Breaking News
Home / Meio Ambiente / Ecobags

Ecobags

PUBLICIDADE

 

Ecobags

Ecobags

Substitutas de sacolas plásticas não são tãoecológicas quanto se pensava

Não é de hoje que as sacolas plásticas desempenham papel importante na vida das pessoas. As mais simples são aproveitadas para colher o lixo doméstico e as mais sofisticadas para carregar livros, casacos, guarda-chuvas e outros objetos extras do dia-a-dia, que não cabem na bolsa.

Quando os sacos de plástico foram adotados, no final da década de 1950, pelos supermercados, pareciam ser a solução definitiva para o transporte de carne, frutas e alimentos em geral. A ideia era tão boa que logo se espalhou para todo tipo de comércio. Hoje, é praticamente impossível fazer qualquer compra numa farmácia, padaria, feira e até boutique, sem trazer uma sacola de plástico para casa. Elas até seriam aprovadas com mérito se não representassem um grande problema para o meio ambiente.

Essas sacolas são feitas de resinas sintéticas derivadas do petróleo. Não são biodegradáveis, ou seja, levam séculos para se decompor na natureza. Quando são abandonadas em vazadouros, impedem a passagem da água, retardam a decomposição dos materiais biodegradáveis e dificultam a compactação dos detritos.

Esses sacos ainda contribuem intensamente para a formação de zonas mortas de até 70 mil quilômetros quadrados no fundo dos oceanos. Nos mares, também podem matar animais como tartarugas, que são vítimas frequentes, pois confundem o material com as medusas, sua presa natural.

Ecobags – bonitinhas e nem tanto ecológica

Com o objetivo de criar alternativas mais ecológicas para o problema do consumo excessivo de sacolas plásticas, além de incentivar pessoas a adotar uma nova postura com relação ao meio ambiente, foram criadas as ecobags.

Sacolas permanentes, as ecobags são produzidas com algodão (uma das plantas com aproveitamento mais completo por oferecer variados produtos de utilidade). Considera-se o algodão a mais importante das fibras têxteis, naturais ou artificiais. A fibra provém de uma planta denominada algodoeiro.

Além de bonitas e reutilizáveis, as ecobags são feitas de materiais que se decompõem em menos tempo, algumas em até dois anos. Porém um estudo divulgado pela Agência do Meio Ambiente britânica revelou que o PEAD (polietileno de alta densidade) utilizado nas ecobags causa mais impacto ambiental do que os utilizados na produção das sacolas plásticas.

De acordo com a análise – que tinha por objetivo descobrir qual desses materiais tem o menor impacto ambiental -, as sacolas de algodão são 200 vezes mais prejudiciais ao clima do que os sacos de polietileno. O estudo sugere que para conseguir equilibrar o impacto de cada saquinho, os consumidores teriam que usar a mesma sacola de algodão em todos os dias úteis do ano, ou sacolas de papel, o que obviamente não acontece atualmente.

Uma bolsa a cada compra

A maioria das pessoas compra as ecobags e não utiliza constantemente. Elas ficam esquecidas nos armários e em alguns casos, o consumidor chega a comprar uma sacola por vez que vai às compras, aumentando a demanda.

O relatório mostrou que os sacos de papel são usados só uma vez. Já os de algodão vão ao supermercado 51 vezes antes de ser descartados.

Que tipo de saco usar?

Todo saco causa impacto ao meio ambiente, sendo assim, a melhor solução ainda é utilizar o carrinho de compras ou boas sacolas de palha, daquelas que se encontram com a maior facilidade nas feiras e mercados brasileiros. Outra opção é manter a antiga bolsa de pano ou utilizar um saco de algodão centenas de vezes, provavelmente por anos.

Para saber…

Na Alemanha, quem não anda com sua própria sacola a tiracolo é obrigado a pagar uma taxa extra pelos sacos. Na Europa, vários países já evitam a entrega gratuita desse tipo de material. Na Irlanda, desde 1997, paga-se imposto por cada saco plástico usado. A criação da taxa estimulou os irlandeses a fazerem compras com suas próprias sacolas de pano, de palha e mochilas.

Em algumas cidades americanas a utilização de sacos plásticos foi proibida em supermercados e farmácias. Somente as sacolas feitas de produtos derivados do milho ou de papel reciclado podem ser usadas. Que tal seguir o exemplo? A natureza agradece.

Fonte: www.oieduca.com.br

Ecobags

Ecobag sustentável é de plástico

Ao ir às compras, quem quiser combinar o consumo responsável com uma atitude proativa na redução das emissões de efeito estufa tem como alternativa usar ecobags, as sacolas mais resistentes que se prestam a inúmeras reutilizações.

Entretanto, nem todas as ecobags são a melhor opção para o meio ambiente.

Ecobags verdadeiramente sustentáveis são aquelas feitas com os diversos tipos de plásticos, uma opção que combina leveza, resistência, durabilidade, segurança, praticidade e versatilidade, além de serem econômicas, pois podem ser utilizadas várias vezes. Por essas razões, as grandes redes do varejo já as adotaram, ao mesmo tempo em que racionalizam a distribuição de sacolas plásticas.

As ecobags de plástico são ecologicamente corretas por serem retornáveis e 100% recicláveis. O polietileno, o vinil (PVC), a ráfia e o nãotecido –TNT (polipropileno), e o PET reciclado são plásticos muito utilizados na confecção dessas sacolas.

Isso acontece porque os plásticos levam vantagem sobre outros tipos de material. Higiênicas e fáceis de limpar, as ecobags feitas com essas matérias primas não demandam utilização excessiva de produtos de limpeza (basta passar o paninho úmido, economizando água e sabão); e são impermeáveis, assegurando a proteção do conteúdo em caso de chuva e também evitando que a umidade vaze, no caso de se transportar produtos gelados.

Quem utiliza ecobag de plástico está adotando a prática ambientalmente correta dos 3 R’s – Redução, Reutilização e Reciclagem. A Redução se dá por conta da economia das matérias primas, água e energia utilizadas na confecção de uma única ecobag em substituição a múltiplas embalagens.

A Reutilização acontece a cada vez que o consumidor leva a mesma ecobag às compras, evitando consumir novas sacolas. E a Reciclagem ocorre quando, depois de vários usos, a ecobag vai para a coleta seletiva, de onde será remetida a uma recicladora que a transformará em novos produtos, até mesmo em uma outra ecobag. Se for praticada a coleta seletiva, esse ciclo poderá se repetir várias vezes, com incalculável benefício para o meio ambiente.

Além disso, as ecobags de plástico oferecem diversas possibilidades de design e impressão. Podem reproduzir logotipos e mensagens que não borram nem desbotam, em favor da preservação do meio ambiente. Assim, transformam-se em um acessório atraente e simbolizador do consumo consciente, demonstrando o estilo elegante e a preocupação ecológica do consumidor.

A utilização de ecobags de plástico é uma das ações do Programa de Consumo Responsável de Sacolas Plásticas da cadeia produtiva do setor, que objetiva a redução do uso dessas embalagens, aumentando sua resistência.

Todas estas ações foram adotadas a partir de um amplo diagnóstico, que inclui uma pesquisa feita pelo Ibope. Ela comprovou que 100% dos consumidores reutilizam as sacolinhas para acondicionar o lixo doméstico e 71% as consideram a forma ideal de transportar as compras. Por isso, 75% disseram ser amplamente favoráveis ao seu fornecimento pelo comércio varejista.

Ecobags

É sempre oportuno lembrar outra alternativa para a redução do consumo dessas embalagens. As sacolas ecológicas – ecobags – estão na moda e ganharam espaço como alternativa ambientalmente correta às necessidades cotidianas de transporte das compras.

Francisco de Assis Esmeraldo é Engº químico, presidente da Plastivida Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos, membro do Conselho Superior de Meio Ambiente da FIESP, do Conselho Empresarial de Meio Ambiente da FIRJAN (RJ), do Conselho Executivo da Associação Brasileira de Embalagens (ABRE) e do Conselho de Administração do Instituto do PVC.

FRANCISCO DE ASSIS ESMERALDO

Fonte: www.plastivida.com.br

Ecobags

Ecobags

Ecobags

Ecobags

As sacolas ecológicas – ECOBAGS – estão na moda. Ganharam a simpatia geral como alternativa ambientalmente amigável às necessidades cotidianas de transportar as compras. As campanhas pelo consumo responsável, em substituição aos plásticos – sempre tidos como os vilões em matéria de poluição ambiental – estimulam o uso das ECOBAGS e apresentam uma infinidade de opções disponíveis no mercado. Mas o plástico hoje se mostra, além de versátil, sustentável e ecologicamente correto, também quando a aplicação é em sacolas.

Hoje o plástico figura entre as sacolas fashion, de grife, como por exemplo, no trabalho de Juliana Suarez, designer paulistana, criadora da grife marialixo, que reutiliza sacolas plásticas de supermercado para a confecção de bolsas e sacolas. “A indústria da moda começou a prestar atenção nas potencialidades comerciais e ambientais dos materiais plásticos. As pessoas não têm noção de como funciona o ecossistema. A produção de um metro de algodão branco, por exemplo, consome grandes quantidades de água. Ser ambientalmente responsável, não significa abolir um ou outro material, mas consumi-los de forma sustentável”, afirma Suarez.

Os plásticos também figuram entre as chamadas ECOBAGS RETORNÁVEIS, aquelas mais usadas no dia-a-dia, já encontradas nos supermercados do País para as pessoas que conseguem fazer suas compras em porções não muito grandes, possíveis de serem carregadas de uma só vez.

Isso porque apresentam vantagens sobre outros tipos de material: são fáceis de limpar, sem a utilização excessiva de água, evitam contaminações de resíduos das compras, são impermeáveis, além de oferecerem diversas possibilidades de design e impressão. Ainda por cima, há a vantagem de também serem 1recicláveis, como 00% todos os plásticos.

Por fim, também são de plástico as sacolas de supermercado. Hoje há uma atenção a esses produtos para que sejam, além de descartadas corretamente e recicladas, utilizadas em menor quantidade (uso racional) – e, para tanto, a qualificação das sacolas tem sido um trabalho intenso da indústria. Para reforçar esse conceito, foi lançado, em maio, o Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas, acordado pela Plastivida instituto Sócio Ambiental dos Plásticos, o Instituto Nacional do Plástico (INP) e a Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Flexíveis (Abief), além das associações de supermercados do País. Utilizadas adequadamente, as sacolas de supermercado não perdem suas funções já incorporadas ao cotidiano das pessoas.

Uma pesquisa Ibope, realizada em outubro do ano passado com mulheres das classes B, C e D, revelou que, das 600 ouvidas, 100% afirmaram que usam a embalagem para o descarte do lixo doméstico, dispensando o uso de sacos plásticos para esse fim. Fora isso, foram listadas mais de 40 aplicações para as sacolas plásticas (colocar o guarda-chuva molhado na bolsa, as roupas sujas e os calçados na mala de viagem, entre outras).

Os plásticos se tornam sustentáveis quando suas características, como a durabilidade, por exemplo, são usadas em favor de suas aplicações. A Plastivida Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos apóia as ações responsáveis ligadas ao consumo e pós-consumo dos plásticos, elementos que estão presentes no dia-a-dia das pessoas em todos os momentos. Assim, os 3Rs – Reduzir, Reutilizar e Reciclar são conceitos fundamentais.

Fazer com que seja ambientalmente sustentável depende não apenas do produto em si, mas de seu uso adequado e consciente.

Fonte: www.revistameioambiente.com.br

Ecobags

Ecobags

Ecobag, a missão

Veja por que a sacola reutilizável é o melhor jeito de você carregar as compras, enquanto entrega saúde ao planeta

UM SACO INCOMODA MUITA GENTE

O saco plástico é produto do petróleo; leva até 400 anos para se decompor; se descartado incorretamente, entope bueiros e agrava enchentes; mata animais marinhos que o comem.

Mais: “Se um saco plástico com material orgânico ficar muito tempo fechado, ao ser aberto libera metano, gás 21 vezes pior ao aquecimento global que o gás carbônico”, diz Fernanda Daltro, coordenadora de consumo sustentável do Ministério do Meio Ambiente.

DÊ BANHO NELAS

Um estudo da Universidade do Arizona (EUA) e da Universidade de Loma Linda (EUA) achou nas sacolas retornáveis usadas um número considerável de micro-organismos nocivos, como bactérias que causam infecção gastrointestinal. Uma vez por semana, higienize sua ecobag. Se for de tecido, ponha na máquina de lavar só com sabão. Depois, com ela ainda úmida, borrife gotas de uma solução feita com 1 colher (sopa) de água sanitária e 1 litro de água. Isso também é legal para limpar ecobag plastificada.

UMA VALE POR MIL

Em média, uma ecobag dura cinco anos. Nesse tempo, você deixa de pegar cerca de mil sacos plásticos no mercado.

CADA UMA, CADA UMA

Quando for ao mercado, leve ao menos duas ecobags: assim pode separar alimentos de produtos de limpeza e evitar contaminações.

EM CASA

A quantidade de sacos que cabe no porta-saco, ou puxa-saco, é suficiente para você jogar todo o lixo orgânico do banheiro e da cozinha. Não precisa pegar mais do que isso no mercado. Vá de ecobag!

PAPEL É Nº 2

Se esqueceu as ecobags, peça caixas de papelão ao pagar a conta no mercado. Esse material é reciclado com mais facilidade pela indústria.

1,5 MILHÃO

É a quantidade de sacos plásticos consumidos por hora no Brasil. O dado é do Ministério do Meio Ambiente. Uma ecobag na mão e você já ajuda a mudar isso!

Sofia Solves

Fonte: planetasustentavel.abril.com.br

Ecobags

Ecobags – uma ajuda simples e moderna

A necessidade de ajudar o meio ambiente leva as pessoas a pensarem em soluções praticas que agradem a população. Esse foi o caso da criação das ecobags ou sacolas ecológicas que surgiram no conceito de sustentabilidade para substituir as sacolas de plástico, tanto de mercados quanto do comércio em geral. Elas são feitas de materiais duráreis, como os tecidos, trazem um ar de modernidade e mostram o estilo para cada usuário.

Ecobags

Ecobags

No Brasil, as grandes redes de supermercados aderiram essa idéia e repassaram as pequenas redes.

Ainda existe uma resistência nas pequenas cidades, onde a facilidade do uso de sacolas plásticas não sobrepõe o mal que as mesmas causam ao meio ambiente.

Segundo dados, no mundo todo são consumidos cerca de 1 milhão de sacolas plásticas por minuto, resultando em mais de 500 bilhões por ano! Só no Brasil essa quantidade chega a 12 bilhões por ano. Além do lixo acumulado nos aterros sanitários, as sacolas são feitas de um material que emite gases poluentes. Os números revelam que cada família brasileira descarta em média 40kg de plástico por ano.

Alguns países tomaram atitudes mais radicais para reduzir o consumo de sacos plásticos. Uns proíbem totalmente a utilização, como em São Francisco – EUA, outros cobram pelo seu uso, como na Alemanha e Dinamarca. Em Zanzibar – África, onde o turismo é a principal atividade econômica, se alguém usar um saco plástico vai preso, com pena de seis meses de cadeia ou U$ 2.000 de multa.

A tendência é que essa mudança do uso de sacolas plásticas para ecobags, seja apoiada por mais e mais pessoas.

Nas grandes cidades, já surgem novas formas de ajudar o meio ambiente. Atualmente estão sendo inaugurados supermercados com uma idéia totalmente ecológica, desde a sua construção até o seu atendimento. Um exemplo disso, são os depósitos para embalagens de produtos como caixas de pasta de dente, cereais, entre outros.

Na construção mudanças importantes resultam em consumo 25% menor de energia e 40% menor de água, como o uso de lâmpadas funcionais e econômicas e o maior aproveitamento possível da luz natural, como também a reutilização de água da chuva e a implementação de descarga a vácuo nos banheiros.

Ecobags

Ecobags

Ecobags

Ecobags

Ecobags

Fonte: Revista Ecológica Digita

Ecobags

Do útil ao agradável

Depois de um dia de compras ao chegar em casa o que a gente mais encontra são as SACOLINHAS. Sim, as danadas sacolinhas plásticas. E ai? Bom, anualmente, 500 bilhões de sacolinhas plásticas são produzidas no mundo e esse tipo de embalagem demora cerca de cem anos para sumir na natureza.

Ecobags

Então concordem comigo, precisamos mais de ATITUDE! Sustentabilidade é a palavra da vez, vamos repensar o nosso modo de vida e consumo!

Ecobags

Hoje tomei a minha decisão:

1) Escolher a(s) Sacola Ecológica -Ecobags

Fácil e divertida, essa etapa só complica na hora de escolher em tantas opções!

Para as mais atinadas a moda, varias grifes estão produzindo suas versões de ecobags. Isso ai, importantes nomes da moda nacional também tem aderido à nova tendência. Segundo o portal de Moda da IG, desde o início do ano, a marca carioca Cantão substituiu totalmente as sacolas de plástico de suas lojas por modelos de algodão natural, o que representa um gasto de 121% a mais para atender toda a rede da marca. “Essa decisão faz parte de uma estratégia concreta, que visa a conscientização do consumidor”, diz Rick Yates, gerente de marketing do Cantão.

Ecobags

O que não falta é variedade de modelos tornando a ecobag um acessório para compor looks, para passear, carregar livros, ir as compras em shoppings e supermercados.

2) Usar

Pode parecer simples no primeiro momento mas lembrar de levar a Ecobag na hora da compra não é tão fácil. Ao ler muito a respeito as dicas são; Manter uma ecobag no carro, uma dobradinha na bolsa, uma em casa.

Depois que o hábito pegar fica fácil fácil, principalmente por ter muitas vantagens além do ecologicamente correto.

Cabem muito mais do que as sacolinhas plásticas,

Não rasgam,

Mais confortáveis de carregar.

A ecobag da Imaginarium vem com uma embalagem especial e se transforma num prático chaveiro, entre outros modelos.

3) Recusar as sacolas de plástico!

É isso, moda e estilo é se preocupar com o planeta. E para funcionar sempre existe uma saídinha fashion…

Ecobags

Ecobags

Ecobags

Ecobags

Fonte: coisasdeglorinha.wordpress.com

Veja também

Agenda 21

Agenda 21

Clique nos links abaixo para navegar no capítulo desejado: Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Capítulo 4 …

Lixo Eletrônico

Lixo Eletrônico

PUBLICIDADE INTRODUÇÃO Com os avanços tecnológicos, muitos equipamentos (exemplos: computadores, televisões, celulares, etc.) vão sendo …

Controle-Biológico

Controle Biológico

PUBLICIDADE O controle biológico é uma técnica utilizada para combater espécies que nos são nocivas, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.