Breaking News
Home / Meio Ambiente / Produtos Orgânicos

Produtos Orgânicos

PUBLICIDADE

Produtos Orgânicos – Definição

O termo alimentos orgânicos refere-se a “alimentos cultivados organicamente”, significando plantas cultivadas sem o uso de pesticidas (sintéticos), fungicidas ou fertilizantes inorgânicos e preparadas sem o uso de conservantes. Os alimentos devem ser cultivados em terras que não tenham sido tratadas com fertilizantes químicos, herbicidas ou pesticidas por pelo menos três anos. A carne orgânica é proveniente de animais alimentados com culturas cultivadas organicamente sem o uso de promotores de crescimento, com apenas um número limitado de medicamentos para tratar doenças e geralmente mantidos em condições tradicionais e não intensivas.

Produtos Orgânicos – Alimentos

Alimentos orgânicos referem-se a culturas ou gado que são cultivados na fazenda sem a aplicação de fertilizantes sintéticos ou pesticidas e sem o uso de organismos geneticamente modificados. Em contraste, o tipo de agricultura seguido pela maioria dos agricultores, que inclui o uso de pesticidas e fertilizantes sintéticos, é denominado agricultura “convencional”.

Pesquisas com consumidores indicam que o público está preocupado com a segurança dos produtos que compram nas lojas devido à possível contaminação por agrotóxicos.

A mídia também destacou algumas preocupações ambientais que existem com a agricultura “convencional”.

Essas preocupações ambientais incluem a poluição de habitats aquáticos e aquíferos por fertilizantes sintéticos e pesticidas; trabalho agrícola e exposição do consumidor a agrotóxicos; a abordagem de curto prazo da agricultura “convencional”, que muitas vezes resulta em solos improdutivos e inférteis alguns anos após o uso intensivo da terra; a perda de diversidade biológica pela substituição de paisagens naturais por monoculturas extensivas (prática de cultivar a mesma cultura, no mesmo local, ano após ano); as ameaças potenciais aos habitats nativos e espécies selvagens de contaminação por organismos geneticamente modificados; e o deslocamento da agricultura familiar por grandes plantações ou operações de lavoura corporativa. A lista de problemas de saúde e ambientais reais ou percebidos que existem com a agricultura convencional, em parte, contribuiu para o aumento da popularidade entre o público em geral de alimentos produzidos organicamente.

Produtos Orgânicos – Produção

Alimentos orgânicos são produzidos de acordo com certos padrões. Para a agricultura alimentos orgânicos significam que os produtos foram cultivados sem uso de pesticidas convencionais, fertilizantes artificiais ou dejetos humanos, além de serem processados sem radiação ionizadora ou aditivos. Para animais, alimentos orgânicos são aqueles criados sem o uso rotineiro de antibióticos e sem utilização de hormônios de crescimento. Na maioria dos países, alimentos orgânicos não podem ser geneticamente modificados.

Alimentos orgânicos certificados devem passar por uma cuidadosa inspeção de produção.

Alimentos orgânicos são produzidos de acordo com certos padrões. Para a agricultura alimentos orgânicos significam que os produtos foram cultivados sem uso de pesticidas convencionais, fertilizantes artificiais ou dejetos humanos, além de serem processados sem radiação ionizadora ou aditivos. Para animais, alimentos orgânicos são aqueles criados sem o uso rotineiro de antibióticos e sem utilização de hormônios de crescimento. Na maioria dos países, alimentos orgânicos não podem ser geneticamente modificados.

Alimentos orgânicos certificados devem passar por uma cuidadosa inspeção de produção.

Produtos Orgânicos – O que são

Em poucas palavras: São produtos cultivados sem o uso de fertilizantes, agrotóxicos, hormônios ou sementes geneticamente modificadas.

No Brasil ainda é relativamente pequena sua produção (70% da produção de orgânicos no Brasil vem de núcleos de agricultura familiar), por isso nem sempre é possível encontrar tudo o que se gostaria em determinadas épocas. Itens cultivados sem serem borrifados com agrotóxicos (100% naturais) são menores e um pouco mais feiosos que os convencionais, porém os micronutrientes, (minerais, vitaminas e fitoquímicos, antibióticos naturais sintetizados por todas as plantas) estão presentes em maiores quantidades.

A proliferação de bactérias nos orgânicos é menor porque eles têm menos água em sua composição.

Resultado: a durabilidade é muito maior.

O modelo de produção de orgânicos é socialmente mais justo e traz benefícios ecológicos em escala global. O ideal ecológico prega a independência do agricultor em relação à indústria agro-química.

Ao abrir mão dos químicos e se preocupar com a fertilidade da terra, em vez de se ater apenas aos resultados da produção, ele está defendendo a biodiversidade e protegendo o meio ambiente.

Hoje, há várias instituições que dão certificados de garantia a produtos orgânicos: algumas das mais importantes são o IBD, a EcoCert e a AAOCert que só concedem o selo de qualidade a quem estiver em dia com uma agenda social (que inclui o combate ao trabalho infantil e cuidados com a saúde e a moradia dos agricultores) e ecológica!

A busca por saúde, qualidade de vida e respeito ao meio ambiente tem feito muitos consumidores se renderem aos alimentos orgânicos. Frutas, verduras, hortaliças, carnes, cereais a cada dia mais variedades de alimentos são produzidos de forma sustentável. Entenda sobre essa opção de alimentação consciente que se preocupa com o que chega ao seu prato, desde a produção até a hora de ser consumido.

Por que consumir orgânicos? Afinal o que tem levado mais e mais consumidores a aderirem ao consumo de produtos orgânicos?

Pesquisas realizadas em várias partes do mundo apontam para três motivos: a preocupação com a saúde; a vontade de participar na proteção do meio ambiente e a busca de sabor e frescor nos alimentos consumidos.

Preocupação com a saúde

É a principal motivação dos consumidores de produtos orgânicos. Eles aspiram por uma alimentação mais saudável, natural e equilibrada. Você sabia que durante a existência de uma pessoa (com média de 70 anos) transitam cerca de 25 toneladas de alimento pelo sistema digestivo. Mesmo que contaminados com teores baixos de agentes químicos, pode ocorrer alguma intoxicação em determinado período do ciclo de vida.

Um dos problemas no diagnóstico é que não existem sintomas característicos da epidemia de intoxicação subclínica por agrotóxico. Segundo HIGASHI (2002), nenhum medicamento pode agir adequadamente em pacientes com acúmulo de agrotóxicos em seu organismo.

Meio ambiente

Os alimentos orgânicos agridem muito menos o meio ambiente. Por não utilizarem produtos tóxicos, o risco de contaminação do solo e dos lençóis freáticos é reduzido. Além disso, os alimentos orgânicos preservam a fertilidade do solo, a qualidade da água, a vida silvestre, assim como os demais recursos naturais. A saúde das plantas, o bem-estar animal e a biodiversidade nas propriedades rurais também são valorizados.

Pesquisa do IBOPE Opinião revela que os transgênicos não têm boa aceitação no Brasil. Enquanto existirem divergências entre os cientistas em relação a possíveis prejuízos à saúde e ao meio ambiente, 65% dos entrevistados afirmam que os transgênicos deveriam ser proibidos.

Melhor sabor

Encontrar o gosto autêntico dos alimentos no sabor das frutas, dos legumes e nas carnes provenientes de animais criados soltos é uma preocupação constante.

Além disso, os alimentos orgânicos são livres de antibióticos, hormônios de crescimento, sendo processados sem o uso de aromas artificiais, conservantes e corantes.

Produtos OrgânicosProdutos Orgânicos

Consumo responsável

Ao consumir produtos orgânicos, você contribui para o fortalecimento dessa grande rede de pessoas e instituições que trabalham em prol de uma melhor qualidade de vida para as gerações atuais e futuras.

O consumidor responsável deve considerar e valorizar, no ato da compra, os produtos da estação, os regionais, aqueles que fortalecem os produtores locais e os que têm processo de produção e embalagens que agridem menos o meio ambiente.

Produtos orgânicos: que negócio é esse?

Produtos OrgânicosProdutos Orgânicos

Os consumidores exigem alimentos saudáveis, nutritivos, naturais e equilibrados.

Segurança alimentar é a ordem do dia!

Cada vez adquire mais força a voz dos compradores conscientes, preocupados com a saúde e bem-estar, que buscam uma melhor qualidade de vida e procuram encontrar alimentos de alta qualidade e com gosto autêntico, sentir o sabor e frescor das frutas, legumes, carnes e hortaliças.

Neste mundo globalizado onde tudo se passa de maneira veloz, queremos degustar na comida o antigamente, lembrar das comidinhas feitas em casa pelas avós.

Os mesmos consumidores preocupam-se com o meio ambiente e preferem comprar daqueles produtores que com suas lavouras não o degradem.

A produção orgânica não usa agrotóxicos e resulta de sistemas de manejo de recursos naturais equilibrados e harmônicos. Os consumidores, sobretudo os europeus, desejam conhecer como foram produzidos e preparados os alimentos.

Produtos orgânicos e lavouras agroecológicas são nichos, segmentos de mercado, um modismo passageiro ou negócios com grande potencial do qual podem participar pequenos e grandes produtores?

O mercado de orgânicos está em rápida expansão, sobretudo na Europa, e cada produto leva na sua embalagem o carimbo de certificação.

Este serve como instrumento de garantia ao comprador de que está consumindo o resultado de um rigoroso sistema de produção, de processos ecológicos que não agridem ao meio ambiente, onde existe a conservação e recuperação da diversidade ambiental. Isto sem mencionar o respeito total às regulamentações trabalhistas, indispensáveis à certificação orgânica.

É um modo de oferecer a transparência exigida pelos consumidores.

O mercado de produtos orgânicos engloba as práticas desde antes da porteira da fazenda e que se estendem por toda a cadeia de processamento, manuseio, armazenamento e transporte até os alimentos chegarem ao supermercado ou ponto de varejo. Todos os elos são responsáveis pela preservação da qualidade do produto.

Além da preocupação com a segurança alimentar e com o meio ambiente, cresce na Europa a preocupação com a responsabilidade social do produtor rural. O consumidor deseja conhecer quem é o produtor, como é a fazenda, qual é sua filosofia de vida, seu aporte e relação com o desenvolvimento da região onde está situado, que se espera tenha prosperado com a presença da fazenda orgânica.

Na criação animal espera-se que o produtor leve em conta todas as boas práticas relativas à saúde e bem-estar animal.

Quais são as práticas trabalhistas da fazenda? Os trabalhadores têm carteira assinada, existem escolas para seus filhos, assistência médica e lazer?

Abre-se então uma janela pela qual o comprador dos produtos orgânicos olha para os produtores, que não são mais anônimos e podem ser julgados pelo consumidor. Eles agora têm uma face.

Até cerca de 15 anos atrás os produtos orgânicos podiam ser adquiridos em feiras livres, ou através de pequenos produtores ou lojas naturais, sempre à margem do varejo convencional.

Hoje os orgânicos chegaram à maioridade e não são mais vistos como marginais. A popularidade tem crescido, não só na Europa, mas também no Brasil e nos Estados Unidos onde alguns alimentos estão sendo produzidos por empresas gigantes que vão da Nestlé a Unilever.

O suco de laranja orgânico que é comercializado sob a marca Odwalla, pertence à Minute Mait, divisão da Coca Cola. Por exemplo, a empresa Cascadian Farms, uma subsidiária do Small Planet Foods, representa a divisão de agronegócios da gigante General Mills que por sua vez tem Philip Morris, General Electric, Nike, McDonald´s, Monsanto, Dupont e outras entre suas principais acionistas.

Marcas conhecidas em outras áreas, como Wal-Mart, Citigroup, Microsoft e Danone também participam deste mercado.

Como aparecer e ganhar espaço neste mercado mais exigente

Mas a face da produção orgânica pode não ser tão risonha.

Principalmente para os pequenos agricultores brasileiros. As regulamentações dos grandes mercados importadores vêm se tornando cada vez mais exigentes, talvez mais que o mercado de produtos convencionais.

Os casos de vaca louca, febre aftosa e gripe aviária assustaram os europeus.

O produtor rural, empreendedor (a) ou empresa que decidir participar deste exigente mercado pode levar em média dois anos até adequar sua fazenda aos requerimentos da produção orgânica, dentre eles a certificação. Ela é cara, mas pequenos produtores podem se unir em grupos, através de cooperativas e associações, o que pode ser a saída para reduzir burocracia e custos.

Um plano de negócios racional deve levar em conta que o investimento não é baixo e o retorno é de médio a longo prazo. Para não correr riscos desnecessários, as próprias certificadoras credenciadas e outras empresas oferecem consultoria, garantindo ao consumidor a idoneidade de produtos e produtores.

Nos EUA já existe até uma cadeia de supermercados orgânicos, a Whole Foods. Ela apresentou uma taxa de crescimento de 20%, com vendas de US$ 3,5 bilhões. Em 2004 foi inaugurada uma monumental loja no centro de Manhattan (no centro de Nova Iorque), onde consegue destacar-se pela apresentação atraente de seus produtos. Seth Lubove, na revista norte-americana de economia Forbes, afirma que os produtos da Whole Foods são apresentados ao consumidor de maneira sedutora.

Eles contam uma história que serve de chamariz para as pessoas que desejam consumir produtos provenientes de fazendas e criadores com que eles possam se identificar.

A cadeia desenvolveu até um personagem próprio, Rosie, uma galinha caipira, que, antes de acabar sem penas e cabeça sobre uma cama de gelo no supermercado, morava num sítio na Califórnia, se exercitava ao ar livre e comia milho dourado.

E, segundo o panfleto de papel reciclado que acompanha o produto, ela nunca recebeu antibióticos ou hormônios de crescimento. Rosie é comercializada a duas vezes o preço das galinhas convencionais.

Até o macarrão vendido na cadeia não é composto somente de água e trigo embalado num simples pacote. Pasta representa o trabalho da vida de um artesão italiano chamado Gino, que, de sua fazenda com vista para o Mar Adriático, coloca seus produtos no Whole Foods iluminados como numa galeria de arte. O preço US$ 2,49 por um pacote de 0,454 kg, o que representa 70% a mais do cobrado pela venda de outros tipos de macarrões.

O produto, visto através da transparência das embalagens, deve gritar: sou fresco, sou gostoso, fui feito com carinho e sob restritas normas de qualidade para você.

Embalagens coloridas e atrativas levam esse recado aos consumidores.

Os preços dos produtos orgânicos acabam sendo mais altos do que os dos produtos convencionais, e os consumidores, mais exigentes, devem ser tratados de maneira distinta.

Devemos colocar no mercado produtos diferenciados, vender qualidade, segurança alimentar e credibilidade. No mercado dos orgânicos existe espaço para empreendedores inovadores dispostos a participar de um mercado exigente e que atrai cada vez produtores especializados e grandes empresas.

Os benefícios dos alimentos orgânicos

Produtos OrgânicosProdutos Orgânicos

Muitas pessoas já colocaram os alimentos orgânicos em sua rotina. Com o crescimento da classe C, os brasileiros hoje possuem maior possibilidade de consumi-los, inclusive por encontrá-los com maior facilidade.

Para quem não sabe, os alimentos orgânicos são cultivados com técnicas que respeitam o meio ambiente e são livre de agrotóxicos e conservantes que podem fazer mal à saúde.

Muitos especialistas estimulam o consumo destes alimentos alegando que eles podem trazer muitos benefícios, prevenindo doenças como o câncer. Além disso, quem trabalha no cultivo destes alimentos é poupado do contato com os perigosos produtos químicos.

Além de beneficiar a saúde, os alimentos orgânicos são amigos do planeta. As ervas daninhas são mantidas, o solo e a água não recebem nenhum tipo de poluente, a erosão da terra é evitada ao máximo e a biodiversidade é respeitada.

O que ainda impede grande parte dos brasileiros de consumir este tipo de alimento é a disponibilidade e viabilidade. Como são produtos que possuem um cuidado especial, os custos são altos e muitas vezes eles não são encontrados facilmente. Mas o consumo e cultivo estão crescendo significativamente, em especial nas regiões sul e sudeste. Parece que a população está conhecendo mais sobre o assunto e se conscientizando sobre os benefícios.

Então, faça uma experiência: compre um produto orgânico e um semelhante cultivado de maneira tradicional. O sabor e a qualidade podem ser vistos e sentidos, e o seu organismo e o planeta agradecem.

Fonte: www.vivacomorganicos.com.br/www.sna.agr.br(Sylvia Wachsner)/www.avonrenew.com.br/www.ecodesenvolvimento.org.br/cooperativaeteccm.hd1.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Efeito La Niña

PUBLICIDADE Efeito La Niña – O que é Tradicionalmente, La Niña tem recebido menos atenção do que …

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Muitos processos de fabricação industrial usam ou produzem produtos químicos que podem prejudicar a …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.