoje, no Brasil, a maior parte dos resíduos recolhidos nos centros urbanos é simplesmente jogada sem qualquer cuidado em depósitos existentes nas periferias das cidades.

A questão é: o que fazer com tanto lixo?

Felizmente, o homem tem a seu favor várias soluções para dispor de forma correta, sem acarretar prejuísos ao ambiente e à saúde pública. O ideal, no entanto, seria que todos nós evitássemos o acúmulo de detritos, diminuindo o desperdício de materiais e o consumo excessivo de embalagens.

Nos últimos anos, nota-se uma tendência mundial em reaproveitar cada vez mais os produtos jogados no lixo para fabricação de novos objetos, através dos processos de reciclagem, o que representa economia de matéria prima e de energia fornecidas pela natureza. Assim, o conceito de lixo tende a ser modificado, podendo ser entendido como “coisas que podem ser úteis e aproveitáveis pelo homem”.

Do livro “Lixo – De onde vem? Para onde vai?” de Francisco Luiz Rodrigues e Vilma Maria Gravinatto – Ed. Moderna

Para determinar a melhor tecnologia para tratamento, aproveitamento ou destinação final do lixo é necessário conhecer a sua classificação.

Lixo urbano

Formado por resíduos sólidos em áreas urbana, inclua-se aos resíduos domésticos, os efluentes industriais domiciliares (pequenas industria de fundo de quintal) e resíduos comerciais.

Lixo domiciliar

Formado pelos resíduos sólidos de atividades residenciais, contém muita quantidade de matéria orgânica, plástico, lata, vidro.

Lixo comercial

Formado pelos resíduos sólidos das áreas comerciais Composto por matéria orgânica, papéis, plástico de vários grupos.

Lixo público

Formado por resíduos sólidos produto de limpeza pública (areia, papéis, folhagem, poda de árvores).

Lixo especial

Formado por resíduos geralmente industriais, merece tratamento, manipulação e transporte especial, são eles, pilhas, baterias, embalagens de agrotóxicos, embalagens de combustíveis, de remédios ou venenos.

Lixo industrial

Nem todos os resíduos produzidos por industria, podem ser designados como lixo industrial. Algumas industrias do meio urbano produzem resíduos semelhantes ao doméstico, exemplo disto são as padarias; os demais poderão ser enquadrados em lixo especial e ter o mesmo destino.

Lixo de serviço de saúde (RSSS)

Os serviços hospitalares, ambulatorias, farmácias, são geradores dos mais variados tipos de resíduos sépticos, resultados de curativos, aplicação de medicamentos que em contato com o meio ambiente ou misturado ao lixo doméstico poderão ser patógenos ou vetores de doenças, devem ser destinados a incineração.

Lixo atômico

Produto resultante da queima do combustível nuclear, composto de urânio enrriquecido com isótopo atômico 235. A elevada radioatividade constitui um grave perigo à saúde da população , por isso deve ser enterrado em local próprio, inacessível.

Lixo espacial

Restos provenientes dos objetos lançados pelo homem no espaço, que circulam ao redor da Terra com a velocidade de cerca de 28 mil quilômetros por hora. São estágios completos de foguetes, satélites desativados, tanques de combustível e fragmentos de aparelhos que explodiram normalmente por acidente ou foram destruídos pela ação das armas anti-satélites.

Lixo radioativo

Resíduo tóxico e venenoso formado por substâncias radioativas resultantes do funcionamento de reatores nucleares. Como não há um lugar seguro para armazenar esse lixo radioativo, a alternativa recomendada pelos cientistas foi colocá-lo em tambores ou recipientes de concreto impermeáveis e a prova de radiação, e enterrados em terrenos estáveis, no subsolo.

Fonte: www.lixo.com.br

Classificação do Lixo

COMO PODE SER CLASSIFICADO O LIXO OU RESÍDUO SÓLIDO?

Existem várias formas de classificá-lo:

Por sua composição química: matéria orgânica e matéria inorgânica.

Por sua natureza física: seco e molhado.

Pelos riscos potenciais à saúde pública e ao meio ambiente: perigosos, não inertes e inertes.

Quanto a sua origem: domiciliar, comercial, de varrição e feiras livres, de serviços de saúde e hospitalar, de aeroportos e terminais rodoviários e ferroviários, industriais, agrícolas e entulhos.

O QUE É PERICULOSIDADE DE UM RESÍDUO?

É a característica apresentada por um resíduo, que, em função de suas propriedades físicas, químicas ou infecto-contagiosas, pode apresentar:

A – ) risco à saúde pública, provocando ou acentuando, de forma significativa, um aumento de mortalidade ou incidência de doenças, e/ou;

B – ) riscos ao meio ambiente, quando o resíduo é manuseado ou destinado de forma inadequada.

QUAIS SÃO AS CLASSES DE RESÍDUOS ADOTADAS NO BRASIL?

A classificação dos resíduos é regulamentada pela ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas, através da NBR 10004, de SET/ 1987- RESÍDUOS SÓLIDOS – CLASSIFICAÇÃO, que classifica os resíduos quanto aos seus riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública, para que estes resíduos possam ter manuseio e destinação adequados.

São adotados:

A – ) resíduos classe I: Perigosos: Apresentam periculosidade ou uma das seguintes características: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade e patogenicidade. Ex: baterias, produtos químicos.
B – ) resíduos classe II:
Não Inertes: Não se enquadram como resíduos classe I – Perigosos ou resíduos classe III – Inertes e podem ter as seguintes propriedades: combustibilidade, biodegradabilidade ou solubilidade em água. Ex: matéria orgânica e papel.
C – ) resíduos classe III
: Inertes: Não têm constituinte algum solubilizado em concentração superior ao padrão de potabilidade de águas. Ex: rochas, tijolos, vidros e certos plásticos e borrachas que não são decompostos prontamente.

O QUE É COLETA OU COLETA DE RESÍDUOS SÓLIDOS?

É o ato de recolher e transportar resíduos sólidos de qualquer natureza, utilizando veículos e equipamentos apropriados para tal fim.

O QUE É COLETA DOMICILIAR?

É a Coleta regular dos resíduos gerados nas atividades diárias nas residências, bem como em estabelecimentos comerciais, industriais e de prestação de serviços, cujos volumes e características sejam compatíveis com a legislação municipal vigente. É constituído por restos de alimentos (cascas de frutas, verduras, sobras, etc.), produtos deteriorados, jornais, e revistas, garrafas, embalagens em geral, papel higiênico, fraldas descartáveis e uma grande diversidade de outros itens.

Contém, ainda, alguns resíduos que podem ser tóxicos.É de responsabilidade das Prefeituras.

QUAIS RESÍDUOS DOMICILIARES PODEM SER TÓXICOS (PERIGOSOS – CLASSE I)?

Os resíduos domésticos potencialmente perigosos incluem:

Material para pintura: tintas, solventes, pigmentos, vernizes.

Materiais para jardinagem e animais domésticos: pesticidas, inseticidas, repelentes, herbicidas.

Materiais automotivos: óleos lubrificantes, fluidos de freios e de transmissão, baterias.

Outros itens: pilhas, frascos de aerossóis em geral, lâmpadas fluorescentes. As pilhas e as lâmpadas fluorescentes são consideradas como resíduos perigosos por conterem metais pesados que podem migrar e integrar-se à cadeia alimentar do homem.O motivo de certos tipos de frascos de aerossóis serem considerados perigosos são os restos de substâncias químicas perigosas que alguns produtos contêm, quando descartados. Com o seu rompimento, tais substâncias são liberadas e podem contaminar o meio ambiente, atingindo as águas superficiais ou subterrâneas, ou migrando pelo ar.

O QUE É COLETA DE LIXO COMERCIAL?

É a coleta dos resíduos originados nos estabelecimentos comerciais e de serviços, em quantidades superiores ao permitido pela legislação municipal e passível de ser removido pela coleta domiciliar regular. É proveniente de lojas, padarias, bares, restaurantes, supermercados, estabelecimentos bancários, etc.É de responsabilidade das Prefeituras, desde que em pequenas quantidades e devidamente embalados, de acordo com legislação municipal vigente. (em geral de 50 a 100 kg por dia). Acima destas quantidades a responsabilidade é do gerador.

O QUE É COLETA DE LIXO PÚBLICO?

É a coleta dos resíduos originados dos serviços de:

Limpeza pública urbana, incluindo-se todos os resíduos de varrição de vias públicas;

Limpeza de praias, galerias, córregos e terrenos;

Restos de podas de árvores;

Corpos de animais;

Limpeza de áreas de realização de feiras livres, etc.É de responsabilidade das Prefeituras.

O QUE É COLETA DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE?

É a Coleta de Resíduos provenientes de hospitais, clínicas, laboratórios, clínicas médicas e veterinárias, postos de saúde e outros estabelecimentos com atividades assemelhadas e que contêm ou potencialmente podem conter germes patogênicos. Constituem-se de agulhas, seringas, órgãos e tecidos removidos, meios de culturas e animais usados em testes, sangue coagulado, luvas descartáveis, remédios com prazo de validade vencido, filmes fotográficos de raios X , etc.Os resíduos assépticos desses locais, constituídos por papéis, restos de preparação de alimentos, restos de limpeza geral e outros materiais, desde que coletados segregadamente e que não entrem em contato direto com pacientes ou com os resíduos sépticos própriamente ditos, são semelhantes aos resíduos domiciliares. É de responsabilidade do gerador, mas, geralmente é executado pelas Prefeituras.

COMO É CLASSIFICADO OS RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE?

São classificados de acordo com a NBR 12808 de janeiro/1998:

Classe A – Resíduos Infectantes

Tipo A 1 – Biológico: Cultura, inóculo, mistura de microorganismos e meio de cultura inoculado proveniente de laboratório clínico ou de pesquisa, vacina vencida ou inutilizada, filtro de gases aspirados de áreas contaminadas por agentes infectantes e qualquer resíduo contaminado por estes materiais;
Tipo A 2 – Sangue e hemoderivados:
Bolsa de sangue após transfusão, com prazo de validade vencido ou sorologia positiva, amostra de sangue para análise, soro, plasma e outros subprodutos;
Tipo 3 – Cirúrgico, anatomopatológico e exsudato:
Tecido, órgão, feto, peça anatômica, sangue e outros líquidos orgânicos resultantes de cirurgia, necropsia e resíduos contaminados por estes materiais;
Tipo A 4 – Perfurante ou cortante:
Agulha, ampola, pipeta, lâmina de bisturi e vidro;
Tipo A 5 – Animal contaminado:
Carcaça ou parte de animal inoculado, exposto à microorganismos patogênicos ou portador de doença infecto-contagiosa, bem como resíduos que tenham estado em contato com este;
Tipo A 6 – Assistência ao paciente:
Secreções, excreções e demais líquidos orgânicos procedentes de pacientes, bem como os resíduos contaminados por estes materiais, inclusive restos de refeições;

Classe B – Resíduo especial

Tipo B1 – Rejeito radioativo: Material radioativo ou contaminado, com radionuclídeos proveniente de laboratório de análises clínicas, serviços de medicina nuclear e radioterapia.
Tipo B 2 – Resíduo químico perigoso: Esses resíduos são classificados como perigosos à saúde humana, em função das suas características,
como: patogenicidade, corrosividade, reatividade, inflamabilidade, toxidade, explosividade e radioatividade
Classe C – Resíduo comum:
Todos aqueles que não se enquadram nos tipos A e B e que, por sua semelhança aos resíduos domésticos, não oferecem risco adicional à saúde pública. Por exemplo: resíduo de atividade administrativa, dos serviços de varrição e limpeza de jardins e restos alimentares que não entraram em contato com pacientes.

O QUE É COLETA DE RESÍDUO INDUSTRIAL?

É a Coleta de resíduos originados nas atividades dos diversos ramos da indústria, tais como metalúrgica, química, petroquímica, alimentícia, etc. É bastante variado, podendo ser representado por cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papéis, madeiras, fibras, metais, borrachas, metais, escórias, vidros, etc. Nesta categoria, inclui-se a grande maioria dos resíduos classe I – Perigosos. É de responsabilidade do gerador.

O QUE É COLETA DE RESÍDUO AGRÍCOLA?

É a Coleta dos resíduos sólidos das atividades agrícolas e da pecuária. Incluem embalagens de fertilizantes e de defensivos agrícolas, rações, restos de colheitas, etc. Em várias regiões do mundo, estes resíduos já constituem uma preocupação crescente, destacando-se as enormes quantidades de esterco animal geradas nas fazendas de pecuária intensiva.As embalagens de agroquímicos, geralmente altamente tóxicos, têm sido alvo de legislação específica quanto aos cuidados na sua coleta e destinação final. A tendência mundial, neste particular, é para a co-responsabilidade da indústria fabricante nesta tarefa. É de responsabilidade do gerador.

O QUE É COLETA DE ENTULHO?

É a Coleta do resíduo da construção civil, composto por materiais de demolições, restos de obras, solos de escavações diversas, etc. O entulho é geralmente um material inerte, passível de reaproveitamento, porém, pode conter uma vasta gama de materiais que podem lhe conferir toxidade, com destaque para os restos de tintas e de solventes, peças de amianto e metais diversos, cujos componentes podem ser remobilizados caso o material não seja disposto adequadamente.É de responsabilidade do gerador.

Fonte: www.vega.com.br

Classificação do Lixo

Classificação do Lixo

Lixo é basicamente todo e qualquer resíduo sólido proveniente das atividades humanas ou o que é gerado pela natureza em aglomerações urbanas, como folhas, galhos de árvores, terra e areia espalhados pelo vento.

Classificação do lixo

Quanto às características físicas

1. Seco: papéis, plásticos, metais, couros tratados, tecidos, vidros, madeiras, guardanapos, tolhas de papel, pontas de cigarro, isopor, lâmpadas, parafina, cerâmicas, porcelana, espumas e cortiças.
2. Molhado: restos de comida, cascas e bagaços de frutas e verduras, ovos, legumes, alimentos estragados, etc…

Quanto à composição química

1. Orgânico: É composto por pó de café e chá, cabelos, restos de alimentos, cascas e bagaços de frutas e verduras, ovos, legumes, alimentos estragados, ossos, aparas e podas de jardim.
2. Inorgânico
: Composto por produtos manufaturados como plásticos, vidros, borrachas, tecidos, metais (alumínio, ferro, etc.), tecidos, isopor, lâmpadas, velas, parafina, cerâmicas, porcelana, espumas, cortiças, etc.

Quanto à origem

Domiciliar: Originado da vida diária das residências, constituído por restos de alimentos (tais como cascas de frutas, verduras, etc.), produtos deteriorados, jornais, revistas, garrafas, embalagens em geral, papel higiênico, fraldas descartáveis e uma grande diversidade de outros ítens. Pode conter alguns resíduos tóxicos.
Comercial
: Originado dos diversos estabelecimentos comerciais e de serviços, tais como supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares, restaurantes, etc.
Público e de Serviços de Saúde:
Originados dos serviços de limpeza urbana, incluindo todos os resíduos de varrição das vias públicas, limpeza de praias, galerias, córregos, restos de podas de plantas, limpeza de feiras livres, constituído por restos de vegetais diversos, embalagens, etc.
Hospitalar:
Descartados por hospitais, farmácias, clínicas veterinárias (algodão, seringas, agulhas, restos de remédios, luvas, curativos, sangue coagulado, órgãos e tecidos removidos, meios de cultura e animais utilizados em testes, resina sintética, filmes fotográficos de raios X). Em função de suas características, merece um cuidado especial em seu acondicionamento, manipulação e disposição final. Deve ser incinerado e os resíduos levados para aterro sanitário.
Portos, Aeroportos, Terminais Rodoviários e Ferroviários:
Resíduos sépticos, ou seja, que contêm ou potencialmente podem conter germes patogênicos. Basicamente originam-se de material de higiene pessoal e restos de alimentos, que podem hospedar doenças provenientes de outras cidades, estados e países.
Industrial: Originado nas atividades dos diversos ramos da indústria, tais como:
o metalúrgico, o químico, o petroquímico, o de papelaria, da indústria alimentícia, etc. O lixo industrial é bastante variado, podendo ser representado por cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papel, madeira, fibras, borracha, metal, escórias, vidros, cerâmicas. Nesta categoria, inclui-se grande quantidade de lixo tóxico. Esse tipo de lixo necessita de tratamento especial pelo seu potencial envenenamento.
Radioativo:
Resíduos provenientes da atividade nuclear (resíduos de atividades com urânio, césio, tório, radônio, cobalto), que devem ser manuseados apenas com equipamentos e técnicos adequados.
Agrícola:
Resíduos sólidos das atividades agrícolas e pecuárias, como embalagens de adubos, defensivos agrícolas, ração, restos de colheita, etc. O lixo proveniente de pesticidas é considerado tóxico e necessita de tratamento especial.
Entulho:
Resíduos da construção civil: demolições e restos de obras, solos de escavações. O entulho é geralmente um material inerte, passível de reaproveitamento.

Características físicas do lixo

Composição gravimétrica: Traduz o percentual de cada componente em relação ao peso total do lixo
Peso específico:
É o peso dos resíduos em função do volume por eles ocupados, expresso em kg;/m³. Sua determinação é fundamental para o dimensionamento de equipamentos e instalações
Teor de umidade
Esta característica tem influência decisiva, principalmente nos processos de tratamento e destinação do lixo. Varia muito em função das estações do ano e da incidência de chuvas
Compressividade:
Também conhecida como grau de compactação, indica a redução de volume que uma massa de lixo pode sofrer, quando submetida a uma pressão determinada. A compressividade do lixo situa-se entre 1:3 e 1:4 para uma pressão equivalente a 4 kg/cm2 . Tais valores são utilizados para dimensionamento de equipamentos compactadores.

Chorume

Substância líquida decorrente da decomposição de material orgânico.

COLETA E DISPOSIÇÃO FINAL DO LIXO

O lixo é coletado pelas prefeituras ou por uma companhia particular e levado a um depósito, juntamente com o lixo de outras residências da área. Lá pode haver uma certa seleção. Sobras de metal, por exemplo, são separadas e reaproveitadas.

O resto do lixo é enterrado em aterros apropriados. A grande São Paulo descarta 59% do seu por esse processo. E, para os lixões, seguem 23%. Além dos aterros sanitários, existem outros processos na destinação do lixo, como, por exemplo, as usinas de compostagem, os incineradores e a reciclagem.

Os aterros sanitários

É o modo mais barato de eliminar resíduos, mas depende da existência de locais adequados. Esse método consiste em armazenar os resíduos, dispostos em camadas, em locais escavados. Cada camada é prensada por máquinas, até alcançar uma altura de 3 metros. Em seguida, a camada é coberta por outra de terra e volta a ser comprimida. É fundamental escolher o terreno adequado, para que não haja contaminação nem na superfície, nem nos lençóis subterrâneos.

Incineradores

Os convencionais são fornos, nos quais se queimam os resíduos. Além de calor, a incineração gera dióxido de carbono, óxidos de enxofre e nitrogênio, dioxinas e outros contaminantes gasosos, cinzas voláteis e resíduos sólidos que não se queimam. É possível controlar a emissão de poluentes mediante processos adequados de limpeza dos gases. É um processo de queima controlada, que reduz o lixo a uma quantidade mínima de cinzas a serem depositadas em aterros sanitários. Os incineradores são a única solução para o lixo hospitalar.

Usinas de Compostagem

É o equipamento que permite a decomposição biológica do material orgânico contido no lixo, resultando num produto estável, útil, como recondicionador do solo agrícola, chamado composto orgânico. Incorporado aos solos cultivados, o composto melhora bastante suas propriedades físicas, químicas e biológicas.

Reciclagem

Consiste em reaproveitar todos os artigos que normalmente seriam jogados no lixo.

Fonte: inema.com.br

Classificação do Lixo

São várias as formas de classificar o lixo.

Por Exemplo:

1. Por sua natureza física:

Este tipo de classificação é usado, para facilitar a escolha do tipo de embalagem e o tipo de transporte usado na coleta do lixo.

Seco – papeis, plásticos, metais, couros tratados, tecidos, vidros, madeiras,Cerâmicas, guardanapos e tolhas de papel, pontas de cigarro. isopor, lâmpadas, parafina, cerâmicas, porcelana, espumas, cortiças.

Molhado – restos de comidas, cascas e bagaços de frutas e verduras, ovos, legumes, alimentos estragados, etc…

2. Por sua composição química:

Orgânico – é composto de pó de café e chá, cabelos, restos de alimentos, cascas e bagaços de frutas e verduras, ovos, legumes, alimentos estragados, ossos, aparas e podas de jardim.

Inorgânico- composto por produtos manufaturados como plásticos, vidros, borrachas, tecidos, metais, alumínio, tecidos, isopor, lâmpadas, velas, parafina, cerâmicas, porcelana, espumas, cortiças, etc.

3. Pela sua origem:

Domiciliar: Aquele originado da vida diária das residências, constituído por restos de alimentos (tais como, cascas de frutas, verduras, etc.), produtos deteriorados, jornais, revistas, garrafas, embalagens em geral, papel higiênico, fraldas descartáveis e uma grande diversidade de outros itens. Pode conter alguns resíduos tóxicos.

Comercial: Aquele originado dos diversos estabelecimentos comerciais e de serviços, tais como, supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares, restaurantes, etc.
O lixo destes estabelecimentos e serviços tem uma quantidade de papel, plásticos, embalagens diversas e resíduos de asseio dos funcionários e usuários, tais como papéis toalha, guardanapos, papel higiênico, etc.

Público e de Serviços de Saúde: Aquele originado dos serviços de limpeza urbana, incluindo todos os resíduos de varrição das vias públicas, limpeza de praias, galerias, córregos, restos de podas de plantas, limpeza de feiras livres, etc.. constituído por restos de vegetais diversos, embalagens etc.

Hospitalar: Descartados por hospitais, farmácias, clínicas veterinárias, (algodão, seringas, agulhas, restos de remédios, luvas, pedaços de corpos, curativos, sangue coagulado, órgãos e tecidos removidos, meios de cultura e animais utilizados em testes, resina sintética, filmes fotográficos de raio X). Em função de suas características merece um cuidado especial em seu acondicionamento, manipulação e disposição final. Deve ser incinerado e os resíduos levados para aterro sanitário.
Resíduos assépticos destes locais, constituídos por papéis, restos da preparação de alimentos, resíduos de limpezas gerais (pós, cinzas, etc.), e outros materiais que não entram em contato direto com pacientes ou com resíduos sépticos anteriormente descritos, são considerados como domiciliares.

Portos, Aeroportos, Terminais Rodoviários e Ferroviários: Constituem resíduos sépticos, ou seja, que contêm ou potencialmente podem conter germes patogênicos. Basicamente originam-se de material de higiene pessoal e restos de alimentos, que podem hospedar doenças de outras cidades, estados e países.

Industrial: Aquele originado nas atividades dos diversos ramos da indústria, tais como, metalúrgica, química, petroquímica, papelaria, alimentícia, etc.
O lixo industrial é bastante variado, podendo ser representado por cinzas, lodos, óleos, resíduos alcalinos ou ácidos, plásticos, papel, madeira, fibras, borracha, metal, escórias, vidros, cerâmicas. Nesta categoria inclui-se grande quantidade de lixo tóxico. Esses tipo de lixo necessita de tratamento especial pelo seu potencial envenenamento.

Radioativo: São resíduos provenientes da atividade nuclear (resíduos de atividades com urânio, césio, tório, radônio, cobalto). Esses resíduos permanecem em atividades por milhares de anos, e seu tratamento e disposição final obedecerão às exigências definidas pela Comissão Nacional de Energia Nuclear – CNEN

Espacial (lixo cósmico): Pedaços de satélites, foguetes, tanques de combustível, parafusos, ferramentas, luvas perdidas por astronautas, etc.

Agrícola: Resíduos sólidos das atividades agrícolas e pecuárias, como embalagens de adubos, defensivos agrícolas, ração, restos de colheita, etc.Em várias regiões do mundo estes resíduos já constituem uma preocupação crescente, destacando-se as enormes quantidades de esterco animal geradas nas fazendas de pecuária intensiva. Também as embalagens de agroquímicos diversos, em geral altamente tóxicos, têm sido alvo de legislação específica, definindo os cuidados no seu destino final e, por vezes, co-responsabilizando a própria indústria fabricante desses produtos.

Entulho: Resíduos da construção civil: demolições e restos de obras, solos de escavações. O entulho é geralmente um material inerte, passível de reaproveitamento.

Fonte: www.geocities.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Dragagem

Dragagem

Draga é um navio usado para escavar material, sob o nível da água, e aumentando o material extraído da superfície.

Fitorremediação

Fitorremediação

PUBLICIDADE O fitorremediação é a descontaminação de solo, o tratamento de águas residuais ou de …

Buraco na Camada de Ozônio

Buraco na Camada de Ozônio

PUBLICIDADE Os furos na camada de ozono, são causados pelo aumento das concentrações de produtos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+